LISBOA, UMA CIDADE EM TRANSFORMAÇÃO


FRANCISCO KEIL DO AMARAL


Lisboa, há 50 anos. Ilustrado com 61 fotografias a preto, em 28 páginas extra-texto. [28]+237+(11) páginas. 18,5 x 13,3 cm. Capa com algumas manchas, leves. Lombada com vincos de leitura. Miolo limpo. Lisboa: Publicações Europa-América, Janeiro de 1970.

Preço: 22 euros.



HISTÓRIAS À MARGEM DE UM SÉCULO DE HISTÓRIA


F. KEIL DO AMARAL


Livro de “memórias da família” do arquitecto Francisco Keil do Amaral (1910-1975), publicado na Biblioteca de Estudos sobre a Sociedade e a Cultura Portuguesas, secção I, n.º 6, da editora Seara Nova, Lisboa, 1970. Capa de Guilherme Lopes Alves. 242 páginas. 22 x 14 cm. Bom estado.

Assinado pelo autor com dedicatória datada de 1970.

Preço: 25 euros.



HISTÓRIAS À MARGEM DE UM SÉCULO DE HISTÓRIA


F. KEIL DO AMARAL


Capa de Guilherme Lopes Alves. 242 páginas. 22 x 14 cm. Capa com alguns pontos de perda de cor, miolo limpo (com cadernos por abrir). No geral, um bom exemplar do livro de “memórias da família” do arquitecto Francisco Keil do Amaral (1910-1975), publicado na Biblioteca de Estudos sobre a Sociedade e a Cultura Portuguesas, secção I, n.º 6, da editora Seara Nova, Lisboa, 1970.

Preço: 15 euros.



A BORBOLETA AMARELA


RUBEM BRAGA


60 crónicas. 3.ª edição. 214 páginas. 21 x 14 cm. Lombada amarelecida e com vincos de leitura. Assinatura de posse no pé da página de guarda. Rio de Janeiro: Editôra do Autor, 1963.

As crónicas deste livro foram todas publicadas, entre Janeiro de 1950 e dezembro de 1952, no Correio da Manhã, do Rio, e em vários jornais dos Estados.

Preço: 15 euros.



O HOMEM ROUCO


RUBEM BRAGA


40 crónicas. 2.ª edição. Capa de José Medeiros («Image»). 191 páginas. 21 x 14 cm. Capa com pequenos defeitos. Assinatura de posse no pé da página de guarda. Rio de Janeiro: Editôra do Autor, 1963.

As crónicas juntadas foram quase todas publicadas no Diário de Notícias, do Rio, e a seguir na Folha da Noite, de S. Paulo, Folha da Tarde, de Pôrto Alegre, e Diário da Noite, do Recife. As outras saíram no suplemento literário do Diário Carioca, e mais no Correio Paulistano, Revista do Globo, de Pôrto Alegre, e Jornal do Comércio, do Recife. Tôdas foram escritas entre abril de 1948 e julho de 1949; estão arrumadas em ordem cronológica. A selecção foi feita pelo autor, com ajuda de Fernando Sabino.

Preço: 15 euros.



AI DE TI, COPACABANA!


RUBEM BRAGA


60 crónicas. 2.ª edição. Capa de Bea Feitler. 222 páginas. 21 x 14 cm. Capa com pequenos defeitos. Assinatura de posse no pé da página de guarda. Rio de Janeiro: Editôra do Autor, 1960.

As crónicas deste livro foram escritas de abril de 1955 a fevereiro de 1960. Nesse período o cronista mudou de jornal: do Correio da Manhã foi para o Diário de Notícias e deste para O Globo. Também mudou de revista, saindo de Manchete para o Mundo Ilustrado e voltando depois para Manchete.

Preço: 15 euros.



O BRASIL DE HOJE


MAJOR ALEXANDRE DE MORAIS


Homem do Regime — autor de um volume de crónicas militares da Guerra Civil de Espanha (vista pelo prisma franquista), do Manual do Legionário, do Manual da Mocidade Portuguesa, das Leis do Exército Novo, e de algumas obras sobre aspectos militares da II Guerra Mundial — Alexandre de Morais retrata nesta obra o Brasil da época (início da década de quarenta), nos seus aspectos geográficos, históricos, políticos, económicos, militares (e beligerantes). O mote parece ter sido a entrada do Brasil na II Guerra Mundial, contra a Alemanha e a Itália, por força dos ataques infligidos pelos países do Eixo à frota mercante brasileira.

