MEMÓRIAS DE UM EX-MORFINÓMANO. (Reportagem vivida nos mistérios dos alcalóides). Vol. I (único publicado). Muito invulgar primeira edição, pois em óptimo estado de conservação. Miolo limpo, salvo pequena assinatura de posse na página de rosto. Capa assinada «M. Guimarães XXXIII». 215 páginas. 12,8 x 17,9 cm. Porto: Marânus, 1933.
Preço: 50 euros.

AMOR SEM AMOR. (Novelas). Primeira edição. Colecção Obras Completas do Repórter X, vol. I. [p. 11, À “laia” de prólogo: «Todo o segredo desta colecção editorial das Obras Completas do Repórter X assenta nesta melancólica pena de não ver reunida à minha volta, os entes queridos do meu sangue literário. É uma arrumadela; uma recolha; uma metotisução — a primeira da minha vida e imposta pela minh’alma.»]. Desenho da capa assinado R. Nunes. Seis novelas, algumas das quais anteriormente publicadas em Espanha. 211 páginas. 11 x 17,5 cm. Bom estado de conservação. Porto: Matos & Oliveira, 1929.
CEMITÉRIO DA GLÓRIA E DA SAUDADE. (Crónicas). Primeira edição. Colecção Obras Completas do Repórter X, vol. II. Crónicas memoráveis, sobre Rudolfo Valentino, Sarah Bernhardt, Isadora Duncan, Homem Christo, personagens anónimas de anúncios classificados, obituários, palhaços, gémeas siamesas, actores, (…). 211 páginas. 11 x 17,5 cm. Bom estado de conservação. Porto: Matos & Oliveira, 1929.
Preço (conjunto do Vol.I e Vol. II das Obras Completas): 50 euros.

CINCO MIL FRANCOS POR MÊS. (Novela). Primeira edição. Capa de Jorge Barradas. Com pequenas falhas de papel na lombada. Manuseado. Frágil. 96 páginas. 12,7 x 19,3 cm. Lisboa: Empresa do Diário de Notícias, 1926.
Preço: 18 euros.



CALVÁRIOS DA FLANDRES

(1918)


Capitão AUGUSTO CASIMIRO


3.º milhar. Capa de Sousa Lopes. Encadernação moderna, inteira de pele, em óptimo estado. Conserva capa de brochura anterior, visível nas fotografias. Aparado. Assinatura de posse no ante-rosto (grande) e no rosto (pequena). 213-(3) páginas. 12 x 18,5 cm. Bom exemplar. Porto: Renascença Portuguesa, 1920.

Preço: 25 euros.


coop


A COOPERAÇÃO ANGLO-PORTUGUESA
NA GRANDE GUERRA DE 1914-1918


General FERREIRA MARTINS


Publicado em Lisboa pelos Serviços de Informação e Imprensa da Embaixada Britânica, em 1942, em plena II Guerra Mundial, com autoria do ex-Sub-Chefe do Estado-Maior do Corpo Expedicionário Português (CEP), de 1917 a 1918. Visado pela Comissão de Censura.

Capítulos: Portugal não-beligerante (1914-1916); Portugal beligerante (1916-1918); O CEP em França (1917-1918); A Guerra nas Colónias (1914-1918); A Guerra no Mar (1914-1918).

Com 92 páginas. 15,5 x 22,4 cm. Capa com manchas dos agrafos, e dois números garatujados: IX a lápis azul e 12 a lápis vermelho (visível na fotografia). Miolo impecável.

Preço: 18 euros.


bibliogg


BIBLIOGRAFIA DA GRANDE GUERRA

(RESENHA DAS PUBLICAÇÕES PORTUGUESAS)


Coronel VITORIANO JOSÉ CÉSAR
Vice Almirante VICENTE ALMEIDA D’EÇA


O produto reverte para a Subscrição Nacional dos Padrões, Consagração do Esforço da Nação Portuguesa e Glorificação dos nossos Mortos na Grande Guerra. 

Prefácio (experiente) do Vice Almirante, e notas bibliográficas (enriquecedoras) do Coronel. Com data e local manuscritos na capa («Batalha, 15 de Abril de 1925), sobre pequena assinatura ilegível. 102 páginas. Manuseado. Edição dos Padrões da Grande Guerra, Lisboa, 1923.

