O LAGO

POEMA EM FORMA DE I-CHING

MARGARIDA LISBOA


Poesia. Extratextos de Helena Almeida (desenho e também fotografia). Exemplar da tiragem normal de 1000 exemplares. Capa de João Carlos Albernaz. 77+(3) páginas. 24 x 17 cm. Colecção Ilhas. Bom estado, salvo alteração de cor na zona da lombada, visível na fotografia. Miolo impecável. Lisboa: Rolim, [Novembro de] 1985.

Invulgar.

Preço: 45 euros.


 


MARCAS DE CONTRASTES
E OURIVES PORTUGUESES

DESDE O SÉCULO XV A 1950

MANUEL GONÇALVES VIDAL


Prefácio de Reinaldo dos Santos. Centenas de reproduções de marcas de contrastes e identificação cronológica e geográfica de ourives portugueses ao longo de cinco séculos. Uma referência preciosa para investigadores, estudantes, coleccionadores e comerciantes. Em brochura. Capa cansada. Lombada fendida, de uso prévio, mas perfeitamente manuseável. Miolo limpo. Com (8)+viii+560+(8) páginas, e 27,5 x 19 cm. Lisboa: Casa da Moeda, 1958.

Preço: 90 euros.


 


MÔSCAS E MOSQUITOS


prefácio
RICARDO JORGE


Resultado e memória do combate a moscas e mosquitos levado a cabo pela Câmara Municipal de Cascais, no final da década de 30, um grosso volume ilustrado que tenta abarcar várias vertentes de análise possíveis dos dois insectos que há séculos ocupam as mentes e preocupações do homem: humor, música e teatro complementam a parte documental da obra (científica, técnica e histórica) com uma forte componente rediofónica — reproduzem-se algumas das campanhas desenhadas para transmissão sem fios na Emissora Nacional e no Rádio Club Português, parte fulcral das ditas acções camarárias de sensibilização e higienização.

Índice aqui e aqui. Inclui capítulos sobre “a mosca e o turismo” e “a mosca e o urbanismo“. Abre o prefácio Ricardo Jorge com a recordação das queixas de Camilo, em Seide, «possesso de raiva contra as ferroadas das que na calma de Agosto o acometiam das carvalheiras».

Ilustrado com desenhos, fotografias e fac-similes de documentos (e até uma pauta musical), em 94 páginas de extra-textos couché, alguns desdobráveis. Colaboração de Emmerico Nunes, Alberto de Sousa, Tomás Ribeiro Colaço, Arnaldo Leite, José de Oliveira Cosme, e outros. Assinado, numa larga diagonal que atravessa o rosto, por um dos colaboradores, António Augusto Velasco Martins (1896-1944), por então professor da Escola Superior de Medicina Veterinária. Em brochura. 236+(94) páginas. 24,5 x 17 cm. Bom estado. Edição da Junta de Turismo de Cascais, 1939.

Curioso.

Preço: 40 euros.


 


HOMENS DO MEU TEMPO

IMPRESSÕES PSYCHOPATHOLOGICAS.
NOTAS INEDITAS E DADOS BIBLIOGRAPHICOS.

JOÃO PAULO FREIRE
(MÁRIO)


[Razão da obra]
Foi a «pneumonica» que deu origem a êstes apontamentos.

Muito fraco, depois de um mês de cama. e de ter estado com pé e meio «do lado de lá» (…)

Memórias e impressões, escritas em 1918 mas apenas publicadas em 1924, de diversas “personalidades” da época:

Adelino Mendes, Agostinho Fortes, Alberto Pimentel, Alberto Souza, Albino de Souza Cruz, Alfredo Serrano, Álvaro Neves, D. António Barroso, Augusto José Vieira, Azedo Gneco, Bartolomeu Constantino, Bernardino Machado, Conde de Pinheiro Domingues, Cruz Magalhães, Domingos Pinto Coelho, Estevão de Vasconcelos, Faustino da Fonseca, Garibaldi Falcão, Hermano Neves, Henrique Marques Júnior, Jaime Victor, João Franco Monteiro, João Lage, João de Vasconcelos e Sá (D. Tancredo), José Constante, José Maria Ançã, Júlio Dantas, Oldemiro César, Raposo de Oliveira, Tomás Joaquim de Almeida, Visconde de Morais, Zeferino de Oliveira e Zuzarte de Mendonça.