Obra completa em 2 volumes, ilustrados com fotografias, tabelas e mapas, de 244 e 286 páginas (maioria por abrir), e 19 x 13 (x 4) cm. Capas com pequenas manchas, lombadas amarelecidas, miolo de ambos os volumes limpo. Lisboa: Edições Universo, 1943.

Primeiro volume autografado pelo autor com dedicatória ao «velho e querido amigo» Andrade e Sousa.

Preço: 27 euros.



EXPEDIÇÕES CIENTÍFICO-MILITARES
ENVIADAS AO BRASIL


SOUSA VITERBO


Primeira reunião deste importante conjunto de cerca de 164 biografias, e bibliografias — de cientistas, arquitectos, cartógrafos, desenhadores, engenheiros, fortificadores e naturalistas portugueses ou que, ao serviço de Portugal, trabalharam no Brasil —, inicialmente publicadas dispersas na Revista Militar, entre 1893 e 1895.

Coordenação, aditamentos e introdução de Jorge Faro. Em 2 volumes, de 175 + 142 páginas, e 18 x 13 (x 2) cm. Ambos os volumes com o miolo limpo, e as capas e lombadas com pequenas manchas e marcas de bicho de papel. Impressos na Neogravura, Lisboa, para as Edições Panorama, em 1962.

Preço: 28 euros.



O RIO DE JANEIRO NO SÉCULO XVI


JOAQUIM VERÍSSIMO SERRÃO


Obra completa em 2 volumes, sendo o primeiro uma monografia histórica, que «trata do sítio da Guanabara desde as primeiras viagens dos navegadores portugueses, traçando depois a história da cidade de S. Sebastião, até aos fins do século XVI», com um índice onomástico e geográfico de 45 páginas; e o segundo volume uma colecção de documentos colhidos na Torre do Tombo, Arquivo Histórico Ultramarino e Biblioteca da Ajuda, para uso futuro dos historiadores.

252 + 167 páginas. 25 x 18 (x 3) cm. Bom estado de conservação. Uma edição da Comissão Nacional das Comemorações do IV Centenário do Rio de Janeiro, Lisboa, 1965.

Preço: 24 euros.



SANTARÉM

HISTÓRIA E ARTE

JOAQUIM VERÍSSIMO SERRÃO


Capa de Eduardo Rosa Mendes. Prefácio do Presidente da Comissão de Turismo, Joaquim Augusto de Barros e Mattos. Ilustrado com inúmeras fotografias e desenhos, e um mapa desdobrável. 78+(6) páginas. 22,5 x 15,5 cm. Bom estado de conservação, embora a lombada, originalmente sem texto, possua o título manuscrito (em parte sumido) por anterior proprietário. Santarém: Comissão Municipal de Turismo de Santarém, 1951.

De notar que tanto o historiador Joaquim Veríssimo Serrão, autor do texto, como o pintor Rosa Mendes, autor do desenho da capa, são naturais de Santarém.

Preço: 17 euros.



GUIMARÃES

GUIA DE TURISMO


ALFREDO GUIMARÃES


Detalhado guia de Guimarães, publicado por altura do centenário da elevação a cidade. Ilustrado com inúmeras fotografias e desenhos, vegetais e desdobráveis. Gravuras de Marques de Abreu. Colaboração fotográfica de Américo Teixeira Lopes, Amílcar Lopes, Armando Teixeira de Faria, Domingos Alves Machado e Marques Abreu, Foto-Cine e Fotografia Alvão.

2ª edição (5º milhar). Brochado. 206+(5) páginas. 18,5 cm x 12,5 (x 2,8) cm. Impresso em papel couché. Capa e guardas com pequenas manchas. Miolo limpo. Guimarães: Câmara Municipal de Guimarães, 1953.

Preço: 30 euros.



O CÁLICE GÓTICO DO MOSTEIRO DE SÃO TORCATO


ALFREDO GUIMARÃES


Ilustrado com desenhos de Augusto Gomes e Joaquim Teixeira; aguarelas de João Jorge Maltieira; e fotografias de Alvão e António de Sousa Lima.

Inclui os estudos: «O Cálice Gótico do Mosteiro de São Torcato» — «A Escultura em Guimarães – Santa Margarida» — «Os Novos Frescos de Cerzedelo» — «Bordado Artístico do Egipto Cristão» — «Duas Obras da Escola de Bolonha».

In-fólio de 74+(10) páginas e 31,5 x 24,5 cm. Ilustrado com extra-textos. Exemplar estimado. N.º 3 da Colecção de Estudos do Museu Alberto Sampaio. Colaboração entre a Câmara Municipal de Guimarães, o Instituto para a Alta Cultura e a Junta de Província do Minho. Impresso na Litografia Nacional, Porto, 1953.