Raro.

Preço: 40 euros.



MEMÓRIAS DUM FERROVIÁRIO

(REVISOR DE BILHETES)


PEDRO DE FREITAS


Descrição de 40 anos vividos em comboios: sugestiva lição de vida social, ferroviária, sexual, educativa, profissional, psicológica, etc. 

Com capítulos como: O funeral da carruagem-salão; A oficina, o telégrafo e a sinalização; O bilhete; O salão de primeira classe; Humorismo ferroviário. Vide índice nas fotografias.

Capa com desenho de Amílcar Mota. Ilustrado com um retrato do autor. 264 páginas. 14 x 19,5 cm. Bom exemplar. Montijo: edição do autor, 1954.

Preço: 30 euros.



O SACO

MEMÓRIAS DE UM BOXEUR


MATOS JÚNIOR
[MANUEL MATOS IDEIAS]


Foi campeão regional e defrontou os maiores boxeurs nacionais e espanhóis do seu tempo. Exerceu também as profissões de madeireiro, marçano, guarda-costas, comerciante, arrumador de cinema, estivador, etc. Uma vida sob o signo do infortúnio. Evocadas conhecidas personalidades do meio desportivo e artístico. Um romance vivido e uma advertência à mocidade. Um grito de desespero, mordaz, pungente, angustiante… [texto da contracapa].

Manuel Matos Ideias, conhecido como pugilista pelo nome Matos Júnior, publicou há 50 anos estas memórias da sua vida e carreira em parceria com o jornalista Fernando Laidley. Capa com desenho de J. Ribeiro, datado de 1966. Exemplar assinado pelo boxeur com dedicatória de página inteira. Exemplar estimado. 140 páginas. 13,8 x 20,2 cm. Lisboa: Edições Tapete Mágico, [s.d.].

Preço: 25 euros.



AMADEO

MODIGLIANI  e  SOUZA-CARDOSO


DIOGO DE MACEDO


Por ocasião da Exposição Retrospectiva de Amadeo de Souza-Cardoso, efectuada nas salas do SNI, a revista Panorama sente-se honrada em publicar um original do escultor Diogo de Macedo, cuja doença e morte prematura lhe não permitiram rever e completar.

Episódios das memórias de Diogo de Macedo que, em Paris, nos seus «tempos de estudante», conheceu e privou com Modigliani. Opúsculo ilustrado com um retrato de cada um dos pintores. 40 páginas. 20,5 x 25,5 cm. Bom estado. Lisboa: Edições Panorama, 1959.

Preço: 20 euros.



HISTÓRIAS À MARGEM DE UM SÉCULO DE HISTÓRIA


F. KEIL DO AMARAL


Livro de “memórias da família” do arquitecto Francisco Keil do Amaral (1910-1975), publicado na Biblioteca de Estudos sobre a Sociedade e a Cultura Portuguesas, secção I, n.º 6, da editora Seara Nova, Lisboa, 1970. Capa de Guilherme Lopes Alves. 242 páginas. 14 x 22 cm. Usado. Com assinatura de posse no rosto.

Preço: 10 euros.


oscar-1
oscar-k oscar-2 oscar-sum


O FIO DA MEADA


LUIZ HILDEBRANDO


Livro de memórias de Luiz Hildebrando Pereira da Silva (n. 1928),  biólogo, investigador e professor no Instituto Pasteur (Paris), ex-militante do Partido Comunista Brasileiro várias vezes exilado por diferentes regimes políticos e militares.

Prefácio de Oscar Niemeyer,  amigo próximo no exílio parisiense de ambos.

Primeira edição. Brochado. Capa de Rodrigo Andrade. 207 páginas. 13,5 x 20,5 cm. São Paulo: Editora Brasiliense, 1990.

Preço: 10 euros.