1.º volume. 1.º milhar. Em brochura. 272 páginas. 19 x 12,3 cm. Bom estado geral (preço antigo escrito a lápis na capa). Lisboa: Livraria Civilisação, [1924].

Preço: 22 euros.


 

Daniel FILIPE

[17Jul20]


PÁTRIA, LUGAR DE EXÍLIO


DANIEL FILIPE


Assinado pelo autor com dedicatória personalizada, de amizade. Primeira edição. Brochado, com sobrecapa (de Pilo da Silva). 82 páginas. 19,5 x 13 cm. Marcas de uso (uma ou outra falha de papel) — no geral, um bom exemplar. Lisboa: Poesia em Tempo de Guerra, [1963].

Preço: 50 euros.



DISCURSO SOBRE A CIDADE

CRÓNICAS

DANIEL FILIPE


Assinado pelo autor com dedicatória simples, de amizade. Primeira Edição. Carta-prefácio de José Osório de Oliveira. Crónicas «publicadas no Diário Ilustrado de Dezembro de 1956 a Setembro de 1957». Com 88 páginas, e 19,2 x 13 cm. Lombada levemente amarelecida. Bom exemplar. Lisboa: Sagitário, 1961.

Preço: 50 euros.



O VIAGEIRO SOLITÁRIO


DANIEL FILIPE


Assinado pelo autor com dedicatória fraternal. Capa de António Vaz Pereira. 77+(7) páginas. 20,4 x 16 cm. Lombada escurecida por exposição solar; capa com zona amarelecida (visível na fotografia). N.º 4 da Colecção de Poesias das Edições Távola Redonda, Lisboa, 1951.

Preço: 45 euros.



MARINHEIRO EM TERRA

POEMAS

DANIEL FILIPE


Capa de António Vaz Pereira. 53+(3) páginas. 20,2 x 15,5 cm. Com assinatura de posse no ante-rosto. Lombada e parte da capa com amarelecimento, leve, devido a exposição solar. Miolo limpo. Lisboa: Colecção Búzio, 1949.

Preço: 30 euros.


 


ALMANAQUE ALENTEJANO


1961


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo à entrada dos anos 60. Colaboração de: Santos Fernando, Antunes da Silva, Azinhal Abelho, Victor Santos, Santana Dionísio, e outros.

Ano XXIII. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 292 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1959


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo à entrada dos anos 60. Colaboração de: Cândido Marrecas, Santos Fernando, Arlindo Caldeira, Mário Beirão, José Barão, Isa de Aragão, Victor Santos, e outros.

Ano XXI. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 312 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Bom estado, salvo pequena falha de papel no canto superior da capa, visível na fotografia.. Impresso em Lisboa.

Preço: 22 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1958


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo no final dos anos 50. Colaboração de: António Sardinha, Arlindo Caldeira, Carlos de Oliveira, Conde de Monsaraz, João Falcato, Mário Beirão, Victor Santos, e outros.

Ano XX. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 328 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Com um marcador publicitário. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1957


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo na segunda metade dos anos 50. Colaboração de: António Sardinha, Arlindo Caldeira, Antunes da Silva, Azinhal Abelho, Conde de Monsaraz, e outros.

Ano XIX. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 336 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Com um marcador publicitário. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1956


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo em meados dos anos 50. Colaboração de: Alberto de Monsaraz, Victor Santos, Santos Fernando, Etelvina Lopes de Almeida, Maria Rosa Colaço, e outros.

Ano XVIII. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 344 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Com um marcador publicitário. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.


 


MULHERES EM ATENAS

AS MULHERES LEGÍTIMAS E AS OUTRAS

ANA LÚCIA CURADO


Baseado sobretudo em mais de uma centena de discursos atribuídos aos Dez Oradores do cânone ático, fontes particularmente ricas em informação histórica, este estudo é sintomaticamente intitulado «Mulheres em Atenas», visto que nem todas as figuras aqui analisadas eram originárias da capital da Ática, ainda que tivesse sido aí que se tivessem evidenciado. [ler recensão aqui]

Estudo originalmente apresentado à Universidade de Coimbra como tese de doutoramento em Letras, na especialidade de Estudos Clássicos. com orientação de Maria Helena da Rocha Pereira [autora do prefácio]. Brochado. 551+(5) páginas. 23 x 16 cm. Algumas ilustrações no texto, a preto. Usado em bom estado. Lisboa: Sá da Costa Editora, 2008.

