SOBRE A NATUREZA DAS COUSAS


LUCRÉCIO


Título completo: Os Seis Livros de Tito Lucrecio Caro, poeta romano, SOBRE A NATUREZA DAS COUSAS, vertidos em verso solto portuguez por Agostinho de Mendonça Falcão.

Versão portuguesa de Agostinho de Mendonça Falcão de Sampaio Coutinho e Póvoas (1783-1854), concluída em 1843 — pela data, talvez a primeira tradução portuguesa do poema filosófico de Lucrécio — e publicada postumamente. Inclui uma nota biográfica e bibliografia de Mendonça Falcão, por Rodrigues de Gusmão, e notas complementares de Augusto Rocha (sobre Rodrigues de Gusmão) e António de Assis Teixeira de Magalhães (sobre a publicação desta tradução n’O Instituto, vol. XXVIII da segunda série, 1880-1881, disponível online aqui).

Com xxii+265+(3) páginas, muitas por abrir, e 17 x 24,5 cm. Bom estado geral, embora com pequenas falhas de papel na lombada, uma mínima marca de pressão na capa junto ao título e primeiras três páginas visível na fotografia, e picos de oxidação no miolo. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1890.

Raro.

Preço: 45 euros.



O SALITRE E SUAS IMEDIAÇÕES


MÁRIO COSTA


Palestra proferida na sede do Grupo Desportivo do Banco de Portugal em 5 de Dezembro de 1951, e repetida no Grupo «Amigos de Lisboa», em 24 de Janeiro de 1952.

História/Memória das transformações da zona circundante à Rua do Salitre, em Lisboa. Ilustrado com a reprodução de seis gravuras, duas do Passeio Público e quatro de teatros entretanto desaparecidos. 61+(17) páginas. 17 x 23 cm. Capa com pequenos picos de oxidação, visíveis na fotografia supra. Miolo impecável. Bom estado de conservação. Lisboa: Amigos de Lisboa, 1952.

Preço:  25 euros.



O ARCO BELÉM — S. JULIÃO DA BARRA,
CONTORNO DA ENSEADA DE PAÇO DE ARCOS


LÍVIO DA COSTA GUEDES


Um estudo para «profissionais», «pescadores», «turistas» e «desportistas», que inclui um «somatório de notícias e alterações sofridas» neste trecho da margem do Tejo, e refere «a importância militar e económica da enseada através dos tempos», com descrição e história das diversas fortalezas, portos e localidades que a zona compreende. Em anexo, transcrevem-se documentos fundamentais, complementados com as biografias dos arquitectos, engenheiros e militares envolvidos nas construções referidas [vide índice nas fotografias supra]. Contém a reprodução a cores de cinco gravuras, duas delas desdobráveis, em extra-texto, e papel couché.

Prefácio de Vasco da Costa Salema. Separata do 54.º volume do Boletim do Arquivo Histórico e Militar. 200+(14) páginas. 16,5 x 23 cm. Assinatura de posse no canto superior interior da página de guarda. Ténues marcas de bicho do papel na capa, e ligeiro vinco sob o nome do autor. Lombada amarelecida. Miolo impecável. Bom exemplar. Lisboa: Câmara Municipal de Oeiras, 1986.

Preço: 20 euros.



A MANUTENÇÃO MILITAR

1920-1921

RELATÓRIO DA GERÊNCIA

FRANCISCO DE PINA LOPES


O Major Francisco de Pina Lopes, com uma carreira militar preenchida de honras e louvores, destacou-se na organização administrativa [«modelar», segundo Gomes da Costa, e «com a mais severa economia e perfeição»], tanto na Guarda Fiscal como na 1.ª Divisão do C.E.P., mas também, depois da Guerra, na Manutenção Militar. Foi eleito senador em 1915, e deputado em 1919, tendo exercido funções de secretário e relator de diversas comissões relativas a assuntos militares, fiscais e orçamentais. Finalmente, nos governos de António Maria Baptista e José Ramos Preto, foi Ministro das Finanças. Após passar à situação de licença ilimitada, em 1923, foi administrador da C.P. e de várias outras indústrias e bancos, nacionais e ultramarinos [conferir GEPB, 21, 690-691].

