FALA DO HOMEM LÉSBICO


MANUEL GRANGEIO CRESPO


Edição da Contraponto, de Luiz Pacheco, em parceria com a Supervisão (1983). Capa e ilustrações de Rogal. Prefácio de Adelino Dias Cardoso. 16 páginas não numeradas. 14,5 x 20,5 cm. Muito bom estado de conservação.

Preço: 18 euros.



OS ANTEPASSADOS DE
ALGUNS CINEMAS DO PORTO


ALVES COSTA


São evocados o Cine-Teatro S. João, o Salão High-Life, o Cinema Batalha [inclui fotografia do fresco desaparecido de Júlio Pomar], o Salão-Jardim Passos Manuel (“antepassado do actual «Coliseu» e «Cinema Passos Manuel»”), e feita menção a outras salas e animatógrafos.

Ilustrado com fotografias, cartazes e programas. Brochado, 17 cm x 22,8 cm. 37+(3) páginas. Manuseado. Capa e algumas páginas com pontos de oxidação. Lisboa: Instituto Português de Cinema – Cinemateca Nacional, 1975.

Preço: 17 euros.



OS MAIS ANTIGOS CINEMAS DE LISBOA
1896-1939

A DISTRIBUIÇÃO DE FILMES EM PORTUGAL
1908-1939


M. FÉLIX RIBEIRO


Lista exaustiva dos Cinemas e Teatros referidos nesta obra: Animatographo de Alcântara, Animatographo do Rossio, Belém Cinema, Campolide Cinema, Capitólio, Casino Étoile, Chiado Terrasse, Cine Bélgica, Cine Esperança, Cine Ginásio, Cine Oriente, Cine Pátria, Cine Paris, Cine Tortoise, Cinema Avis, Cinema Colossal, Cinema Condes, Cinema Cosmopolita, Cinema Europa, Cinema Gil Vicente, Cinema Palácio, Cinema Palatino, Cinema Pathé, Cinema Popular, Cinema Promotora, Cinema Restauradores, Cinema Rex, Cinema Universal, Cinema Voz do Operário, Coliseu de Lisboa, Coliseu dos Recreios, Eden Cinema, Eden Concerto, Esplanada Belém-Jardim, Esplanada Monumental, Grande Animatographo de Alcântara, Imperial Cinema, Império (1916), Jardim Cinema, Lusitania Film, Lys, Max Cine, Novo Cine, Odéon, Olympia, Palais Cinema, Paradis Cinema, Paraíso de Lisboa, Paris Cinema, Pathé Cinema, Rossio Palace, Royal Cine, Roxy, Tivoli, Trianon Palace, The Wonderful, Salão Avenida, Salão Central, Salão Chantecler, Salão Chiado, Salão Cosmopolita, Salão Edison, Salão Fantástico, Salão Foz, Salão Ideal, Salão Liberdade, Salão Lisboa, Salão Portugal (Alfama), Salão Portugal (Ajuda), Salão Rubi, Salão Theatro de Variedades, Salão das Trinas, Salão Recreio da Graça, Salão S. Carlos, Salão da Trindade, Salon Rouge, São Luiz Cine, Eden Teatro, Teatro D. Amélia, Teatro Estrela, Teatro do Ginásio, Teatro Joaquim de Almeida, Teatro Moderno, Teatro Politeama, Teatro do Rato, Teatro República, Teatro Salão dos Anjos, Teatro São Luís, Teatro da Trindade.

Profusamente ilustrado. Brochado, 264+(4) páginas. 17,5 cm x 23,8 cm. Assinatura de posse na página de guarda. Capa manuseada (perda de cor, desgaste marginal), cortes do miolo com picos de oxidação, miolo em bom estado. Lisboa: Instituto Português de Cinema – Cinemateca Nacional, 1978.

Preço: 25 euros.



