POR LA CONCORDIA


FRANCISCO CAMBÓ


De Francesc Cambó y Battle (1876-1947), advogado e político, fundador da Liga Regionalista, Ministro do Fomento (1918) e da Fazenda (1921-1922), o «grande profeta fracassado do nacionalismo catalão». Edição de uma conferência do autor na Associación Catalanista de la Barceloneta, em Janeiro de 1923, anterior ao golpe de Estado de Primo de Rivera, em Setembro desse mesmo ano.

Segunda edição (prefácio datado de 1927). Com 211 páginas, e 12,3 x 15,7 cm. Lombada fendida, e com marcas de restauro. Miolo com picos de oxidação. Exemplar sólido. Madrid: Compañía Ibero-Americana de Publicaciones, [s.d.].

Preço: 18 euros.



FYSIOGNOMIA
E VARIOS SEGREDOS DA NATUREZA


JERONYMO CORTEZ


Título completo [e restante informação contida no rosto da obra]: FYSIOGNOMIA, E VARIOS SEGREDOS DA NATUREZA. Contém Cinco Tratados de differentes materias, revisto, e melhorados nesta ultima impressão. Accrescentado nesta ultima idição com huns segredos emportantes para tirar nodoas. Composto por Jeronymo Cortez, Natural da Cidade de Valença. Agora novamente traduzido em Portuguez por Antonio da Silva de Brito. Lisboa, Na Officina de Francisco Borges de Sousa, Anno MDCCXCII. Com licença da Real Meza da Commissão Geral Sobre o Exame, e Censura dos Livros.

Um catálogo, ou receituário, contendo diversas fórmulas práticas e mezinhas, mais ou menos credíveis, com tanto de impraticável — por dificuldades de obtenção de certos ingredientes (dentes de lobo?) — como de realização fácil, na oficina, no campo ou no lar. Há astrologia, agricultura, folclore, curandeirismo, zoologia, geografia, e métodos para a produção de bebidas alcoólicas. O título, por exemplo, destaca «segredos emportantes para tirar nódoas». O autor: Jerónimo Cortez, ou Gerónimo Cortés (1555-1615), natural de Valência e autor do famosíssimo Lunário Perpétuo, até aos nossos dias republicado… e usado.

Os cinco tratados referidos no título são: 1) «Da Fysiognomia Natural do homem, conforme o methodo da Filosofia, e Medicina»; 2) «Das excellencias do Alecrim, e sua qualidade»; 3) «Das muitas, e mui grandes propriedades da Agua ardente»; 4) «Dos Segredos da Natureza, e maravilhosos effeitos delles»; e 5) «Da Regiao Elementar, e Celeste, no qual se descrevem as naturezas dos quatro Elementos, e Corpos Celestes, e de muitos, e varios effeitos, que causão».

Uma das inúmeras edições portuguesas da obra, mais ou menos expurgada, ao longo dos últimos 300 anos — só na Biblioteca Nacional existem edições de 1699, 1706, 1815, 1844, 1860, 1866, 1879, 1900, 1978, 1993 e 1995, bem como uma castelhana de 1598.

Com 238 páginas, e 9,8 x 14,9 cm. Encadernação da época, inteira de pele, com diversos defeitos (faltas e furos, principalmente na lombada) mas bem sólida. Um ou outro defeito menor no interior (pequena falta de papel no canto inferior exterior da página 181/182, que não chega a tocar o texto; garatujas a lápis nos intervalos do texto das páginas 222 a 224).
No geral, um bom exemplar.

Invulgar.

Preço: 85 euros.



O PORTUGUÊS

CRISTOVÃO COLOMBO

AGENTE SECRETO DO REI DOM JOÃO II


MASCARENHAS BARRETO


Exemplar que pertenceu a Fernando Falcão Machado (1904-1993), que o anotou criticamente de diversas formas (a lápis —> com marcas, sublinhados e pequenas notas; e a tinta —> em pequenos papéis apensos às páginas a que se referem). Parece haver um tentame de índice onomástico no final, visível numa das fotografias supra. Exemplar com interesse acrescido.