Este relatório da gerência da Manutenção Militar, correspondente ao biénio 1920-1921, é um excelente exemplo das ditas capacidades organizativas e administrativas de Pina Lopes, que procura ser «intérprete fiel e austero» do que observou, executou e fez executar, num momento orçamental difícil. Extenso e detalhado, com fotografias, desenhos e tabelas e mapas desdobráveis, pormenoriza secções, divisões, serviços, sucursais e depósitos, funções e vencimentos do pessoal, a instrução, o fardamento, a disciplina, os transportes ou a produção cerealífera — destaque para o capítulo VIII, sobre a Greve dos Padeiros (p. 31-33).

Com 16,5 x 22 cm, e 78+[67]+XXI+(3) páginas, contém 58 fotografias [desde a barbearia à biblioteca, passando pela marcha das operárias e o touro holandês da sucursal dos Olivais], 2 páginas com desenhos [a produção de pão e a produção de enchidos], 2 mapas desdobráveis e 2 tabelas desdobráveis. Em muito bom estado de conservação.

Invulgar.

Preço: 40 euros.



POR LA CONCORDIA


FRANCISCO CAMBÓ


De Francesc Cambó y Battle (1876-1947), advogado e político, fundador da Liga Regionalista, Ministro do Fomento (1918) e da Fazenda (1921-1922), o «grande profeta fracassado do nacionalismo catalão». Edição de uma conferência do autor na Associación Catalanista de la Barceloneta, em Janeiro de 1923, anterior ao golpe de Estado de Primo de Rivera, em Setembro desse mesmo ano.

Segunda edição (prefácio datado de 1927). Com 211 páginas, e 12,3 x 15,7 cm. Lombada fendida, e com marcas de restauro. Miolo com picos de oxidação. Exemplar sólido. Madrid: Compañía Ibero-Americana de Publicaciones, [s.d.].

Preço: 18 euros.



FYSIOGNOMIA
E VARIOS SEGREDOS DA NATUREZA


JERONYMO CORTEZ


Título completo [e restante informação contida no rosto da obra]: FYSIOGNOMIA, E VARIOS SEGREDOS DA NATUREZA. Contém Cinco Tratados de differentes materias, revisto, e melhorados nesta ultima impressão. Accrescentado nesta ultima idição com huns segredos emportantes para tirar nodoas. Composto por Jeronymo Cortez, Natural da Cidade de Valença. Agora novamente traduzido em Portuguez por Antonio da Silva de Brito. Lisboa, Na Officina de Francisco Borges de Sousa, Anno MDCCXCII. Com licença da Real Meza da Commissão Geral Sobre o Exame, e Censura dos Livros.

Um catálogo, ou receituário, contendo diversas fórmulas práticas e mezinhas, mais ou menos credíveis, com tanto de impraticável — por dificuldades de obtenção de certos ingredientes (dentes de lobo?) — como de realização fácil, na oficina, no campo ou no lar. Há astrologia, agricultura, folclore, curandeirismo, zoologia, geografia, e métodos para a produção de bebidas alcoólicas. O título, por exemplo, destaca «segredos emportantes para tirar nódoas». O autor: Jerónimo Cortez, ou Gerónimo Cortés (1555-1615), natural de Valência e autor do famosíssimo Lunário Perpétuo, até aos nossos dias republicado… e usado.

Os cinco tratados referidos no título são: 1) «Da Fysiognomia Natural do homem, conforme o methodo da Filosofia, e Medicina»; 2) «Das excellencias do Alecrim, e sua qualidade»; 3) «Das muitas, e mui grandes propriedades da Agua ardente»; 4) «Dos Segredos da Natureza, e maravilhosos effeitos delles»; e 5) «Da Regiao Elementar, e Celeste, no qual se descrevem as naturezas dos quatro Elementos, e Corpos Celestes, e de muitos, e varios effeitos, que causão».

