SENA DA SILVA
60 ANOS DE OFÍCIOS

Riscos, sustos, entusiasmos, êxitos e insucessos


EDUARDO CALVET DE MAGALHÃES (org.)


Livro editado por ocasião da Exposição/Homenagem a António Sena da Silva, inserida na I Bienal Internacional de Design de Mobiliário – Mobilis 2000, realizada no edifício do parque de exposições de Paços de Ferreira (17 a 30 de Setembro de 2000):

«Os textos e as imagens de este livro só por acaso aparecem ordenados em termos cronológicos ou por critérios muito discutíveis de sequências temáticas. Com excepção da referência ao dia da morte de Le Corbusier e ao do nascimento de Sena da Silva, a maioria dos dados cronológicos têm — quando muito — uma aproximação de décadas. Os projectos apresentados não correspondem a uma selecção dos “melhores”, em termos de “perícia projectual” ou de significação social: foram aqueles que pudemos encontrar em rolos de papel amarelecido semi-devorados por insectos capazes de se interessarem por alimentos tão pouco apetecíveis como o papel vegetal ou heliográfico.»
[nota na ficha técnica]

Álbum brochado e muito ilustrado, sobre a obra multímoda de um autor (1926-2001) notável: design de equipamento, design editorial, publicidade, arquitectura, pintura, fotografia. Inclui textos de Sena da Silva e Leonor Senna, mas também depoimentos, biografia e currículo. Sem índice.
Prefácio, selecção de textos e anotações de Eduardo Calvet de Magalhães. Organização da Cooperativa Árvore. 19 x 29,5 cm. 174 páginas. Paços de Ferreira: Câmara Municipal de Paços de Ferreira, 2000.

Com curiosa e extensa dedicatória autógrafa de Sena da Silva (1926-2001) que orla toda a página de rosto.

Preço: 45 euros.



A SEVÉRA


JÚLIO DANTAS


Teatro. Primeira edição. Peça em 4 actos representada pela primeira vez em Janeiro de 1901, no Teatro Nacional D. Maria II, com Augusto Rosa no papel do Conde de Marialva. Dois anos depois, Dantas publicaria a primeira edição do romance A Severa.
Meia-encadernação sintética, em óptimo estado. Encadernado com ambas as capas de brochura (algo cansadas e com marcas de restauro), e não aparado. Miolo limpo. Assinaturas de posse na capa, na página de ante-rosto e no rosto. 196 páginas. 13 x 21,5 cm. Lisboa: Manuel Gomes Editor, 1901.

Preço: 45 euros.



A SEVERA


JÚLIO DANTAS


Romance. Ilustrações de Maria Vasconcellos. Reproduz o prefácio do editor da 2.ª edição, Avelino S. Vieira. Em 2 volumes [1.º volume: 4.ª edição, 23.º milhar / 2.º volume: 4.ª edição]. Estado óptimo. Colecção Portuguesa n.ºs 24 e 25. 172+205 páginas. 12,2 x 18,8 cm. Porto: Domingos Barreira Editor, [1945].

Preço: 22 euros.



O SACO

MEMÓRIAS DE UM BOXEUR


MATOS JÚNIOR
[MANUEL MATOS IDEIAS]


Foi campeão regional e defrontou os maiores boxeurs nacionais e espanhóis do seu tempo. Exerceu também as profissões de madeireiro, marçano, guarda-costas, comerciante, arrumador de cinema, estivador, etc. Uma vida sob o signo do infortúnio. Evocadas conhecidas personalidades do meio desportivo e artístico. Um romance vivido e uma advertência à mocidade. Um grito de desespero, mordaz, pungente, angustiante… [texto da contracapa].

Manuel Matos Ideias, conhecido como pugilista pelo nome Matos Júnior, publicou há 50 anos estas memórias da sua vida e carreira em parceria com o jornalista Fernando Laidley. Capa com desenho de J. Ribeiro, datado de 1966. Exemplar assinado pelo boxeur com dedicatória de página inteira. Exemplar estimado. 140 páginas. 13,8 x 20,2 cm. Lisboa: Edições Tapete Mágico, [s.d.].