FILMES, FIGURAS E FACTOS
DA HISTÓRIA
DO CINEMA PORTUGUÊS
1896-1949


M. FÉLIX RIBEIRO


Prefácios de Luís de Pina e de João Bénard da Costa, e introdução do autor:

Meti ombros a este trabalho na intenção de que nele ficassem apontados e respeitados muitos e variados aspectos do que foi a caminhada percorrida pelo cinema português ao longo do período que decorre entre o anos de 1896, quando Aurélio da Paz dos Reis dá as primeiras voltas de manivela, por intermédio da sua tão primitiva, embora eficiente, máquina de filmar, para nos oferecer a sua «Saída do Pessoal Operário da Fábrica Confiança», e o final de 1949, para nós um limite para os nossos propósitos […]

Capítulo I: 1.º Ciclo do Porto / Capítulo II: 1.º Ciclo de Lisboa / Capítulo III: 2.º Ciclo do Porto / Capítulo IV: 2.º Ciclo de Lisboa / Capítulo V: O sonoro chega a Portugal.

Com fotografias, anúncios, desenhos, caricaturas, fotogramas de filmes, etc. Brochado, 651+(5) páginas (papel couché), 17,8 cm x 25,8 cm. Bom estado geral. Lisboa: Cinemateca Portuguesa, 1983.

Preço: 45 euros.



ELDORADO


VÁRIOS AUTORES


O terceiro volume organizado pelos quatro elementos editores.

Responsáveis pela edição: Carlos Leite, Fernando António Baptista Pereira, José Manuel Oliveira e Mário Avelar.

Com textos de Edgar Allan Poe e Stephane Mallarmé (trad. Manuel Frias Martins), Mário Avelar, Manuel Frias Martins, Sílvio Frio, Ângelo de Lima, Eduardo Paz Barroso, Jack London (trad. Maria Augusta Maia e Fernando Guerreiro), Mário de Carvalho, Silva Carvalho, José Mira, Abel Neves, Jorge Gravanita, José Manuel Oliveira, Ernesto José Rodrigues, José Anes, Francisco de Hollanda, Dagoberto L. Markl, Fernando António Baptista Pereira, Ana Cristina Leite, Paulo Pereira, Octavio Paz (trad. Maria Ramos), Michelet (trad. Paulo Varela Gomes), Fernando Gandra, José Gabriel Pereira Bastos, Paulo Tunhas, Carlos Leite, Novalis (segundo a tradução da HIENA), Teresa Salema Cadete, Fernando Cabral Martins, António Melo, Francis Ponge (trad. Manuel Gusmão), Roger Caillois (trad. António Guerreiro), Georges Bataille (trad. Silva Carvalho) e Paul Lafargue.

Ilustrado com fotografias de Rui Cochofel, Richard Ansaldi e José Manuel Oliveira; desenhos de Paulo Varela Gomes e Jorge Gravanita; e ainda inúmeras reproduções de pinturas e fotogramas de filmes devidamente identificados no final.

Brochado, 18 cm x 27 cm, 139+(1) páginas. Assinatura de posse de José Palla e Carmo, na primeira página. Exemplar estimado. Lisboa: Quatro Elementos Editores, 1982.

Preço: 45 euros.



MAR


VÁRIOS AUTORES


Primeiro volume organizado pelos quatro elementos editores.

Responsáveis pela edição: Carlos Natividade Corrêa, Fernando Guerreiro, José Guardado Moreira e Paulo Varela Gomes.

Textos de José Guardado Moreira, Paul Valéry (traduzido por António Sabler), Manuel Gusmão, Eunice Cabral, Mário de Carvalho, Heinrich von Kleist (traduzido por Teresa R. Cadete), Salvato Teles de Menezes, Joseph Conrad (traduzido por M. Augusta Maia), Isidore Ducasse e Fernando Pessoa.

Ilustrações de J. Guardado Moreira, Natividade Correia, Paulo Varela Gomes e Teresa Dias Coelho.

Brochado, 18 cm x 27 cm, 76 páginas. Tiragem de 500 exemplares. Capa manchada, miolo em muito bom estado. Lisboa: Quatro Elementos Editores, 1980.