Uma das inúmeras edições portuguesas da obra, mais ou menos expurgada, ao longo dos últimos 300 anos — só na Biblioteca Nacional existem edições de 1699, 1706, 1815, 1844, 1860, 1866, 1879, 1900, 1978, 1993 e 1995, bem como uma castelhana de 1598.

Com 238 páginas, e 9,8 x 14,9 cm. Encadernação da época, inteira de pele, com diversos defeitos (faltas e furos, principalmente na lombada) mas bem sólida. Um ou outro defeito menor no interior (pequena falta de papel no canto inferior exterior da página 181/182, que não chega a tocar o texto; garatujas a lápis nos intervalos do texto das páginas 222 a 224).
No geral, um bom exemplar.

Invulgar.

Preço: 85 euros.


A Mulher Algarvia

[05Fev18]


A MULHER ALGARVIA


AMÍLCAR LOURO


No Algarve — idílico jardim odorante embalado languidamente pela brisa suave de um mar de cobalto — sonha e desponta uma rainha em dia de núpcias: — a algarvia. / Mercê de circunstâncias várias, como sejam a ancestralidade tão rica em motivos lendários, recordados em afável e patriarcal convívio, e a influência do clima adormecedor, propício à indolência, a nossa mulher mais meridional tem ainda uma certa predisposição ingénita para se entreter com os castelos de fadas e toda a sorte de quimeras expressas nos contos, quasi sempre de feição luso-árabe, transmitidos desde os tempos remotos por tantas gerações. / O sangue mouro que lhe corre nas veias impele-a a um viver ofegante, ansioso, ardente. Suspira por anelantes e insaciáveis carinhos de noivado perene. Procura encaminhar a existência para um sonho de mil e uma noites — e assim facilmente se entranha no prazer. É a mulher mais sensual do nosso país. [excerto das págs. 16-17]

Prosa melosa. Prefácio de Luís Forjaz Trigueiros. 93+(7) páginas. 13 x 19 cm. Bom exemplar, com curiosa dedicatória não-autoral e ténues manchas nas capas. Vide índice nas fotografias supra. [s.l.]: Editorial do Povo, 1946.

Preço: 25 euros.



MONOGRAPHIA

AS FORÇAS MILITARES DE LAGOS
NAS GUERRAS DA RESTAURAÇÃO E PENINSULAR
E NAS PUGNAS PELA LIBERDADE

MANOEL JOÃO PAULO ROCHA


Ilustrado. 488 páginas. 16,5 x 25,5 cm. Exemplar num estado de conservação muito aceitável: miolo em bom estado, capa e lombada com pequenas falhas de papel. Vide índice nas fotografias. Porto: Typographia Universal, 1910.

Invulgar.

Preço: 60 euros.



O LIVRO DE ALPORTEL


ESTANCO LOURO


Título completo: O LIVRO DE ALPORTEL / Monografia de uma Freguesia Rural — Concelho / Livro I — A Geografia / Livro 2 — A História / Livro 3 — A Vida Económica / Livro IV — A Vida Mental / Livro V — A Vida Social / — Esboço Monográfico de uma Família / — Conclusões

2.ª edição, esgotada [houve 3.ª, em 1996, com diferente capa]. Prefácio de João Pires da Cruz. Com xv+(7)+470+(29) páginas, e 16,5 x 24 x 4 cm. Ilustrado (tabelas e alguns mapas desdobráveis). Vide índice nas fotografias supra. Bom estado. São Brás de Alportel: Câmara Municipal, 1986.

Reedição e reunião da obra original de Estanco Louro, um estudo de pormenor da história, etnografia e geografia do concelho, que «inclui um estudo de caso sobre uma família rural e também uma recolha de contos tradicionais, cantos de Natal, e outros géneros literários no âmbito da literatura oral e da tradição oral», bem como «um estudo dialectológico do “falar” Alportelense, acompanhado de gramática e vocabulário» [citações do catálogo da Biblioteca com o nome do autor, sublinhados nossos].

