ETNOGRAFIA TRANSMONTANA


ANTÓNIO LOURENÇO FONTES


Volume I: CRENÇAS E TRADIÇÕES DE BARROSO

Volume II: O COMUNITARISMO DE BARROSO

3.ª edição. Ilustrados com fotografias e desenhos. Brochados. 232+226 páginas. 14 x 21 [x 2,5] cm. Lombadas com leve descoloração; manchas de oxidação no corte do miolo. Colecção Coisas Nossas, n.º 11 e n.º 12. Lisboa: Editorial Domingos Barreira, 1992.

Preço: 18 euros.


ÍNDICE:


ELEMENTOS PARA A HISTÓRIA
DO MUNICÍPIO DE LISBOA


EDUARDO FREIRE DE OLIVEIRA


Título e autor, tal qual figuram no rosto: Elementos para a História do Município de Lisboa, por Eduardo Freire de Oliveira, arquivista da Camara Municipal da mesma cidade. 1.ª PARTE. Publicação mandada fazer a expensas da Camara Municipal de Lisboa, para commemorar o centenario do Marquez de Pombal em 8 de Maio de 1882.

Mais de 10 mil páginas de documentos oficiais de algum modo relevantes, organizados cronologicamente e alusivos a séculos de assuntos invariavelmente díspares — as iguarias de um banquete celebratório, a colocação na prisão do Limoeiro do líder de uma «companhia de comediantes de Castella», a lista das pessoas de cada freguesia que se recusam a participar numa campanha de limpeza pública, a morte do rei —, num panorama que permite acompanhar os reflexos da política e da história do país nas várias decisões e questões do município d’esta cidade onde desde muito cedo esteve instalado um Governo demasiado centralista.

Temos assim «a carta regia que trouxe a communicação official da morte de Filippe II» (tomo II, quase todo dedicado ao “tempo dos Filipes”, pág. 590), «a ruína de Lisboa», no sábado 1 de Novembro de 1755 (tomo XVI, a partir da página 133, com lista e descrição sumária de abalos sísmicos anteriores, nomeadamente os de 1309, 1321, 1344, 1356, 1512, 1531, 1551, 1575, 1597, 1598, 1699 e 1724), a inauguração da estátua equestre de D. José (em parte citada aqui) ou a «consulta da Cammara a el-rei em 2 de julho de 1650», onde se propõem os nomes de «doze fidalgos, doze cidadãos e doze homens do povo» para «terem as chaves das quatro portas da cidade» (tomo V, p. 208, antecedendo em algumas páginas a lista exaustiva dos preços de venda de todo o tipo de animais para alimentação, indexados inteiros, em partes, e por género).

O primeiro documento transcrito no tomo I, que não o foral de 1179, data de 7 de Novembro de 1190, e o último documento transcrito no tomo XVII data de 23 de Agosto de 1777. Entre ambos, os diversos prefácios e as anotações constantes de Freire de Oliveira (1841-1916) desvelam e aprofundam as origens e importância dos textos que transcreve. Contém ainda algumas ilustrações, muito poucas, destacando-se a litografia da Divisa da Cidade, que abre o tomo X, ou a «planta litographada da sala das sessões do senado da camara de Lisboa, que acompanha a carta regia de 13 de Novembro de 1773» (tomo I, pág. 68).

[Para uma descrição mais detalhada da cronologia de cada tomo, consulte-se o artigo de António Miranda na Rossio n.º 1, de 2013. Como o plano cronológico da 1.ª parte da obra deveria ter prosseguido até ao ano do início da publicação (1882), suspeita-se que, além da nunca publicada 2.ª parte, também desta 1.ª parte terá ficado por publicar pelo menos um tomo, para o período 1777-1882.]

Obra completa (tudo quanto se publicou), em XVII tomos de 16,5 x 24,5 cm (66cm de estante), Lisboa: Typographia Universal, 1882-1911.

