CONSTANTINO

GUARDADOR DE VACAS E DE SONHOS


ALVES REDOL


Ilustrado com fotografias da autoria de António Neto e de Alves Redol. Arranjo gráfico de João da Câmara Leme. Brochado. 131+(9) páginas. 23,5 x 16,5 cm. Capas em bom estado, lombada com ténues marcas de uso (ligeiro desgaste à cabeça e descolorada junto ao pé). Colecção Aventura Vivida n.º 1. Lisboa: Portugália Editora, 1962.

Primeira edição assinada com dedicatória do autor no ante-rosto.

Um bom exemplar, de colecção.

Preço: 125 euros.



CONSTANTINO

GUARDADOR DE VACAS E DE SONHOS


ALVES REDOL


Assinado com dedicatória simples, não datada, pela esposa do escritor, Maria dos Santos Mota Redol.

12.ª edição. 121 páginas. 17,5 X 11 cm. Bom estado de conservação. Sem defeitos tirando o inevitável amarelecimento do tipo de papel desta colecção, e manchas leves nas primeiras páginas. Colecção Livros de Bolso Europa-América n.º 100. Lisboa: Publicações Europa-América, 1988.

Preço: 17 euros.



Palavras de Alves Redol sobre a personagem principal da novela: «Embora inspirado na vida de um jovem [do Freixial], Constantino Cara-Linda, meu vizinho e amigo, este livro não é bem a crónica rigorosa do seu passadio. Inspira-se nele, reprodu-lo nas imagens que ilustram o texto [da primeira edição], mas recria-o e inventa-o também naquela medida em que o escritor decanta ou engravida a realidade de que se apossa com amor ou com raiva.» [na nota de abertura da primeira edição, cit. Horizonte Revelado, p.102]

 



RIBATEJO
CASOS E TRADIÇÕES


FRANCISCO CÂNCIO


Uma das várias incursões de fundo de Francisco Câncio no registo e divulgação da cultura popular da província do Ribatejo. Os capítulos e as próprias imagens surgem com uma ordem aparentemente aleatória, unidos pelo desembaraço e segurança de um (bom) contador de histórias, alicerçado em anos de pesquisas nos livros e nas gentes. Vide índice nas fotografias (↑).

2 volumes ilustrados com fotografias, desenhos e gravuras, editados em fascículos. 525+485 páginas. 19,5 x 25,5 x 7,3 cm. Meia-encadernação ‘francesa’, não-editorial, sólida, com ligeiro desgaste nas extremidades, mormente nas cabeças e pés das lombadas. Bom estado geral. Edição com o patrocínio da Junta de Província do Ribatejo, s.l., 1948.

Preço: 165 euros.



FYSIOGNOMIA
E VARIOS SEGREDOS DA NATUREZA


JERONYMO CORTEZ


FYSIOGNOMIA, E VARIOS SEGREDOS DA NATUREZA. Contém Cinco Tratados de differentes materias, revisto, e melhorados nesta ultima impressão. Accrescentado nesta ultima idição com huns segredos emportantes para tirar nodoas. Composto por Jeronymo Cortez, Natural da Cidade de Valença. Agora novamente traduzido em Portuguez por Antonio da Silva de Brito. Lisboa, Na Officina de Francisco Borges de Sousa, Anno MDCCXCII. Com licença da Real Meza da Commissão Geral Sobre o Exame, e Censura dos Livros.

Um catálogo, ou receituário, contendo diversas fórmulas práticas e mezinhas, mais ou menos credíveis, com tanto de impraticável — por dificuldades de obtenção de certos ingredientes — como de realização fácil, na oficina, no campo ou no lar. Há astrologia, agricultura, folclore, curandeirismo, zoologia, geografia, técnicas oficinais [vide índice nas fotografias supra] e métodos para a produção de bebidas alcoólicas. O título, por exemplo, destaca «segredos emportantes para tirar nódoas». O autor: Jerónimo Cortez, ou Gerónimo Cortés (1555-1615), natural de Valência e autor do famosíssimo Lunário Perpétuo, até aos nossos dias republicado… e usado.

Os cinco tratados referidos no título são: 1) «Da Fysiognomia Natural do homem, conforme o methodo da Filosofia, e Medicina»; 2) «Das excellencias do Alecrim, e sua qualidade»; 3) «Das muitas, e mui grandes propriedades da Agua ardente»; 4) «Dos Segredos da Natureza, e maravilhosos effeitos delles»; e 5) «Da Regiao Elementar, e Celeste, no qual se descrevem as naturezas dos quatro Elementos, e Corpos Celestes, e de muitos, e varios effeitos, que causão».

Uma das inúmeras edições portuguesas da obra, mais ou menos expurgada, ao longo dos últimos 300 anos — só na Biblioteca Nacional existem edições de 1699, 1706, 1815, 1844, 1860, 1866, 1879, 1900, 1978, 1993 e 1995, bem como uma castelhana de 1598.

