MALAQUIAS

ou
a história de um homem
bàrbaramente agredido


MANUEL DE LIMA


Romance. Primeira edição. Brochado. 268 páginas. 17,4 x 11,4 cm. Colecção O Lugar e a Fórmula. Lisboa: Contraponto, [1953].

Estado de conservação: discreta assinatura de posse na página de rosto, e lombada com moderada perda de cor uniforme, do vermelho para laranja, devido a exposição solar.

Inclui postal editorial publicitando obra saída no mesmo ano [A Face Sangrenta, de Vergílio Ferreira], e um marcador de livro, igualmente da Contraponto, de formato fálico.

Conjunto invulgar.

Preço: 40 euros.



COLECÇÃO TEATRO NO BOLSO


volumes soltos


N.º 1
João Gabriel Borkman
. HENRIK IBSEN. Drama. Versão portuguesa de Costa Ferreira e Luís Francisco Rebelo. Com um retrato de Ibsen em couché azul, e a ficha de cena da primeira representação portuguesa, protagonizada por João Villaret e Fernanda Borsatti. 80 páginas. 16,8 x 11,5 cm. Manuseado. Lisboa: Contraponto, [1956?].
Preço: 12 euros.

N.º 1
João Gabriel Borkman. HENRIK IBSEN. Drama. Versão portuguesa de Costa Ferreira e Luís Francisco Rebelo. Com um retrato de Ibsen em couché azul, e a ficha de cena da primeira representação portuguesa, protagonizada por João Villaret e Fernanda Borsatti. Inclui um caderno extra, com um prefácio de Ángel Ganivet. xvi+80 páginas. 16,8 x 11,5 cm. Capa manchada. Lisboa: Contraponto, [1956?].
Preço: 12 euros.

N.º 2
As Velhacarias de Scapin. MOLIÉRE. Comédia. Tradução de Leopoldo de Araújo. Inclui ficha da representação no TNDMII, com Carlos Wallenstein e Carmen Dolores. 88 páginas. 16,5 x 11 cm. Capa com alguns picos de humidade, bom estado geral. Lisboa: Contraponto, [1956].
Preço: 12 euros.

N.º 7
Seis Personagens à Procura de Autor. LUIGI PIRANDELLO. Prefácio do autor. Tradução e nota sobre a encenação de Gino Saviotti. Nota sobre o autor de Rogério Paulo. 72 páginas. 16,8 x 11,5 cm. Capa com manchas. Lisboa: Contraponto, 1959.
Preço: 12 euros.

N.º 8
A Cantora Careca. IONESCO. Anti-peça. Com prefácio de Luís de Lima, nota de Luís Francisco Rebelo, dois desenhos de Saul Steinberg e epitáfio de João Gaspar Simões. 46 páginas. 16,5 x 11,5 cm. Bom estado. Lisboa: Contraponto, [s.d.].
Preço: 12 euros.

N.º 9
O Gebo e a Sombra. RAÚL BRANDÃO. Drama. Com um prefácio de Câmara Reys e um retrato de Raúl Brandão em extra-texto (reprodução de xilogravura de José Tagarro). 80 páginas. 17 x 11,5 cm. Bom estado. Lisboa: Contraponto, [s.d.].
Preço: 15 euros.

N.º 11
Auto da Compadecida. ARIANO SUASSUNA. Prefácios de Adelino Tavares da Silva e Henrique Óscar. 80 páginas. 17 x 11,9 cm. Capa algo escurecida. Lisboa: Contraponto, [s.d.].
Preço: 10 euros.

N.º 12
A Visita da Velha Senhora. FRIEDRICH DÜRRENMATT. Tragicomédia. Tradução de Olavo d’Eça Leal, corrigida por Rosário Corte-Real. Contracapa com um excerto de Jean Selz. Capa de Mário Alberto, sobre desenho de Picasso. Inclui ficha da representação no TNDMII, pela Companhia Rey Colaço, e uma fotografia do autor. (2)+100 páginas. 12 x 16,5 cm. Lombada descolorada, de laranja para amarelo. Bom estado. Lisboa: Contraponto, [s.d.].
Preço: 13 euros.



