PORTUGAL E OS SEUS DETRACTORES


L [uís] A [ugusto] PALMEIRIM


Subtítulo: Reflexões a propósito do livro do Sr. Fernandez de Los Rios, intitulado «Mi Mission». Obra dedicada a Fontes Pereira de Mello. Introdução do autor. Encadernação da época com lombada em pele, da casa Corazzi (vide selo na fotografia supra), possui marcas de desgaste nas extremidades mas permanece limpa e sólida. Sem capas de brochura. Miolo fresco; aparado. 11,7 cm x 18,2 cm. 354+(2) páginas. Lisboa: Typ. da Bibliotheca Universal de Lucas & Filho, 1877.

Preço: 25 euros.




MANUAL DE ESGRIMA
para uso do exercito


ANTÓNIO DOMINGOS PINTO MARTINS


Com desenhos de M. Gustavo Bordalo Pinheiro. 142 páginas. 15 x 23,5 cm. Encadernação sintética moderna, com pequena mossa na aresta superior da pasta frontal. Capas de brochura com marcas de restauro. Lisboa: Livraria de António Maria Pereira, 1895.

Raro.

Preço: 50 euros.



L’ESCRIME
Fleuret,  Épée,  Sabre


KIRCHHOFFER
JOSEPH-RENAUD
LÉON LECUYER


Ilustrado com fotografias, desenhos e tábuas. 63+xxxvi páginas. 13 x 19 cm. Capas com mancha de tinta visível na fotografia. Paris: Bibliothéque Larousse, [1911?].

Preço: 15 euros.



BASES DA ESGRIMA MODERNA
de florete, espada e sabre


CARLOS DE CAMPOS ANDRADA


O autor, apresentado na capa como Mestre de Armas, foi Capitão de Artilharia e professor de Esgrima na Escola de Esgrima do Exército, com o curso de Aperfeiçoamento do Real Instituto Militar Húngaro “Toldi Miklos”, de Professores de Desporto e Mestres de Esgrima.

Prefácio de Joaquim Gonçalves Mendes Júnior. Ilustrado com 8 páginas de fotografias a preto e branco. Brochado. Capa com defeitos visíveis. 160 páginas. 16,5 cm x 23,5 cm. Lisboa: [s.e.], 1946.

Preço: 20 euros.



LIÇÕES DE ESGRIMA
de florete, sabre e espada


CARLOS DE CAMPOS ANDRADA


O autor foi professor de Esgrima na Escola de Esgrima do Exército. Brochado. 131 páginas. 14,9 cm x 20,4 cm. Assinatura de posse na folha de rosto. Capa com ligeiras manchas, miolo limpo. Lisboa: Escola do Exército, 1946.

Preço: 25 euros.



ELEMENTOS PARA A HISTÓRIA
DO MUNICÍPIO DE LISBOA


EDUARDO FREIRE DE OLIVEIRA


Título e autor, tal qual figuram no rosto: Elementos para a História do Município de Lisboa, por Eduardo Freire de Oliveira, arquivista da Camara Municipal da mesma cidade. 1.ª PARTE. Publicação mandada fazer a expensas da Camara Municipal de Lisboa, para commemorar o centenario do Marquez de Pombal em 8 de Maio de 1882.

Mais de 10 mil páginas de documentos oficiais de algum modo relevantes, organizados cronologicamente e alusivos a séculos de assuntos invariavelmente díspares — as iguarias de um banquete celebratório, a colocação na prisão do Limoeiro do líder de uma «companhia de comediantes de Castella», a lista das pessoas de cada freguesia que se recusam a participar numa campanha de limpeza pública, a morte do rei —, num panorama que permite acompanhar os reflexos da política e da história do país nas várias decisões e questões do município d’esta cidade onde desde muito cedo esteve instalado um Governo demasiado centralista.

Temos assim «a carta regia que trouxe a communicação official da morte de Filippe II» (tomo II, quase todo dedicado ao “tempo dos Filipes”, pág. 590), «a ruína de Lisboa», no sábado 1 de Novembro de 1755 (tomo XVI, a partir da página 133, com lista e descrição sumária de abalos sísmicos anteriores, nomeadamente os de 1309, 1321, 1344, 1356, 1512, 1531, 1551, 1575, 1597, 1598, 1699 e 1724), a inauguração da estátua equestre de D. José (em parte citada aqui) ou a «consulta da Cammara a el-rei em 2 de julho de 1650», onde se propõem os nomes de «doze fidalgos, doze cidadãos e doze homens do povo» para «terem as chaves das quatro portas da cidade» (tomo V, p. 208, antecedendo em algumas páginas a lista exaustiva dos preços de venda de todo o tipo de animais para alimentação, indexados inteiros, em partes, e por género).

O primeiro documento transcrito no tomo I, que não o foral de 1179, data de 7 de Novembro de 1190, e o último documento transcrito no tomo XVII data de 23 de Agosto de 1777. Entre ambos, os diversos prefácios e as anotações constantes de Freire de Oliveira (1841-1916) desvelam e aprofundam as origens e importância dos textos que transcreve. Contém ainda algumas ilustrações, muito poucas, destacando-se a litografia da Divisa da Cidade, que abre o tomo X, ou a «planta litographada da sala das sessões do senado da camara de Lisboa, que acompanha a carta regia de 13 de Novembro de 1773» (tomo I, pág. 68).

