A COIMBRA ACADÉMICA DO MEU TEMPO

(1913-18)

JORGE DE SEABRA


Crónicas publicados em o jornal de Castelo Branco, Beira Baixa, de Março de 1940 a Abril de 1947.

Exemplar assinado pelo autor com dedicatória datada. Ex-libris do dedicatário. Capa com desenho de José de Seabra, irmão do autor.

Ilustrado com alguns extra-textos fotográficos, a preto, em papel couché. 230,(2) páginas. 22 x 15 cm. Meia-encadernação de pele, com seis nervos na lombada, em muito bom estado de conservação. Possui ambas as capas de brochura. Miolo no geral limpo, aparado e carminado (apenas) no corte superior das folhas. Bom exemplar, estimado. Depositária: Livraria Tavares Martins, Porto, 1948.

Preço: 55 euros.


 


MEMÓRIAS DE UM ESTUDANTE DE DIREITO

COIMBRA 1911-1916


RAFAEL SALINAS CALADO


2.ª edição. Prefácio de João de Barros (datado de 1942, para a primeira edição). Ilustrado com fotografias e caricaturas.

Brochado. 304 páginas. 20,5 x 15 cm. Capa com pequenas manchas. Bom estado geral. Coimbra: Coimbra Editora, 1961.

Preço: 24 euros.


 


PREOCUPAÇÕES DE UM DEPUTADO

I.
A GRANDE ESPERANÇA

ANTÓNIO MARTINS DA CRUZ


Autografado por Martins da Cruz, com «um abraço de amizade e admiração» ao professor Carlos Silva.

Abre com bibliografia e prefácio do autor. Seguem-se intervenções sobre questões educativas, na Assembleia Nacional, entre Janeiro de 1962 e Dezembro de 1964, onde pugna pela igualdade de instrução para todos; abertura e melhoria de escolas no Fundão, Castelo Branco (Liceu Nuno Álvares e inexistência de um Liceu Feminino), Sertã, e Beira-Baixa em geral; ou melhores orçamentos para a Educação.

Com xxxix,(1),205,(3) páginas, e 23,5 x 16 cm. Capa com foxing generalizado. Miolo limpo. Lisboa: edição do autor [composto e impresso nas oficinas da Imprensa de Coimbra], 1965.

Preço: 18 euros.


 


QUATRO ANOS NA ASSEMBLEIA NACIONAL


JACINTO FERREIRA


Quatro Anos na Assembleia Nacional é uma colecção de intervenções políticas onde o autor começa por justificar o sentido da presença de um monárquico numa assembleia parlamentar. Destacam-se em seguida intervenções em questões como: o reforço do apoio à investigação científica; mais e melhores bolsas de estudo; equiparação entre os diferentes tipos de jornalistas; redução de impostos nos três primeiros anos da entrada do cidadão no mercado de trabalho; ou mesmo uma intervenção em favor de um indulto ao capitão Jorge Valadas, um tema tabú na época.

António Jacinto Ferreira, 1906-1995, veterinário e professor universitário, fundou durante a legislatura de que este volume deixa testemunho, 1949-1952, o semanário monárquico O Debate (1951).

Capa muito manchada, miolo no geral limpo. Carimbo coevo de “oferta”, na capa. 201,(3) páginas. 22,7 x 16 cm. Lisboa: Edição das Comissões de Freguesia de Lisboa da Causa Monárquica, 1953.

Preço: 12 euros.


 


A REVOLUÇÃO PORTUGUESA


JESUS PÁBON


Publicado originalmente em espanhol, em 2 volumes, o ensaio histórico de Jesus Pábon sobre as duas décadas que antecederam o Estado Novo recebeu quase de imediato o Prémio Camões, do SNI, em 1951, antes mesmo da publicação da tradução portuguesa.

Historiador bem posicionado no regime franquista, Pábon assume uma visão parcial, de extrema-direita, sobre a Revolução Portuguesa de 1910 e a Primeira República Portuguesa, destacando sempre «a desordem, a demagogia e a instabilidade governativa» [cit. aqui] por contraponto à bonança trazida pelo 28 de Maio. A obra começa com um elogio a D. Carlos e termina com uma citação de Salazar.

Ilustrado. Prólogo do autor. Tradução de Manuel Emídio e Ricardo Tavares. 684,(4) páginas. 23,8 x 16 cm. Encadernação sintética sóbria, mantendo as capas de brochura originais. Miolo aparado, com algumas manchas de oxidação e marcas de restauro. Carimbo de posse sumido no ante-rosto. Bom estado geral. Colecção Grandes Estudos Históricos. Lisboa: Editorial Aster, [s.d.]

Preço: 22 euros.


 


SERÕES DA BEIRA


SARAH BEIRÃO


Dedicatória autógrafa da autora a Caeiro da Mata, «fulgurantíssima inteligência», em Julho de 1948.

Estimada meia encadernação de pele, com cantos, ricamente floreada na lombada. Conserva capas de brochura, e miolo aparado apenas à cabeça. Com um canto do rosto restaurado.

Contos. 5.º milhar. 3.ª edição. 274 páginas. 19,5 x 12,7 cm. Com selo da biblioteca pessoal de Caeiro da Mata, discretamente apenso à página de guarda da pasta frontal, indicando arrumação na Secção de Benfica (“Biblioteca 1”), estante B, prateleira XI, com o número 924.Colecção Portuguesa, n.º 2, da Editorial Domingos Barreira, Porto, 1940.

Preço: 35 euros.


 


«INVÁLIDOS DO COMÉRCIO»

E A SUA OBRA DE SOLIDARIEDADE

FAUSTO GONÇALVES


Reportagens publicadas na Gazeta de Coimbra, em 1941. Capa com desenho de Stuart de Carvalhais. Ilustrado com 13 fotografias a preto, em extra-texto, não atribuídas. Badana com publicidade ao Almanaque Alentejano, do qual Fausto Gonçalves foi coordenador.

5.ª edição, 9.º e 10.º milhares, no mesmo ano da 1.ª (1942). Com 103,(1),[8] páginas e 19 x 12 cm. Capas com alguns picos de oxidação dispersos, miolo limpo. Bom estado geral. Depositária: Livraria Portugália, Lisboa. Composto e impresso na Tipografia Americana, Lisboa.

Preço: 17 euros.


 


MEMÓRIAS DE UM VENCIDO

(1882-1921)

ANTÓNIO CLARO


Título completo: Memórias de um Vencido, que são a pintura fiel, quanto possível, das minhas recordações desde 1882 a 1921.

«… livro em que ele revive a sua vida desde as estúrdias da boémia coimbrã (…) até à tragédia do 31 de Janeiro, ao exílio forçado por terras de Espanha e do Brasil e ao exílio voluntário com o coração cheio de nojo pelas baixezas torpes de certo jacobinismo republicano.» [aqui]

Brochado. 258,(2) páginas. 19 x 12 cm. Lombada amarelecida. Miolo limpo. No geral, bom exemplar. Porto: Livraria Civilização, 1924.

Preço: 20 euros.