IMAGENS DA VIDA POLICIAL


CELESTINO AUGUSTO GOMES


Do meu arquivo aproveitei alguns artigos que em devido tempo escrevera, quando ainda era agente, e que haviam sido publicados na extinta revista Investigação — cuja direcção esteve a cargo do meu antigo Inspector Senhor Doutor Fernando Luso Soares, a quem sucedeu o chefe da minha brigada, mais tarde colega e amigo, senhor Alfredo Rodrigues Garcia, entrementes licenciado em Direito e actual Vice-Presidente da Câmara Municipal de Oeiras — e com a ideia de breve chegar ao fim abalancei-me ao trabalho constituindo com esses artigos uma primeira parte […] Na segunda parte e numa condensação do muito que teria para contar ou comentar, decidi-me pela apresentação, com ligeiras considerações de ordem técnica, de descrições de alguns dos muitos casos vividos e sentidos mais de perto […] No derradeiro capítulo achei de validade a citação de imagens da (minha) vida policial […]

Exemplar numerado (118), e com a chancela do autor. Assinatura de posse no rosto. 189 páginas. 12 x 18 cm. Vide índice. Coimbra: Atlântida Editora, 1974.

Preço: 12 euros.


GRÉCIA “67”

[12Maio12]



GRÉCIA “67”


Colectânea de artigos publicados na imprensa estrangeira (Le Monde Diplomatique, L’Europeo, Le Figaro, Dagens Nyheter, The New Statesman, Corriere della Serra, The New York Times e The Observer) sobre a ditadura grega, as crises, as prisões, a política, assinados por Vassilis Vassilikos, Oriana Fallaci, François Honti, Michele M. di Bella, Jean-François Chauvel, Mervyn Jones, Eleni Vlachou, Guido Gerosa e Mario Cervi. Inclui entrevistas ao compositor e músico Mikis Theodorakis na prisão, e a Marina Mercouri, actriz exilada. Orientação gráfica de Fernando Felgueiras. Traduções de Maria Luísa Pinheiro, António Landeira e Daniel Lacerda. 190 páginas. 11 x 18 cm. Capa com ligeira perda de cor, visível na fotografia. Colecção Cadernos D. Quixote, n.º 4. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1968.

Preço: 10 euros.



HERTA TERESINHA JOAN

TRÊS NOVELAS OU MEMÓRIAS DE
MATEUS MARIA GUADALUPE

AGOSTINHO DA SILVA


Primeira edição da primeira obra de ficção do autor. Capa manchas, visíveis na fotografia. Assinatura de posse no ante-rosto. Miolo impecável. 148 páginas (por abrir). 12,5 x 19,5 cm. Lisboa: Portugália, [1953].

Preço: 10 euros.




A DEZ ANOS DA MORTE DE JOSÉ RÉGIO


Testemunhos de:

ORLANDO TAIPA – PAULO FERRO – JOAQUIM PACHECO DAS NEVES – SANT’ANNA DIONÍSIO – AMÂNDIO CÉSAR – ANTÓNIO DE NAVARRO – SOLEDADE SUMMAVIELLE – ISAURA CORREIA DOS SANTOS – MÁRIO MOTA – ANTÓNIO DE OLIVEIRA COELHO


Com uma assinatura de posse no ante-rosto. Oferecido por um dos autores, Amândio César, com dedicatória manuscrita, ao jornal Diário Popular. Ilustrado com fotografias, desenhos e fac-similes. Com retratos de José Régio por José Alexandre, Neves e Sousa, Sant’Anna Dionísio e Júlio Resende. 77 páginas. 15,5 x 23 cm. Capa manchada, interior em bom estado. Edição da Editorial Resistência, Lisboa, [Julho de] 1980.

Preço: 15 euros.


Este slideshow necessita de JavaScript.

VINGANÇA, de ALFREDO MARQUES. Novela, com 159 páginas, e 13,5 x 19,5 cm. Lisboa: Editorial Hercules, 1933. Capa e lombada com pequenos defeitos. Curioso.
Preço: 10 euros.

VIDA DE UM OPERÁRIO NUM PAÍS DE LESTE (Salário à peça), de MIKLOS HARASTZI. Título da edição original: Darrabér. Traduzido do húngaro por Judit Svaradja e Joel Aizac. Tradução do francês por Miguel de Araújo. Prefácio de Heinrich Boll. Capa de António Pedro. Colecção Vida e Cultura [n.º 79]. 234 páginas. 15 x 22 cm. Lisboa: Edição Livros do Brasil, [s.d.]. Manuseado.
Preço: 10 euros.