Tomo I, 1885, (12)+661+(5) págs. Tomo II, 1887, xiv+593+(2) págs. Tomo III, 1888, vi+584+(3) págs. Tomo IV, 1889, xii+628+(3) págs. Tomo V, 1891, vi+620+(3) págs. Tomo VI, 1893, ix+627+(2) págs. Tomo VII, 1894, cxii+466+(3) págs. Tomo VIII, 1896, vi+593+(3) págs. Tomo IX, 1898, vi+617+(4) págs. Tomo X, 1899, viii+595+(2) págs. Tomo XI, 1901, vi+632+(3) págs. Tomo XII, 1903, (10)+652+(3) págs. Tomo XIII, 1904, (6)+622+(3) págs. Tomo XIV, 1906, (6)+634+(3) págs. Tomo XV, 1906, (6)+630+(3) págs. Tomo XVI, 1910, xiv+567+(4) págs. Tomo XVII, 1911, (6)+622+(3) págs.

Acrescentam-se os dois volumes de índices, publicados cerca de 40 anos mais tarde: Índice dos «Elementos para a História do Município de Lisboa», por Esteves Rodrigues da Silva, sob a direcção de Jaime Lopes Dias, 2 vols., Lisboa: Câmara Municipal, 1942-1943. Com 396+578 páginas, e 17 x 22,5 cm. Capa do volume II com um rasgão restaurado. Páginas por abrir.

Todos os 19 volumes em brochura e 17 deles com as páginas por abrir. Bom estado geral, com não mais do que pequenos defeitos dispersos (muito ocasionais picos de humidade; algumas lombadas mais amarelecidas que outras; bicho de papel que atacou superficialmente a capa do tomo VI; e situações afins, de pouca monta).

Conjunto invulgar.

Preço: 480 euros.



PENSAMENTOS


PASCAL


Tradução e (extenso) prefácio de Salette Tavares. Capa de José Escada. 336+(14) páginas. 15,5 x 20 cm. Bom exemplar. Colecção Círculo do Humanismo Cristão / Pessoa e Cultura, n.º 1, da Livraria Morais Editora, Lisboa, 1959.

Preço: 18 euros.



MONOGRAPHIA

AS FORÇAS MILITARES DE LAGOS
NAS GUERRAS DA RESTAURAÇÃO E PENINSULAR
E NAS PUGNAS PELA LIBERDADE

MANOEL JOÃO PAULO ROCHA


Ilustrado. 488 páginas. 16,5 x 25,5 cm. Exemplar num estado de conservação muito aceitável: miolo em bom estado, capa e lombada com pequenas falhas de papel. Vide índice nas fotografias. Porto: Typographia Universal, 1910.

Invulgar.

Preço: 60 euros.


Este slideshow necessita de JavaScript.

Colecção completa da obra em 10 volumes, de ÉMILE FAGUET, OS DEZ MANDAMENTOS, com quatro das traduções realizadas pelo poeta Eugénio de Castro. Edição da Livraria Aillaud e Bertrand, Paris-Lisboa, e da Livraria Francisco Alves, Rio de Janeiro, cerca de 1911. Medidas de cada volume: 9 x 15 cm. Conjunto das lombadas: 8,5 cm. Total de páginas 941 páginas, cerca de 94 por volume. Estado geral muito aceitável, embora com alguns sublinhados e notas, uma ou outra assinatura de posse, ocasional mancha de humidade na capa (vide fotografias) ou falha de papel na lombada, e inclusão de recortes de jornais relativos aos assuntos mencionados. Colecção invulgar, quando completa. Constituída pelos seguintes títulos e tradutores:

DO AMOR DE SI MESMO. Tradução da 2.ª edição francesa por Souza Brandão. DO AMOR. Tradução da 6.ª edição francesa por Souza Brandão. DA FAMÍLIA. Tradução da 2.ª edição francesa por Eugénio de Castro. DA AMISADE. Tradução portuguesa por Eugénio de Castro. DA VELHICE. Tradução portuguesa por Eugénio de Castro. DA PROFISSÃO. Tradução da 2.ª edição francesa por Souza Brandão. DA PÁTRIA. Tradução da 2.ª edição francesa por Henrique de Figueiredo. DA VERDADE. Tradução portuguesa por Eugénio de Castro. DO DEVER. Tradução pela 2.ª edição francesa por L. Monteiro. DE DEUS. Tradução pela 2.ª edição francesa por L. Monteiro.

Preço do conjunto: 50 euros.