Com várias ilustrações ao longo do texto, algumas a cor. 613+(11) páginas. 17 x 24 cm. Bom exemplar. Lisboa: Edições Referendo, 1988.

Preço: 40 euros.



D. PEDRO I
E A SUA ÉPOCA


JOSÉ ESTEVÃO DE MORAES SARMENTO


Um longo ensaio que questiona, com diversos fundamentos, a veracidade histórica da crónica que Fernão Lopes dedicou à vida do rei D. Pedro I. Vide índice nas fotografias supra. Exemplar da tiragem normal. Com a capa anterior (espelhada), mas não a posterior. Miolo com pequenas marcas de uso. Com (12)+xliv+562+(2) páginas, e 16,5 x 23,5 cm. Porto: Imprensa Portuguesa, 1924.

Encadernado com:

Pareceres da Academia das Sciencias de Lisboa àcerca do Livro D. Pedro I e a Sua Época do General Moraes Sarmento. 2.ª edição [ambas fora de mercado], com adenda pelo Dr. Armelim Junior, sócio da mesma academia. Inclui a petição do parecer, pelo general Moraes Sarmento, e os pareceres da secção de jurisprudência (Artur Montenegro; D. António, cardeal patriarca; Júlio de Vilhena; e Visconde de Carnaxide) e da secção de História (Vicente Almeida d’Eça; Pedro Augusto de S. Bartolomeu Azevedo; António Baião; e António Ferrão) da Academia, aprovados pelo secretário-geral, Cristovam Ayres. Invulgar. 37+(3) páginas. 14 x 21 cm. [s.l]: Sintra Gráfica, 1929.

Encadernação sintética moderna, meia-francesa, em excelente estado de conservação.

Preço: 45 euros.



ELEMENTOS PARA A HISTÓRIA
DO MUNICÍPIO DE LISBOA


EDUARDO FREIRE DE OLIVEIRA


Título e autor, tal qual figuram no rosto: Elementos para a História do Município de Lisboa, por Eduardo Freire de Oliveira, arquivista da Camara Municipal da mesma cidade. 1.ª PARTE. Publicação mandada fazer a expensas da Camara Municipal de Lisboa, para commemorar o centenario do Marquez de Pombal em 8 de Maio de 1882.

Mais de 10 mil páginas de documentos oficiais de algum modo relevantes, organizados cronologicamente e alusivos a séculos de assuntos invariavelmente díspares — as iguarias de um banquete celebratório, a colocação na prisão do Limoeiro do líder de uma «companhia de comediantes de Castella», a lista das pessoas de cada freguesia que se recusam a participar numa campanha de limpeza pública, a morte do rei —, num panorama que permite acompanhar os reflexos da política e da história do país nas várias decisões e questões do município d’esta cidade onde desde muito cedo esteve instalado um Governo demasiado centralista.

Temos assim «a carta regia que trouxe a communicação official da morte de Filippe II» (tomo II, quase todo dedicado ao “tempo dos Filipes”, pág. 590), «a ruína de Lisboa», no sábado 1 de Novembro de 1755 (tomo XVI, a partir da página 133, com lista e descrição sumária de abalos sísmicos anteriores, nomeadamente os de 1309, 1321, 1344, 1356, 1512, 1531, 1551, 1575, 1597, 1598, 1699 e 1724), a inauguração da estátua equestre de D. José (em parte citada aqui) ou a «consulta da Cammara a el-rei em 2 de julho de 1650», onde se propõem os nomes de «doze fidalgos, doze cidadãos e doze homens do povo» para «terem as chaves das quatro portas da cidade» (tomo V, p. 208, antecedendo em algumas páginas a lista exaustiva dos preços de venda de todo o tipo de animais para alimentação, indexados inteiros, em partes, e por género).

