AS MINAS DA PANASQUEIRA

VIDA E HISTÓRIA


Padre MANUEL VAZ LEAL


O Padre Manuel Vaz Leal, capelão das Minas da Panasqueira — onde pai e irmãos eram operários mineiros —, fundou o jornal O Mineiro, em 1942, no qual iniciou as investigações históricas que conduziram a esta monografia, pelo ano das «bodas de oiro» [das Minas: 1945].

Ilustrado com dezenas de fotografias, no texto, ilustrando pormenores do trabalho e dos trabalhadores, das instalações, retratos de personalidades administrativas, etc. Ver índice (aqui e aqui).

177+(7) páginas. 25,8 x 19,6 cm. Capas com manchas (na maioria, impressões digitais) e pequenos defeitos, que não prejudicam grandemente o conjunto. Miolo no geral limpo. Impresso na Tipografia Ideal. Depositária: Portugália Editora, Lisboa, 1945.

Preço: 45 euros.


 


AS PROFISSÕES NA LITERATURA PORTUGUESA


Antologia organizada por
NUNO SAMPAIO


Organização, introdução e notas de Nuno de Sampayo. Exemplar autografado pelo antologiador com dedicatória. Ilustrado com inúmeras fotografias a preto, no texto, não atribuídas. Autores representados:

Alexandre Herculano, António Corrêa de Oliveira, Júlio Dinis, António Cabral, Eça de Queirós, Miguel Torga, Francisco Bugalho, Conde de Monsaraz, Florbela Espanca, António Sardinha, Fialho de Almeida, Antunes da Siva, Guerra Junqueiro, Aquilino Ribeiro, Alves Redol, Alfredo Pimenta, Luís António dos Santos, Padre António Vieira, António Gedeão, Cesário Verde, Rocha Peixoto, Ramalho Ortigão, A. Magalhães Basto, D. Francisco Manuel de Melo, Alberto Pimentel, Raul Brandão, Gil Vicente, Carlos Queirós, Fernanda de Castro, Virgílio Godinho, Fernando Namora, Manuel Monteiro, Manuel Mendes, António de Navarro, Ferreira de Castro, Teixeira de Queirós, Armindo Rodrigues, Francisco dos Reis Sousa, Cardoso dos Santos, Antero de Figueiredo, Virgínia de Castro e Almeida, Marcelino Mesquita, Conde de Ficalho, Álvaro Feijó, Agustina Bessa Luís, António Nobre, Teixeira Gomes, Júlio Lourenço Pinto, Branquinho da Fonseca, Fernando Pessoa Luís de Camões e Almeida Garrett.

Composto e impresso nas oficinas da Neogravura sob orientação gráfica de Manuel Lapa. Com (8)+161+(7) páginas. 20,9 x 13,8 cm. Em bom estado. Edição da Junta da Acção Social, s.l., s.d. Autógrafo datado de 12 de Janeiro de 1967.

Preço: 24 euros.


 


Rússia, 1918

TESTEMUNHO DOS OPERÁRIOS DE PETROGRADO


Tradução e prefácio de Francisco Ferreira [CHICO DA CUF, 1912-1993]. Ilustrado com 2 fotografias, no texto. Com 50 páginas, e 19 x 12 cm. Marcas inócuas de manuseio e assinatura de posse no canto superior (exterior) do ante-rosto; em bom estado geral. Lisboa: Fernando Pereira editor, [1986?].

Preço: 8 euros.


 


VIDA DE UM OPERÁRIO NUM PAÍS DE LESTE

( SALÁRIO À PEÇA )

MIKLOS HARASTZI


Um [certo] aspecto surge na componente não fictícia, mas abstracta, do livro — tanto mais abstracta quanto a experiência e o vivido são concretos. Quando se descrevem processos de trabalho precisos, eles elevam-se, por si próprios, à abstracção. Citemos, à letra, esta ou aquela frase do regulamento militar alemão e encontrar-nos-emos a fazer um «pastiche» de Kafka (por exemplo, as regras respeitantes à continência: em marcha, em sentido, deitado, de bicicleta, a cavalo, de carro, etc.). Se descrevermos, minuciosamente, os rituais que se praticam num escritório de administração (os gestos com que se aparam os lápis, por exemplo, ou com que se tiram ou põem os óculos, para os limpar) ou ainda os mil movimentos de um empregado de café, numa sala à cunha, esta pintura fiel parecer-nos-á abstracta e insólita. A tal ponto que até aqueles cujo universo de trabalho se encontra aqui descrito teriam dificuldade em considerar a descrição «realista».

Prefácio de Heinrich Boll,
pp. 9-14

Título da edição original: Darrabér. Traduzido do húngaro por Judit Svaradja e Joel Aizac. Tradução do francês por Miguel de Araújo. Capa de António Pedro. Colecção Vida e Cultura [n.º 79]. 233+(7) páginas. 22 x 15 cm. Capas com leves marcas de uso e guardas com alteração de cor; mantém-se um exemplar em bom estado geral. Lisboa: Livros do Brasil, [1978?].

Preço: 12 euros.


 


HISTÓRIA SOCIAL DO TRABALHO

DAS ORIGENS ATÉ AOS NOSSOS DIAS

PIERRE JACCARD


Um tomo cuidado, impresso em papel superior e com ilustrações de inúmeros artistas estrangeiros consagrados na história da arte europeia, entre os quais figuram os nomes de Júlio Pomar (2) e Rogério Ribeiro (1); vide índices ↑.

Tradução de Rui de Moura. Ilustrado com 37 extra-textos. 350+[74]+(2) páginas. 25 x 19 cm. Encadernação editorial sintética gravada a ouro na pasta frontal e na lombada. Miolo limpo. Bom exemplar. Lisboa: Livros Horizonte, [196?].

em conjunto com:

O TRABALHO NO SÉCULO XIX. Claude Fohlen. Tradução de Maria de Lurdes Almeida Melo. 143+(9) páginas. 18,3 x 11,5 cm. Bom estado geral. Colecção Breviários de Cultura n.º 4, Lisboa: Estúdios Cor, [Maio de] 1974.

 

Preço: 40 euros.


 


O PRINCÍPIO DE PETER


LAURENCE J. PETER
RAYMOND HULL


Título original: The Peter Principle. Tradução de M. Bento e Patrícia Joyce. Capa de Mel Calman. Com ilustrações oitocentistas da revista Punch. 215+(5) páginas. 21 x 14 cm. Bom estado. Lisboa: Editorial Futura, 1971.

Preço: 12 euros.



O RECEITUÁRIO DE PETER

Como Produzir, Confiar e Ser Competente

LAURENCE J. PETER
RAYMOND HULL


Título original: The Peter Prescription. Tradução de Patrícia Joyce. Capa de Mel Calman. Com ilustrações oitocentistas da revista Punch. 265-(6) páginas. 21 x 14 cm. Bom estado de conservação. Lisboa: Editorial Futura, 1972.

Preço: 12 euros.


 


MANIFESTO CONTRA O TRABALHO


GRUPO KRISIS


Prefácio de Norbert Trenkle, do Grupo Krisis. Tradução de José Paulo Vaz. Revisão da tradução de José M. Justo. 105-(7) páginas. 21 x 13 cm. Pequenas e ocasionais manchas leves junto ao corte do miolo, e assinatura de posse no canto superior exterior da página de guarda. Em bom estado geral. 1.ª edição. Lisboa: Edições Antígona, 2003.

Preço: 15 euros.