Esgotado.

Preço: 25 euros.


 


AS MULHERES DE
MOÇAMBIQUE


MICHÈLE MANCEAUX


«Reportagem em moldes diversos dos clássicos sobre o processo revolucionário de Moçambique, com insistência no papel da mulher. Uma adesão à revolução moçambicana, mormente no seu aspecto de luta pela libertação feminina da prostituiçao, bigamia, trabalho-escravo, analfabetismo… Sendo as mulheres as mais oprimidas pelo colonialismo, é lógico que elas sejam, em quantidade e qualidade, o principal alicerce da Frelimo.
«Um livro confessadamente pensado para ser lido pelas mulheres de Moçambique ainda não mobilizadas para a revolução. O propósito de, através das palavras das militantes da Frelimo entrevistadas, dar forma à história da guerra de libertação do país. Uma obra didáctica para as mulheres da Europa conservadora pois, a ocidentalismo, opõe a vivência revolucionária rumo ao socialismo.»
[texto da contracapa]

Tradução de Manuel João Gomes, de um original de 1975 (Les Femmes de Mozambique). Brochado. 128+(8) páginas. 20,5 x 13,5 cm. Bom estado geral. Lisboa: Arcádia, [Janeiro de] 1976.

Preço: 17 euros.


 


O HUMORISMO E A MULHER

DEFICIÊNCIA DO HUMORISMO E DO SENSO CÓMICO
NO SEXO FEMININO

G. B. UGHETTI


Ensaio. Proémio do autor [«porque é que as senhoras, que se sorriem com tanto gôsto, e às vezes se riem sem motivo aparente, não lêem com prazer, e, menos ainda, escrevem livros ou jornais humorísticos?»], professor de Patologia na Universidade de Catânia. Versão do original italiano por Arlindo Varela. Encadernação sintética, mantém capas de brochura. 19 cm x 13 cm. 107+(7) páginas. Bom estado geral, embora com alguns pontos de oxidação. Lisboa: Casa Portuguesa, 1929.

Preço: 25 euros.


 


ORAÇÃO DA COROA


DEMÓSTENES


Versão do grego, prefácio e notas de Vieira de Almeida, e carta-prefácio de Rebelo Gonçalves. Exemplar n.º 40 da tiragem especial de 100 exemplares numerados e rubricados, impressos em papel Leorne, da Companhia do Papel do Prado. Brochado. Não aparado. CCXLVI+(2)+95+(5) páginas. 25 cm x 17 cm. Bom exemplar. Colecção de Clássicos Sá da Costa. Lisboa: Sá da Costa Editora, 1956.

Preço: 35 euros.


 


A CASA DO DIABO


MAFALDA IVO CRUZ


«Retomaria o tema das insidiosas condicionantes mentais do Antigo Regime, reflectidas em equívocos familiares prolongados ao longo de gerações, n’ A Casa do Diabo (2000), “a casa colectiva onde habitam memórias, sonhos, frustrações, tudo o que herdamos e tudo o que projectamos”. O livro é dedicado à pianista Ana Jacobetty, amiga de infância da autora, e é precisamente pautado por uma nostalgia dos primeiros anos de vida, “o único tempo que vivemos de forma total”.» [CDAP, 2004]

1.ª edição. Segundo romance da autora. Ler um excerto (páginas 96-106), aqui. Capa de Miguel Imbiriba. 292 páginas. 21 x 13,5 cm. Bom exemplar. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 2000.

Preço: 15 euros.


 


NO PRINCÍPIO SERÁ A CARNE


MANUEL GRANGEIO CRESPO


Teatro. Ilustrado com fotografias, recortes/colagens e desenhos. Abre com o manifesto da Re-Theater Co., de 1965. «Arranjo Gráfico de Carlos. Arranjo Tipográfico de Bento Romão. Consultor Técnico (entre duas cervejas) Luiz Pacheco». 130 páginas. 18,7 x 13,9 cm. Capas amarelecidas nas orlas, miolo impecável. Lisboa: [s.e.], 1969.