Preço: 40 euros.


SilvaCarvalhoEssasVozes


ESSAS VOZES


SILVA CARVALHO


A ilustração da capa é de Paulo Varela Gomes. Brochado, 15,2 cm x 21 cm, 30+(2) páginas. Bom exemplar. Colecção Marca Amarela n.º 3. Lisboa: Quatro Elementos Editores, 1983.

Preço: 15 euros.


Drácula


O CONVIDADO DE DRÁCULA
e outras histórias


BRAM STOCKER, JOHN C. BLOOD,
RAYMOND D. DOUGLAS, THÉODORE FRAENCKEL


[Da nota de edição:] Além do texto de Bram Stocker (Dracula’s guest constitui um capítulo inédito, retirado pelo autor da versão definitiva de Drácula, de 1897), incluem-se nesta brochura dois curtos textos de Théodore Fraenckel extraídos de The Impossible papers, 1971 […], e O demiurgo (The Medium) de John C. Blood (de NECROPHALIA, The Death Press, Cambridge, 1907).

Capa de Paulo Varela Gomes. Brochado, 15 cm x 21 cm, 28+(4) páginas. Bom estado, embora na contracapa exista uma mancha e um apontamento a caneta. Colecção Fim de citação n.º 3. Lisboa: Quatro Elementos Editores, 1983.

Preço: 15 euros.


claudioverao2

UM VERÃO ASSIM
seguido de AS MÁSCARAS DE SÁBADO

Assinado pelo autor com dedicatória datada. 2.ª edição, com um prefácio de Eduardo Lourenço. Capa sobre fotografia de Michael Heimerl. Com um retrato de Mário Cláudio por Armando Alves. Brochado. 136 páginas. 14 cm x 22,5 cm. Porto: O Oiro do Dia, 1982.
Preço: 22 euros.

TERRA SIGILLATA
Alguns fragmentos do presente texto, aqui reformulados, vieram a lume nas seguintes publicações: «Sílex», n.º 5, Novembro de 1980, «Jornal de Notícias», de 23 de Dezembro de 1980, e «Aresta», n.º 1/2, Inverno de 1980.
Capa e ilustração «hors-texte» de Carlos Ferreiro. Assinatura de posse muito discreta na folha de ante-rosto. Brochado. 43 páginas. 15,4 cm x 17,5 cm. Bom exemplar. Lisboa: & etc, 1982.
Preço: 25 euros.

DAMASCENA
Assinado pelo autor. 1.ª edição. Capa sobre imagem de Lovato Guerreiro. Brochado. 94+(5) páginas. 15 cm x 21 cm. Colecção Contexto / de Prosa. Bom estado. Lisboa: Contexto, 1983.
Preço: 22 euros.

A QUINTA DAS VIRTUDES
Romance. 1.ª edição. Capa e sobrecapa de Rogério Petinga sobre gravura de «O Mundo Elegante» de 1859. Brochado. Exemplar com 376+(4) páginas. 13 cm x 21 cm. Bom estado. Lisboa: Quetzal, 1990.
Preço: 17 euros.

O EIXO DA BÚSSOLA
Crónicas. Brochado. 198+(5) páginas. 13,5 cm x 20,4 cm. Colecção Biblioteca «Em Nome da Terra» – Série Inéditos da Sábado. Vila Nova de Famalicão: Quasi, 2007.
Preço: 7 euros.

BOA NOITE, SENHOR SOARES
Novela. 1.ª edição. Capa de Atelier Henrique Cayatte com Rita Múrias sobre ilustração de Armando Alves. Brochado. 93+(3) páginas. 15,5 cm x 23,5 cm. Capa com marca de autocolante, visível na fotografia. Pequeno carimbo de posse ao canto do rosto. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 2008.
Preço: 10 euros.

MEMÓRIAS SECRETAS
Romance. 1.ª edição. Brochado. 301+(2) páginas. 15,7 cm x 23,54 cm. Muito bom estado. Alfragide: Publicações Dom Quixote, [Abril de] 2018.
Preço: 10 euros.