[Para uma descrição mais detalhada da cronologia de cada tomo, consulte-se o artigo de António Miranda na Rossio n.º 1, de 2013. Como o plano cronológico da 1.ª parte da obra deveria ter prosseguido até ao ano do início da publicação (1882), suspeita-se que, além da nunca publicada 2.ª parte, também desta 1.ª parte terá ficado por publicar pelo menos um tomo, para o período 1777-1882.]

Obra completa (tudo quanto se publicou), em XVII tomos de 16,5 x 24,5 cm (66cm de estante), Lisboa: Typographia Universal, 1882-1911.

Tomo I, 1885, (12)+661+(5) págs. Tomo II, 1887, xiv+593+(2) págs. Tomo III, 1888, vi+584+(3) págs. Tomo IV, 1889, xii+628+(3) págs. Tomo V, 1891, vi+620+(3) págs. Tomo VI, 1893, ix+627+(2) págs. Tomo VII, 1894, cxii+466+(3) págs. Tomo VIII, 1896, vi+593+(3) págs. Tomo IX, 1898, vi+617+(4) págs. Tomo X, 1899, viii+595+(2) págs. Tomo XI, 1901, vi+632+(3) págs. Tomo XII, 1903, (10)+652+(3) págs. Tomo XIII, 1904, (6)+622+(3) págs. Tomo XIV, 1906, (6)+634+(3) págs. Tomo XV, 1906, (6)+630+(3) págs. Tomo XVI, 1910, xiv+567+(4) págs. Tomo XVII, 1911, (6)+622+(3) págs.

Acrescentam-se os dois volumes de índices, publicados cerca de 40 anos mais tarde: Índice dos «Elementos para a História do Município de Lisboa», por Esteves Rodrigues da Silva, sob a direcção de Jaime Lopes Dias, 2 vols., Lisboa: Câmara Municipal, 1942-1943. Com 396+578 páginas, e 17 x 22,5 cm. Capa do volume II com um rasgão restaurado. Páginas por abrir.

Todos os 19 volumes em brochura e 17 deles com as páginas por abrir. Bom estado geral, com não mais do que pequenos defeitos dispersos (muito ocasionais picos de humidade; algumas lombadas mais amarelecidas que outras; bicho de papel que atacou superficialmente a capa do tomo VI; e situações afins, de pouca monta).

Conjunto invulgar.

Preço: 480 euros.



VISÃO POLÍTICA


JOSÉ MONK


Edição do Autor, Lisboa, 1898.

«Homenagem de muito apreço e sincero appelo á intelligencia e fecunda aptidão dos seus compatriotas».

José Monk foi o pseudónimo do Coronel Joaquim Emídio Xavier Machado (1850-1904), essencialmente em escritos de cariz político. O autor pertenceu à Casa Militar do Rei, foi oficial às ordens do Infante D. Afonso e condecorado com as ordens de Avis e Santiago.

45 páginas. 15,5 x 22,5 cm. Capa com pequenas manchas. Lombada com falhas. Miolo limpo.

Preço: 15 euros.



DIÁRIO DE UM VIAJANTE EM FRANÇA


Cartas de

LEANDRO JOSÉ DA COSTA


Trinta e seis cartas de Leandro José da Costa dirigidas ao Conselheiro José Luciano de Castro, a primeira datada de 27 de Agosto de 1878. Encadernação modesta mas sólida, com alguma descoloração dispersa. Sem capas de brochura. Miolo com manchas ténues, e um ou outro rabisco a lápis. Com 320 páginas e 13 x 20 cm. Lisboa: Typographia das Horas Romanticas, 1880.

Curioso e invulgar.

Preço: 40 euros.



NOVA DESCRIPÇÃO DE LISBOA, dos seus Arredores, e de CINTRA, PENA e MAFRA, com um ensaio historico de tudo quanto esta Capital contém de mais notavel; ornado com algumas estampas. Ensaio introdutório de Carlos Lindemann. Com capas de brochura e as duas gravuras pertencentes, uma do Palácio da Pena, outra da Praça do Comércio. 135+(5) páginas. Intonso. Capa com picos de oxidação. Lisboa: na loja de João P. M. Lavado, 1853.


GUIA DE VIAJANTES EM LISBOA, e suas visinhanças. Sem indicação de autor, mas com um enquadramento histórico inicial, e várias notas de rodapé. Capas de brochura com marcas de restauro de amador. Muito curioso. 90+(4) páginas. Intonso. Lisboa: na typographia de O. R. Ferreira e C.ª, 1845.


Duas obras completas e não aparadas, encadernadas num único tomo, em bom estado geral. Encadernação contemporânea de amador, 12 x 17,7 x 2,2 cm, em papel de fantasia cor-de-rosa com motivos geométricos dourados em relevo. Rótulo de pele, visível em fotografia supra.

Conjunto invulgar.