CHARLIE CHAPLIN


VASCO VIDAL


Colecção de Divulgação Cinematográfica. Capa de Sérgio Guimarães. Com 16 páginas de fotografias a preto e branco, extra-texto. 96+(16) páginas. 19,7 x 14,7 cm. Bom estado. Lisboa: Contraponto, 1954.

Preço: 18 euros.



O RAMAL DE SINTRA


JAIME SALAZAR SAMPAIO


Mini-contos. Edição do autor sob a direcção gráfica de Contraponto. 58 páginas. 15,7 x 13,4 cm. Capa um pouco escurecida nas orlas. Bom exemplar. Lisboa: Contraponto, [10 de Maio de] 1960.

Preço: 38 euros.



O SILÊNCIO DE UM HOMEM


JAIME SALAZAR SAMPAIO


Poesia. Edição do autor sob a direcção gráfica de Contraponto. 40 páginas. 15,7 x 13,4 cm. Bom exemplar. Lisboa: Contraponto, [20 de Maio de] 1960.

Preço: 25 euros.



VILLA CELESTE


HÉLIA CORREIA


Novela ingénua. Ilustrações de Luís Manuel Gaspar. 94 páginas. Usado em bom estado. Lombada ténuemente descolorada. 16,8 x 12 cm. Palmela: Contraponto, 1999.

Preço: 18 euros.



A MINHA MULHER


ANTON TCHEKOV


Versão portuguesa de Luiz Pacheco. Ilustrações de Luís Filipe [de Abreu]. 120 páginas. 16,4 x 12 cm. Bom estado. Palmela: Contraponto, 1996.

Preço: 16 euros.



RELÓGIO DE CUCO


VIRGÍLIO MARTINHO


Contos. Assinado e datado por Luiz Pacheco no ante-rosto. Correcção do preço pelo editor na contracapa (de 500$ para 5 euros). 126 páginas. 17 x 11,7 cm. Bom estado. Palmela: Contraponto, 1997.

Preço: 28 euros.



CARBONÁRIOS

OPERAÇÃO SALAMANDRA
Chioglossa lusitanica Bocage, 1864


MARIA ESTELA GUEDES
NUNO MARQUES PEIRIÇO


«(…) um estudo de Ciência Extraordinária [que] tem por centro o explorador Francisco Newton e a sua acção terrorista nas ilhas do Golfo da Guiné.»

Introdução de Galopim de Carvalho. 132 páginas. 13,4 x 19,2 cm. Capa manuseada. Estado razoável. Palmela: Contraponto, 1998.

Preço: 10 euros.



MARCELO REBELO DE SOUSA
A REVOLUÇÃO E O NASCIMENTO DO PPD
(Abril de 1974 a Maio de 1975)
2 volumes (obra completa). 1.º volume em 2.ª edição. 2.º Volume em 1.ª edição. Revisão e índices de Vasco Rosa. 1133+xxvii+lx páginas. 15,5 x 24 x 7 cm. Excelente estado de conservação. Lisboa: Bertrand Editora, 2000.
Preço (do conjunto): 20 euros.

CAMARATE
Relatórios Finais das Comissões Parlamentares de Inquérito.
Uma iniciativa do deputado Nuno Melo, presidente da VIII Comissão Parlamentar de Inquérito à Tragédia de Camarate. Coordenação editorial de Helena Alves e Noémia Bernardo. Tiragem de 1000 exemplares, não esgotados. 678 páginas. 15 x 21 cm. Bom estado de conservação. Lisboa: Assembleia da República, 2005.
Preço: 10 euros.

INÊS SERRA LOPES
CAMAROTE. A VERDADE NÃO PRESCREVE
Prefácio de Marcelo Rebelo de Sousa. A jornalista, à época grande repórter d’O Independente, revisita teorias, depoimentos e entrevistas, e acrescenta novos dados ao processo, defendendo, sem quaisquer dúvidas, a teoria do atentado. 250 páginas. 15,5 x 23,5 cm. Bom estado. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1996.
Preço: 15 euros.