Preço: 25 euros.



AMADEO

MODIGLIANI  e  SOUZA-CARDOSO


DIOGO DE MACEDO


Por ocasião da Exposição Retrospectiva de Amadeo de Souza-Cardoso, efectuada nas salas do SNI, a revista Panorama sente-se honrada em publicar um original do escultor Diogo de Macedo, cuja doença e morte prematura lhe não permitiram rever e completar.

Episódios das memórias de Diogo de Macedo que, em Paris, nos seus «tempos de estudante», conheceu e privou com Modigliani. Opúsculo ilustrado com um retrato de cada um dos pintores. 40 páginas. 20,5 x 25,5 cm. Bom estado. Lisboa: Edições Panorama, 1959.

Preço: 20 euros.



RIBATEJO
CASOS E TRADIÇÕES


FRANCISCO CÂNCIO


Uma das várias incursões importantes de Francisco Câncio no registo e divulgação da cultura popular da província do Ribatejo. Os capítulos e as próprias imagens sucedem-se com uma ordem aparentemente aleatória, unidos pelo desembaraço e segurança de um bom contador de histórias, alicerçado em anos de pesquisas nos livros e nas gentes, e o que sucede é que o leitor curioso da etnografia e do folclore da região tem deleite garantido ao passear por estas páginas ribatejanas abaixo. Vide índice nas fotografias.

2 volumes ilustrados com fotografias, desenhos e gravuras, editados em fascículos. 525+485 páginas. 19,5 x 25,5 x 7,3 cm. Meia-encadernação ‘francesa’, não-editorial, sólida, com ligeiro desgaste nas extremidades, mormente nas cabeças e pés das lombadas. Bom estado geral. Edição com o patrocínio da Junta de Província do Ribatejo, s.l., 1948.

Preço: 185 euros.



CARTEIRA DO ARTISTA


SOUZA BASTOS


Apontamentos para a Historia do Theatro Portuguez e Brazileiro acompanhados de notícias sobre os Principaes artistas, escritores dramaticos e compositores estrangeiros.

Jornalista e “homem do teatro” — empresário, director teatral, encenador e ensaiador, dramaturgo e dramatógrafo —, António de Sousa Bastos (1844-1911), marido da actriz Palmira Bastos, compilou esta grande e pequena história do teatro português seu contemporâneo, o do final do século XIX, com espaço para muito mais do que actores, dramaturgos e salas de teatro.

Os índices alfabéticos listam: actores portuguezes e brazileiros; actrizes portuguezas e brazileiras; aderecistas; architectos, auctores de figurinos e decoradores; artistas dramáticos estrangeiros; benemeritos do theatro; cabelleireiros de theatro; cantores portuguezes; companhias diversas; contraregras; curiosidades theatraes; decretos, portarias, tratados e outros documentos referentes ao theatro; diversos empregados de theatro; dramas, comedias, tragedias, operas-comicas, revistas e peças phantasticas notaveis pelo seu merecimento ou pelo sucesso que obtiveram; emprezarios theatraes; ensaiadores portuguezes e brazileiros; escriptores, dramaticos e criticos theatraes, portuguezes e brazileiros; escriptores dramaticos estrangeiros; guarda-roupas; machinistas; musicos estrangeiros; musicos portuguezes e brazileiros; operas e dansas; pontos; scenographos; theatros estrangeiros; e theatros portuguezes e brazileiros.

Esta espécie de enciclopédia caótica do teatro, repleta de pequenas gravuras, está inicialmente organizada cronológicamente, por dias e meses do ano: nascimentos de determinado actor, estreia de uma dada peça, abertura de uma nova sala, etc.
Este calendário ocupa um pouco mais de metade do livro, bem organizada. Mas a partir da página 475, a sucessão de apêndices, acrescentos, correções, adendas, novas informações, rectificações, ampliações e eventos sem data torna a pesquisa de informação uma curiosa aventura proto-hipertextual para a qual o índice de 30 páginas supra-citado é a peça chave.

