MUSEU DA REAL ASSOCIAÇÃO DOS ARCHITECTOS CIVIS E ARCHEOLOGOS PORTUGUEZES

(NO LARGO DO CARMO)

Actual Museu Aqueológico do Carmo. Mínima nota introdutória: meia página. Catálogo não ilustrado, transcreve algumas inscrições romanas. Selo de antiga biblioteca pessoal no interior e exterior da capa frontal. Algumas emendas a lápis, não-recentes.

58+(4) páginas. 19 x 12,5 cm. Capa manchada. Miolo (aparado) no geral limpo. Lisboa: Typographia Universal de Thomaz Quintino Antunes, impressor da Casa Real, 1876.

Preço: 14 euros.


 


O HOSPITAL DE S. JOSÉ
E ANNEXOS EM 1853


MANUEL CESÁRIO DE ARAÚJO E SILVA


Opúsculo. Procedimentos administrativos, regulamentos, tabelas, melhoramentos recentes, contabilidade e logística, alguma história: o estado do Hospital de S. José em 1853. Invulgar.

Capas quase soltas, com pequenas faltas e marcas superficiais de bicho do papel, junto à lombada. Miolo aparado, no geral limpo. 111+(3) páginas. 21,2 x 15,3 cm. Lisboa: Typ. da Imprensa, na Rua dos Douradores, 1853.

Preço: 20 euros.


 


REGIMENTO DO HOSPITAL DE TODOS OS SANTOS


Título completo: REGIMENTO DO ESPRITAL DE TODOLOS SANTOS DE EL-REY NOSSO SENHOR DE LISBOA Que deu El-Rey D. Manuel no Ano do Senhor de 1504 e que é pela primeira vez dado em livro pelo Laboratório Sanitas em Novembro de 1946 nesta cidade de Lisboa.

Do Regimento do Hospital de Todos os Santos, «há duas versões no Arquivo do Hospital de S. José, ambas manuscritas, sendo uma, a original, escapada a dois incêndios, ao terramoto de 1755 e ao incêndio que se lhe seguiu, outra, “a leitura nova”, posterior. / A edição que fazemos é duma cópia revista, em face do original quinhentista e da “leitura nova”, pelos distintos funcionários Francisco de Bettencourt Atayde e Eduardo Santa Clara d’Agrella, sob a direcção de Ataíde e Melo, ilustre arquivista do Hospital de S. José, feita por determinação do antigo sub-secretário de estado da assistência social, Joaquim Dinis da Fonseca.» [in Prefácio, p. 8]

Autografado com dedicatória, no ante-rosto, por Fernando da Silva Correia, autor do prefácio e coordenador da edição, à época director do Instituto Ricardo Jorge. Com 4 ilustrações em extra-texto couché. 83+(13)+[8] páginas. 22 x 15,5 cm. Bom estado. Composto e impresso nas oficinas gráficas da Casa Portuguesa. Lisboa: Laboratório Sanitas, 1946.

Preço: 27 euros.


 


O PROBLEMA DA HABITAÇÃO


FRANCISCO KEIL DO AMARAL


A partir de uma conferência do autor. Com oito páginas de extra-textos fotográficos em papel couché. 39+(9)+[8] páginas, por abrir. 19 x 12 cm. Carimbo «Oferta dos Editores» na página de guarda. Miolo com algumas manchas. Capa manuseada. Colecção Cadernos Azuis – Problemas Contemporâneos, n.º 12. [Integralmente digitalizado pela OARS, aqui.] Porto: Livraria Latina Editora, 1945.

Preço: 14 euros.


 


NÃO HÁ RENDAS BAIXAS, HÁ RENDAS ESPECULATIVAS

É IMPOSSÍVEL O AUMENTO DE RENDAS


M. ROQUE LAIA


O preço das rendas das casas, tal como o do pão, dos transportes colectivos, têm de ter em conta a capacidade económica do público utente, ou seja, neste caso, a dos arrendatários. [p. 29]

Autoria de Mariano Roque Laia, advogado de causas difíceis em tempos cinzentos. Ilustrado nas capas com fotografias de reportagem de O Século Ilustrado, 3 de Julho de 1971. Na capa e no rosto figura o símbolo da AIL para o cooperativismo habitacional, sob o lema «um lar para cada família».

41+(3) páginas. 26 x 18,5 cm. Capa com alguns picos de oxidação concentrados junto a uma das margens. Bom estado geral. Impresso na Empresa Gráfica Casa Portuguesa. Edição do autor patrocinada pelas Associações dos Inquilinos Lisbonenses e do Norte de Portugal, Lisboa, 1971.

Preço: 14 euros.


 


O BOM HUMOR NOS TRIBUNAIS PORTUGUESES


MONTALVÃO MACHADO


2.ª edição, aumentada, corrigida e ilustrada. Capa e caricatura do autor por seu filho Júlio Augusto. Ler uma das crónicas aqui. 171+(5) páginas, maioria por abrir. 21,8 x 15,6 cm. Capas parcialmente amarelecidas. Bom estado geral. Composto e impresso na Tipografia Gomes. Porto: Livraria Avis, 1967.

Preço: 35 euros.


 


FUTILIDADES VELHAS OU IDEIAS NOVAS?

UM PLANO PRÁTICO PARA SALVAR A CIVILIZAÇÃO MODERNA

“SIMÃO, O ZELOSO”


O conteúdo dêste livro abrange assuntos que muito interessam a Humanidade inteira; permite-nos atingir uma felicidade que não representa apenas um bem-estar emotivo e uma satisfação intelectual, mas ainda alguma coisa mais duradoira e sólida e de utilidade prática nas nossas vidas cotidianas. 

Prefácios de Ramada Curto e Urbano Rodrigues [não é improvável que todo o livro seja um trabalho conjunto dos dois prefaciadores, sob pseudónimo]. Brochado. 206+(2) páginas. 19,2 x 12 cm. Lombada com ligeira perda de cor. Capa com pequenas manchas dispersas. Bom estado geral. Composto e impresso na Imprensa Artística, Lda., Lisboa, 1938. Em depósito na Parceria António Maria Pereira, Livraria-Editora.

Preço: 15 euros.


 


NAS NUVENS…


SETE RAPARIGAS


Romance expressamente escrito para o jornal A VOZ, Lisboa, 1932. Publicado em folhetins a partir do dia 26 de Abril desse ano. Colecção completa. 94 páginas. 19,2 x 12,7 cm. Encadernação caseira. No miolo, o topo de dois pares de páginas encontra-se rasgado, mas sem perda de papel ou texto [ver fotografia]. Um exemplar satisfatório de um folhetim efémero e anónimo.

Preço: 16 euros.