Ilse Losa

[28Maio16]


HISTÓRIAS INESQUECÍVEIS PARA CRIANÇAS


Selecção de

ILSE LOSA


Capa de A. Pedro e ilustrações de Manuela Bacelar. Contos dos Irmãos Grimm (tradução de Maria Cristina de Araújo), Wilhelm Hauff (tradução de Teresa Balté), George Sand (tradução de Virgínia de Castro e Almeida, revista por Ângela Lieblich), John Ruskin (tradução de Luísa Derouet), Mark Twain e Oscar Wilde (traduções de Margarida Losa), Leão Tolstoi, Hans Christian Andersen, Pawel Bashow e Selma Lagerlöf (traduções de Ilse Losa). 227 páginas. 14,5 x 21 cm. Capa com ténues manchas amarelas, miolo impecável. Lisboa: Livros do Brasil, [s.d.].

Preço: 12 euros.



O MUNDO EM QUE VIVI


ILSE LOSA


Numa escrita inexcedivelmente sóbria e transparente, e através de breves episódios, este romance conduz-nos em crescendo de emoção desde a primeira infância rural de uma judia na Alemanha, pelos finais da Primeira Guerra Mundial, até ao avolumar de crises (inflação, desemprego, assassínio de Rathenau, aumento de influência e vitória dos Nazistas) que por fim a obrigam ao exílio mesmo na eminência de um destino trágico num campo de concentração. Há uma felicíssima imagem simbólica de tudo, que é a do lento avançar de uma trovoada que acaba por estar «mesmo em cima de nós». Assistimos aos rituais judaicos públicos e domésticos, a uma clara atracção alternativa entre a imigração para os Estados Unidos da América e o sionismo. Fica-se simultaneamente surpreendido pela correspondência e pelas diferenças entre o adolescer e o viver adulto em meios culturais muito diversos, pois há relances de vida religiosa luterana, católica e de agnosticismo à margem da experiência judaica ortodoxa. Perpassam figuras familiares de recorte nítido: os avós da aldeia, o pai, negociante de cavalos, desfeiteado por anti-semitas e falecido de cancro, os tios progressistas Franz e Maria, o avô Markus, a amorável avozinha Ester (kleine Oma), Paul (o jovem quase namorado que se deixa intimidar pelo ambiente), Kurt (o jovem enamorado assolapado, culto e firme nas suas convicções). A acção é desfiada numa sucessão de fases biográficas progressivamente dramáticas — e nós acabamos por participar afectivamente de um destino ao mesmo tempo muito singular e muito típico, que bem nos poderia ter cabido. Um romance de características únicas na literatura portuguesa — e emocionalmente certeiro. [Texto da contracapa, datado de Novembro de 1989, da autoria de Óscar Lopes, a quem o livro é dedicado].

15ª edição do primeiro livro da autora. Capa de Ângela Melo. 196 páginas. 14,5 x 21 cm. Porto: Edições Afrontamento, 1992.

Preço: 10 euros.




MANUAL DE ZOOLOGIA FANTASTICA


JORGE LUIS BORGES


A un chico lo llevan por primera vez al jardín zoológico. Ese chico será cualquiera de nosotros o, inversamente, nosotros hemos sido ese chico y lo hemos olvidado. En ese jardín, en ese terrible jardín, el chico ve animales vivientes que nunca ha visto; ve jaguares, buitres, bisontes y, lo que es más extraño, jirafas. ve por primera vez la desatinada variedad del reino animal, y ese espectáculo, que podría alarmarlo u horrorizarlo, le gusta. Le gusta tanto que ir al jardín zoológico es una diversión infantil, o puede parecerlo. Cómo explicar este hecho común y a la vez misterioso?

Primeira edição. Ilustrado. Colaboração de Margarita Guerrero. Capa com desenho de Fabrizio Clerici («El catoblepas»). Arranjo gráfico de Emmanuel Carballo. Tela editorial com sobrecapa, em bom estado de conservação. Miolo impecável, limpo e fresco, salvo pequena rubrica de posse no rosto. 159 páginas. 11 x 17,5 cm. Colecção Breviarios del Fondo de Cultura Económica, n.º 125. México / Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 1957. Invulgar.

Preço: 120 euros.




ANTIGUAS LITERATURAS GERMANICAS


JORGE LUIS BORGES


La mención de Alemania o de Inglaterra basta para demonstrar la importancia de las culturas germánicas. El primer testimonio de esas culturas fué la literatura que produjeron; nadie, en verdad, puede ser indiferente a su estudio. Sin embargo, la materia de que trata este libro es casi ignorada en los países de habla espanõla; aun las personas cultas suelen limitar su conocimiento a nociones de mitos escandinavos, tomadas de las óperas de Wagner. Se olvida que Inglaterra produjo, antes de la conquista normanda, una secular y dilatada literatura; se ignora que en Islandia culminó la literatura germánica.

Primeira edição. Ilustrado. Colaboração de Delia Ingenieros. Capa com reprodução do manuscrito C do Nibelungenlied (século XIII). Arranjo gráfico de Ali Chumacero. Manuseado. Tela editorial com sobrecapa, esta em mau estado de conservação, com a lombada partida e remendada. Miolo amarelecido, com pequena rubrica de posse no rosto. Exemplar razoável, mas necessita de reparação. 179 páginas. 11 x 17,5 cm. Colecção Breviarios del Fondo de Cultura Económica, n.º 53. México / Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 1951. Invulgar.

Preço: 25 euros.

Exemplar com sobrecapa em bom estado, sem rubrica de posse: 50 euros.


Este slideshow necessita de JavaScript.

ESTUDOS DE HISTÓRIA MILITAR SOBRE A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL (1914-1918) [1.ª SÉRIE], pelo Brigadeiro EDUARDO SANTOS. Com estudos dedicados às ideias de Schliefen (“A Alemanha e a Guerra em duas frentes.”), à França e ao seu exército (“Joffre e o Plano XVII.”), à defesa da neutralidade belga (“O rei Alberto e o comando do exército.”), ao isolamento e intervenção inglesa (“O Corpo Expedicionário.”) e a Liége (“O prólogo do drama.”). Brochado. Ilustrado. 12,5 x 18,5 cm. 244 páginas + 4 mapas desdobráveis, no final, com esquemas de manobras militares. Exemplar assinado pelo autor com dedicatória. Lisboa: ICGG, 1949.
Preço: 18 euros (reservado).