Rússia, 1918. TESTEMUNHO DOS OPERÁRIOS DE PETROGRADO. Tradução e prefácio de Francisco Ferreira (CHICO DA CUF). Ilustrado. 50 páginas. 12 x 19 cm. Lisboa: Fernando Pereira editor, [s.d.].
Preço: 12 euros.

REVOLUÇÃO SOCIAL. Conseqüências da noção cristã de propriedade sôbre a orgânica do trabalho, por EUGÉNIO DE BELONôR. Edição de Reacção, de Águeda (visado pela comissão de censura), 1933. Obra de curiosa composição tipográfica (composto e impresso na Tipografia Marques, no Porto). (10)-54 páginas. 11,5 x 16,5 cm. Óptimo exemplar.
Preço: 15 euros.

E O HORROR DAS RESPONSABILIDADES, de ÉMILE FAGUET. Obra datada de 1911. Traducção autorisada. Lisboa: Livrarias Aillaud e Bertrand, [s.d.]. Encadernado com capas de brochura, em tela, gravada, com assinatura do encadernador A. David. Aparado. Bom papel.
Preço: 10 euros.

O CULTO DA INCOMPETÊNCIA, de ÉMILE FAGUET. Tradução de Agostinho Fortes. 2.ª edição. Com ex-libris de Raul Esteves dos Santos. Bom exemplar (aparado). 177 páginas. 11,5 x 17,5 cm. Lisboa: Livrarias Aillaud e Bertrand, [s.d.].
Preço: 12 euros.

O CULTO DA INCOMPETÊNCIA, de ÉMILE FAGUET. Tradução de Agostinho Fortes. 2.ª edição. Encadernação modesta, sem capas de brochura. 177 páginas. 11,5 x 17,5 cm. Lisboa: Livrarias Aillaud e Bertrand, [s.d.].
Preço: 10 euros.

O PRINCÍPIO DE PETER, por LAURENCE J. PETER e RAYMOND HULL. Tradução de M. Bento e Patrícia Joyce. Capa de Mel Calman. Com ilustrações oitocentistas da revista Punch. 215-(5) páginas. 14 x 21 cm. Primeira edição portuguesa, apenas dois anos após o original norte-americano (The Peter Principle). Lisboa: Editorial Futura, 1971. Em excelente estado de conservação.
Preço: 12 euros.

O RECEITUÁRIO DE PETER. Como Produzir, Confiar e Ser Competente, por LAURENCE J. PETER. Tradução de Patrícia Joyce. Capa de Mel Calman. 265-(6) páginas. 14 x 21 cm. Primeira edição portuguesa, no mesmo ano do original norte-americano (The Peter Prescription). Lisboa: Editorial Futura, 1972. Em excelente estado de conservação.
Preço: 12 euros.

O EMPREGADO EXCEPCIONAL ou a Arte de bem compreender os seus deveres, de se tornar indispensável e de fazer caminho na vida, por O. S. MARDEN. Tradução portuguesa de Vítor Hugo Antunes, Capitão do Exército. 151 páginas. 12 x 18 cm. Manuseado. Com assinaturas de posse no rosto e prefácio do tradutor. Porto: Casa Editora de A. Figueirinhas, 1924.
Preço: 10 euros.

MANIFESTO CONTRA O TRABALHO, pelo GRUPO KRISIS. Prefácio de Norbert Trenkle. Tradução de José Paulo Vaz. Revisão da tradução de José M. Justo. 105-(7) páginas. 13 x 21 cm. Lisboa: Edições Antígona, 2003.
Preço: 8 euros.


MEMÓRIAS DUM REVOLUCIONÁRIO

Subsídios para a História do Movimento de 28 de Maio


VIEIRA COELHO


… que pertenceu ao Comité Revolucionário, foi Governador Civil de Coimbra e de Santarém, e Chefe de Gabinete do Ministro do Interior. Exemplar valorizado pela dedicatória autógrafa do autor ao seu «ilustre sucessor na 8.ª Conservatória, e colega sempre amigo e leal», na página de guarda, datada de 1953. Edição do autor, em Lisboa, 1951. Com 94 páginas (por abrir), e 13 x 20 cm. Em bom estado salvo ténues manchas de oxidação na capa.

Preço: 25 euros.