RUMO AO FAROL
VIRGINIA WOOLF
Tradução de MÁRIO CLÁUDIO
2.ª edição. Prefácio de Michael Gordon Lloyd («As Origens de um Romance»). Título original: To the Lighthouse. Capa de Manuela Bacelar. Fotografia de Virginia Woolf em 1929, extra-texto. Brochado. 226+(26) páginas. 14,8 cm x 21 cm. Lombada com alguma descoloração, assinatura de posse no ante-rosto. Colecção Fixões n.º 11. Porto: Edições Afrontamento, 1987.
Preço: 12 euros.



MariaJuditeCarvalhoAutografo


Os contos de Maria Judite de Carvalho, pela exímia perfeição técnica, pela aparente facilidade, pelo fluxo límpido e limpo, pela estrutura cerrada, pela lucidez e ironia para com os factos tristes ou horríveis narrados, pelo tom natural e matter of fact das conclusões, pela originalidade do seu significado, pela variedade de temas e situações, pela economia e rigor da expressão — correspondem a um conceito evoluído e bem contemporâneo deste género literário. (José Palla e Carmo)


OS ARMÁRIOS VAZIOS
(1966)

Capa de João da Câmara Leme. Com 172 páginas (maioria dos cadernos estão por abrir) e 13 cm x 19 cm. Capa cansada. Colecção Contemporânea n.º 83. Lisboa: Portugália Editora, 1966.
Preço: 10 euros.


OS ARMÁRIOS VAZIOS
(1993)

Editor: Francisco Lyon de Castro. Com 114+(6) página. 13,7 cm x 21 cm. Assinatura de posse no ante-rosto. Colecção Século XX n.º 350. Lisboa: Publicações Europa-América, 1993.
Preço: 10 euros.


OS ARMÁRIOS VAZIOS
(2011)

Revisão de Rui Trindade e Inês Fraga. Brochado. 145+(7) páginas  e 13,7 cm x 19,5 cm. Muito bom exemplar. Lisboa: Ulisseia, 2011.
Preço: 10 euros.


ALÉM DO QUADRO

Primeira edição assinada com dedicatória da autora no ante-rosto ao crítico literário Álvaro Salema. Capa de António Martins. Fotografia da contracapa da autoria de Eduardo Gageiro. 139+(6) páginas. 14 x 21 cm. Usado. Lisboa: O Jornal, 1983.
Preço: 20 euros.


AS PALAVRAS POUPADAS

4.ª edição. Colecção Século XX n.º 292. Com 134 páginas, e 14 x 21 cm. Carimbo de posse inócuo na primeira página. Bom estado. Lisboa: Publicações Europa-América, 1988.
Preço: 10 euros.


PAISAGEM SEM BARCOS

Contos. Capa com pintura de Francisco Simões. Colecção Século XX n.º 319. 151 páginas. 14 x 21 cm. Bom estado. Lisboa: Publicações Europa-América, 1990.
Preço: 10 euros.


ESTE TEMPO

Antologia de algumas das crónicas de Maria Judite de Carvalho em vários jornais e revistas (Diário de Lisboa, Eva, O Escritório, etc.) a partir de 1968. Organização e prefácio de Ruth Navas e José Manuel Esteves, que dividiram a antologia em sete núcleos, sob critérios nem sempre explícitos. Capa sobre fotografia de Luís Silva. 303+(1) páginas. 13,5 x 21 cm. Bom estado. Colecção O Campo da Palavra. Lisboa: Editorial Caminho, 1991.
Preço: 18 euros.


HAVEMOS DE RIR?

Teatro. Obra póstuma. Prefácio de Luiz Francisco Rebello. Capa sobre pintura de Francisco Simões. 103 páginas. 14 x 21 cm. Ligeiramente manuseado. Colecção Contemporânea n.º 7. Lisboa: Publicações Europa-América, 1998.
Preço: 12 euros.