O primeiro documento transcrito no tomo I, que não o foral de 1179, data de 7 de Novembro de 1190, e o último documento transcrito no tomo XVII data de 23 de Agosto de 1777. Entre ambos, os diversos prefácios e as anotações constantes de Freire de Oliveira (1841-1916) desvelam e aprofundam as origens e importância dos textos que transcreve. Contém ainda algumas ilustrações, muito poucas, destacando-se a litografia da Divisa da Cidade, que abre o tomo X, ou a «planta litographada da sala das sessões do senado da camara de Lisboa, que acompanha a carta regia de 13 de Novembro de 1773» (tomo I, pág. 68).

[Para uma descrição mais detalhada da cronologia de cada tomo, consulte-se o artigo de António Miranda na Rossio n.º 1, de 2013. Como o plano cronológico da 1.ª parte da obra deveria ter prosseguido até ao ano do início da publicação (1882), suspeita-se que, além da nunca publicada 2.ª parte, também desta 1.ª parte terá ficado por publicar pelo menos um tomo, para o período 1777-1882.]

Obra completa (tudo quanto se publicou), em XVII tomos de 16,5 x 24,5 cm (66cm de estante), Lisboa: Typographia Universal, 1882-1911.

Tomo I, 1885, (12)+661+(5) págs. Tomo II, 1887, xiv+593+(2) págs. Tomo III, 1888, vi+584+(3) págs. Tomo IV, 1889, xii+628+(3) págs. Tomo V, 1891, vi+620+(3) págs. Tomo VI, 1893, ix+627+(2) págs. Tomo VII, 1894, cxii+466+(3) págs. Tomo VIII, 1896, vi+593+(3) págs. Tomo IX, 1898, vi+617+(4) págs. Tomo X, 1899, viii+595+(2) págs. Tomo XI, 1901, vi+632+(3) págs. Tomo XII, 1903, (10)+652+(3) págs. Tomo XIII, 1904, (6)+622+(3) págs. Tomo XIV, 1906, (6)+634+(3) págs. Tomo XV, 1906, (6)+630+(3) págs. Tomo XVI, 1910, xiv+567+(4) págs. Tomo XVII, 1911, (6)+622+(3) págs.

Acrescentam-se os dois volumes de índices, publicados cerca de 40 anos mais tarde: Índice dos «Elementos para a História do Município de Lisboa», por Esteves Rodrigues da Silva, sob a direcção de Jaime Lopes Dias, 2 vols., Lisboa: Câmara Municipal, 1942-1943. Com 396+578 páginas, e 17 x 22,5 cm. Capa do volume II com um rasgão restaurado. Páginas por abrir.

Todos os 19 volumes em brochura e 17 deles com as páginas por abrir. Bom estado geral, com não mais do que pequenos defeitos dispersos (muito ocasionais picos de humidade; algumas lombadas mais amarelecidas que outras; bicho de papel que atacou superficialmente a capa do tomo VI; e situações afins, de pouca monta).

Conjunto invulgar.

Preço: 480 euros.



BIBLIOGRAPHIA HISTORICA PORTUGUEZA


JORGE CESAR DE FIGANIERE


[Título completo:] BIBLIOGRAPHIA HISTORICA PORTUGUEZA ou catalogo methodico dos auctores portuguezes, e de alguns estrangeiros domiciliarios em Portugal, que tractaram da Historia civil, politica e ecclesiastica d’estes reinos e seus dominios, e das nações ultramarinas, e cujas obras correm impressas em vulgar; onde também se apontam muitos documentos e escriptos anonymos que lhe dizem respeito, por JORGE CESAR DE FIGANIERE, official da Secretaria de Estado dos Negocios Estrangeiros, commendador da Real Ordem de Isabel a Catholica, Membro do Conservatorio Real de Lisboa, etc.