Preço: 90 euros.



A COMEDIA DE LISBOA


GERVÁSIO LOBATO


Prólogo de Pinheiro Chagas. Encadernação sintética da época, sem páginas de guarda nem capa de brochura (abre directamente no ante-rosto rabiscado, visível na primeira fotografia). 302 páginas. 11,5 x 18 cm. Manuseado. Porto: Ernesto Chardron, 1878.

Preço: 12 euros.



A COMEDIA DE LISBOA


D. JOÃO DE CASTRO


Aventuras, Fantasias e Impressões d’um Forasteiro. Aspectos Modernos d’uma Cidade Antiga. Figuras e Figurilhas. Factos e Costumes.

Comedia Mundana / Comedia Amorosa / Comedia Politica / Comedia Litteraria / Comedia Artistica

Capa de Alfredo Moraes. 428 páginas. 12 x 19 cm. Bom exemplar. Lisboa: Sociedade Editora Portugal-Brasil, [1918].

Preço: 15 euros.



A EUROPA

POESIA COMICA ORIGINAL

ALFREDO GABRIEL GARCIA


Pequeno folheto de cordel, de 8 páginas, 11 x 16 cm, e com uma vinheta na capa, onde também se lê que se «vende nas lojas do costume». Sem data nem local de impressão. Século XIX. Bom estado.

Invulgar.

Preço: 8 euros.


A REPUBLICA (1870)

[02Ago18]


A REPUBLICA

COMEDIA EM UM ACTO ORIGINAL

AUGUSTO DA SILVA CARVALHO


Representada pela primeira vez no Theatro de Variedades,
com geraes applausos.

Diz-nos Sousa Bastos, na Carteira do Artista, que Silva Carvalho «teve diversos empregos, acabando em negociante de moveis. Foi por muito tempo dedicado ás lettras, publicando um volume de versos e collaborando nos jornaes. Tambem fez algumas comedias, e, entre ellas, uma com o titulo A Republica, que se representou com muito agrado no theatro das Variedades.»

Na colecção Bibliotheca dos Actores. 16 páginas (por abrir). 11,5 x 16 cm. Alguns, poucos, picos de acidez no miolo. Bom estado. Lisboa: Typ. de Antonio José Germano, 1870.

Preço: 15 euros.



CARTEIRA DO ARTISTA


SOUZA BASTOS


Apontamentos para a Historia do Theatro Portuguez e Brazileiro acompanhados de notícias sobre os Principaes artistas, escritores dramaticos e compositores estrangeiros.

Jornalista e “homem do teatro” — empresário, director teatral, encenador e ensaiador, dramaturgo e dramatógrafo —, António de Sousa Bastos (1844-1911), marido da actriz Palmira Bastos, compilou esta grande e pequena história do teatro português seu contemporâneo, o do final do século XIX, com espaço para muito mais do que actores, dramaturgos e salas de teatro.

Os índices alfabéticos listam: actores portuguezes e brazileiros; actrizes portuguezas e brazileiras; aderecistas; architectos, auctores de figurinos e decoradores; artistas dramáticos estrangeiros; benemeritos do theatro; cabelleireiros de theatro; cantores portuguezes; companhias diversas; contraregras; curiosidades theatraes; decretos, portarias, tratados e outros documentos referentes ao theatro; diversos empregados de theatro; dramas, comedias, tragedias, operas-comicas, revistas e peças phantasticas notaveis pelo seu merecimento ou pelo sucesso que obtiveram; emprezarios theatraes; ensaiadores portuguezes e brazileiros; escriptores, dramaticos e criticos theatraes, portuguezes e brazileiros; escriptores dramaticos estrangeiros; guarda-roupas; machinistas; musicos estrangeiros; musicos portuguezes e brazileiros; operas e dansas; pontos; scenographos; theatros estrangeiros; e theatros portuguezes e brazileiros.

Esta espécie de enciclopédia caótica do teatro, repleta de pequenas gravuras, está inicialmente organizada cronológicamente, por dias e meses do ano: nascimentos de determinado actor, estreia de uma dada peça, abertura de uma nova sala, etc.
Este calendário ocupa um pouco mais de metade do livro, bem organizada. Mas a partir da página 475, a sucessão de apêndices, acrescentos, correções, adendas, novas informações, rectificações, ampliações e eventos sem data torna a pesquisa de informação uma curiosa aventura proto-hipertextual para a qual o índice de 30 páginas supra-citado é a peça chave.

Primeira edição. Lisboa: Antiga Casa Bertrand — José Bastos, Editor, 1899. Com 868 páginas, e 18,5 x 26 cm. Encadernação com lombada em pele. Aparado. Conserva a capa de brochura anterior, uma litografia de Raphael Bordallo Pinheiro. Pequenas e inócuas marcas de bicho do papel em algumas páginas. Assinatura de posse no rosto. Bom estado.

Digitalizado e disponível online aqui.

Preço: 115 euros.



CAMILLO

MULHERES E LÁGRIMAS

(LIVRO DO AMOR E DO CORAÇÃO)

NUNO CATHARINO CARDOSO


Contendo cento e noventa e três pensamentos respigados na obra do Grande Romancista.