João de Melo

[07Fev20]

JoãodeMelo02


O MEU MUNDO NÃO É DESTE REINO


JOÃO DE MELO


Primeira edição. Brochado. 258 páginas. 13,3 cm x 21 cm. Manuseado. Colecção A Phala n.º 1. Lisboa: Assírio & Alvim, 1983.

Preço: 12 euros.


JoãodeMelo01


GENTE FELIZ COM LÁGRIMAS


JOÃO DE MELO


Primeira edição. Capa de Fernando Felgueiras. Brochado. 486+(2) páginas. 13,5 cm x 21 cm. Usado. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1988.

Preço: 12 euros.


JoãodeMelo03


BEM-AVENTURANÇAS


JOÃO DE MELO


Primeira edição. Capa de Fernando Felgueiras. Brochado. 158+(2) páginas. 13,5 cm x 21 cm. Bom exemplar. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1992.

Preço: 12 euros.



CAVALOS, HERÓIS E LUNÁTICOS
ARTUR ROCKZANE
Capa: Todas Manas sobre fotografia de Fernando Zeferino Ferreira. Brochado. 80 páginas, com o texto impresso a violeta. 12,6 cm x 21,5 cm. Extracolecção n.º 1. Tiragem de 600 exemplares. Coimbra: Fenda Edições, 1983. Bom estado geral.
Preço: 22 euros.

HORTÊNCIO MIRAFLOR – SUICÍDIO E OBRA
ARTUR ROCKZANE
Capa sobre pintura de José Ralha. Brochado. 180 páginas. 13 cm x 19 cm. Colecção O Virgem Negra. Vila Nova de Famalicão: Quasi, 2001. Bom estado de conservação.
Preço: 17 euros.



UM QUARTO CHEIO DE ESPELHOS


JOÃO MIGUEL FERNANDES JORGE


“…uma recolha de textos acerca da arte. Neste sentido continua o trabalho iniciado em Paisagens com Muitas Figuras (1984). // Uma grande parte foi publicada ao longo de 1983-1985 no jornal A Capital sob o título «Sentir o Olhar». Outros textos fizeram parte de catálogos; outros ainda permaneciam inéditos. Os que referem as obras de António Palolo e de Jorge Molder não figuram neste volume por projectar incluí-los em publicações separadas.” [nota inicial do autor]

Textos sobre: Alberto Carneiro, Alison Wilding, Álvaro Lapa, Amadeo de Souza-Cardoso, Amos Poe, Ana Marchand, Ângelo de Sousa, António Dacosta, Antony Gormley, Arpad Szenes, Eduardo Batarda, Elliot Erwitt, Fassbinder, Frans Widerberg, Gaëtan, Henrique Pousão, Ilda David, João Botelho, João Moniz, João Paulo Feliciano, Joaquim Pimentão, Joaquim Rodrigo, Jorge Martins, José Pedro Croft, Josefa d’Óbidos, Leonel Moura, Lidström, Manuel Rosa, Mário Botas, Menez, Nuno Carinhas, Ossip Zadkine, Paul Den Hollander, Paulo Nozolino, Pedro Cabrita Reis, Pedro Calapez, Peter Greenaway, René Bertholo, Robert Mapplethorpe, Rocha Pinto, Rui Sanches e Victor Fontes, e alguns outros assuntos menos individualizados [visíveis nas fotografias do índice].

1.ª edição. Capa sobre guache de Jorge Martins. 182 páginas. 13 x 21 cm. Pequenas marcas de uso, na capa [também visíveis na fotografia]. Colecção Referências. Lisboa: Quetzal, 1987.

