NACIONALISMO E NACIONALISTAS NA MADEIRA NOS ANOS TRINTA (1928-1936)


EMANUEL JANES


Dissertação de Mestrado em História Contemporânea na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Com capítulos dedicados a Fernão Favila Vieira, Manuel de Gouveia e Freitas, Luís Viera de Castro e Ernesto Gonçalves, entre outros.

Ilustrado. Brochado. 260 páginas. 23 x 16 cm. Bom estado. Colecção Memórias, n.º 16. Funchal: Secretaria Regional do Turismo e Cultura / Centro de Estudos de História do Atlântico, 1997.

Preço: 15 euros.


 


BISMARCK

ARTÍFICE DE LA TERCERA REPÚBLICA FRANCESA

MARQUÉS DE QUINTANAR


Exemplar autografado pelo autor com dedicatória ao embaixador português Luís Norton, «querido amigo». Prólogo de Ramiro de Maetzu. Brochado. 221 páginas. 20,5 x 14,5 cm. Madrid: Cultura Española, 1936.

Ramiro de Maeztu, assassinado poucos meses após a publicação deste livro, e o Marqués de Quintanar [Fernando Gallego de Chaves Calleja, 1889-1974, Conde de Santibáñez del Río, «amigo fraternal» de António Sardinha e dos integralistas portugueses] foram ambos colaboradores próximos de Primo de Rivera durante a Ditadura. Após a queda da Monarquia e o advento da Segunda República fundaram a revista nacionalista Acción Española (1931-1937), propalado veículo reaccionário de ideias tradicionalistas, anti-liberais, anti-democráticas e anti-parlamentares.

Preço: 30 euros.