Preço: 40 euros.



REGRESSO AO CORAÇÃO


J. M. PINTO DE ALMEIDA


Alocução proferida, em 6 de Fevereiro de 1955, na sessão solene comemorativa do 86.º aniversário da fundação da Associação Artística Vimaranense.

Edição tipograficamente cuidada, em papel superior. 23 páginas (por abrir). 31 x 22,5 cm. Capa com pequenas manchas. Miolo limpo. Bom estado geral. Guimarães: Associação Artística Vimaranense, 1955.

Preço: 15 euros.



O CONCELHO DE PENAMACÔR

na História, na Tradição e na Lenda


JOSÉ MANUEL LANDEIRO


Com capítulos sobre o concelho e a vila, antigas paróquias e igrejas, procissões, roda e cemitérios, a guarnição militar, médicos e farmacêuticos, magistrados e empregados públicos, famílias nobres e homens ilustres, filhos adoptivos, a imprensa, associações, povoações e fortalezas antigas, freguesias e ermidas, terminando com algumas das mais emblemáticas lendas religiosas da região: as pragas de gafanhotos, a patinha da burrinha de Nossa Senhora, o milagre do cativo cristão, etc.

Prefácio de Jaime Lopes Dias. Desenhos de Júlio Fidalgo de Oliveira. xvi + 257 páginas.  17 x 24,5 cm. Ilustrado (fotografia, desenho), no texto e extra-texto. Primeira edição (republicado em 1982, 1988 e 1995). Em bom estado geral: capa com manchas, miolo limpo. Vila Nova de Famalicão: Grandes Ateliers Gráficos Minerva, 1938.

Preço: 40 euros.



A HORA UNIVERSAL
DOS PORTUGUESES


PEDRO VEIGA


Autografado pelo autor com dedicatória a Falcão Machado, a quem dirige uma carta-manuscrita — na sua inconfundível caligrafia, em curioso papel amarelo (17,3 x 13,5 cm), assinada mas não datada, com 4 páginas (uma “em branco”) e cerca de 202 palavras, — comentando, com interesse literário evidente, alguns assuntos bibliográficos e artísticos conimbricenses em comum:

«Penso que não faria mal eu tratar pictoralmente Coimbra nos ex-libris e nos selos postais. E também na literatura musical. Nos fadunchos!»

Com ex-libris de Pedro Veiga. Sobrecapa editorial em papel marmoreado. Tiragem numerada e assinada (este o n.º XXXI, de um total não indicado). Ligeiros picos de oxidação. Bom estado geral. 16 páginas, por abrir. 22,7 x 17,5 cm. Porto: Edições «Prometeu», [s.d.].

Conjunto invulgar.

Preço: 115 euros.



AS CAUSAS PROFUNDAS DA
REVOLUÇÃO FRANCESA


PETRUS


O primeiro (n.º 1) dos Cadernos do Povo, da Biblioteca de Estudos Sociais do Movimento de Renovação Democrática. Folheto com 32 páginas, tipograficamente distinto — apanágio das edições de Pedro Veiga. 17 x 11,7 cm. Capa com pequenas manchas. Bom estado. Porto: Petrus, [s.d.].

Preço: 17 euros.



PARA UM «DOSSIER» GULBENKIAN


MÁRIO VIEIRA DE CARVALHO


Referências a situações respeitantes aos Festivais de Música Gulbenkian, à Orquestra Gulbenkian, a Jorge Peixinho, Michel Giacometti, Carlos Franco, Álvaro Machado, e outros, terminando com um capítulo sobre a relação da Fundação «com o regime fascista». Vide índice ↑.

Autografado pelo autor com dedicatória datada. 158+(2) páginas. 18,5 x 11,8 cm. Capa com desgaste nas arestas e cantos, sem perda de cor. Miolo limpo. Lisboa: Editorial Estampa, (Novembro de) 1974.

Preço: 20 euros.



CONVERSAS


MÁRIO VENTURA


14 ENTREVISTADOS: Agustina Bessa Luís — António Lobo Antunes — Augusto Abelaira — Camilo José Cela — Fernando Namora — Jorge Amado — José Cardoso Pires — José Gomes Ferreira — José Saramago — Maria Velho da Costa — Natália Correia — Nuno Bragança — Urbano Tavares Rodrigues — Vergílio Ferreira.

À excepção das entrevistas com Maria Velho da Costa e José Saramago, realizadas propositadamente para este volume, todas as restantes foram publicadas no Diário de Notícias.

Ilustrado com fotografias dos entrevistados, da autoria de Inácio Ludgero. 195 páginas. 23,5 x 15,4 cm. Ligeira descoloração na lombada. Bom estado geral. Colecção Figuras n.º 5. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1986,

Preço: 20 euros.