Com 238 páginas, e 9,8 x 14,9 cm. Encadernação da época, inteira de pele, sólida embora mal-tratada, possui diversos defeitos (faltas e furos, principalmente na lombada). Miolo aparado, e com manchas; há ainda uma pequena falta de papel no canto inferior exterior da página 181/182, que não chega a tocar o texto; e garatujas a lápis nos intervalos do texto das páginas 222 a 224. Contudo, um exemplar interessante. Invulgar.

Preço: 70 euros.



MÔSCAS E MOSQUITOS


prefácio
RICARDO JORGE


Resultado e memória do combate a moscas e mosquitos levado a cabo pela Câmara Municipal de Cascais, no final da década de 30, um grosso volume ilustrado que tenta abarcar várias vertentes de análise possíveis dos dois insectos que há séculos ocupam as mentes e preocupações do homem: humor, música e teatro complementam a parte documental da obra (científica, técnica e histórica) com uma forte componente rediofónica — reproduzem-se algumas das campanhas desenhadas para transmissão sem fios na Emissora Nacional e no Rádio Club Português, parte fulcral das ditas acções camarárias de sensibilização e higienização.

Índice aqui e aqui. Inclui capítulos sobre “a mosca e o turismo” e “a mosca e o urbanismo“. Abre o prefácio Ricardo Jorge com a recordação das queixas de Camilo, em Seide, «possesso de raiva contra as ferroadas das que na calma de Agosto o acometiam das carvalheiras».

Ilustrado com desenhos, fotografias e fac-similes de documentos (e até uma pauta musical), em 94 páginas de extra-textos couché, alguns desdobráveis. Colaboração de Emmerico Nunes, Alberto de Sousa, Tomás Ribeiro Colaço, Arnaldo Leite, José de Oliveira Cosme, e outros. Assinado, numa larga diagonal que atravessa o rosto, por um dos colaboradores, António Augusto Velasco Martins (1896-1944), por então professor da Escola Superior de Medicina Veterinária. Em brochura. 236+(94) páginas. 24,5 x 17 cm. Bom estado. Edição da Junta de Turismo de Cascais, 1939.

Curioso.

Preço: 40 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1961


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo à entrada dos anos 60. Colaboração de: Santos Fernando, Antunes da Silva, Azinhal Abelho, Victor Santos, Santana Dionísio, e outros.

Ano XXIII. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 292 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1959


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo à entrada dos anos 60. Colaboração de: Cândido Marrecas, Santos Fernando, Arlindo Caldeira, Mário Beirão, José Barão, Isa de Aragão, Victor Santos, e outros.

Ano XXI. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 312 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Bom estado, salvo pequena falha de papel no canto superior da capa, visível na fotografia.. Impresso em Lisboa.

Preço: 22 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1958


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo no final dos anos 50. Colaboração de: António Sardinha, Arlindo Caldeira, Carlos de Oliveira, Conde de Monsaraz, João Falcato, Mário Beirão, Victor Santos, e outros.

Ano XX. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 328 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Com um marcador publicitário. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1957


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo na segunda metade dos anos 50. Colaboração de: António Sardinha, Arlindo Caldeira, Antunes da Silva, Azinhal Abelho, Conde de Monsaraz, e outros.

Ano XIX. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 336 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Com um marcador publicitário. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1956


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo em meados dos anos 50. Colaboração de: Alberto de Monsaraz, Victor Santos, Santos Fernando, Etelvina Lopes de Almeida, Maria Rosa Colaço, e outros.

Ano XVIII. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 344 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Com um marcador publicitário. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1953


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo no início dos anos 50. Colaboração de: Augusto de Castro, Augusto de Esaguy, Santos Fernando, Victor Santos, Costa Leão, Miguel Serrano, Mário Beirão, e outros.

Ano XV. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 360 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Com um marcador publicitário. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



DOURO
AS QUINTAS DO VINHO DO PORTO


ALEX LIDDELL


Esta obra é tradução de um texto inicialmente escrito em inglês e não uma nova edição. Os leitores portugueses desculparão observações ocasionais no texto dando explicações que lhes parecerão evidentes mas que se tornavam necessárias para um público estrangeiro. Também não foi possível alterar o texto de modo a incluir mudanças que se deram posteriormente à sua publicação em língua inglesa. Destas, as mais importantes são as que dizem respeito à propriedade de duas das quintas: a Quinta Nova pertence agora à J. W. Burmester & Ca., Lda.; e a Quinta da Ferradoza, que é hoje propriedade da A. A. Calém & Filho, Lda. 

[A. T. W. Liddell, da Nota à Edição Portuguesa ]


2.ª edição. Fotografia de Janet Price. Tradução de Isabel Motta. Apresentação de Serena Sutcliffe. Prefácio de Alex Liddell e Janet Price. Encadernação editorial com sobrecapa. 245+(3) páginas. 19 cm x 25,3 cm. Bom estado. Lisboa: Quetzal Editores, 1995.

Preço: 30 euros.