Preço: 45 euros.



ARMAS DA GUERRILHA


JEAN-LOUIS BRAU


Pela primeira vez na Europa, a nomenclatura precisa e pormenorizada das técnicas utilizadas, quer em África, quer no Vietname, quer, ainda, na América Latina.

Dividido em três partes: Os Fundamentos da Guerrilha; O Guerrilheiro e as suas Armas; A Formação do Guerrilheiro.

Edição ilustrada com fotografias, desenhos, esquemas e tabelas. Tradução de Zarco Moniz Ferreira. 190 páginas. 14 x 20 cm. Bom exemplar. Lisboa: Ulisseia, [1974].

Óptimo estado de conservação.

Preço: 40 euros.



O PORTUGUÊS

CRISTOVÃO COLOMBO

AGENTE SECRETO DO REI DOM JOÃO II


MASCARENHAS BARRETO


Exemplar que pertenceu a Fernando Falcão Machado (1904-1993), que o anotou criticamente de diversas formas (a lápis —> com marcas, sublinhados e pequenas notas; e a tinta —> em pequenos papéis apensos às páginas a que se referem). Parece haver um tentame de índice onomástico no final, visível numa das fotografias supra. Exemplar com interesse acrescido.

Com várias ilustrações ao longo do texto, algumas a cor. 613+(11) páginas. 17 x 24 cm. Bom exemplar. Lisboa: Edições Referendo, 1988.

Preço: 40 euros.



D. PEDRO I
E A SUA ÉPOCA


JOSÉ ESTEVÃO DE MORAES SARMENTO


Um longo ensaio que questiona, com diversos fundamentos, a veracidade histórica da crónica que Fernão Lopes dedicou à vida do rei D. Pedro I. Vide índice nas fotografias supra. Exemplar da tiragem normal. Com a capa anterior (espelhada), mas não a posterior. Miolo com pequenas marcas de uso. Com (12)+xliv+562+(2) páginas, e 16,5 x 23,5 cm. Porto: Imprensa Portuguesa, 1924.

Encadernado com:

Pareceres da Academia das Sciencias de Lisboa àcerca do Livro D. Pedro I e a Sua Época do General Moraes Sarmento. 2.ª edição [ambas fora de mercado], com adenda pelo Dr. Armelim Junior, sócio da mesma academia. Inclui a petição do parecer, pelo general Moraes Sarmento, e os pareceres da secção de jurisprudência (Artur Montenegro; D. António, cardeal patriarca; Júlio de Vilhena; e Visconde de Carnaxide) e da secção de História (Vicente Almeida d’Eça; Pedro Augusto de S. Bartolomeu Azevedo; António Baião; e António Ferrão) da Academia, aprovados pelo secretário-geral, Cristovam Ayres. Invulgar. 37+(3) páginas. 14 x 21 cm. [s.l]: Sintra Gráfica, 1929.

Encadernação sintética moderna, meia-francesa, em excelente estado de conservação.

Preço: 45 euros.



ELEMENTOS PARA A HISTÓRIA
DO MUNICÍPIO DE LISBOA


EDUARDO FREIRE DE OLIVEIRA


Título e autor, tal qual figuram no rosto: Elementos para a História do Município de Lisboa, por Eduardo Freire de Oliveira, arquivista da Camara Municipal da mesma cidade. 1.ª PARTE. Publicação mandada fazer a expensas da Camara Municipal de Lisboa, para commemorar o centenario do Marquez de Pombal em 8 de Maio de 1882.

Mais de 10 mil páginas de documentos oficiais de algum modo relevantes, organizados cronologicamente e alusivos a séculos de assuntos invariavelmente díspares — as iguarias de um banquete celebratório, a colocação na prisão do Limoeiro do líder de uma «companhia de comediantes de Castella», a lista das pessoas de cada freguesia que se recusam a participar numa campanha de limpeza pública, a morte do rei —, num panorama que permite acompanhar os reflexos da política e da história do país nas várias decisões e questões do município d’esta cidade onde desde muito cedo esteve instalado um Governo demasiado centralista.

