A PROPÓSITO DE TEATRO

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES OPORTUNAS OFERECIDAS
À INTELIGÊNCIA E REFLEXÃO DE TODOS OS
HOMENS DE BOA VONTADE


JOSÉ GAMBOA


Ensaios sobre teatro, dramaturgia, crítica, o Conservatório, os repertórios, a imprensa, e outros temas (inclui «O teatro e futebol como elementos de educação»). Vide índice nas fotografias. Exemplar assinado com dedicatória ao cineasta Baptista Rosa. Manuseado. Sólido. Com uma mínima falta de papel na contracapa. 425-(4) páginas. 19,2 x 12,5 cm. Lisboa: edição do autor, 1949.

Preço: 18 euros.


 


HISTÓRIA DO TEATRO PORTUGUÊS

O CICLO DO ROMANTISMO


DUARTE IVO CRUZ


Sub-título: Do Judeu a Camilo. Brochado com sobrecapa. Com 126-(2) páginas e 21 x 15 cm. Capas com manchas leves. Miolo limpo. Bom estado geral. Lisboa: Guimarães Editores, 1988.

Preço: 15 euros.



INTRODUÇÃO À HISTÓRIA DO
TEATRO PORTUGUÊS


DUARTE IVO CRUZ


Plano da obra: Os esboços pré-vicentinosGil Vicente, o que faz os autos a El-ReiO teatro pré-vicentinoRenascimento e teatro Pausa neo-latina A luta pela sobrevivência teatral Dualidade do séc. XVIIISéc. XIX — Séc. XX.

Brochado. Com 229 páginas e 21 x 15 cm. Ligeiras marcas de uso exteriores. Carimbo antigo, de oferta institucional, na página de guarda. Bom estado geral. Lisboa: Guimarães Editores, 1983.

Preço: 15 euros.


 


COMO ME DOMINEI PELA AUTO-SUGESTÃO CONSCIENTE


ADONAI DE MEDEIROS


Palestras. 1.ª edição portuguesa. Brochado. 76-(4) páginas (por abrir). 20 x 14 cm. Bom estado. Depositária: Tertúlia Edípica. Lisboa: edição do autor, 1972.

Preço: 14 euros.


 


O PAPA NO DECIMO NONO SECULO


J. MAZZINI

Triumviro da República Romana

Giuseppe Mazzini (1805-1872), escritor, jornalista, activista, político e ex-carbonário, é uma das figuras principais do chamado Risorgimento, movimento que na segunda metade do século XIX pugnou pela unificação dos vários estados italianos num único país com um governo central, secular e republicano. Várias vezes exilado por motivos políticos, na Suíça, em França e em Inglaterra, participou na fundação de uma Segunda República Romana (1849), insubmissa ao poder papal, onde desempenhou funções no triunvirato governativo. O projecto falhou, seguindo-se novo exílio para o autor, que publica o libelo anti-papal O Papa no Décimo Nono Século, a tradução portuguesa editada no mesmo ano da edição original.

Com 64 páginas e 16 x 11 cm. Capas com manchas, falhas de papel, lombada praticamente inexistente e uma minúscula assinatura de posse («205 – Joaquim  Martins»), a aparo, que se repete no topo da primeira página do texto (mesma caligrafia e tinta, variante «Joaquim da Costa»). Miolo no geral limpo. Última página com falta de metade inferior, rasgada, já após o final do texto. Bruxelas: na Imprensa de V. Wouters, 1850.

Preço: 25 euros.



 


NOVA HISTÓRIA DE JOÃO DE CALAIS


Quanto às aventuras do navegador João de Calais, Luís da Câmara Cascudo não deixou de fomentar algumas dúvidas a respeito da sua verdadeira autoria, baseando-se nas informações de Mme. Monique Cazeaux-Varagnac e nas pesquisas de Antoine Barbier, as quais apontam para um certo Jean Castillon, possível pseudónimo de autor anónimo, como o autor da estória que cativa há séculos o ocidente europeu. O etnólogo brasileiro nota, ainda, que a versão original da História de João de Calais reporta o seu ambiente para o reino português, tendo o mesmo sido modificado aquando da tradução, pois a redacção de Madame de Gómez substitui o porto de Lisboa e o reino de Portugal pelo porto de Palermo no reino da Sicília. [daqui]

Folheto “de cordel” com agrafo. 11.ª edição. 16 páginas. 16,5 x 12 cm. Pequenos picos de oxidação marginais. Bom estado. Edição do Bazar Feniano / António da Silva Santos e C.ª / Porto [s.d.].

Preço: 12 euros.