Preço: 35 euros.



O GIGANTE VERDE


MANUEL GRANGEIO CRESPO


Teatro. «Liturgia mágica em sete sequências e outros tantos comentários». 2.ª edição (primeira em Portugal) de uma peça publicada nas Éditions du Seuil. Abre com uma entrevista de Urbano Tavares Rodrigues ao autor, publicada no Jornal de Letras de 11 de Setembro de 1963. Com xii+186+(2) páginas. 19,8 x 14,2 cm. Bom estado. Miolo impecável. Lisboa: Edições Ática, 1965.

Preço: 25 euros.



APELO AO POVO


MANUEL GRANGEIO CRESPO


Notas à margem por Luiz Pacheco. Um texto que «antecedeu as eleições presidenciais de 1976» [ler aqui]. Ilustrado com alguns desenhos do autor. 120 páginas. 20,5 x 14 cm. Exemplar em bom estado. Miolo limpo. Lisboa: edição do autor, [1976].

Preço: 25 euros.



A BARONESA QUER
CASAR COM TODA A GENTE


GERMAINE ACREMANT


Traduzido por Manuel Grangeio Crespo. Biblioteca das Raparigas n.º XLVI (46), com capa de João da Câmara Leme. 231+(5) páginas. 18,2 x 13 cm. Assinatura de posse na folha de rosto. Lisboa: Portugália, [s.d.].

Preço: 12 euros.


 


FALA DO HOMEM LÉSBICO


MANUEL GRANGEIO CRESPO


Edição da Contraponto, de Luiz Pacheco, em parceria com a Supervisão (1983). Capa e ilustrações de Rogal. Prefácio de Adelino Dias Cardoso. 16 páginas não numeradas. 14,5 x 20,5 cm. Muito bom estado de conservação.

Preço: 17 euros.


 

ALONSO Féria

[05Jul20]


A UTILIDADE DO VERSO


ALONSO FÉRIA


Exemplar assinado pelo autor, a 16/11/69, com dedicatória invulgar, e sem nome do/a dedicatário/a.

Poesia. Capa de Fausto Boavida. 56 páginas. 20 x 14 cm. Bom estado, salvo lombada amarelecida. Lisboa: edição do autor, 1968.

Preço: 35 euros.

Outro exemplar sem dedicatória, bom estado geral — Preço: 17 euros.



TEMPO DE HERÓIS


ALONSO FÉRIA


Poesia. 57+(5) páginas. 20 x 13,4 cm. Capa com manchas, miolo limpo. Colecção Poesia e Verdade, Novíssima. Lisboa: Guimarães Editores, 1961.

Preço: 22 euros.



BORN IN 27

em conjunto com

SETEMBRO DE 1971


ALONSO FÉRIA


Conjunto. Ambos: editados em 1971, pela Estampa; mesmo formato, capa e tipo de papel; com auto-retrato do autor na capa; em bom estado.

Born in 27. ALONSO FÉRIA. Poesia. Com etiqueta da Cooperativa Húmus (Peniche). 86+(6) páginas. 18,3 x 13,4 cm. Lisboa: Editorial Estampa, [Janeiro de] 1971.

Setembro de 1971. ALONSO FÉRIA. Poesia. Antologia. Uma selecção, realizada em Setembro de 1971, de toda a poesia anterior. 179+(5) páginas. 18,3 x 13,4 cm. Lisboa: Editorial Estampa, [Dezembro de] 1971.

Preço do conjunto: 28 euros.


 


SERÕES DA BEIRA


SARAH BEIRÃO


Contos. 5.º milhar. 3.ª edição. 274 páginas. 19,5 x 12,7 cm. Colecção Portuguesa, n.º 2, da Editorial Domingos Barreira, Porto, 1940.

Estimada meia encadernação de pele, com cantos, ricamente floreada na lombada. Conserva capas de brochura, e miolo aparado apenas à cabeça. Com um canto do rosto restaurado.