Colecção (encalorada) de citações camilianas, sem lugar para a menção das diversas proveniências, e com prefácio datado de 22/2/1922. Exemplar do 1.º milhar. xvi+55 páginas. 12,5 x 19 cm. Brochado. Bom estado. Lisboa: Portugália Editora, 1922.

Preço: 22 euros.



MEMORIAS D’UM SUICIDA


MAXIME DU CAMP


Colecção Economica n.º 20. Tradução de Silva Pinto. 270 páginas. 11,5 x 16,5 cm. Usado. Marcas de restauro. Exemplar razoável. Lisboa: Parceria Antonio Maria Pereira, 1907.

Preço: 12 euros.



LISBOA DE OUTROS SÉCULOS

À SOMBRA DOS PAÇOS REAIS

CEM ANOS DE PITORESCO

O NAMÔRO LISBOETA NO SÉCULO XIX


FRANCISCO CÂNCIO


Obra histórica completa em 3 volumes, publicados em fascículos entre 1940 e 1941, aqui reunidos num único tomo monumental de 1340 páginas [561-(13)+463+304]. Ilustrada com fotografias e desenhos. 16,5 x 26,5 cm. Edição do autor. Primeiro volume anuncia uma tiragem de 300 exemplares.

Encadernação com lombada e cantos em pele (meia-francesa), com quatro nervos e os corvos vicentinos na lombada, de manufactura recente e em excelente estado de conservação. Miolo limpo e sem manchas, ligeiramente aparado. Raro conjunto.

Peça de colecção.

Preço: 280 euros.




Do autor, sobre as tradições do Ribatejo, aqui.



DO OUTRO LADO

cançoneta comica


ALFREDO DE MORAES PINTO
(Pan-Tarantula)


Ilustrações de Raphael Bordallo Pinheiro (14 no texto + 2 nas capas). Desenho da capa “continua” na contracapa, e a frente e o verso do livro estão trocados, de acordo com o título.

16 páginas. 12 x 18,5 cm. Impresso na Typographia Elzeviriana. Em bom estado geral, pese embora ter as capas praticamente soltas. Lisboa: Tavares Cardoso & Irmão, 1885.

Invulgar.

Preço: 60 euros.



CARICATURAS PESSOAIS


FRANCISCO VALENÇA


Colecção do Sempre Fixe, n.º I. Exemplar enriquecido com 10 outras caricaturas de Valença recortadas de jornais e identificadas, adicionadas ou em páginas do livro ou em página à parte, como se pode ver em duas das fotografias. 215 páginas. 19 x 24 cm. Manuseado, mas um exemplar bastante interessante. Porém, tem faltas de papel símiles (visíveis nas fotografias) no pé das páginas 5, 99 e 213, e inócua falta da página de guarda. No verso da capa tem dois ex-libris. Lisboa: Renascença Gráfica, 1931.

Invulgar.

Preço: 90 euros.



MYRTIS ET KORINNA


WILLIAM RITTER


William Ritter (1867-1955), nascido em Neuchâtel, amigo de Mahler, estudou em Viena e foi escritor, pintor, crítico de arte e crítico musical. Ilustrações de Antoine Calbet. Primeira edição. Collection Lotus Alba, para bibliófilos. Estimado. Com (14)-90-(6) páginas, e 7 x 14,5 cm. Paris: Librairie Borel, 1898.

Um centauro apaixona-se por uma jovem rapariga…



LA GUERRE DES DIEUX


PARNY


Originalmente publicado em 1799, com autoria de Évariste Parny (1753-1814). Dois volumes encadernados num único, com capas de brochura. Assinatura de posse de Alberto Cupertino Pessoa, professor de Medicina na Universidade de Coimbra, em letra muito miúda, em ambas as páginas de ante-rosto. Ilustrado com gravuras e vinhetas, sem autoria atribuída, embora assinadas. 128+128 páginas. 9 x 14 cm. Capas de brochura manchadas, miolo não tanto. Não aparado. Colecção Petite Bibliothèque Diamant. Paris: L. Boulanger, [s.d.].



LA NONNE ALFEREZ


JOSÉ-MARIA DE HEREDIA


Primeira edição. Heredia nasceu em Cuba em 1833 e naturalizou-se francês em 1893. Ilustrações de Daniel Vierge, gravadas por Privat-Richard. Encadernado com capas de brochura. Monograma do arquitecto Alberto Pessoa, na página de rosto. Com viii-175 páginas, e 9 x 14,5 cm. Colecção Lemerre Ilustrée. Bom estado, mas com a capa de brochura manchada. Não aparado. Paris: Alphonse Lemerre, 1894.



Colecção estimada de três diferentes obras eróticas publicadas em França no final do século XIX, um conjunto uno de robustas e suaves encadernações inteiras de pele com nervos nas lombadas, cada uma de sua cor e todas do mesmo estilo, com o selo do encadernador Raúl de Almeida (Lisboa).

Preço (do conjunto dos 3 livros): 65 euros.