Reimpressão fac-simile holandesa da rara edição portuguesa de 1850. Vide índice nas fotografias. Encadernação editorial em tela. Exemplar em óptimo estado de conservação. 359 páginas. 15 x 23 cm. Naarden: Anton W. Van Bekhoven, 1970.

Preço: 70 euros.



MEMÓRIAS DE UM EX-MORFINÓMANO. (Reportagem vivida nos mistérios dos alcalóides). Vol. I (único publicado). Muito invulgar primeira edição, pois em óptimo estado de conservação. Miolo limpo, salvo pequena assinatura de posse na página de rosto. Capa assinada «M. Guimarães XXXIII». 215 páginas. 12,8 x 17,9 cm. Porto: Marânus, 1933.
Preço: 50 euros.

AMOR SEM AMOR. (Novelas). Primeira edição. Colecção Obras Completas do Repórter X, vol. I. [p. 11, À “laia” de prólogo: «Todo o segredo desta colecção editorial das Obras Completas do Repórter X assenta nesta melancólica pena de não ver reunida à minha volta, os entes queridos do meu sangue literário. É uma arrumadela; uma recolha; uma metotisução — a primeira da minha vida e imposta pela minh’alma.»]. Desenho da capa assinado R. Nunes. Seis novelas, algumas das quais anteriormente publicadas em Espanha. 211 páginas. 11 x 17,5 cm. Bom estado de conservação. Porto: Matos & Oliveira, 1929.
CEMITÉRIO DA GLÓRIA E DA SAUDADE. (Crónicas). Primeira edição. Colecção Obras Completas do Repórter X, vol. II. Crónicas memoráveis, sobre Rudolfo Valentino, Sarah Bernhardt, Isadora Duncan, Homem Christo, personagens anónimas de anúncios classificados, obituários, palhaços, gémeas siamesas, actores, (…). 211 páginas. 11 x 17,5 cm. Bom estado de conservação. Porto: Matos & Oliveira, 1929.
Preço (conjunto do Vol.I e Vol. II das Obras Completas): 50 euros.

CINCO MIL FRANCOS POR MÊS. (Novela). Primeira edição. Capa de Jorge Barradas. Com pequenas falhas de papel na lombada. Manuseado. Frágil. 96 páginas. 12,7 x 19,3 cm. Lisboa: Empresa do Diário de Notícias, 1926.
Preço: 18 euros.



30 POEMAS


ANGEL CRESPO


Exemplar assinado e datado pelo autor com dedicatória à actriz Hermínia Tojal, que anotou algumas páginas a lápis. Poemas traduzidos por António Osório, Eugénio de Andrade, José Bento e Mário Cláudio. 47 páginas. 13,5 x 20 cm. Colecção Folhas Novas, nº2, dirigida por Hélder Moura Pereira, para a editora Gota de Água, Lisboa, 1984. Tiragem de 500 exemplares.

Preço: 35 euros.


angel-pessoa


A VIDA PLURAL DE FERNANDO PESSOA


ANGEL CRESPO


Biografia. Tradução de José Viale Moutinho. Exemplar revisto e corrigido a lápis por José Palla e Carmo. 425 páginas. 15 x 23 cm. Capa de Emílio Vilar. Lisboa: Bertrand Editora, 1990.

Preço: 15 euros.



DONDE NO CORRE EL AIRE

(1974-1979)

ANGEL CRESPO


Obra rara, numa tiragem de apenas 500 exemplares (este o número 85), editada pelo Grupo Poético Barro, na colecção Vasija, série Poesia (n.º 15), dirigida por Onofre Rojano.

Com uma fotografia do autor por Henry Nieves. 75 páginas. 15 x 21,5 cm. Em óptimo estado de conservação, apenas ligeiramente descolorado na lombada.

Preço: 50 euros.