Primeira edição. Lisboa: Antiga Casa Bertrand — José Bastos, Editor, 1899. Com 868 páginas, e 18,5 x 26 cm. Encadernação com lombada em pele. Aparado. Conserva a capa de brochura anterior, uma litografia de Raphael Bordallo Pinheiro. Pequenas e inócuas marcas de bicho do papel em algumas páginas. Assinatura de posse no rosto. Bom estado.

Digitalizado e disponível online aqui.

Preço: 115 euros.


antero2v-bio


ANTERO DE QUENTAL

SUBSÍDIOS PARA A SUA BIOGRAFIA

JOSÉ BRUNO CARREIRO


Considerada uma das biografias fundamentais do poeta Antero de Quental. Obra em 2 volumes, ilustrados com fotografias e fac-similes no texto e extra-texto. 465 + 434 páginas. 17 x 24,5 x 5,5 cm. Bom estado. Edição do Instituto Cultural de Ponta Delgada, Lisboa, 1948.

Preço: 60 euros.


 

ouro-fischer

k-ouro ouro-zamith ouro-buceta


2.ª REGIÃO MILITAR

LIVRO DE OURO

NOTAS BIOGRÁFICAS DOS GENERAIS COMANDANTES
DA 5.ª DIVISÃO MILITAR, 5.ª DIVISÃO DO EXÉRCITO E 2.ª REGIÃO MILITAR
1901-1954

Álbum brochado (23 x 31 cm) com 80 páginas de textos essencialmente biográficos + uma página extra-texto, com retrato fotográfico e lista de condecorações, para cada um dos generais:

1.º Período, 5.ª Divisão Militar (1901-1911):
General de Brigada Manuel Joaquim da Silva Mata (1901-1902), General Frederico Augusto de Almeida Pinheiro (1902-1905), General José Estanislau Ventura (1906), General José Augusto Nogueira de Sá (1906-1909) e General Joaquim José da Silva Monteiro (1909-1911).

2.º Período, 5.ª Divisão do Exército (1911-1926):
General Diogo Pereira de Sampaio (1911-1913), General João Rodrigues Blanco (1913-1915), General Duarte Ivens (1915), General Bernardo António de Brito e Abreu (1915), General Fernando Tamagnini de Abreu e Silva (1915-1917 e 1918-1919), General António Maria de Matos Cordeiro (1917), General João Evangelista Pinto de Magalhães (1917), General Jaime Leitão de Castro (1917-1918), General Brás Mouzinho de Albuquerque (1919-1921), General José Augusto Simas Machado (1921-1925), General João de Morais Zamith (1925-1926) e General António Teixeira de Aguiar (1926).

3.º Período, 2.ª Região Militar, a partir de 1926:
General José Ernesto de Sampaio (1926), General Jacinto dos Reis Fischer (1927-1929), General António Gomes de Sousa Júnior (1929-1938), General Carlos Maria Pereira dos Santos (1938), General Fernando Augusto Borges Júnior (1938-1939), General José Vítor Franco (1939-1945), General Augusto Martins Nogueira Soares (1945-1949), General Manuel Bernardes de Almeida Topinho (1950-1953) e General Humberto Buceta Martins (1953-1954).

Explica o comandante da 2.ª região militar, na introdução, que o livro resulta de uma sugestão do Ministro da Guerra, o então Tenente-Coronel Fernando dos Santos Costa, em 1948, de que «nos Quartéis Generais, Comandos de Unidades e Sedes de Estabelecimentos Militares, fossem expostos os retratos de antigos Comandantes e Chefes».

Exemplar de uma tiragem (não-numerada) de 300 exemplares, impressa na Tipografia da Gráfica de Coimbra aos 10 de Dezembro de 1954 (na capa e contracapa, bem como no final da introdução, a data simbólica que figura é o 1.º de Dezembro).

Capa com ligeiras marcas de uso, nas orlas, o interior em bom estado; no geral um exemplar bastante satisfatório.