Temos assim «a carta regia que trouxe a communicação official da morte de Filippe II» (tomo II, quase todo dedicado ao “tempo dos Filipes”, pág. 590), «a ruína de Lisboa», no sábado 1 de Novembro de 1755 (tomo XVI, a partir da página 133, com lista e descrição sumária de abalos sísmicos anteriores, nomeadamente os de 1309, 1321, 1344, 1356, 1512, 1531, 1551, 1575, 1597, 1598, 1699 e 1724), a inauguração da estátua equestre de D. José (em parte citada aqui) ou a «consulta da Cammara a el-rei em 2 de julho de 1650», onde se propõem os nomes de «doze fidalgos, doze cidadãos e doze homens do povo» para «terem as chaves das quatro portas da cidade» (tomo V, p. 208, antecedendo em algumas páginas a lista exaustiva dos preços de venda de todo o tipo de animais para alimentação, indexados inteiros, em partes, e por género).

O primeiro documento transcrito no tomo I, que não o foral de 1179, data de 7 de Novembro de 1190, e o último documento transcrito no tomo XVII data de 23 de Agosto de 1777. Entre ambos, os diversos prefácios e as anotações constantes de Freire de Oliveira (1841-1916) desvelam e aprofundam as origens e importância dos textos que transcreve. Contém ainda algumas ilustrações, muito poucas, destacando-se a litografia da Divisa da Cidade, que abre o tomo X, ou a «planta litographada da sala das sessões do senado da camara de Lisboa, que acompanha a carta regia de 13 de Novembro de 1773» (tomo I, pág. 68).

[Para uma descrição mais detalhada da cronologia de cada tomo, consulte-se o artigo de António Miranda na Rossio n.º 1, de 2013. Como o plano cronológico da 1.ª parte da obra deveria ter prosseguido até ao ano do início da publicação (1882), suspeita-se que, além da nunca publicada 2.ª parte, também desta 1.ª parte terá ficado por publicar pelo menos um tomo, para o período 1777-1882.]

Obra completa (tudo quanto se publicou), em XVII tomos de 16,5 x 24,5 cm (66cm de estante), Lisboa: Typographia Universal, 1882-1911.

Tomo I, 1885, (12)+661+(5) págs. Tomo II, 1887, xiv+593+(2) págs. Tomo III, 1888, vi+584+(3) págs. Tomo IV, 1889, xii+628+(3) págs. Tomo V, 1891, vi+620+(3) págs. Tomo VI, 1893, ix+627+(2) págs. Tomo VII, 1894, cxii+466+(3) págs. Tomo VIII, 1896, vi+593+(3) págs. Tomo IX, 1898, vi+617+(4) págs. Tomo X, 1899, viii+595+(2) págs. Tomo XI, 1901, vi+632+(3) págs. Tomo XII, 1903, (10)+652+(3) págs. Tomo XIII, 1904, (6)+622+(3) págs. Tomo XIV, 1906, (6)+634+(3) págs. Tomo XV, 1906, (6)+630+(3) págs. Tomo XVI, 1910, xiv+567+(4) págs. Tomo XVII, 1911, (6)+622+(3) págs.

Acrescentam-se os dois volumes de índices, publicados cerca de 40 anos mais tarde: Índice dos «Elementos para a História do Município de Lisboa», por Esteves Rodrigues da Silva, sob a direcção de Jaime Lopes Dias, 2 vols., Lisboa: Câmara Municipal, 1942-1943. Com 396+578 páginas, e 17 x 22,5 cm. Capa do volume II com um rasgão restaurado. Páginas por abrir.

Todos os 19 volumes em brochura e 17 deles com as páginas por abrir. Bom estado geral, com não mais do que pequenos defeitos dispersos (muito ocasionais picos de humidade; algumas lombadas mais amarelecidas que outras; bicho de papel que atacou superficialmente a capa do tomo VI; e situações afins, de pouca monta).