LIVRO NEGRO

INSTRUÇÕES SECRETAS PARA A SUBVERSÃO DA SOCIEDADE MODERNA


TITO KOWALSKI


[Pseudónimo não identificado de autor português.] Começando por justificar uma afirmação de Álvaro Cunhal, após encontro com Georges Marchais, de que «o eurocomunismo não se aplica em Portugal», o texto parte para a análise de alguns comunismos europeus (Itália, França, …), antes de uma digressão pela história recente de algumas insurreições armadas, e a sua sustentação teórica em diversos autores, de uma forma não muito clara (vide índice ↑). As instruções são, principalmente, tópicos.

Capa de V.M. 73+(7) páginas. 20,8 x 14,7 cm. Selo e etiqueta destacável, na guarda, da agência de jornais Jornália, nas Caldas da Rainha. Capa com marcas de manuseio, miolo limpo: bom exemplar. Impresso na Tipave, em Aveiro. Queluz: Literal, 1977.

Preço: 17 euros.



PREOCUPAÇÕES DE UM DEPUTADO

I.
A GRANDE ESPERANÇA

ANTÓNIO MARTINS DA CRUZ


Autografado por Martins da Cruz, com «um abraço de amizade e admiração» ao professor Carlos Silva.

Abre com bibliografia e prefácio do autor. Seguem-se intervenções sobre questões educativas, na Assembleia Nacional, entre Janeiro de 1962 e Dezembro de 1964, onde pugna pela igualdade de instrução para todos; abertura e melhoria de escolas no Fundão, Castelo Branco (Liceu Nuno Álvares e inexistência de um Liceu Feminino), Sertã, e Beira-Baixa em geral; ou melhores orçamentos para a Educação (vide índice nas fotografias acima).

Com xxxix+(1)+205+(3) páginas, e 23,5 x 16 cm. Capa com muitos picos de oxidação. Miolo limpo. Lisboa: edição do autor [composto e impresso nas oficinas da Imprensa de Coimbra], 1965.

Preço: 25 euros.



QUATRO ANOS NA ASSEMBLEIA NACIONAL


JACINTO FERREIRA


Quatro Anos na Assembleia Nacional é uma colecção de intervenções políticas onde o autor começa por justificar o sentido da presença de um monárquico numa assembleia parlamentar. Destacam-se em seguida intervenções em questões como: o reforço do apoio à investigação científica; mais e melhores bolsas de estudo; equiparação entre os diferentes tipos de jornalistas; redução de impostos nos três primeiros anos da entrada do cidadão no mercado de trabalho; ou mesmo uma intervenção em favor de um indulto ao capitão Jorge Valadas, um tema tabú na época.

António Jacinto Ferreira, 1906-1995, veterinário e professor universitário, fundou durante a legislatura de que este volume deixa testemunho, 1949-1952, o semanário monárquico O Debate (1951).

Capa muito manchada, miolo no geral limpo. Carimbo coevo de “oferta”, na capa. 201+(3) páginas. 22,7 x 16 cm. Lisboa: Edição das Comissões de Freguesia de Lisboa da Causa Monárquica, 1953.

Preço: 22 euros.



MEMÓRIAS DUM REVOLUCIONÁRIO

Subsídios para a História do Movimento de 28 de Maio


VIEIRA COELHO


Vieira Coelho fez parte do Comité Revolucionário, foi Governador Civil de Coimbra, e Santarém, tendo ainda sido Chefe de Gabinete do Ministro do Interior. Desvela neste seu testemunho de fim de carreira alguns preparativos, nomes e locais onde se planificou o golpe.

Exemplar com dedicatória autógrafa autoral ao seu «ilustre sucessor na 8.ª Conservatória, e colega sempre amigo e leal», na página de guarda, datada de 1953. Edição do autor, em Lisboa, 1951. Com 94 páginas (por abrir), e 20 x 13 cm. Em bom estado salvo picos ténues de oxidação na capa.

Preço: 35 euros.


“Revolucionário”, neste caso, com o sentido de participante na “Revolução Nacional”, nome pelo qual, até ao 25 de Abril, se referia o golpe de estado de 28 de Maio de 1926, que pôs termo à I República e abriu caminho ao futuro Estado Novo.


EPISODIOS DOMINICANOS

LA CONSPIRACIÓN DE LOS ALCARRIZOS


MAX HENRÍQUEZ UREÑA


1.ª edição. Exemplar autografado pelo autor com dedicatória ao embaixador Luís Norton. 335 páginas. 19,5 x 13 cm. Lisboa: edição do autor, 1941. Bom estado de conservação.