Preço: 25 euros, com oferta de:



A FLOR DA ROSA


JOÃO MIGUEL FERNANDES JORGE


… um livro em que se reúnem múltiplas descrições. Umas vêm do acidente das coisas quando essas coisas guardam o artifício de uma pequena viagem […]. Outras, sob a forma de pequenas ficções, tecem-se ao redor de pinturas […]. Outras, ainda, estabelecem o artifício da arte ao redor da fotografia […], da imagem fílmica. […] Outros espaços deste livro entram pelo falseado tempo de acidente de uma história. […] Tempo desaparecido são estas descrições. [excertos da nota inicial do autor]

1.ª edição. 184 páginas. 14 x 21 cm. Óptimo exemplar. Lisboa: Relógio d’Água, 2000.



CARTAS DE AMOR PARA NAMORADOS


MARIA CELESTE


Os mais modernos modelos de declarações de amor, de respostas aceitando ou negando o amor oferecido, cartas de entrevistas e respectivas respostas, etc., contento também
Como escolher mulher
Como escolher marido

Com 94+(4) páginas, e 12 x 18,5 cm. Bom exemplar. Lisboa: Empresa Literária Universal, 1983.

Preço: 12 euros.



INTRODUÇÃO À HISTÓRIA DO
TEATRO PORTUGUÊS


DUARTE IVO CRUZ


Plano da obra: Os esboços pré-vicentinos / Gil Vicente, o que faz os autos a El-Rei / O teatro pré-vicentino / Renascimento e teatro / Pausa neo-latina / A luta pela sobrevivência teatral / Dualidade do séc. XVIII / Séc. XIX / Séc. XX.

Com 229 páginas e 15 x 21 cm. Com ténues marcas de uso. Carimbo antigo de oferta institucional na página de guarda. Lisboa: Guimarães Editores, 1983.

Preço: 15 euros.


Ilse Losa

[28Maio16]


HISTÓRIAS INESQUECÍVEIS PARA CRIANÇAS


Selecção de

ILSE LOSA


Capa de A. Pedro e ilustrações de Manuela Bacelar. Contos dos Irmãos Grimm (tradução de Maria Cristina de Araújo), Wilhelm Hauff (tradução de Teresa Balté), George Sand (tradução de Virgínia de Castro e Almeida, revista por Ângela Lieblich), John Ruskin (tradução de Luísa Derouet), Mark Twain e Oscar Wilde (traduções de Margarida Losa), Leão Tolstoi, Hans Christian Andersen, Pawel Bashow e Selma Lagerlöf (traduções de Ilse Losa). 227 páginas. 14,5 x 21 cm. Capa com ténues manchas amarelas, miolo impecável. Lisboa: Livros do Brasil, [s.d.].

Preço: 12 euros.



O MUNDO EM QUE VIVI


ILSE LOSA


Numa escrita inexcedivelmente sóbria e transparente, e através de breves episódios, este romance conduz-nos em crescendo de emoção desde a primeira infância rural de uma judia na Alemanha, pelos finais da Primeira Guerra Mundial, até ao avolumar de crises (inflação, desemprego, assassínio de Rathenau, aumento de influência e vitória dos Nazistas) que por fim a obrigam ao exílio mesmo na eminência de um destino trágico num campo de concentração. Há uma felicíssima imagem simbólica de tudo, que é a do lento avançar de uma trovoada que acaba por estar «mesmo em cima de nós». Assistimos aos rituais judaicos públicos e domésticos, a uma clara atracção alternativa entre a imigração para os Estados Unidos da América e o sionismo. Fica-se simultaneamente surpreendido pela correspondência e pelas diferenças entre o adolescer e o viver adulto em meios culturais muito diversos, pois há relances de vida religiosa luterana, católica e de agnosticismo à margem da experiência judaica ortodoxa. Perpassam figuras familiares de recorte nítido: os avós da aldeia, o pai, negociante de cavalos, desfeiteado por anti-semitas e falecido de cancro, os tios progressistas Franz e Maria, o avô Markus, a amorável avozinha Ester (kleine Oma), Paul (o jovem quase namorado que se deixa intimidar pelo ambiente), Kurt (o jovem enamorado assolapado, culto e firme nas suas convicções). A acção é desfiada numa sucessão de fases biográficas progressivamente dramáticas — e nós acabamos por participar afectivamente de um destino ao mesmo tempo muito singular e muito típico, que bem nos poderia ter cabido. Um romance de características únicas na literatura portuguesa — e emocionalmente certeiro. [Texto da contracapa, datado de Novembro de 1989, da autoria de Óscar Lopes, a quem o livro é dedicado].