COLECCIÓN DE CLIMAS

(1975-1978)

ANGEL CRESPO


Assinado pelo autor com dedicatória, e emendado na página 19. Em óptimo estado de conservação. 63 páginas. 12,5 x 20 cm. Volume 42 da colecção Aldebaran, dirigida por Jose Luis Nuñez. Sevilla: Aldebaran, 1978.

Preço: 40 euros.



EN MEDIO DEL CAMINO

( Poesía, 1949 – 1970 )


ÁNGEL CRESPO


Antologia. Colecção Poesía, Seix Barral, Barcelona, 1971. Volume brochado, com sobrecapa. 290 páginas. 12,5 x 19,5 cm. Estimado. Autografado pelo autor com dedicatória datada de 1981.

Preço: 35 euros.



EL AIRE DE LOS DIOSES

(1978-1981)

ÁNGEL CRESPO


Com diseño gráfico de Julio Álvarez, e uma foto do autor por Inácio Ludgero. 100 páginas. 14 x 20 cm. Óptimo estado de conservação: mantém-se intacta a sobrecapa plástica. Zaragoza: Olifante Ediciones de Poesía, [30 de Abril de] 1982.

Preço: 25 euros.



ANTOLOGÍA POÉTICA


ANTÓNIO OSÓRIO


Tradução, selecção e introdução de ÁNGEL CRESPO. Exemplar autografado por António Osório com dedicatória. Com diseño gráfico de Julio Álvarez, e uma foto de António Osório por Gonçalo Ivo. 111 páginas. 14 x 20 cm. Óptimo estado de conservação: mantém-se intacta a sobrecapa plástica. Zaragoza: Olifante Ediciones de Poesía, [25 de Setembro de] 1986.

Preço: 30 euros.



TRÊS AUTORES TRÊS CONTOS


ANGEL CRESPO
JOÃO VICENTE DE OLIVEIRA CHARRUA
OCTÁVIO RODRIGUES DE CAMPOS


Contos da autoria de Angel Crespo («Ratazanas»), João Vicente de Oliveira Charrua («Excitação») e Octávio Rodrigues de Campos («Baile de Máscaras»). Com uma biografia de cada um dos autores. 54 páginas. 11,5 x 16,5 cm. Rara edição do Círculo de Letras e Artes de Lisboa, em 1956.

Um dos dois exemplares endereçados ao fundador e director do jornal Litoral, David Cristo, escritor e jornalista natural de Aveiro. Inclui uma dedicatória manuscrita, no rosto da obra, em nome do Círculo, e uma carta assinada pelo director do mesmo, datada de 27 de Agosto de 1956, requisitando a menção bibliográfica à edição no dito jornal, bem como uma permuta entre as edições futuras de ambos. Muito invulgar, nestas condições, embora a lombada não se encontre no melhor dos estados, tendo sido “remendada” com fita-cola.

Duas outras curiosidades: no cólofon, última página, a menção de que o livro se acabou de imprimir a 1 de Agosto de 1956, na Tipografia Ala Esquerda, de Beja, com o patrocínio do jornal Ribamar, de Algés, dirigido e editado por um dos autores destes contos (João Vicente de Oliveira Charrua, natural de Borba), e com secretariado de redacção de outro (Octávio Rodrigues de Campos, natural de Beira, Moçambique); e ainda, na contracapa, uma inovadora forma de fazer publicidade, visível numa das fotografias: como no conto «Excitação» há paisagem deslumbrante e velocidade perturbadora, publicita-se uma oficina de Évora onde teria sido feita a revisão do carro moderno que permitiu tal velocidade.

Preço: 15 euros.



LISBOA


ÁNGEL CRESPO


Ensaio histórico-literário. Primeira edição. 226-(6) páginas. 13 x 20 cm. Ilustrações de Alexandre Ferrer. Colecção Las Ciudades, n.º 4, das Ediciones Destino, Barcelona, 1987.

Preço: 15 euros.