Max Henríquez Ureña (1885-1968), diplomata e escritor dominicano, filho da poetisa Salomé Ureña e irmão do ensaísta e pedagogo Pedro Henríquez Ureña, desempenhou vários cargos no governo do ditador Rafael Trujillo, entre as décadas de 1930 e 1950, no país e no estrangeiro, razão pela qual a lista dos locais de publicação das suas obras é variada: Valladolid, Santiago de Cuba, Havana, Paris, Madrid, Buenos Aires, México, Rio de Janeiro, Lisboa.

La Conspiración de Los Alcarrizos, episódio ocorrido durante a ocupação haitiana do país (1822-1824), é a segunda de quatro novelas denominadas «Episodios Dominicanos», onde Ureña narra a história da independência da República Dominicana na primeira metade do século XIX. A escrita do livro teve início em Londres, a 2 de Abril de 1939, e terminou em Lisboa, a 10 de Outubro de 1940. Composto e impresso pela Sociedade Industrial de Tipografia (ao Carmo).

Invulgar.

Preço: 45 euros.



POR LA CONCORDIA


FRANCISCO CAMBÓ


De Francesc Cambó y Battle (1876-1947), advogado e político, fundador da Liga Regionalista, Ministro do Fomento (1918) e da Fazenda (1921-1922), o «grande profeta fracassado do nacionalismo catalão». Edição de uma conferência do autor na Associación Catalanista de la Barceloneta, em Janeiro de 1923, anterior ao golpe de Estado de Primo de Rivera, em Setembro desse mesmo ano.

Segunda edição (prefácio datado de 1927). Com 211 páginas, e 15,7 x 12,3 cm. Lombada fendida, e com marcas de restauro. Miolo com picos de oxidação. Exemplar sólido. Madrid: Compañía Ibero-Americana de Publicaciones, [s.d.].

Preço: 18 euros.



L’ESPAGNE ET LE PORTUGAL

DEPUIS L’INVASION DES CARTHAGINOIS JUSQU’A NOS JOURS
AVEC UN CHAPITRE SPÉCIAL RÉSUMANT LES ANNALES DE
L’INQUISITION
EN ESPAGNE ET EN PORTUGAL

EMMANUEL RAYMOND


Emmnanuel Raymond é pseudónimo do escritor Léon Galibert (1803-1865?). Encadernação editorial. 191 páginas. 15 x 10 cm. É comum apontar o ano de 1862 como o de publicação da primeira edição desta obra, visto ser a última data referida no texto. Colecção Bibliothèque Utile, da Librairie Germer Baillière, Paris. [Será a 2.ª edição de 1885?].

Existe uma cópia digital integral desta precisa edição, a partir de um exemplar existente na Universidade de Califórnia.

Preço: 22 euros.



PRÉ-HISTÓRIA DE PORTUGAL


M. FARINHA DOS SANTOS


2.ª edição revista e actualizada. Dedicatória manuscrita do autor. Ilustrado com fotografias, da autoria de Manuel Leitão, C. T. North, C. Tavares da Silva, Carlos Ferreira de Almeida e J. Justo; e desenhos. Brochado. Usado e em bom estado. 21 x 14,5 cm cm. 175+(1) páginas. Colecção Biblioteca das Civilizações Primitivas. Lisboa: Editorial Verbo, [13 de Fevereiro de] 1974.

Preço: 17 euros.



EL ALMENDRO Y LA ESPADA

POEMAS DE PAZ Y GUERRA


CONDE DE FOXÁ


Poemas de paz e de guerra, de Agustín de Foxá Torroba, Conde de Foxá (1903 – 1959), uma parte dos quais sobre a guerra civil espanhola; refira-se ainda a presença de um Canto a Roma dedicado a Mussolini. Foxá foi jornalista e diplomata falangista, e nas letras destacou-se também como autor de ficção científica.

Capa e desenhos de Jesús Olasagasti (1907 – 1955). Assinatura de posse, a lápis, na capa, do embaixador Luís Norton. Capa com algumas manchas de humidade, e interior impecável, em excelente papel. Intonso. 119 páginas. 21 x 14,5 cm. San Sebastian: Editora Internacional, 1940.

Preço: 25 euros.



10 POESIAS SOBRE A GUERRA CIVIL ESPANHOLA


AGUSTÍN DE FOXÁ


Versão portuguesa de António Manuel COUTO VIANA, que assina uma «sentimental» nota introdutória sobre poetas nacionalistas esquecidos. Com 4 extra-textos, ilustrações de Juan Soutullo, em papel couché. [8]+43+(1) páginas. 23,5 x 16,5 cm. Papel superior. Pequena mancha na capa. Bom estado. Invulgar. Coimbra: Cidadela, 1972.