BIBLIOGRAPHIA HISTORICA PORTUGUEZA


JORGE CESAR DE FIGANIERE


[Título completo:] BIBLIOGRAPHIA HISTORICA PORTUGUEZA ou catalogo methodico dos auctores portuguezes, e de alguns estrangeiros domiciliarios em Portugal, que tractaram da Historia civil, politica e ecclesiastica d’estes reinos e seus dominios, e das nações ultramarinas, e cujas obras correm impressas em vulgar; onde também se apontam muitos documentos e escriptos anonymos que lhe dizem respeito, por JORGE CESAR DE FIGANIERE, official da Secretaria de Estado dos Negocios Estrangeiros, commendador da Real Ordem de Isabel a Catholica, Membro do Conservatorio Real de Lisboa, etc.

Reimpressão fac-simile holandesa da rara edição portuguesa de 1850. Vide índice nas fotografias. Encadernação editorial em tela. Exemplar em óptimo estado de conservação. 359 páginas. 15 x 23 cm. Naarden: Anton W. Van Bekhoven, 1970.

Preço: 70 euros.



A ARISTOCRACIA DO GENIO E DA
BELLEZA FEMINIL NA ANTIGUIDADE


JOSÉ PALMELLA


SemiramisSapho de MityleneCorinnaAspasia  —
PhrynéCleopatraHypathia de Alexandria

Com uma carta de Victor Hugo.
Introdução de Júlio César Machado.
As primeiras 85 páginas, antes da obra propriamente dita, incluem ainda cartas ao autor de Angel Fernandez de Los Rios, Marianna Angelica de Andrade e Narcisa Amália; juízos críticos de Amália Figueirôa, Izabel Bueno, Luiz Guimarães Júnior, Quirino dos Santos, Rebello de Vasconcellos, Manuel Nuñez de Prado, Guiomar Torrezão, e de outros escritores e da imprensa portuguesa; e os prefácios das  anteriores quatro edições do livro. Vide índice nas fotografias.

Ensaios biográfico-líricos dedicados a destacadas e libertárias figuras femininas da antiguidade. 5.ª edição, «augmentada». 304 páginas.  21,2 x 13,4 cm. Capa bastante manchada, interior com manchas ténues, visíveis nas fotografias. Lombada com pequenas falhas de papel. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1876.

Preço: 17 euros.



EVOLUÇÃO SOCIAL


PAULO DE BARROS


Discurso Pronunciado no «Grémio de Instrucção e Recreio», de Bragança, na noite do dia 26 de Maio de 1881. Porto: Real Typographia Lusitana, 1881. /// 48 páginas. 14 x 22 cm. Capa com algum desgaste. Nota manuscrita (pelo autor?) à cabeça: «Ex.mo Sr. Alferes M.el Rodrigues». /// Lista de obras anteriores do autor, constante da contracapa: Questões de Hygiene e de Agricultura – Cemitérios e Incineração dos cadaveres; e Breves reflexões sobre as quantidades negativas.

Pensamos tratar-se de Paulo de Barros Pinto Osório [n. 1848], viticultor no Douro nascido em Peso da Régua, parlamentar entre 1900 e 1910, como deputado progressista, e engenheiro-chefe da construção na Companhia dos Caminhos de Ferro do Minho e Douro (1901).

Preço: 12 euros.


Camarões /// 1888

[06Set15]

camaroes3

camaroes4


OS CAMAROES

Monólogo em Verso
Traducção Livre de Les Écrevisses de Jacques Normand

ACACIO ANTUNES


Versão do poeta e dramaturgo figueirense Acácio Antunes [1853-1927] de um curioso monólogo em verso de Jacques Normand, Les Écrevisses (consultar aqui o texto original ilustrado), adaptado à realidade portuguesa: Paris torna-se Azeitão.

15 páginas. 11,5 x 17 cm. Capa com pequenos defeitos. Lisboa: Tavares Cardoso & Irmão Editores, 1888.

Preço: 10 euros.


Victor Hugo, 1887

[03Set15]


NOSSA SENHORA DE PARIS


VICTOR HUGO


Tradução de João Pinheiro Chagas. Inclui gravuras de Brion, Beaumont, Vierge, Viollet-Le-Duc, Foulquier, e vários outros. Impresso na Typographia Elzeviriana, Lisboa. Editado no Porto pela Livraria Civilisação, de Eduardo da Costa Santos, em 1887.

Edição monumental, com 725 páginas e 20 x 28 cm. Encadernação com lombada em pele, sem capas de brochura. Marcas de bicho do papel (já falecido) diminuindo no canto superior interior ao longo das primeiras 33 páginas (vide fotografia). Miolo com leves manchas generalizadas. Um exemplar razoável.

Preço: 30 euros.


crombie3


LICHENES BRITANNICI


JAMES CROMBIE


Mr. Crombie is well-known as an indefatigable hunter after lichens and one who has added a considerable number of new species to the British flora. This little book contains a record of the habitat and distribution of the 658 species of lichens at present known as inhabitants of Great Britain and Ireland, together with references to the authorities where descriptions are to be found and the synonymy. [da recensão a seta obra de James Crombie, publicada no primeiro volume da revista Nature, em 1870 — o número 1 da revista data de 1869.]

