LIVRO DA ENSINANÇA DE
BEM CAVALGAR TODA SELA

que fez

EL-REY DOM EDUARTE


Edição crítica por Joseph M. Piel. Texto fac-similado da primeira edição (1944). Capa com pormenor de Historia de Nastagio degli Honesti — II, 1483, de Botticelli. xxii+160+(8) páginas. 24 x 15 cm. Capa com mínimas marcas de manuseio, interior impecável: um bom exemplar. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1986.

Preço: 22 euros.


o Divino Marquês

[20Nov20]


The popular assumption that Sade was as sadistic as his monstrous fictional villains is still current today among the majority of the population who have never read a line of his work. In fact, Sade’s thought, which is expressed at great length in novels, short stories, plays, critical essays, and personal correspondence, is considerably more complex than allowed by any of the simplistic labels, positive or negative, associated with this mythical reputation.
[John Phillips]


DIÁLOGO ENTRE UM PADRE E UM MORIBUNDO


DONATIEN-ALDONSE-FRANÇOIS DE SADE


Primeira edição de um título do Marquês de Sade em língua portuguesa: um conto ultra-ateísta cuja forma de diálogo justifica uma inserção subreptícia na colecção Teatro no Bolso da Contraponto — com toda a coragem anárquica do seu editor, que o cuida de tal forma que alcança a proeza de não ser notado.

Versão portuguesa do poeta e tradutor José Manuel Simões conforme o texto editado por Jean-Jacques Pauvert em 1953. Ilustrado com um extra-texto, a par do rosto (frontispício de Man Ray) e uma vinheta de Minos, no final do texto. Com [2]+29+(3) páginas, e 16,4 x 11,8 cm. Um bom exemplar. Lisboa: Contraponto, [1959].

Preço: 25 euros.



JUSTINE

OU LES MALHEURS DE LA VERTU


SADE


A “segunda versão” de Justine, com “o” prefácio de Georges Bataille. Uma das históricas e modelares edições Pauvert do Marquês.

Com xxxvii+(2)+417+(9) páginas, e 16,3 x 12,5 cm. Capa sem manchas e com dois vincos; lombada amarelecida, com desgaste ligeiro nas arestas e vincos e deformação côncava (pouco pronunciada) de leitura [defeitos visíveis nas fotografias]. Miolo limpo, salvo iniciais de posse («A.G.») com data de Paris, Abril de 1960, no ante-rosto. No geral, um exemplar sólido e interessante.

Em Paris, pelo editor Jean-Jacques Pauvert, com diferentes referências para o ano de publicação: data de impressão no colófon, 1955; data na capa, contracapa e lombada, 1957; data no rosto, 1958.

Preço: 18 euros.



SADE, MEU PRÓXIMO


PIERRE KLOSSOWSKI


« (…) um conjunto de reflexões sobre a alma de Sade e o tempo em que viveu, baseado na psicopatologia do desejo absoluto determinado pelo objecto absoluto (Deus: fundamento da alma) a que Klossowski atribui uma importância relevante na medida em que ‘a pretensão de descrever de algum modo a infelicidade da consciência de Sade’ acaba por equiparar o sadismo à não-crença, questão nuclear em toda a obra de Sade» [da badana].

Ensaio-título [citado no prefácio de David Mourão-Ferreira à Filosofia na Alcova da Afrodite] precedido de um outro, O Filósofo Celerado. Tradução de Ana Hatherly. Capa sobre um quadro de Klossowski. 148+(4) páginas. 19 x 11 cm. Bom estado. Colecção Passagens n.º 44. Lisboa: Vega, 2008.

Preço: 15 euros.



QUARTET


DE SADE


Quatro contos, traduzidos do francês por Margaret Crosland: The Mystified MagistrateAugustine de VilleblancheMiss Henrietta StralsonRetaliation. 125+(3) páginas. 17,2 x 10,7 cm. Bom estado. Colecção 2’6 n.º 1722, London: Panther Books, 1964.

Preço: 10 euros.



RENÉE PÉLAGIE,

MARQUESA DE SADE


GÉRARD BADOU


Biografia da “marquesa de Sade” (até 1790), cúmplice inexcedível em atribulados episódios da vida do esposo. Tradução de Paula Reis. Título original: Renée Pélagie, marquise de Sade. 171 páginas. 23,2 x 15,7 cm. Exemplar estimado. Colecção Vidas da editora Teorema, Lisboa, 2005.

Preço: 13 euros.



OS CRIMES DO AMOR

seguido de

HISTORIETAS MALICIOSAS


MARQUÊS DE SADE


Inclui alguns dos contos “clássicos” do autor. Abre com o célebre ensaio Idée sur les romans, («Ideia sobre os romances»), e prossegue com: «Faxelange», «Florville e Courval», «A Condessa de Sancerre» e «Eugénie de Franval». As historietas maliciosas: «Faça-se como é pedido», «A mulher virtuosa», «O bispo metido num atoleiro», «O preceptor filósofo», «A flor de castanheiro», «O talião» e «Há lugar para dois».

Textos integrais, seleccionados e traduzidos por João Costa. 6.ª edição. 242+(16) páginas. 20,3 x 12,7 cm. Encadernação editorial amarelecida junto ao topo. Miolo limpo. Bom estado geral. Lisboa: Círculo de Leitores, 1978.

Preço: 12 euros.



LAUTRÉAMONT ET SADE


MAURICE BLANCHOT


Dividido em duas partes: «La raison de Sade» (pp. 15 a 49), e «L’experience de Lautréamont» (pp. 51 a 188). Capa com um pormenor de uma carta de Lautréamont. 188+(4) páginas. 22 x 13,5 cm. Colecção Arguments. Bom estado. Paris: Les Editions de Minuit, 1976.

Preço: 14 euros.



O MARQUÊS DE SADE E A SUA CÚMPLICE

seguido de

PORTUGAL EM SADE, SADE EM PORTUGAL


JEAN PAULHAN


Jean Paulhan no seu melhor (finaliza com a transcrição do depoimento do autor, em tribunal, no julgamento de Pauvert), traduzido e anotado por Alberto Nunes Sampaio, seguido de «Portugal em Sade, Sade em Portugal», ensaio de António Carmo Luís [pseudónimo de Aníbal Fernandes que já não figura na segunda edição, de 2016] com digressão pelas referências a Portugal nas obras publicadas e correspondência de Sade e uma entrevista ao editor da Afrodite, Fernando Ribeiro de Mello.

Capa com pormenor de Ingres. 90+(6) páginas. 20,5 x 14,5 cm. Colecção Memória do Abismo n.º 37. Muito bom exemplar. Lisboa: Hiena Editora, 1992.

Preço: 10 euros.