Preço: 25 euros.



ALBA DE ALJUBARROTA

EL ADVENIMIENTO DE LA CASA DE AVIZ

MARQUÉS DE QUINTANAR


Autografado pelo Marquês de Quintanar com dedicatória ao embaixador Luís Norton, «recordando mi gran amistad con Eugénio de Castro».

Conferencia leída por su Director, el Excmo. Sr. Marqués de Quintanar, en la sala de San Quirce, el 14 de Agosto de 1946.

38 páginas e uma árvore genealógica (desdobrável, 24 x 44 cm) no final, com as origens das Casas de Avis e Bragança. 24 x 17 cm. Manchado nas capas e páginas adjacentes. Segovia: Universidad Popular Segoviana, 1946.

Preço: 20 euros.


 


BISMARCK

ARTÍFICE DE LA TERCERA REPÚBLICA FRANCESA

MARQUÉS DE QUINTANAR


Exemplar autografado pelo autor com dedicatória ao embaixador português Luís Norton, «querido amigo». Prólogo de Ramiro de Maetzu. Brochado. 221 páginas. 20,5 x 14,5 cm. Madrid: Cultura Española, 1936.

Ramiro de Maeztu, assassinado poucos meses após a publicação deste livro, e o Marqués de Quintanar [Fernando Gallego de Chaves Calleja, 1889-1974, Conde de Santibáñez del Río, «amigo fraternal» de António Sardinha e dos integralistas portugueses] foram ambos colaboradores próximos de Primo de Rivera durante a Ditadura. Após a queda da Monarquia e o advento da Segunda República fundaram a revista nacionalista Acción Española (1931-1937), propalado veículo reaccionário de ideias tradicionalistas, anti-liberais, anti-democráticas e anti-parlamentares.

Preço: 30 euros.



A GUERRA CIVIL DE ESPANHA


HELLMUTH GÜNTHER DAHMS


Título original: Der Spanische Bürgerkrieg (1962). Tradução portuguesa de Maria da Graça Cardoso. Ilustrado com 47 fotografias extra-texto, das agências de notícias EFE (Madrid) e Keystone (Paris). 347 páginas. 21 x 14,5 cm. Encadernação editorial, com a sobrecapa original em bom estado de conservação, salvo alguma perda de cor na lombada. Lisboa: Editorial Ibis, 1964 (dois anos antes da edição espanhola).

Preço: 15 euros.



A PSICOLOGIA DA INCOMPETÊNCIA DOS MILITARES


NORMAN F. DIXON


Título original: On the Psychology of Military Incompetence. Tradução de Calado Trindade, Helder Rodrigues, J. A. da Ponte Fernandes, J. M. Martins Dias, Luís Aranha, Manuela Palmeirim, Maria Cecília Colaço e Maria Sobral. 447 páginas. 21 x 13,5 cm. Colecção Viragem, n.º 18.  Manuseado; capa com pequenos defeitos e perdas de cor localizadas; miolo limpo e sólido. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1977.

Preço: 13 euros.



ARMAS DA GUERRILHA


JEAN-LOUIS BRAU


«Pela primeira vez na Europa, a nomenclatura precisa e pormenorizada das técnicas utilizadas, quer em África, quer no Vietname, quer, ainda, na América Latina.»

Dividido em 3 partes: Os Fundamentos da Guerrilha; O Guerrilheiro e as suas Armas; A Formação do Guerrilheiro.

Edição ilustrada com fotografias, desenhos, esquemas e tabelas. Tradução de Zarco Moniz Ferreira. 190 páginas. 20 x 14 cm. Bom exemplar. Lisboa: Ulisseia, [1974].

Preço: 40 euros.



CONTOS DESTA GUERRA


Contos de Isaak BABEL, Wanda WASSILEWSKA, Leónidas SOBOLEV, M. LOSCHENKO, Nikolai TIKHONOV, Vladimiro RUDENY, B. GALIN, A. GOROBOVA, S. WASHENTZEW, Boris YAMPOLSKY, A. SHAROV, W. ZALOBOTNIG, W. KOZHEVNIKOV, A. ISBACH e Z. ZLATOPOLSK.

Traduções de Ersílio Cardoso e Oldemiro César. 198 páginas. 19 x 13 cm. Bom exemplar. N.º 26 da Colecção Contos e Novelas da Editorial Gleba, Lisboa, 1946.

Preço: 12 euros.