AUGUSTO CID
CAMARATE
Augusto Cid, membro do PSD desde 1974 e autor das setas do símbolo do partido, dedicou uma parte da sua vida à investigação do Caso Camarate, e este volume de peso ficou como testemunho desse período e ponto de paragem obrigatório de qualquer pesquisa sobre o Caso. 1.ª edição. Ilustrado. 902 páginas. 14,5 x 21 cm. Com marcas de uso, entre as quais dedicatória não-autoral na página de rosto. Lisboa: Distri Editora, 1984.
Preço: 15 euros.

FRANCISCO SÁ CARNEIRO
TEXTOS (1969-1974)
2 volumes (de um total de 3). Volume 1 de 1969 a 1973, e Volume 2 de 1973 a 1974. Bom estado, embora a lombada do primeiro volume possua alguns vincos. 382+470 páginas. 14 x 21 x 6 cm. Lisboa: Editorial Progresso Social e Democracia, 1982.
Preço (do conjunto): 10 euros.

ANTÓNIO MARIA PEREIRA
O PENSAMENTO DE SÁ CARNEIRO EM POLÍTICA EXTERNA
O autor foi «amigo e advogado de Francisco Sá Carneiro», e deputado pelo PSD. 179 páginas. 13,5 x 21 cm. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1981.
Preço: 10 euros.

[Jornal] O DIÁRIO
WATERGATE SÁ CARNEIRO
(História de Uma Fraude)
«Quando O Diário revelou, em 14 de Abril de 1976, a existência das dívidas dos irmãos Sá Carneiro à banca nacionalizada, o chefe do PSD estava bem longe de imaginar que esse caso iria provocar, quatro anos depois, o pedido de uma reunião extraordinária da Assembleia da República, e que poria em causa o seu ambicionado cargo de Primeiro-Ministro.» Ilustrado. Inclui transcrições e fac-símiles de requerimentos e peças do processo de Sá Carneiro contra o jornal O Diário, e elementos da defesa que factualizam a informação considerada caluniosa pela acusação. 142 páginas. 15 x 21 cm. Capa de Balthazar. Lisboa: Editorial Caminho, 1980.
Preço: 15 euros.




ANTIGUIDADE TARDIA E PALEOCRISTIANISMO
EM PORTUGAL


M. JUSTINO MACIEL


Trabalho de investigação sobre História da Arte e Arqueologia na área da Antiguidade, em que se apresenta uma nova sistematização dos dados existentes da Antiguidade Tardia em Portugal e seus testemunhos artísticos. Após um levantamento dos refereciais históricos, arqueológicos e literários disponíveis, equaciona-se a interacção que neste contexto existe entre a cidade e o campo, bem como a progressiva abertura a este último e os reflexos que tal dinâmica produz nas manifestações artísticas.
Um estudo dos signos visivelmente conotados com as religiões orientais revela que eles se apresentam numa comunidade de uso de que participam quer a cultura romana quer o crisitianismo. A constatação desta realidade surge como profundamente significante de uma evolução da arte da Antiguidade Tardia numa dinâmica entre a opacidade e a transparência, que vem permitir novas abordagens da escultura, do mosaico e mesmo da arquitectura, da pintura e da decoração de cerâmica. Na sequência desta constatação, efectua-se uma nova leitura dos mais importantes monumentos dos contextos romano tardio, suevo e visigótico, progressivamente conotados com as propostas vivenciais cristãs. No centro desta realidade, quer numa perspectiva sintagmática, quer numa perspectiva paradigmática, estudam-se os monumentos de Tróia de Setúbal, onde a arte romana tardia se revela plenamente como em qualquer outro ponto do Império Romano. Esta investigação desenvolveu-se [ainda com] trabalhos de campo em vários [outros] locais, designadamente em Conímbriga, [e] na Villa Romana do Montinho das Laranjeiras (Algarve).

Com prólogos de J.M. Bairrão Oleiro e Theodor Hauschild. Ilustrado com fotografias, desenhos e plantas. 347 páginas. Formato álbum: 21 x 29,5 cm. Manuseado. Bom exemplar. Lisboa: Edições Colibri, 1996.

Preço: 25 euros.