PELOS SUBURBIOS E VISINHANÇAS DE LISBOA


GABRIEL PEREIRA


Notas etnográficas, escritas entre 1898 e 1906, sobre alguns dos «suburbios e visinhanças» de Lisboa: S. Domingos de Benfica, Carnide, Ericeira e Torres Vedras. Encadernação sintética com rótulo de pele gravado a ouro, conserva ambas as capas de brochura (manchadas, a frontal com assinatura de posse), miolo limpo (aparado). Bom papel. No geral, um bom exemplar. 305+(3) páginas. 13,5 cm x 20 cm. Lisboa: Livraria Clássica Editora de A. M. Teixeira e C.ª, 1910.

Invulgar e curioso.

Preço: 65 euros.



VIDA DE LISBOA


ALBERTO PIMENTEL


Crónicas da Lisboa de há 120 anos, com atenção (e folgada adjectivação) a alguns aspectos entretanto desaparecidos — como os pregões populares — e outros que ainda se vão mantendo: os gatos, a loteria de Natal, o público do S. Carlos, os pass(e)antes de Sintra. Inclui uma visita de estudo do cronista à Penitenciária. Encadernação editorial. 193+(9) páginas. 12 cm x 18,2 cm. Bom exemplar. Colecção António Maria Pereira. Lisboa: Parceria António Maria Pereira, 1900.

Invulgar.

Preço: 30 euros.


O Pompon

[16Jul18]


O POMPON

ópera cómica em 3 actos

H. CHIVOT e A. DURU


Tradução de Sousa Bastos. N.º 4 da Colecção de Coplas, Monólogos e Cançonetas, da Companhia Sousa Bastos. Inclui lista das personagens e respectivos actores da companhia que terão representado a opereta. Com 40 páginas, e 12,5 x 19,5 cm. Frágil. Capa com pequenos defeitos. Lisboa: [Livraria Ferreira e Franco], 1900.

Preço: 12 euros.



EVOLUÇÃO SOCIAL


PAULO DE BARROS


Discurso Pronunciado no «Grémio de Instrucção e Recreio», de Bragança, na noite do dia 26 de Maio de 1881. Porto: Real Typographia Lusitana, 1881. /// 48 páginas. 14 x 22 cm. Capa com algum desgaste. Nota manuscrita (pelo autor?) à cabeça: «Ex.mo Sr. Alferes M.el Rodrigues». /// Lista de obras anteriores do autor, constante da contracapa: Questões de Hygiene e de Agricultura – Cemitérios e Incineração dos cadaveres; e Breves reflexões sobre as quantidades negativas.

Pensamos tratar-se de Paulo de Barros Pinto Osório [n. 1848], viticultor no Douro nascido em Peso da Régua, parlamentar entre 1900 e 1910, como deputado progressista, e engenheiro-chefe da construção na Companhia dos Caminhos de Ferro do Minho e Douro (1901).

Preço: 12 euros.