Ver aqui outras obras do autor.

papa1
papa2 papa3 papa4


O PAPA NO DECIMO NONO SECULO


J. MAZZINI

Triumviro da República Romana

Giuseppe Mazzini (1805-1872), escritor, jornalista, activista, político e ex-carbonário, é uma das figuras principais do chamado Risorgimento, movimento que na segunda metade do século XIX pugnou pela unificação dos vários estados italianos num único país com um governo central, secular e republicano. Várias vezes exilado por motivos políticos, na Suíça, em França e em Inglaterra, participou na fundação de uma Segunda República Romana (1849), insubmissa ao poder papal, onde desempenhou funções no triunvirato governativo. O projecto falhou, seguindo-se novo exílio para o autor, e a publicação do libelo anti-papal que aqui se apresenta, em tradução portuguesa publicada no mesmo ano da edição original.

Com 64 páginas e 11 x 16 cm. Capa com mínimas falhas de papel, e uma assinatura de posse («205 – Joaquim  Martins»). Assinatura de posse, também, no topo da primeira página do texto, visível numa das fotografias. Última página com falta de uma porção inferior, já fora da mancha de texto. Bruxelas: na Imprensa de V. Wouters, 1850.

Raro.

Preço: 15 euros.



A REPUBLICA NAS CIRCUNSTANCIAS ACTUAES DA NAÇÃO PORTUGUEZA e a carta do Sr. GOMES LEAL dirigida a El-Rei o Senhor D. Luiz I


MANUEL MARTINIANO MARRECAS


Folheto invulgar, com um ataque cerrado a Gomes Leal. Carimbo de posse de Raul de Carvalho, Barcarena. 35 págs. 110 x 152 mm. Bom estado, embora com pequena falta do canto inferior exterior da contracapa. Lisboa: Empreza Litteraria Luso-Brazileira, 1881.

Nas luctas que se travam entre os homens, quando elles tendem a construir ou a regenerar uma sociedade, auxiliando-se dos moveis mais poderosos que os podem levar á realisação da sua idéa; vemos que a religião e a politica, como congenitas e identificadas para a acquisição da perfectibilidade humana, e só guiadas pelo instincto do bem moral, não podem deixar de constituir a suprema rasão da felicidade dos povos. [primeiro parágrafo do texto]

Preço: 10 euros.




ANTIGUIDADE TARDIA E PALEOCRISTIANISMO
EM PORTUGAL


M. JUSTINO MACIEL


Trabalho de investigação sobre História da Arte e Arqueologia na área da Antiguidade, em que se apresenta uma nova sistematização dos dados existentes da Antiguidade Tardia em Portugal e seus testemunhos artísticos. Após um levantamento dos refereciais históricos, arqueológicos e literários disponíveis, equaciona-se a interacção que neste contexto existe entre a cidade e o campo, bem como a progressiva abertura a este último e os reflexos que tal dinâmica produz nas manifestações artísticas.
Um estudo dos signos visivelmente conotados com as religiões orientais revela que eles se apresentam numa comunidade de uso de que participam quer a cultura romana quer o crisitianismo. A constatação desta realidade surge como profundamente significante de uma evolução da arte da Antiguidade Tardia numa dinâmica entre a opacidade e a transparência, que vem permitir novas abordagens da escultura, do mosaico e mesmo da arquitectura, da pintura e da decoração de cerâmica. Na sequência desta constatação, efectua-se uma nova leitura dos mais importantes monumentos dos contextos romano tardio, suevo e visigótico, progressivamente conotados com as propostas vivenciais cristãs. No centro desta realidade, quer numa perspectiva sintagmática, quer numa perspectiva paradigmática, estudam-se os monumentos de Tróia de Setúbal, onde a arte romana tardia se revela plenamente como em qualquer outro ponto do Império Romano. Esta investigação desenvolveu-se [ainda com] trabalhos de campo em vários [outros] locais, designadamente em Conímbriga, [e] na Villa Romana do Montinho das Laranjeiras (Algarve).

Com prólogos de J.M. Bairrão Oleiro e Theodor Hauschild. Ilustrado com fotografias, desenhos e plantas. 347 páginas. Formato álbum: 21 x 29,5 cm. Manuseado. Bom exemplar. Lisboa: Edições Colibri, 1996.

Preço: 25 euros.