A GUERRA CIVIL DE ESPANHA


HELLMUTH GÜNTHER DAHMS


Título original: Der Spanische Bürgerkrieg (1962). Tradução portuguesa de Maria da Graça Cardoso. Ilustrado com 47 fotografias extra-texto, das agências de notícias EFE (Madrid) e Keystone (Paris). 347 páginas. 14,5 x 21 cm. Encadernação editorial, com a sobrecapa original em bom estado de conservação, salvo alguma perda de cor na lombada. Lisboa: Editorial Ibis, 1964. Só conheceria edição espanhola em 1966.

Preço: 15 euros.



BISMARCK

ARTÍFICE DE LA TERCERA REPÚBLICA FRANCESA

MARQUÉS DE QUINTANAR


Prólogo de RAMIRO DE MAEZTU. Brochado. 221 páginas. 14,5 x 20,5 cm. Madrid: Cultura Española, 1936. /// Exemplar autografado pelo autor com dedicatória ao antigo embaixador português LUÍS NORTON.

Ramiro de Maeztu, assassinado poucos meses após a publicação deste livro, e o Marqués de Quintanar [Fernando Gallego de Chaves Calleja, 1889-1974, Conde de Santibáñez del Río, «amigo fraternal» de António Sardinha e dos integralistas portugueses] foram ambos colaboradores próximos de Primo de Rivera durante a Ditadura. Após a queda da Monarquia e o advento da Segunda República fundaram a revista nacionalista Acción Española (1931-1937), propalado veículo reaccionário de ideias tradicionalistas, anti-liberais, anti-democráticas e anti-parlamentares.

Preço: 25 euros.





EL ALMENDRO Y LA ESPADA

POEMAS DE PAZ Y GUERRA


CONDE DE FOXÁ


Poemas de paz e de guerra, de Agustín de Foxá Torroba, Conde de Foxá (1903 – 1959), uma parte dos quais sobre a guerra civil espanhola; refira-se ainda a presença de um Canto a Roma dedicado a Mussolini. Foxá foi jornalista e diplomata falangista, e nas letras destacou-se também como autor de ficção científica.

Capa e desenhos de Jesús Olasagasti (1907 – 1955). Assinatura de posse, a lápis, na capa, do embaixador Luiz Norton. Capa com algumas manchas de humidade, e interior impecável, em excelente papel. Intonso. 119 páginas. 14,5 x 21 cm. San Sebastian: Editora Internacional, 1940.

Preço: 25 euros.





HISTORIAS DE MADRID

CRÓNICAS DESDE EL PASADO


EDUARDO DE GUZMÁN
VICENTE MARCO
GONZALO SOL
EUGENIO DOMINGO


Compilação de textos de jornalistas “lendários” sobre os traços que marcaram o jornalismo e a capital espanhola ao longo do século XX: o jornal “El Imparcial”, os quinze diários de Madrid, o desporto em Madrid (boxe, futebol, Real Madrid, tauromaquia), a gastronomia, o aparecimento da rádio, etc. Curioso e bem desenhado.

Prólogo de Xavier Domingo. Capa de Ballesteros, maqueta de Juan José Diaz, fotografias de Campúa, Ruiz Vernacci, Piortiz, Díaz, Vilaseca, Kaulak, Zegri, Díaz Casariego, arquivos e colecções particulares. 252-(2) páginas. 19 x 24 cm. Inúmeras fotografias, em paginação tipo-jornal, com texto em duas colunas. Colecção Textos Lúdicos de Pantagruel. Madrid: Penthalon Ediciones, 1981.

Preço: 15 euros.