Título completo: LICHENES BRITANNICI, seu Lichenum in Anglia, Scotia, et Hibernia Vigentium, Enumeratio, cum Eorum Stationibus et Distributione, scripsit Rev. Jacobus M. Crombie, M.A., London: L. Reeve and  Co., 1870.

Texto em latim. Com 138 páginas e 11 x 18 cm. Usado mas em bom estado. Ex-libris triangular de anterior proprietário.

Preço: 15 euros.


papa1
papa2 papa3 papa4


O PAPA NO DECIMO NONO SECULO


J. MAZZINI

Triumviro da República Romana

Giuseppe Mazzini (1805-1872), escritor, jornalista, activista, político e ex-carbonário, é uma das figuras principais do chamado Risorgimento, movimento que na segunda metade do século XIX pugnou pela unificação dos vários estados italianos num único país com um governo central, secular e republicano. Várias vezes exilado por motivos políticos, na Suíça, em França e em Inglaterra, participou na fundação de uma Segunda República Romana (1849), insubmissa ao poder papal, onde desempenhou funções no triunvirato governativo. O projecto falhou, seguindo-se novo exílio para o autor, e a publicação do libelo anti-papal que aqui se apresenta, em tradução portuguesa publicada no mesmo ano da edição original.

Com 64 páginas e 11 x 16 cm. Capa com mínimas falhas de papel, e uma assinatura de posse («205 – Joaquim  Martins»). Assinatura de posse, também, no topo da primeira página do texto, visível numa das fotografias. Última página com falta de uma porção inferior, já fora da mancha de texto. Bruxelas: na Imprensa de V. Wouters, 1850.

Raro.

Preço: 15 euros.





O PERIGO DAS PAIXÕES INDISCRETAS

CONTO ALLEGORICO

MADAMA D’UNCY


Traduzido por António Maria do Couto (1778-1843), professor de grego, tradutor de HomeroVoltaire, Marmontel, Mme. d’Aulnoy, e biógrafo de Bocage e José Agostinho de Macedo.

Com uma nota do tradutor. (vi)-72 páginas. 11 x 15,5 cm. Capa de papel da época. Com pequenos defeitos normais para a idade. Produção XL. Lisboa: na Impressão de J.F.M. de Campos, 1815. Há notícia de uma primeira edição em 1803, com um subtítulo mais desenvolvido: Conto allegorico e moral para serviço de lição à Mocidade.

Preço: 15 euros.


O uso do barrete de dormir não é destas instituições ephemeras destinadas a desapparecer com a civilisação que as vio desabroxar. É bem pelo contrario uma necessidade organica creada para sobreviver a muitos costumes, que se julgam eternos. Não quero em prova disto senão a grande quantidade que existe de barreteiros, e a figura que elles representam no meio da nossa sociedade industrial.

Bpaturot0


JERONYMO PATUROT EM PROCURA DUMA POSIÇÃO SOCIAL


LOUIS REYBAUD


Título original: Jérome Paturot à la recherche d’une position sociale. Primeira tradução portuguesa deste clássico universal da literatura satírica, originalmente publicado em 1843, onde figura como autor Hippolyto Rolle, não havendo qualquer referência ao facto de se tratar de uma tradução. Na verdade, a obra foi escrita por Louis Reybaud (1799-1879), jornalista, escritor e político francês, autor dos 10 monumentais volumes da História Científica e Militar da Expedição Francesa [de Napoleão] ao Egipto, publicados entre 1830 e 1836.

Encadernação com lombada em pele (ligeiro desgaste) e gravações a ouro. Exemplar muito razoável, sólido e regra geral limpo. 295 páginas. 13 x 20 cm. Lisboa: Typographia da Rua do Almada, 1849.

Preço: 15 euros.


Bpaturot1 Bpaturot2 Bpaturot3 Bpaturot4


PROJET DE RÉFORME PARLEMENTAIRE ÉLECTORALE

ADRESSÉ A L’ASSEMBLÉE NATIONALE LÉGISLATIVE DE LA FRANCE

LUCIANO LOPES PEREIRA


Resumido da seguinte forma no rosto: Organisation législative intégrale (A bas les monocéphalies et bicéphalies législatives); Representation des classes (A bas l’absurde représentation des localités); Hiérarchie des capacités (A bas les capacités improvisées); Système des candidatures (A bas la duperie électorale).

Encadernação da época, com desgaste superficial. 20 páginas. 17 x 25 cm. Rio de Janeiro: Typographia Franceza, 1849.

Autografado pelo autor, docteur de la faculté de médecine de Paris, para «o distinto historiador Alexandre Herculano».

Preço: 40 euros.




AS ÚLTIMAS FREIRAS

O REAL MOSTEIRO DE SANTA CLARA DE VILLA DO CONDE
AS DOMINICANAS DE “CORPUS CHRISTI”
MOURA E OS SEUS MOSTEIROS
AS THEREZINHAS DE COIMBRA

T. LINO D’ASSUMPÇÃO


Estudo seminal de Tomás Lino d’Assumpção (1844-1902), com uma carta-prefácio de ANTONIO ENES «acerca das ordens e instituições religiosas». In-8vo (14 x 21 cm) de 272 páginas, com um retrato do autor a par do frontispício. Lombada com pequenas falhas de papel nas extremidades, capa manchada, miolo apenas amarelecido. Porto: Livraria Portuense de Lopes & C.ª – Editores, 1894. Invulgar.