15ª edição do primeiro livro da autora. Capa de Ângela Melo. 196 páginas. 14,5 x 21 cm. Porto: Edições Afrontamento, 1992.

Preço: 10 euros.


Visitar o alfarrabista é acto de regras muito próprias. Jogo – faz-se entre adversários que se espiam e constroem lanços a partir de uma observação atenta de faces, sorrisos, olhares, de um gesto mais ou menos nervoso das mãos – moldado entre cautelas que a prática e só ela enuncia para adaptar ao risco de cada situação. E o alfarrabista, manejador das pretas, vemo-lo com características que se intercalam entre dois pólos – um deles aceitando toda a tralha como ouro, e marcando-a a preço de ouro, e outro senhor de duas ou três antigas ideias-feitas que deixam o caudal escorrer, indefeso, por inocências de uma vasta incultura literária e bibliográfica.

O visitante do alfarrabista especializa-se. Roda-se por farrapos de papel e bafios, acha-se capaz de saber estender a mão no momento certo ao livro certo e, com um olhar treinado em lincismos (palavra do próprio Celine, adiante), descobrir o tesouro oculto por um montão de destroços. O visitante roda-se e pode actuar sem correr do risco ao acidente. Começa a ter justa percepção de que este Yves Navarre, vendido ao desbarato, continuará a sê-lo mesmo que a sua dedicatória autógrafa (intimíssima – como é que é possível?…) lhe inspire um gesto menos controlado no momento da captura; mas aquele Tagore autografado (as voltas que o mundo dá!) por um conhecido realizador italiano de férias em Biarritz, pode implicar um grau de risco-em-escudos que aconselha calma e uma afectação bem mimada de grande desprendimento.

Há, no entanto, a situação superlativa do cheque-mate ao alfarrabista, rara nesta ronda de fanáticos mas a exigir, se aparece, o domínio mais sábio de todos os músculos faciais. Imagine-se, por exemplo, aquele lote de «franceses» vendidos ao quilo por uma viúva apressada, com preços que rodopiam em redor de um fulcro baixo de 50 escudos, e que lá no meio esconde, humilhado entre doudês, zolás e rolas, um mítico, um «impossível» Bagatelles pour un Massacre de Louis-Ferdinand Céline.

O visitante rodado começa por um instante de dúvida; passa a outro, imaginativo – quem sabe lá se a capa está «errada» e, pela espessura, embrulha mas é O Circo de Leão Penedo, ou a Ana Paula de um tal Paço d’Arcos – e só depois cai todo em si e vê que sim, que aquelas 400 páginas são, pura e simplesmente, «as tais», as que são capazes, num qualquer leilão de livros, em Paris, de pôr à mostra não sei quantas notas das maiores notas que lá se ganham e gastam. Para um cheque-mate eficaz há que pedir grande domínio a todo o corpo, exigir da voz a entoação plausível dos momentos neutros e empregá-la numa frase inventada ali, entre parâmetros da maior banalidade:

– Olhe, com o Namora vou levar mais este…

Depois, no eléctrico – como nunca chamado Prazeres – começa a ouvir-se o que gritam, irritadas, as Bagatelles. E embora no Poço dos Negros ainda não se tenha encontrado nada capaz de justificar uma maldição inapagável de 50 anos, passando em S. Bento já os insultos sobem de tom, e em Campo de Ourique segue de rastos todo um cortejo de judeus…

 

[Primeira parte da introdução de Aníbal Fernandes ao livro de Céline que traduziu para a Hiena, Vão Navios Cheios de Fantasmas…, Lisboa, 1986]


Ver catálogo da Hiena.