MANUAL DE ZOOLOGIA FANTASTICA


JORGE LUIS BORGES


A un chico lo llevan por primera vez al jardín zoológico. Ese chico será cualquiera de nosotros o, inversamente, nosotros hemos sido ese chico y lo hemos olvidado. En ese jardín, en ese terrible jardín, el chico ve animales vivientes que nunca ha visto; ve jaguares, buitres, bisontes y, lo que es más extraño, jirafas. ve por primera vez la desatinada variedad del reino animal, y ese espectáculo, que podría alarmarlo u horrorizarlo, le gusta. Le gusta tanto que ir al jardín zoológico es una diversión infantil, o puede parecerlo. Cómo explicar este hecho común y a la vez misterioso?

Primeira edição. Ilustrado. Colaboração de Margarita Guerrero. Capa com desenho de Fabrizio Clerici («El catoblepas»). Arranjo gráfico de Emmanuel Carballo. Tela editorial com sobrecapa, em bom estado de conservação. Miolo impecável, limpo e fresco, salvo pequena rubrica de posse no rosto. 159 páginas. 11 x 17,5 cm. Colecção Breviarios del Fondo de Cultura Económica, n.º 125. México / Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 1957. Invulgar.

Preço: 120 euros.




ANTIGUAS LITERATURAS GERMANICAS


JORGE LUIS BORGES


La mención de Alemania o de Inglaterra basta para demonstrar la importancia de las culturas germánicas. El primer testimonio de esas culturas fué la literatura que produjeron; nadie, en verdad, puede ser indiferente a su estudio. Sin embargo, la materia de que trata este libro es casi ignorada en los países de habla espanõla; aun las personas cultas suelen limitar su conocimiento a nociones de mitos escandinavos, tomadas de las óperas de Wagner. Se olvida que Inglaterra produjo, antes de la conquista normanda, una secular y dilatada literatura; se ignora que en Islandia culminó la literatura germánica.

Primeira edição. Ilustrado. Colaboração de Delia Ingenieros. Capa com reprodução do manuscrito C do Nibelungenlied (século XIII). Arranjo gráfico de Ali Chumacero. Manuseado. Tela editorial com sobrecapa, esta em mau estado de conservação, com a lombada partida e remendada. Miolo amarelecido, com pequena rubrica de posse no rosto. Exemplar razoável, mas necessita de reparação. 179 páginas. 11 x 17,5 cm. Colecção Breviarios del Fondo de Cultura Económica, n.º 53. México / Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 1951. Invulgar.

Preço: 25 euros.

Exemplar com sobrecapa em bom estado, sem rubrica de posse: 50 euros.



ALBA DE ALJUBARROTA

EL ADVENIMIENTO DE LA CASA DE AVIZ

MARQUÉS DE QUINTANAR


Autografado pelo autor ao embaixador Luís Norton, com uma dedicatória referindo Eugénio de Castro. Segovia: Universidad Popular Segoviana, 1946.

Conferencia leída por su Director, el Excmo. Sr. Marqués de Quintanar, en la sala de San Quirce, el 14 de Agosto de 1946.

38 páginas e uma árvore genealógica (44 x 24 cm) desdobrável, no final, com as origens das Casas de Avis e Bragança. 17 x 24 cm. Com alguns picos de humidade, principalmente nas capas e folhas mais próximas.

Preço: 15 euros.


monjas


MONJAS LESBIANAS

SE ROMPE EL SILENCIO


ROSEMARY CURB
NANCY MANAHAN


Uma compilação de dezenas de testemunhos de freiras e ex-freiras actuais. Título original: Lesbian Nuns. Breaking Silence. Traduzido do inglês por Jorge Binaghi. Ilustrado com fotografias. 400 páginas. 12,5 x 19,5 cm. Primeira edição espanhola, no mesmo ano da original norte-americana. Barcelona: Seix Barral, 1985. Bom exemplar, apenas com uma pequena assinatura de posse no rosto.

Preço: 12 euros.





TERESA


MIGUEL DE UNAMUNO


Primeira edição, de um dos livros menos vezes reeditados de Miguel de Unamuno, o último que escreveu e publicou antes do exílio forçado após o golpe militar de Primo de Rivera, em 1924.