Conjunto invulgar.

Preço: 480 euros.



OBRAS COMPLETAS DE

FLORBELA ESPANCA


RUI GUEDES (org.)


Conjunto constituído pelos VI volumes das Obras Completas (Poesia, Contos, Diário e Cartas), e os dois volumes extra-numeração, sobre a poetisa, que completam a colecção, do mesmo autor/organizador e igual grafismo: a Fotobiografia e um ensaio de Biografia.

POESIA 1903-1917
Recolha, leitura e notas por Rui Guedes. Prefácio de José Carlos Seabra Pereira. Nota filológica de Luiz Fagundes Duarte. Texto actualizado por Maria Teresa Moya Praça. Com alguns facsimiles de manuscritos da autora. Volume I das Obras Completas de Florbela Espanca. 280 páginas. 15 x 22,5 cm. Assinado por Rui Guedes com dedicatória. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1985.

POESIA 1918-1930
Recolha, leitura e notas por Rui Guedes. Prefácio de José Carlos Seabra Pereira. Texto actualizado por Maria Teresa Moya Praça. Com alguns facsimiles de manuscritos da autora. Volume II das Obras Completas de Florbela Espanca. xliii+304páginas. 15 x 22,5 cm. Assinado por Rui Guedes no anterosto. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1985.

CONTOS
Recolha, leitura e notas por Rui Guedes. Prefácio de José Carlos Seabra Pereira. Actualização e revisão do texto por Maria Teresa Moya Praça. Com facsimiles de manuscritos da autora. Volume III das Obras Completas de Florbela Espanca. xxxv+167 páginas. 15 x 22,5 cm. Assinado por Rui Guedes no anterosto. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1985.

CONTOS E DIÁRIO
Recolha, leitura e notas por Rui Guedes. Actualização e revisão do texto por Maria Teresa Moya Praça. Com facsimiles de manuscritos da autora, e uma fotografia do irmão-aviador. Volume IV das Obras Completas de Florbela Espanca. 157 páginas. 15 x 22,5 cm. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1986.

CARTAS 1906-1922
Recolha, leitura e notas por Rui Guedes. Actualização e regularização do texto por Luiz Fagundes Duarte. Com alguns facsimiles de cartas, bilhetes e postais manuscritos. Volume V das Obras Completas de Florbela Espanca. 274+(1) páginas. 15 x 22,5 cm. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1986.

CARTAS 1923-1930
Recolha, leitura e notas por Rui Guedes. Com alguns facsimiles de cartas, bilhetes e postais manuscritos. Volume VI das Obras Completas de Florbela Espanca. 259+(2) páginas. 15 x 22,5 cm. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1986.

FOTOBIOGRAFIA, por RUI GUEDES.
Tiragem numerada, verificada pela SPA, de 5000 exemplares, dos quais 3500 para o mercado português e 1500 para o mercado brasileiro (edição em parceria com a Livraria Paisagem, do Rio de Janeiro). Exemplar n.º 18. Álbum em cartonagem editorial com sobrecapa, óptimo estado de conservação. 264 páginas. Único volume fora do formato do resto da colecção: 22 x 30,3 cm. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1985.

ACERCA DE FLORBELA, por RUI GUEDES.
Biografia. Bibliografia. Apêndices. Discografia. Índice Remissivo Geral. Volume que encerra a colecção. 237 páginas. 15 x 22,5 cm. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1986.

Colecção completa, em primeira edição. Três volumes assinados por Rui Guedes, um deles com dedicatória. Todos os volumes há muito esgotados no editor. Todos em bom estado.

Conjunto invulgar.

Preço: 170 euros.




ANTÓNIO NOBRE


Edição de 3.000 exemplares, correcta e augmentada, em papel couché, com desenhos de Eduardo Moura e Júlio Ramos, e o retrato do poeta d’après Thomaz Costa. 