A PUPILLA DO JUDEU


ALBERTO DE LA CROZE


Na Bibliotheca Romantica Luso-Brazileira (Colecção de Romances Selectos) de J. L. RODRIGUES TRIGUEIROS, editor e tradutor, Lisboa: Typographia Commercial, 1868.
Romance ilustrado com três litografias extra-texto, assinadas «Lopes». 164 páginas. 13 x 20,5 cm. Sem capa de brochura posterior, mas com a capa de brochura frontal — um pouco cansada.

Preço:  8 euros.


monjas


MONJAS LESBIANAS

SE ROMPE EL SILENCIO


ROSEMARY CURB
NANCY MANAHAN


Uma compilação de dezenas de testemunhos de freiras e ex-freiras actuais. Título original: Lesbian Nuns. Breaking Silence. Traduzido do inglês por Jorge Binaghi. Ilustrado com fotografias. 400 páginas. 12,5 x 19,5 cm. Primeira edição espanhola, no mesmo ano da original norte-americana. Barcelona: Seix Barral, 1985. Bom exemplar, apenas com uma pequena assinatura de posse no rosto.

Preço: 12 euros.




AS ÚLTIMAS FREIRAS

O REAL MOSTEIRO DE SANTA CLARA DE VILLA DO CONDE
AS DOMINICANAS DE “CORPUS CHRISTI”
MOURA E OS SEUS MOSTEIROS
AS THEREZINHAS DE COIMBRA

T. LINO D’ASSUMPÇÃO


Estudo seminal de Tomás Lino d’Assumpção (1844-1902), com uma carta-prefácio de ANTONIO ENES «acerca das ordens e instituições religiosas». In-8vo (14 x 21 cm) de 272 páginas, com um retrato do autor a par do frontispício. Lombada com pequenas falhas de papel nas extremidades, capa manchada, miolo apenas amarelecido. Porto: Livraria Portuense de Lopes & C.ª – Editores, 1894. Invulgar.

Preço: 40 euros.




AS AVENTURAS DE UMA MOEDA DE CINCO ESCUDOS


EDITH HOLDEN


Ilustrado. 73 páginas. 12,5 x 18,5 cm. Bom estado. Sem menção de título original, tradutor ou ilustrador. Leça da Palmeira: Publicações Evangélicas Portugesas, [1957].

Preço: 10 euros.



DAS ORDENS RELIGIOSAS EM PORTUGAL


PEDRO DINIZ


2.ª edição, publicada um ano após a primeira,  com uma nova introdução do autor. 293+(7) páginas. 10,5 x 14,5 cm. Encadernada. Miolo aparado. Lombada em pele. Bom exemplar.
Lisboa: Typographia de J. J. A. Silva, 1854.

Dividida em 40 CAPÍTULOS, assim resumidos no plano da obra: Procuramos responder ás accusações que se fiseram. e se fazem ainda, aos Frades de Portugal, e mostrar, que se não em todas, em grande parte, ha calumnia, absurdo, e odio inveterado, mas sem fundamento. Depois damos uma notícia das Ordens, que n’estes reinos houve, da sua origem, e introducção. Depois ainda apresentamos alguns casos, em que os frades mostraram a sua utilidade, já missionando, já escrevendo, e ensinando; e finalmente concluímos, fazendo algumas reflexões sobre a abolição do monachismo, e procurando mostrar que só uma restituição sisuda das Ordens Religiosas póde attenuar os tristes effeitos da sua extincção.

Vasta galeria de temas versados, como o matrimónio, o celibato, a fecundação, os comportamentos sociais, os jesuítas, a emigração e a demografia, e resposta directa a muitos ataques históricos ao clero ao longo da história portuguesa.

Importante para o entendimento dos severos conflitos clerico-liberais da primeira metade do século XIX, mas também curiosa, pela compilação de “pequena-história” e pela desenvolta e arreigada prosa apologética do autor. Obra rara e valiosa.

Preço: 60 euros.