Dedicatória autógrafa da autora a Caeiro da Matta, «fulgurantíssima inteligência», em Julho de 1948 — e que, segundo selo da [sua] biblioteca discretamente apenso à página de guarda da pasta frontal, o tinha arrumado na Secção de Benfica (“Biblioteca 1”), estante B, prateleira XI, com o número 924.

Invulgar.

Preço: 40 euros.


 

AfonsoRibeiro


POVO


AFONSO RIBEIRO


Contos. Capa de Júlio Pomar. Primeira edição. Proibido pela censura. Brochado, com 13 cm x 19,7 cm e 267+(5) páginas. Capa em bom estado, lombada um pouco escurecida, miolo limpo. Porto: Editorial Ibérica, 1947.

Preço: 20 euros.


 


CICLO DE CINEMA DE
FICÇÃO CIENTÍFICA

1984: “O Futuro é já Hoje?”


João Bénard da Costa (org.)


Marcando o ano “fatídico” que Orwell imaginara quarenta anos antes, a Gulbenkian e a Cinemateca Portuguesa juntaram-se em 1984 para um épico ciclo de filmes de Ficção Científica. O catálogo que daí resultou poderá bem ser uma das melhores edições jamais dedicadas ao género e, certamente, um dos mais impressionantes livros feitos em Portugal. [ler aqui]

Direcção literária de João Bénard da Costa. Direcção gráfica de Fernando de Azevedo. Textos de John Baxter, Olivier Assayas, Trindade Santos, João Manuel Barreiros e Alberto Vaz da Silva. 516 páginas, algumas desdobráveis. 30,5 x 22,5 cm. Encadernação editorial gravada a ouro, com sobrecapa. Em muito bom estado de conservação. Tiragem de 2000 exemplares, esgotada na primeira semana. Edição conjunta Cinemateca Portuguesa / Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1984.

Um objecto invulgar.

Preço: 135 euros.


 


OS MAIS ANTIGOS CINEMAS DE LISBOA
1896-1939

A DISTRIBUIÇÃO DE FILMES EM PORTUGAL
1908-1939


M. FÉLIX RIBEIRO


Lista exaustiva dos Cinemas e Teatros referidos nesta obra: Animatographo de Alcântara, Animatographo do Rossio, Belém Cinema, Campolide Cinema, Capitólio, Casino Étoile, Chiado Terrasse, Cine Bélgica, Cine Esperança, Cine Ginásio, Cine Oriente, Cine Pátria, Cine Paris, Cine Tortoise, Cinema Avis, Cinema Colossal, Cinema Condes, Cinema Cosmopolita, Cinema Europa, Cinema Gil Vicente, Cinema Palácio, Cinema Palatino, Cinema Pathé, Cinema Popular, Cinema Promotora, Cinema Restauradores, Cinema Rex, Cinema Universal, Cinema Voz do Operário, Coliseu de Lisboa, Coliseu dos Recreios, Eden Cinema, Eden Concerto, Esplanada Belém-Jardim, Esplanada Monumental, Grande Animatographo de Alcântara, Imperial Cinema, Império (1916), Jardim Cinema, Lusitania Film, Lys, Max Cine, Novo Cine, Odéon, Olympia, Palais Cinema, Paradis Cinema, Paraíso de Lisboa, Paris Cinema, Pathé Cinema, Rossio Palace, Royal Cine, Roxy, Tivoli, Trianon Palace, The Wonderful, Salão Avenida, Salão Central, Salão Chantecler, Salão Chiado, Salão Cosmopolita, Salão Edison, Salão Fantástico, Salão Foz, Salão Ideal, Salão Liberdade, Salão Lisboa, Salão Portugal (Alfama), Salão Portugal (Ajuda), Salão Rubi, Salão Theatro de Variedades, Salão das Trinas, Salão Recreio da Graça, Salão S. Carlos, Salão da Trindade, Salon Rouge, São Luiz Cine, Eden Teatro, Teatro D. Amélia, Teatro Estrela, Teatro do Ginásio, Teatro Joaquim de Almeida, Teatro Moderno, Teatro Politeama, Teatro do Rato, Teatro República, Teatro Salão dos Anjos, Teatro São Luís, Teatro da Trindade.