Cenas vividas pelos que presenciaram, confrangidos, os horrores e brutalidades da invasão germânica; feitos heróicos dos que defendiam o solo abençoado onde nasceram e onde estavam enterrados os seus avós; engenhosos planos estratégicos de mulheres e crianças que ficavam à retaguarda, numa feroz resistência aos saques, às sevícias e à luxúria dos nazis […] Os seus autores, pertencentes à moderna geração eslava, devem ser quase totalmente desconhecidos em Portugal, mas há nestes contos a humanidade e o poder descritivo dum Gorky ou dum Dostoievsky, dum Korolenko ou dum Tolstoi, tanto do agrado dos nossos leitores.


PARAQUEDISTAS


CAPTAIN F. O. MIKSCHE


No Prefácio, o autor, oficial checo, dedica o livro «à memória dos camaradas, que deram a vida, em 1940, nos campos de batalha da França, combatendo contra o inimigo comum, o Fascismo Internacional.»

Título original: Paratroops. Prefácio do autor. Tradução: Almirante Alberto Aprá e Major Alexandre de Moraes. A obra abrange o período que vai da Guerra Civil de Espanha até à II Guerra Mundial (a decorrer aquando da escrita do livro) e analisa a evolução e diversos aspectos «tropas vindas do ar». O texto é complementado com mapas e diagramas, incluindo um desdobrável no final do livro. Brochado. 248+(4) páginas, com a maior parte dos cadernos por abrir. 19 cm x 13 cm. Bom estado geral. Lisboa: Livraria Popular de Francisco Franco, 1944.

Preço: 17 euros.



OS BUDAS

O CONTRABANDO DE ARMAS

FERRO ALVES


Investigação jornalística de época, de um episódio histórico de contrabando de armas entre Portugal e Espanha, envolvendo o chamado «Grupo dos Budas» — onde pontuava Jaime Cortesão — e a planificação da Revolta de 26 de Agosto de 1931.

Capas e miolo limpos, lombada amarelecida e com uma pequena mancha marginal. Bom exemplar. 157+(3) páginas. 19 x 12 cm. Lisboa: edição do autor, 1935.

Preço: 18 euros.


 


MADRID EM CHAMAS

( IMPRESSÕES VIVIDAS EM ESPANHA )

Z. VILLALBA


A visão da Guerra Civil de Espanha que convinha ao Estado Novo, donde o prefácio de Marcelo Caetano, que elogia no autor o hábito «à disciplina dos factos e das normas», e ser «profissionalmente avesso à deformação literária da realidade», isto perante «os monstros da revolução pseudo-proletária» e os «frios algozes comunistas».

Trata-se de uma «tradução livre», pelo octogenário «Dr. Eduardo de Castro e Almeida», de um «manuscrito» de «um homem de leis, eminente no fôro madrileno». Villalba, Z. será então um pseudónimo? Existe o manuscrito? Nas décadas anteriores, Castro e Almeida (n. 1865), que foi primeiro conservador da Biblioteca Nacional, tornara-se uma autoridade na catalogação de manuscritos em arquivos públicos nacionais.

Capa não assinada. Em brochura e em bom estado, salvo vinco (pouco profundo) de leitura na lombada. 161+(1) páginas. 19 x 12 cm. Sem menção de editor, mas com a referência de ter sido composto e impresso na secção de «Linotypes» d’O Jornal do Comércio e das Colónias [orgão de imprensa alinhado com a ditadura], em Lisboa, 1936.

em conjunto com:

VINGANÇA, de ALFREDO MARQUES. Novela operária. Capa não-assinada. 158+(2) páginas. 19,5 x 13,5 cm. Lisboa: Editorial Hercules, 1933. Capas e lombada cansadas e com defeitos. Pequena assinatura de posse no interior do ante-rosto. Miolo no geral limpo.

Preço (do conjunto: 25 euros.



Rússia, 1918

TESTEMUNHO DOS OPERÁRIOS DE PETROGRADO


Tradução e prefácio de Francisco Ferreira [CHICO DA CUF, 1912-1993]. Ilustrado com 2 fotografias, no texto. Com 50 páginas, e 19 x 12 cm. Marcas inócuas de manuseio e assinatura de posse no canto superior (exterior) do ante-rosto; em bom estado geral. Lisboa: Fernando Pereira editor, [1986?].

Preço: 10 euros.