JESUS CHRISTO PERANTE O SÉCULO

OU NOVOS TESTEMUNHOS DAS SCIENCIAS EM ABONO DO CATHOLICISMO

ROSELLY DE LORGUES


3.ª versão em portuguez sobre a 15.ª edição de Paris, annotada por Camillo Castello Branco. xvi-353-(2) páginas, com as anotações de Camillo no final da obra, entre as páginas 297 e 353. Encadernação com lombada em pele, manuseada e com pequenos defeitos mas sólida. Miolo aparado, e sem capas de brochura, no geral limpo, apresentando no rosto uma mancha amarela, visível na fotografia, que não repassa para as páginas seguintes. 13 x 20 cm. Ilustrado com uma estampa a par do rosto, e algumas vinhetas. Porto: F.G. da Fonseca, [1863].

Preço: 25 euros.


ejanvelho


DEBRUÇADO SOBRE O EVANGELHO

Comentários

PADRE ALBERTO DA ROCHA MARTINS


Escritor, orador e jornalista, director-fundador do Jornal de Barcelos, o Padre Alberto da Rocha Martins (1917-1995) nasceu em Braga, mas viveu a maior parte da sua vida em Barcelos, cidade da qual recebeu o título de Cidadão-Honorário, em 1979, no mesmo ano em que o Papa João Paulo II o elevou a Monsenhor. Debruçado sobre o Evangelho foi o primeiro livro que publicou.

Exemplar autografado pelo autor com dedicatória a Hernâni Cidade, «com muita simpatia pelo seu talento». Capa de Gonçalves Torres. 224 páginas (maioria por abrir). 15,5 x 21,5 cm. 1.ª edição, Barcelos, 1953.

Preço: 15 euros.



HISTORIA SAGRADA DO ANTIGO E NOVO TESTAMENTO
E HISTORIA ECCLESIASTICA


Um manual (anónimo) para uso na catequese, com lições, perguntas, respostas e resumos. 445 páginas. 15 x 20,5 cm. Capa com algumas falhas de papel. Lisboa: Typographia «Verde», 1883.

Preço: 10 euros.



DEUS, O HOMEM E O UNIVERSO

COLABORAÇÃO CONJUNTA DE DEZOITO CIENTISTAS

Direcção de

JACQUES DE BIVORT DE LA SAUDÉE


Título original: Essai sur Dieu, l’homme et l’univers. Publicado sob a direcção e com introdução de Jacques de Bivort de La Saudée. 4.ª edição portuguesa, revista e corrigida pelo tradutor, Agostinho Veloso, de acordo com a 4.ª edição francesa de 1957. Na Colecção Filosofia e Religião [Nova Série, 10.º volume], fundada por Leonardo Coimbra. 774 páginas. 15 x 21 cm. Exemplar em bom estado de conservação. Porto: Livraria Tavares Martins, 1959.

La Saudée, na introdução, explica que a primeira edição desta obra, publicada em França em 1950, foi uma actualização do Ensaio de uma Suma Católica contra os Sem-Deus, editada em 1937, sob a direcção e com introdução de Yves Kologrivov. Segundo o tradutor Agostinho Veloso, o livro é uma «resposta categórica, tanto do ponto de vista filosófico, como teológico, aos mestres do marxismo leninista, sobre o homem e o universo», respondendo também «de modo eficiente construtivo, à maior parte dos problemas postos pelo materialismo em geral, de que o marxismo é tão somente um aspecto e uma fracção».

Inclui ensaios de Albert Dondeyne (A existência de Deus e o materialismo contemporâneo), António Romañá (O mundo, a sua origem e estrutura, à luz da ciência e da fé), Félix Ruschkamp (Donde provém a vida?), G. Vanderbroek (A origem do homem e as recentes descobertas das ciências naturais), E. C. Messenger (A origem do homem, segundo o livro do Génesis), Joseph Ternus (Existe a alma?), Henri de Lubac (A origem da religião), Henri Fehner (O problema de Cristo), Pierre Defrennes (As condições económicas e sociais do estabelecimento do cristianismo), Joseph Huby (O cristianismo primitivo no seu quadro histórico), P. A. Liégé (A Igreja Cristã Católica Romana), Joseph Lecler (As origens do cristianismo no Ocidente), Joseph Duhr (As origens da Reforma protestante), Henri du Passage (A religião e o progresso político e social), Douglas Woodruff (A Igreja na idade do capitalismo), Gustave André Wetter (O materialismo dialético, filosofia do proletariado) e Yves M. J. Congar (O problema do mal).

Preço: 15 euros.