Prólogo de Rubén Darío reproduz um artigo para o La Nácion, de Março de 1909. Com 227-(5) páginas, e 13 x 19,5 cm. Madrid: Renacimiento, [1924]. Com uma assinatura de posse rasurada no ante-rosto, a capa algo manuseada e a lombada fendida (defeitos visíveis nas fotografias). Volume intonso, com o miolo amarelecido. Invulgar.

Preço: 20 euros.



L’ESPAGNE ET LE PORTUGAL

DEPUIS L’INVASION DES CARTHAGINOIS JUSQU’A NOS JOURS
AVEC UN CHAPITRE SPÉCIAL RÉSUMANT LES ANNALES DE
L’INQUISITION
EN ESPAGNE ET EN PORTUGAL

EMMANUEL RAYMOND


Emmnanuel Raymond é pseudónimo do escritor Léon Galibert (1803-1865?). 191 páginas. 10 x 15 cm. Paris: Imprimerie de Dubuisson [sem data]. É comum apontar o ano de 1862 como o de publicação da primeira edição desta obra, visto ser a última data referida no texto.

A informação gravada na encadernação difere da impressa no miolo: refere-se ao autor como «R. Raymond», coloca o livro na colecção Bibliothèque Utile, à qual não há menção alguma no rosto, e aponta o editor como a Librairie Germer Baillière, de facto a responsável pela 2.ª edição desta obra, em 1885.

Existe uma cópia digital integral deste livro, realizada pelo Google a partir de um exemplar existente na Universidade de Califórnia.

Preço: 25 euros.


Do Futebol

[29Jun12]


LA CORRUPCION EN EL DEPORTE ESPAÑOL


JOSE MARIA GARCIA


Capa de Gigi Coberta. 280-(5) páginas. 14 x 21 cm. Madrid: Fernando Egozcuezabal, 1978. /// O autor, nascido em Madrid nos anos 40, é um dos mais importantes jornalistas desportivos espanhóis. Os vários capítulos abordam questões de boxe, futebol, árbitros, dirigentes, agentes e escândalos.

Preço: 12 euros.



I.ª VIAGEM AO MUNDO LOUCO DO FUTEBOL


RUI SILVA


Assinado pelo autor com dedicatória. 400 páginas. 14,5 x 20,5 cm. Óptimo estado de conservação. Torres Vedras: Edição do Autor, 1986.

Preço: 15 euros.



EPISODIOS DOMINICANOS

LA CONSPIRACIÓN DE LOS ALCARRIZOS


MAX HENRÍQUEZ UREÑA


1.ª edição. Exemplar autografado pelo autor com dedicatória ao antigo embaixador Luís Norton. 335 páginas. 13 x 19,5 cm. Lisboa: edição do autor, 1941. Óptimo estado de conservação.

Max Henríquez Ureña (1885-1968), diplomata e escritor dominicano, filho da poetisa Salomé Ureña e irmão do ensaísta e pedagogo Pedro Henríquez Ureña, desempenhou vários cargos no governo do ditador Rafael Trujillo, entre as décadas de 1930 e 1950, no país e no estrangeiro, razão pela qual a lista dos locais de publicação das suas obras é variada: Valladolid, Santiago de Cuba, Havana, Paris, Madrid, Buenos Aires, México, Rio de Janeiro, Lisboa.

La Conspiración de Los Alcarrizos, episódio ocorrido durante a ocupação haitiana do país (1822-1824), é a segunda de quatro novelas denominadas «Episodios Dominicanos», onde Ureña narra a história da independência da República Dominicana na primeira metade do século XIX. A escrita do livro teve início em Londres, a 2 de Abril de 1939, e terminou em Lisboa, a 10 de Outubro de 1940. Composto e impresso pela Sociedade Industrial de Tipografia (ao Carmo).

Preço: 30 euros.