Na sequência de Coração Arquivista (1977), um título feliz para qualquer bibliófilo, António Manuel Couto Viana publicou, em 1980, As (e)vocações Literárias, onde reuniu novamente uma série de crónicas ou «memórias e esboços de estudos literários» anteriormente publicadas em jornais e revistas sobre autores com os quais conviveu ou sentiu afinidades literárias, dando primazia aos poetas:

– Afonso Lopes Vieira
– Alberto d’Oliveira
– Alfredo Pimenta
– Alfredo Serrano
– Álvaro Benamor
– Américo Cortez Pinto
– António Alves Martins
– António Corrêa d’Oliveira
– António Patrício
– Augusto Lima
– Azinhal Abelho
– Blanco-Amor
– Camilo Castelo Branco
– Eça de Queiroz
– Ernesto Sardinha
– João de Deus e Francisco de Almeida
– João da Rocha
– João Verde
– José de Almada Negreiros
– José Bruges
– José Régio
– Júlio Brandão
– Manuel Lereno
– Odylo Costa, Filho
– Teixeira de Pascoaes
– Teófilo Carneiro
– Vasco de Lima Couto
– Vitorino Nemésio

[… e terminando o volume com alguns textos menos personalizados:]

– Cancioneiros Galantes
– A Poesia Viaja de Comboio
– Os Poetas e o Comércio
– Poesia Militante
– A Sátira à Política na Poesia Portuguesa
– Queixas contra a Inglaterra na Poesia Portuguesa

Se já em Coração Arquivista se tinha debruçado sobre Almada Negreiros (ler aqui), a história que conta n’As (e)vocações Literárias repesca, além de referências ao contexto em que o artista parte para Paris em 1919, os desagradáveis comentários com que Mário Saa, na sua acintosa obra A Invasão dos Judeus, brindou Almada: «um estômago judaico-africano a digerir influências francesas». Suprema afronta: além de judeu, também africano… Sim, porque para Mário Saa, e citando Couto Viana dada a inacessibilidade da obra em questão, «o judeu é o único indivíduo (não sei porque natureza excepcional) capaz de nutrir rancor ao militarismo». Vai daí, Couto Viana termina esta crónica, em que se debruça superficialmente sobre as contradições do pensamento nacionalista de Almada Negreiros, com a reprodução de uma Chanson Patriotique, composta pelo artista em Paris, 1919:

CHANSON PATRIOTIQUE

(Temps de marche militaire
aux femmes de mon pays)

O femmes venez venez
O femmes venez toutes
faire de la vraie sculpture
de celle qui plaît a Dieu

O femmes venez venez
O femmes venez toutes
faire de la vraie sculpture
comme la font les vrais animaux

O femmes venez venez
O femmes venez toutes
Femmes n’oubliez pas
que vous êtes les seules machines
pour faire des soldats!

Ainda sobre Almada, e como apronfudamento de ambas as crónicas de Couto Viana, leia-se a célebre entrevista ao programa Zip-Zip, em 1970, e uma carta inédita, datada de Paris, 1919.

capas Couto Viana

Publicado em 1982, Ponto de Não Regresso (poemas datados 1977-1980), possui uma cinta original remetendo para um prefácio de 15 páginas da autoria de Franco Nogueira. A capa é de Vítor Luís, com um desenho de Juan Soutullo. O livro termina com uma «Súbita Vaidade»:

Detrás das palavras gastas,
Há um ímpeto criador:
Ó leitor que me afastas,
Deves ler-me outra vez, lerás melhor.

Dei sinais, dei avisos, dei memória
Não só de mim.
Poesia transitória?
Quem o disse morreu antes de ver-lhe o fim.

Juntai nova semente aos velhos grãos
De terra fértil, que reguei com pranto.
E recebi, depois, nas próprias mãos,
O fruto acre do meu canto.

Mas se alguém o comer (e a fome é certa!)
Há-de encontrar-lhe um funde de doçura:
O coração atento, a alma aberta
Ao amor e à procura.

Não, não secou ou amornou a fonte
Que em cada livro meu, quente, fluía!
– É estéril e seco o horizonte
De quem ignora a minha poesia!

Refira-se, para terminar, que nem um nem outro livro conheceram 2.ª edição, e que tiveram tiragens de 1000 exemplares (ensaio) e 500 exemplares (poesia).

Exemplares em óptimo estado de conservação.

Preço: 12 euros (cada).