Profusamente ilustrado. Brochado, 264+(4) páginas. 23,8 x 17,5 cm. Assinatura de posse na página de guarda. Capa manuseada (perda de cor, desgaste marginal), cortes do miolo com picos de oxidação, miolo em bom estado. Lisboa: Instituto Português de Cinema – Cinemateca Nacional, 1978.

Preço: 24 euros.



FILMES, FIGURAS E FACTOS
DA HISTÓRIA
DO CINEMA PORTUGUÊS
1896-1949


M. FÉLIX RIBEIRO


Prefácios de Luís de Pina e de João Bénard da Costa, e introdução do autor:

Meti ombros a este trabalho na intenção de que nele ficassem apontados e respeitados muitos e variados aspectos do que foi a caminhada percorrida pelo cinema português ao longo do período que decorre entre o anos de 1896, quando Aurélio da Paz dos Reis dá as primeiras voltas de manivela, por intermédio da sua tão primitiva, embora eficiente, máquina de filmar, para nos oferecer a sua «Saída do Pessoal Operário da Fábrica Confiança», e o final de 1949, para nós um limite para os nossos propósitos […]

Capítulo I: 1.º Ciclo do Porto / Capítulo II: 1.º Ciclo de Lisboa / Capítulo III: 2.º Ciclo do Porto / Capítulo IV: 2.º Ciclo de Lisboa / Capítulo V: O sonoro chega a Portugal.

Com fotografias, anúncios, desenhos, caricaturas, fotogramas de filmes, etc. Brochado, 651+(5) páginas (papel couché), 25,8 x 17,8 cm. Bom estado geral. Lisboa: Cinemateca Portuguesa, 1983.

Preço: 35 euros.


 


A SEVÉRA


JÚLIO DANTAS


Teatro. Primeira edição. Peça em 4 actos representada pela primeira vez em Janeiro de 1901, no Teatro Dona Amélia (actual Teatro São Luiz), com Augusto Rosa no papel do Conde de Marialva. Dois anos depois, Dantas publicaria a primeira edição do romance A Severa.

Meia-encadernação sintética recente. Encadernado com ambas as capas de brochura (algo cansadas e com marcas de restauro), e não aparado. Miolo limpo. Assinaturas de posse discretas (de três épocas diferentes…) na capa, na página de ante-rosto e no rosto. 196 páginas. 21,5 x 13 cm. Lisboa: Manuel Gomes Editor, 1901.

Preço: 40 euros.



A SEVERA


JÚLIO DANTAS


Romance. Ilustrações de Maria Vasconcellos. Reproduz o prefácio do editor da 2.ª edição, Avelino S. Vieira. Em 2 volumes [1.º volume: 4.ª edição, 23.º milhar / 2.º volume: 4.ª edição]. Estimados. Colecção Portuguesa n.ºs 24 e 25. 172 e 205 páginas. 18,8 x 12,2 cm. Porto: Domingos Barreira Editor, [1945].

Preço: 20 euros.


 


PENSAMENTOS


PASCAL


Tradução e (extenso) prefácio de Salette Tavares. Capa de José Escada. 336+(14) páginas. 20 x 15,5 cm. Lombada amarelecida e capa com mancha ténue na margem direita, visível na fotografia. Colecção Círculo do Humanismo Cristão / Pessoa e Cultura, n.º 1, da Livraria Morais Editora, Lisboa, 1959.

Preço: 15 euros.


 

Surrealismo-em-Portugal-1934-1952


SURREALISMO EM PORTUGAL
1934-1952


María Jesús Ávila
Perfecto E. Cuadrado


Uma das principais obras de referência para o estudo da história do “surrealismo português”, nas suas manifestações pictóricas, escultóricas, literárias e performativas. Edição conjunta do Museu do Chiado e do Museo Extremeño e Iberoamericano de Arte Contemporáneo, aquando da exposição com o mesmo título, que passou por ambos os museus e pela Fundação Cupertino de Miranda, em 2001.

Notas introdutórias de José Sasportes, Raquel Henriques da Silva, Pedro Lapa, e outros. Álbum com (20)+456 páginas, e 24 x 30 cm. Encadernação editorial. Em muito bom estado.

Preço: 145 euros.


