HIPOCRITAS


MERCEDES BLASCO


Recordações de Mercedes Blasco, de artistas de teatro: Joaquim de Almeida, Palmira Bastos, Jesuína de Chaby, Chaby Pinheiro, António Sacramento, Tereza Taveira, Vasco Santana, Alexandre de Azevedo, Tereza Gomes, Álvaro de Almeida, Augusta Cordeiro, Joaquim Almada, Ilda Stichini, José Alves da Cunha, Berta de Bívar, Henrique de Albuquerque, Lucília Simões, Henrique Alves, Emília de Oliveira, Erico Braga, Amélia Pereira, Assis Pacheco, Lina Demoel, Gil Ferreira, Albertina de Oliveira, José Clímaco, Amélia Rey Colaço, Robles Monteiro, Maria das Neves, Tomás Vieira, Aura Abranches, Pinto Grijó, Ausenda de Oliveira, Armando de Vasconcelos, Emília Fernandes, Raul de Carvalho, Luísa Satanella, Nascimento Fernandes, Cremilda de Oliveira. Com uma carta prefacial de Agostinho Fortes.

Exemplar com dedicatória de autora no ante rosto, «para o ilustre poeta que rege os destinos do grande jornal A República, da amiga e admiradora».

Brochado. 160 páginas. 19 x 12,5 cm. Pequenos defeitos exteriores. Miolo limpo, salvo algumas pequenas caricaturas a lápis, apenas delineadas, não assinadas, junto a certos nomes de artistas no início dos capítulos. Lisboa: J. Rodrigues & C.ª, 1932.

Preço: 27 euros.


 


CARTEIRA DO ARTISTA


SOUSA BASTOS


Apontamentos para a Historia do Theatro Portuguez e Brazileiro acompanhados de notícias sobre os Principaes artistas, escritores dramaticos e compositores estrangeiros.

Jornalista e “homem do teatro” — empresário, director teatral, encenador e ensaiador, dramaturgo e dramatógrafo —, António de Sousa Bastos (1844-1911), marido da actriz Palmira Bastos, compilou esta grande e pequena história do teatro português seu contemporâneo, o do final do século XIX, com espaço para muito mais do que actores, dramaturgos e salas de teatro.

Os índices alfabéticos listam: actores portuguezes e brazileiros; actrizes portuguezas e brazileiras; aderecistas; architectos, auctores de figurinos e decoradores; artistas dramáticos estrangeiros; benemeritos do theatro; cabelleireiros de theatro; cantores portuguezes; companhias diversas; contraregras; curiosidades theatraes; decretos, portarias, tratados e outros documentos referentes ao theatro; diversos empregados de theatro; dramas, comedias, tragedias, operas-comicas, revistas e peças phantasticas notaveis pelo seu merecimento ou pelo sucesso que obtiveram; emprezarios theatraes; ensaiadores portuguezes e brazileiros; escriptores, dramaticos e criticos theatraes, portuguezes e brazileiros; escriptores dramaticos estrangeiros; guarda-roupas; machinistas; musicos estrangeiros; musicos portuguezes e brazileiros; operas e dansas; pontos; scenographos; theatros estrangeiros; e theatros portuguezes e brazileiros.

Esta espécie de enciclopédia caótica do teatro, repleta de pequenas gravuras, está inicialmente organizada cronológicamente, por dias e meses do ano: nascimentos de determinado actor, estreia de uma dada peça, abertura de uma nova sala, etc.
O dito calendário ocupa um pouco mais de metade do livro, bem organizada mas, a partir da página 475, a sucessão de apêndices, acrescentos, correções, adendas, novas informações, rectificações, ampliações e eventos sem data torna a pesquisa de informação uma curiosa aventura proto-hipertextual para a qual o índice de 30 páginas é a peça chave.

Primeira edição. Com 868 páginas, e 26 x 18,5 cm. Encadernação com lombada em pele, com ligeiro desgaste. Aparado. Conserva a capa de brochura anterior, uma litografia de Rafael Bordalo Pinheiro. Pequenas e inócuas marcas de bicho do papel em algumas páginas. Assinatura de posse no rosto. Exemplar interessante, sólido, em bom estado geral. Lisboa: Antiga Casa Bertrand — José Bastos, Editor, 1899.

Preço: 80 euros.


 

Disponível online, digitalizado, aqui.

 


 


LÍRICA AMOROSA ALEMÃ MODERNA


versões portuguesas de
PAULO QUINTELA


Como explica a nota introdutória, este conjunto de traduções nasce de uma visita que nunca aconteceu, a da poetisa alemã Marie Luise Kaschnitz a Coimbra, em 1972.

Traduções de Paulo Quintela, de: Rainer Maria Rilke, Hans Magnus Enzensberger, Karl Krolow, Erich Fried, Ingeborg Bachmann, Nelly Sachs, Heinz Piontek, Wolfgang Weyrauch, Paul Celan, Max Holzer, Rafael Alberti (com a tradução alemã de Kaschnitz), Eugen Gomringer, e uma «breve antologia» (18 poemas) de Marie Luise Kaschnitz.

80 páginas. 21,6 x 14,8 cm. Capa com alteração de cor parcial. Miolo limpo. Colecção Cancioneiro, série Antologia, Coimbra: Vértice, 1978.

Preço: 17 euros.



A ASCENSÃO DE JOANINHA


GERHART HAUPTMANN


Título completo: A Ascensão de Joaninha. Sonho Dramático em Dois Actos. Tradução, prefácio e notas de Paulo Quintela. 2.ª edição, bilingue, seguida de um apêndice «que é, de certa maneira, a recuperação parcial da homenagem prestada em Portugal a Gerhart Hauptmann na passagem do centenário do seu nascimento em Novembro de 1962» [do prefácio].

Contém 3 reproduções fotográficas a preto-e-branco, em extra-texto: Hauptmann; uma cena do espectáculo no TNDMII, com Palmira Bastos e Maria Lalande, na temporada 1943-44; e a reprodução de uma gravura de Käthe Kollwitz. Brochado. 240+(6) páginas. 19,6 x 13,4  cm. Bom estado de conservação. Coimbra: Almedina, 1967.

Preço: 15 euros.



POEMAS


NELLY SACHS


Versão portuguesa e nota introdutória de Paulo Quintela. Brochado. 22 páginas. 22 x 16,5 cm. Bom estado de conservação. Separata do nº 230 de Vértice, Novembro de 1962. Coimbra: Vértice, 1963.

Preço: 12 euros.



ESPECTÁCULO DE HOMENAGEM DO TEATRO
AO DOUTOR PAULO QUINTELA


TEUC


Prospecto com o programa e os intervenientes do espectáculo de homenagem do Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra a Paulo Quintela, levado à cena em Coimbra, a 26 de Março de 1955. Peças de Raúl Brandão (O Avejão), Gil Vicente (Auto da Feira) e Goethe (Prometeu). 4 páginas. 21,6 x 15,5 cm. Bom estado de conservação. Tiragem de 350 exemplares. Impresso em Coimbra, 1955.

Preço: 10 euros.