Preço: 40 euros.



L’ESPAGNE ET LE PORTUGAL

DEPUIS L’INVASION DES CARTHAGINOIS JUSQU’A NOS JOURS
AVEC UN CHAPITRE SPÉCIAL RÉSUMANT LES ANNALES DE
L’INQUISITION
EN ESPAGNE ET EN PORTUGAL

EMMANUEL RAYMOND


Emmnanuel Raymond é pseudónimo do escritor Léon Galibert (1803-1865?). 191 páginas. 10 x 15 cm. Paris: Imprimerie de Dubuisson [sem data]. É comum apontar o ano de 1862 como o de publicação da primeira edição desta obra, visto ser a última data referida no texto.

A informação gravada na encadernação difere da impressa no miolo: refere-se ao autor como «R. Raymond», coloca o livro na colecção Bibliothèque Utile, à qual não há menção alguma no rosto, e aponta o editor como a Librairie Germer Baillière, de facto a responsável pela 2.ª edição desta obra, em 1885.

Existe uma cópia digital integral deste livro, realizada pelo Google a partir de um exemplar existente na Universidade de Califórnia.

Preço: 25 euros.





A EVOLUÇÃO ORGÂNICA DO EXÉRCITO

MEMÓRIA APRESENTADA Á ACADEMIA REAL DAS SCIENCIAS
E SERVINDO DE EXÓRDIO Á
HISTÓRIA ORGANICA E POLITICA DO EXERCITO PORTUGUEZ

CHRISTOVAM AYRES DE MAGALHÃES SEPULVEDA


O autor foi Capitão de cavallaria, Promotor de justiça, Deputado da nação, Commendador de S. Thiago, da Corôa Real da Prussia, e de numero de Carlos III de Hespanha, etc. Volume brochado com 131 páginas (por abrir), e 16,5 x 25 cm. Lisboa: Imprensa Nacional, 1894. Em bom estado, salvo lombada escurecida, à semelhança da orla da capa.

Preço: 20 euros.





PORTUGAL E A GRÉCIA


MANUEL BERNARDES BRANCO


Na Bibliotheca do Povo e das Escolas, número 185, vigésima quarta série, da Companhia Nacional Editora, sucessora de David Corazzi e Justino Guedes, Lisboa, 1890. Com 62 páginas e 11 x 16,5 cm. Em óptimo estado de conservação.

Preço: 10 euros.



OS AMORES DE CAMÕES
e de Catharina d’Athaide


MADAME GUATIER


Único romance da autoria de Mme. H. Gautier (nome mal grafado na edição portuguesa), originalmente publicado em Paris, 1827. (Les amours de Camoens et de Catherine d’Ataïde). Traduzido do francês por MARIA EMILIA DE MACEDO. Lisboa: Typ. de L. C. da Cunha, 1844. /// Edição em dois volumes e com uma litografia a par do ante-rosto, tal como a edição  original francesa. Os dois volumes encadernados num só. 202+215 páginas. 11,5 x 17 cm. Não aparado. Sem capas de brochura. /// Possui no verso da litografia uma assinatura de posse da época.

Preço: 50 euros.



DAS ORDENS RELIGIOSAS EM PORTUGAL


PEDRO DINIZ


2.ª edição, publicada um ano após a primeira,  com uma nova introdução do autor. 293+(7) páginas. 10,5 x 14,5 cm. Encadernada. Miolo aparado. Lombada em pele. Bom exemplar.
Lisboa: Typographia de J. J. A. Silva, 1854.

Dividida em 40 CAPÍTULOS, assim resumidos no plano da obra: Procuramos responder ás accusações que se fiseram. e se fazem ainda, aos Frades de Portugal, e mostrar, que se não em todas, em grande parte, ha calumnia, absurdo, e odio inveterado, mas sem fundamento. Depois damos uma notícia das Ordens, que n’estes reinos houve, da sua origem, e introducção. Depois ainda apresentamos alguns casos, em que os frades mostraram a sua utilidade, já missionando, já escrevendo, e ensinando; e finalmente concluímos, fazendo algumas reflexões sobre a abolição do monachismo, e procurando mostrar que só uma restituição sisuda das Ordens Religiosas póde attenuar os tristes effeitos da sua extincção.

Vasta galeria de temas versados, como o matrimónio, o celibato, a fecundação, os comportamentos sociais, os jesuítas, a emigração e a demografia, e resposta directa a muitos ataques históricos ao clero ao longo da história portuguesa.

Importante para o entendimento dos severos conflitos clerico-liberais da primeira metade do século XIX, mas também curiosa, pela compilação de “pequena-história” e pela desenvolta e arreigada prosa apologética do autor. Obra rara e valiosa.

Preço: 60 euros.






