A LÍNGUA PORTUGUESA E OS SEUS MISTÉRIOS


JAIME DE MAGALHÃES LIMA


Aveirense ilustre, correspondente de Tolstoi, irmão do grão-mestre maçónico Sebastião de Magalhães Lima, deputado entre 1893 e 1894, jornalista, presidente do município de Aveiro em 1897, Jaime de Magalhães Lima (1859-1936) retirou-se da política activa no início do século XX para se dedicar exclusivamente à literatura. Nesta obra, uma das últimas que publicou, fala de conterrâneos, amigos e referências literárias, de Agostinho de Campos, Gonçalves Fernandes Trancoso, José Pereira Tavares, Manuel José Mendes Leite, José Crispiniano da Fonseca, João de Barros, Rodrigues Lobo, Duarte Nunes de Leão, Jacinto Freire de Andrade, Dom Francisco Manuel de Melo e António Corrêa d’Oliveira, mas principalmente da língua portuguesa, sua evolução e minudências.

Encadernação editorial sintética, em bom estado. 154 páginas. 11,5 x 17,5 cm. Paris-Lisboa: Livraria Aillaud e Bertrand, 1923.

Preço: 15 euros.



A GUERRA CIVIL DE ESPANHA


HELLMUTH GÜNTHER DAHMS


Título original: Der Spanische Bürgerkrieg (1962). Tradução portuguesa de Maria da Graça Cardoso. Ilustrado com 47 fotografias extra-texto, das agências de notícias EFE (Madrid) e Keystone (Paris). 347 páginas. 14,5 x 21 cm. Encadernação editorial, com a sobrecapa original em bom estado de conservação, salvo alguma perda de cor na lombada. Lisboa: Editorial Ibis, 1964. Só conheceria edição espanhola em 1966.

Preço: 15 euros.



BISMARCK

ARTÍFICE DE LA TERCERA REPÚBLICA FRANCESA

MARQUÉS DE QUINTANAR


Prólogo de RAMIRO DE MAEZTU. Brochado. 221 páginas. 14,5 x 20,5 cm. Madrid: Cultura Española, 1936. /// Exemplar autografado pelo autor com dedicatória ao antigo embaixador português LUÍS NORTON.

Ramiro de Maeztu, assassinado poucos meses após a publicação deste livro, e o Marqués de Quintanar [Fernando Gallego de Chaves Calleja, 1889-1974, Conde de Santibáñez del Río, «amigo fraternal» de António Sardinha e dos integralistas portugueses] foram ambos colaboradores próximos de Primo de Rivera durante a Ditadura. Após a queda da Monarquia e o advento da Segunda República fundaram a revista nacionalista Acción Española (1931-1937), propalado veículo reaccionário de ideias tradicionalistas, anti-liberais, anti-democráticas e anti-parlamentares.

Preço: 25 euros.





EL ALMENDRO Y LA ESPADA

POEMAS DE PAZ Y GUERRA


CONDE DE FOXÁ


Poemas de paz e de guerra, de Agustín de Foxá Torroba, Conde de Foxá (1903 – 1959), uma parte dos quais sobre a guerra civil espanhola; refira-se ainda a presença de um Canto a Roma dedicado a Mussolini. Foxá foi jornalista e diplomata falangista, e nas letras destacou-se também como autor de ficção científica.

Capa e desenhos de Jesús Olasagasti (1907 – 1955). Assinatura de posse, a lápis, na capa, do embaixador Luiz Norton. Capa com algumas manchas de humidade, e interior impecável, em excelente papel. Intonso. 119 páginas. 14,5 x 21 cm. San Sebastian: Editora Internacional, 1940.

Preço: 25 euros.




MANDA

em conjunto com

OS FILHOS DE MANDA


CARLOS ALVES (CAVE)


Manda. Edição do Autor, Porto, [1965]. 276-(10) páginas. 12,5 x 18,5 cm. Com um glossário de 3 páginas no final. Badana com texto de Amândio César sobre o livro, publicado no Diário do Norte, Junho de 1966. Capa cansada.

Os Filhos de Manda. Capa de Rui Fernandes. Prefácio de Ferreira da Costa. 252 páginas. 13,5 x 19,5 cm. N.º 1 da Colecção Três Continentes, das Publicações Novo Mundo, Lisboa, 1970. Capa desgastada, visível na fotografia.

Preço (do conjunto): 12 euros.