Preço: 60 euros.


rosto-ouro

Ramalho Ortigão

[22Dez11]


THEOPHILO BRAGA

ESBOÇO BIOGRAPHICO


J. D. RAMALHO ORTIGÃO


Como escriptor, a sua obra contém dia a dia a historia do seu espirito. Trabalhador incansavel, não tendo largado a penna desde os quinze anos de idade, Theophilo Braga tem toda a sua vida intellectual pósta ao sol, em plena rua, como a vida de Diogenes, o cynico.
Em 1864, impregnado ainda do metaphysicismo universitario, o qual mais tarde elle devia raspar de si, como os antigos leprosos raspavam a lepra, esfregando a pelle com uma telha, Theophilo emprehende os desenvolvimentos da poesia e escreve com a mais extraordinaria frescura de originalidade e de inspiração tres livros que constituiram uma epoca na historia da poesia portuguesa.

Opúsculo raro, conservando ambas as capas de brochura apenas com pequenas marcas de bicho do papel junto à lombada, visíveis na fotografia. 31 páginas. 9,5 x 13 cm. Volume IX da Bibliotheca Republicana Democratica. Lisboa: Nova Livraria Internacional, 1879.

Preço: 20 euros.



ALEXANDRE HERCULANO

A SUA VIDA E A SUA OBRA
(1810-1877)


CARLOS PORTUGAL RIBEIRO


Obra em 2 volumes. Prémio Herculano da Sociedade de Geografia de Lisboa, em 1932, cujo júri foi constituído por Agostinho Fortes, António Ferrão, Joaquim Leitão, Afonso de Dornelas e Henrique Ferreira de Lima.

Ambos os volumes autografados pelo autor com dedicatória. 255 + 321 páginas. 13 x 19 cm. Óptimo estado de conservação. Lisboa: Typ. da Emprêsa Nacional de Publicidade, [1933 – 1934].

Preço: 50 euros.



O DOUTOR JIVAGO


BORIS PASTERNAK


Tradução de Augusto Abelaira. Prefácio de Aquilino Ribeiro. Tradução das poesias por David Mourão-Ferreira. Primeira edição portuguesa, de muitas, editada quase imediatamente após a edição original (italiana, em 1957), e o Prémio Nobel atribuído ao autor (1958). 622 páginas. 15 x 20 cm. Bom exemplar. Lisboa: Livraria Bertrand, [1959].

Preço: 12 euros.



UM TRADUTOR FORA DE PASTERNAK


EGITO GONÇALVES


Um exercício raro (em Portugal) de crítica de tradução, pela pena do poeta Egito Gonçalves, focado, neste caso, numa tradução de Pasternak por João Apolinário:

Não se trata aqui de dizer mal de uma tradução, vagamente, como pode fazer não importa que provinciano aprendiz de jornalista, dos que disfarçam a incapacidade de estilo e a incultura sob o peso de citações alheias e montes de frases empoladas e sem nexo. Não falarei pois, no ar, das alterações de ritmo, da pobreza do vocabulário — ninguém diria ser o português uma língua rica — etc., etc. Limitar-me-ei, e será mais do que suficiente, a examinar algumas PROVAS concretas de que a tradução portuguesa de «O ano 1905» é uma trapalhada avinagrada, das mais incríveis que a história das nossas traduções pode registar.

Folheto de 12+(2) páginas e 14,5 x 21 cm, escrito em 9 e 10 de Outubro de 1959, e editado pelo autor, no Porto, no mesmo ano.

Preço: 12 euros.



A PROFECIA DOS PAPAS

(ATRIBUÍDA A S. MALAQUIAS)


A. VIEIRA D’AREIA


Exemplar autografado pelo autor com dedicatória a um «velho amigo e camarada», em 1944. Na colecção Forum, publicada sob a direcção de Ferreira da Costa, 6.ª secção (Ciências Históricas), n.º 1. Com 76 páginas, e 14 x 20,5 cm. Porto: Editora Educação Nacional, 1944.

Preço: 12 euros.



MARCO POLO


A. VIEIRA D’AREIA


Na colecção Enciclopédia Popular — Pequena Biblioteca de Iniciação Cultural, dirigida pelo autor, II secção (Biografias), n.º 1. Com 153 páginas e 12 x 19 cm. Lisboa: Agência Editorial Brasileira, de José Rodrigues Júnior, Editor, 1945.

Preço: 8 euros.


* * * * *

Vide outros livros de A. Viera d’Areia aqui.

* * * * *