JESUS CHRISTO PERANTE O SÉCULO

OU NOVOS TESTEMUNHOS DAS SCIENCIAS EM ABONO DO CATHOLICISMO

ROSELLY DE LORGUES


3.ª versão em portuguez sobre a 15.ª edição de Paris, annotada por Camillo Castello Branco. xvi-353-(2) páginas, com as anotações de Camillo no final da obra, entre as páginas 297 e 353. Encadernação com lombada em pele, manuseada e com pequenos defeitos mas sólida. Miolo aparado, e sem capas de brochura, no geral limpo, apresentando no rosto uma mancha amarela, visível na fotografia, que não repassa para as páginas seguintes. 13 x 20 cm. Ilustrado com uma estampa a par do rosto, e algumas vinhetas. Porto: F.G. da Fonseca, [1863].

Preço: 25 euros.


Ramalho Ortigão

[22Dez11]


THEOPHILO BRAGA

ESBOÇO BIOGRAPHICO


J. D. RAMALHO ORTIGÃO


Como escriptor, a sua obra contém dia a dia a historia do seu espirito. Trabalhador incansavel, não tendo largado a penna desde os quinze anos de idade, Theophilo Braga tem toda a sua vida intellectual pósta ao sol, em plena rua, como a vida de Diogenes, o cynico.
Em 1864, impregnado ainda do metaphysicismo universitario, o qual mais tarde elle devia raspar de si, como os antigos leprosos raspavam a lepra, esfregando a pelle com uma telha, Theophilo emprehende os desenvolvimentos da poesia e escreve com a mais extraordinaria frescura de originalidade e de inspiração tres livros que constituiram uma epoca na historia da poesia portuguesa.

Opúsculo raro, conservando ambas as capas de brochura apenas com pequenas marcas de bicho do papel junto à lombada, visíveis na fotografia. 31 páginas. 9,5 x 13 cm. Volume IX da Bibliotheca Republicana Democratica. Lisboa: Nova Livraria Internacional, 1879.

Preço: 20 euros.





ALGUNS FACTOS MILTARES PORTUGUEZES
NO SECULO XVIII


GENERAL A. X. PALMEIRIM


Obra baseada num manuscrito de 1783, atribuído ao tenente general escocês Simão Fraser, experiente em várias guerras europeias e comandante de um regimento do exército português. Importante para a compreensão da organização militar portuguesa no século XVIII. 121-(5) páginas. 15 x 21,5 cm. Com uma dedicatória manuscrita não-autoral, ao embaixador Luiz Norton, pequenas notas manuscritas no topo da capa de brochura, e alguns sublinhados no texto. Sem capa de brochura posterior, e com falhas de papel na lombada. Um exemplar razoável, de uma obra invulgar. Lisboa: Typographia Universal [de Thomaz Quintino Antunes, Impressor da Casa Real], 1873.

Preço: 20 euros.


 


GUILLAUME TELL

ou
LA SUISSE LIBRE

FLORIAN


Primeira edição desta obra póstuma de Jean Pierre Claris de Florian (1755-1794), precedida do discurso de recepção do autor na Academia Francesa, de uma vida do autor, por JAUFFRET, de alguns dispersos inéditos, e de uma gravura, a par do rosto. 197 páginas (primeiras 36 com numeração romana, as restantes numeradas com algarismos árabes, começando no número 37). Encadernação inteira de pele com dois rótulos na lombada, gravada a ouro. Algum desgaste nas extremidades. 8,5 x 14 cm. Miolo aparado. Corte das folhas carminado (sumido). No geral, bom exemplar. Paris: de L’Imprimerie de Guilleminet, à la Librairie Économique, 1801.

Preço: 50 euros.



EPISODIOS DOMINICANOS

LA CONSPIRACIÓN DE LOS ALCARRIZOS


MAX HENRÍQUEZ UREÑA


1.ª edição. Exemplar autografado pelo autor com dedicatória ao antigo embaixador Luís Norton. 335 páginas. 13 x 19,5 cm. Lisboa: edição do autor, 1941. Óptimo estado de conservação.

Max Henríquez Ureña (1885-1968), diplomata e escritor dominicano, filho da poetisa Salomé Ureña e irmão do ensaísta e pedagogo Pedro Henríquez Ureña, desempenhou vários cargos no governo do ditador Rafael Trujillo, entre as décadas de 1930 e 1950, no país e no estrangeiro, razão pela qual a lista dos locais de publicação das suas obras é variada: Valladolid, Santiago de Cuba, Havana, Paris, Madrid, Buenos Aires, México, Rio de Janeiro, Lisboa.

La Conspiración de Los Alcarrizos, episódio ocorrido durante a ocupação haitiana do país (1822-1824), é a segunda de quatro novelas denominadas «Episodios Dominicanos», onde Ureña narra a história da independência da República Dominicana na primeira metade do século XIX. A escrita do livro teve início em Londres, a 2 de Abril de 1939, e terminou em Lisboa, a 10 de Outubro de 1940. Composto e impresso pela Sociedade Industrial de Tipografia (ao Carmo).

Preço: 30 euros.