 

Drácula-quatro-elementos


O CONVIDADO DE DRÁCULA
e outras histórias


BRAM STOCKER, JOHN C. BLOOD,
RAYMOND D. DOUGLAS, THÉODORE FRAENCKEL


[Da nota de edição:] Além do texto de Bram Stocker (Dracula’s guest constitui um capítulo inédito, retirado pelo autor da versão definitiva de Drácula, de 1897), incluem-se nesta brochura dois curtos textos de Théodore Fraenckel extraídos de The Impossible papers, 1971 […], e O demiurgo (The Medium) de John C. Blood (de NECROPHALIA, The Death Press, Cambridge, 1907).

Capa de Paulo Varela Gomes. Brochado, 21 x 15 cm, 28+(4) páginas. Bom estado, embora na contracapa exista uma mancha e um apontamento a caneta. Colecção Fim de citação n.º 3. Lisboa: Quatro Elementos Editores, 1983.

Preço: 15 euros.


SilvaCarvalhoEssasVozes


ESSAS VOZES


SILVA CARVALHO


A ilustração da capa é de Paulo Varela Gomes. Brochado, 21 x 15,2 cm, 30+(2) páginas. Bom exemplar. Colecção Marca Amarela n.º 3. Lisboa: Quatro Elementos Editores, 1983.

Preço: 15 euros.



O PESQUISADOR DE OURO


CARLOS LEITE


«Um conhecer, dissecar, perscrutar, onde, em frequente contraponto, as imagens de um quotidiano repetitivo se cruzam com grafias do acontecer insólito; onde certas manchas da inquirição nos permanecem — não obstante a presença, aqui ou ali, de uma certa sugestão naturalística — em frases de adensamento de símbolos, e onde o ouro que pode haver, ou se procura em toda a espécie de existência [ou] se confunde com o apelo de uma harmonia total, de uma plenitude que não raro se configurará como loucura que funde êxtase e cataclismo.» [João Rui de Sousa]

Segundo volume da Colecção Marca Amarela. Ilustração interior hors-texte do autor, Carlos Leite, nascido em Vila Real, em 1949. Vinheta da capa de Paulo Varela Gomes. 500 exemplares. 22 páginas. 21 x 15 cm. Bom exemplar. Lisboa; Quatro Elementos Editores, [Novembro de] 1981.

Preço: 20 euros.


 


O CALÃO MINDERICO


AUGUSTO PORFÍRIO FRAGOSO


Brochado. 27+(5) páginas. 21,7 x 15,5 cm. Manuseado. Capa e miolo com pontos de oxidação e interior com várias palavras “assinaladas” pelo anterior proprietário (situação visível numa das fotografias). Santarém: edição do autor, 1964.

Raro.

Preço: 25 euros.


Contém este livro mais de quatrocentos e cinquenta vocábulos e algumas frases. Não é um trabalho completo como, aliás, o não são os dos grandes mestres e para o conseguir não foi sem certo esforço e até algumas decepções, devido à circunstância dos possuidores desta língua a não quererem divulgar, conservando-a, em segredo, como que um mito. [«Explicando», página 5]

 


O CASO DA ELEIÇÃO DE MISS PORTUGAL

para o concurso mundial de beleza do Rio de Janeiro, de 1930,
perante o Supremo Tribunal de Justiça


Minuta de Revista feita pelo advogado, do Porto,
DR. AFONSO DE ALBUQUERQUE


Recorrente: D. Maria Madalena da Gama Braga de Sá Teixeira, de Lisboa. Recorridas: A Renascença Gráfica, soc. an. port. de resp. limitada, proprietária do jornal Diário de Lisboa, e D. Fernanda Gonçalves, «desta cidade». Com 124 páginas e 23 x 16 cm. Bom estado. Porto: Tipografia Progresso, 1934.

Um pedido de indemnização por perdas e danos, por uma das finalistas, devido a uma questão de idade nos regulamentos. Um concurso onde as concorrentes teriam de ser «solteiras e reconhecidamente honestas, não importando a sua categoria social», e «distintas de apresentação». Uma das questões contra as quais o advogado se insurge é o facto de o Diário de Lisboa ter aproveitado o seu espaço mediático para auto-defesa pública.

Preço: 25 euros.