2.ª edição, revista, aumentada e ilustrada. 172+(6) páginas. 11,5 x 21,5 cm. Meia encadernação de pele, hodierna, em muito bom estado de conservação, com nervos e dois rótulos. Sem capas de brochura. Intonso. Impresso em Paris. Lisboa: Guillard, Aillaud & C.ª, 1898.

Preço: 200 euros.



CAMILLO

MULHERES E LÁGRIMAS

(LIVRO DO AMOR E DO CORAÇÃO)

NUNO CATHARINO CARDOSO


Contendo cento e noventa e três pensamentos respigados na obra do Grande Romancista.

Colecção (encalorada) de citações camilianas, sem lugar para a menção das diversas proveniências, e com prefácio datado de 22/2/1922. Exemplar do 1.º milhar. xvi+55 páginas. 12,5 x 19 cm. Brochado. Bom estado. Lisboa: Portugália Editora, 1922.

Preço: 22 euros.



SEROENS DE S. MIGUEL DE SEIDE

CHRONICA MENSAL DE LITTERATURA AMENA

NOVELLAS, POLEMICA MANSA
CRITICA SUAVE DOS MÁOS LIVROS E DOS MÁOS COSTUMES

CAMILLO CASTELLO BRANCO


Edição original.

6 fascículos em 1 único volume (obra completa). Encadernação com rótulo em pele. Miolo aparado. Conserva a capa de brochura anterior do primeiro fascículo. Com 75+(5), 69+(3), 95+(1), 72+(8), 99+(1), 76+(6) páginas. 11,5 x 16 cm. Porto: Livraria Civilisação, de Eduardo da Costa Santos, 1885-1886.

Preço: 120 euros.



LISBOA EM QUATRO HORAS
E LISBOA EM QUATRO DIAS


Nova Edição. Um guia turístico de Lisboa com 122 anos. Sem menção do autor (há referências de uma edição com o mesmo título, no Rio de Janeiro, uns 8 anos antes, igualmente sem autoria indicada). 82 páginas. 14 x 19 cm. Encadernação recente em sintético, impecável. Sem a capa de brochura anterior. Não aparado. Algumas páginas por abrir. Raro. Lisboa: Typ. da Companhia Nacional Editora, 1895.

Preço: 60 euros.



PIERROT E ARLEQUIM,

PERSONAGENS DE TEATRO
Ensaios de dialogo seguidos de commentarios

JOSÉ DE ALMADA NEGREIROS


Peça originalmente publicada no primeiro número da revista Athena, dirigida por Fernando Pessoa, em Outubro de 1924, o mês anterior a esta edição. «Embora muitas vezes considerado como uma obra de teatro, Pierrot e Arlequim foi anunciado como conferência, «da série Harmonia», pelo Diário de Lisboa (7 e 12 de fevereiro e 9 de outubro de 1924).» [modernismo.pt]

Desenhos de Almada incluídos: um autoretrato, dois figurinos, um desenho allusivo e o motivo da capa.

Primeira edição em livro. 68+(2) páginas, a penúltima delas anunciando a publicação para breve da peça Portugal (trez actos), o que não chegou a acontecer. 13 x 19 cm. Lisboa: Portugalia Editora, [Nov.] 1924.

Exemplar encadernado em sintético (encadernação sóbria e sólida, em excelente estado de conservação), com a capa anterior mas não a posterior, aparado (perdeu as pequenas badanas, não impressas), e com duas faltas de papel: uma no canto inferior interior da página de rosto, a outra no canto inferior interior da última página, a 68, este fazendo desaparecer para sempre, do fundo da página 67, as duas últimas letras da palavra “grandes” bem como toda a palavra “asas”… [clique nas fotografias supra]. Miolo muito limpo, em excelente estado de conservação, tal como os quatro desenhos e a capa. Com ex-libris distinto, de anterior proprietário. No geral, um exemplar muito interessante — onde as virtudes compensam os defeitos — de uma obra essencial da bibliografia do artista.

Raro.

Preço: 150 euros.