VIDA DE UM OPERÁRIO NUM PAÍS DE LESTE

( SALÁRIO À PEÇA )

MIKLOS HARASTZI


Um [certo] aspecto surge na componente não fictícia, mas abstracta, do livro — tanto mais abstracta quanto a experiência e o vivido são concretos. Quando se descrevem processos de trabalho precisos, eles elevam-se, por si próprios, à abstracção. Citemos, à letra, esta ou aquela frase do regulamento militar alemão e encontrar-nos-emos a fazer um «pastiche» de Kafka (por exemplo, as regras respeitantes à continência: em marcha, em sentido, deitado, de bicicleta, a cavalo, de carro, etc.). Se descrevermos, minuciosamente, os rituais que se praticam num escritório de administração (os gestos com que se aparam os lápis, por exemplo, ou com que se tiram ou põem os óculos, para os limpar) ou ainda os mil movimentos de um empregado de café, numa sala à cunha, esta pintura fiel parecer-nos-á abstracta e insólita. A tal ponto que até aqueles cujo universo de trabalho se encontra aqui descrito teriam dificuldade em considerar a descrição «realista».

Prefácio de Heinrich Boll,
pp. 9-14

Título da edição original: Darrabér. Traduzido do húngaro por Judit Svaradja e Joel Aizac. Tradução do francês por Miguel de Araújo. Capa de António Pedro. Colecção Vida e Cultura [n.º 79]. 233+(7) páginas. 22 x 15 cm. Capas com leves marcas de uso e guardas com alteração de cor; mantém-se um exemplar em bom estado geral. Lisboa: Livros do Brasil, [1978?].

Preço: 12 euros.



HISTÓRIA SOCIAL DO TRABALHO

DAS ORIGENS ATÉ AOS NOSSOS DIAS

PIERRE JACCARD


Um tomo cuidado, impresso em papel superior e com ilustrações de inúmeros artistas estrangeiros consagrados na história da arte europeia, entre os quais figuram os nomes de Júlio Pomar (2) e Rogério Ribeiro (1); vide índices ↑.

Tradução de Rui de Moura. Ilustrado com 37 extra-textos. 350+[74]+(2) páginas. 25 x 19 cm. Encadernação editorial sintética gravada a ouro na pasta frontal e na lombada. Miolo limpo. Bom exemplar. Lisboa: Livros Horizonte, [196?].

em conjunto com:

O TRABALHO NO SÉCULO XIX. Claude Fohlen. Tradução de Maria de Lurdes Almeida Melo. 143+(9) páginas. 18,3 x 11,5 cm. Bom estado geral. Colecção Breviários de Cultura n.º 4, Lisboa: Estúdios Cor, [Maio de] 1974.

 

Preço: 40 euros.



O PADRE MARCOS E O LIBERALISMO

SEU PAPEL NA REFORMA ECLESIÁSTICA

CURIOSIDADES HISTÓRICAS DOS CONCELHOS DE SESIMBRA E AZEITÃO

CARLOS HYDALGO GOMES DE LOUREIRO


Com foco inicial na “vida e obra” do Padre Marcos Pinto Soares Vaz Preto (1782-1851), maçon, confessor de D. Pedro IV de D. Maria II, etc.  — aborda de seguida um número de sesimbrenses ilustres — e acaba por ser, também, uma invulgar miscelânea de assuntos sesimbrenses e azeitonenses, que toca diversos pequenas questões concernentes a Palmela, Alhos Vedros ou Setúbal.

O autor, Carlos Hidalgo Gomes de Loureiro, nascido em Sesimbra, pertenceu à União Nacional e foi presidente de câmara em Montijo (1929-1932), tendo impulsionado a criação do parque municipal daquela cidade, que acabou por receber o seu nome. Ilustrado com 6 extra-textos: um retrato do Padre Marcos, e seis “vistas” fotográficas de exterior. Sem índice. 104+(12) páginas, por abrir. Formato largo: 24,8 x 19,8 cm. Bom estado geral, com manchas esparsas. Publicado em Sesimbra, [ed. do autor], 1939.

Preço: 40 euros.



SOB OS CIPRESTES

VIDA ÍNTIMA DE HOMENS ILUSTRES

BULHÃO PATO


Capítulos dedicados a: Almeida Garrett, Francisco Maria Bordalo, Lopes de Mendonça, José Estevão, Rodrigo Paganino e João Luís Gonçalves, Luís Augusto Rebelo da Silva, Silva Gaio, Gonçalves Dias, Santos e Silva, Guilherme Braga, António Feliciano de Castilho e Francisco Montês Champalimaud.

Primeira edição, em brochura e em bom estado, embora com ocasionais picos de oxidação e uma falta de papel na contracapa (canto superior exterior, visível numa das fotografias acima). Com (8)+366+(1) páginas, e 18,7 x 11,7 cm (intonso). Lisboa: Livraria Bertrand, 1877.

Preço: 45 euros.



OS DEZ MANDAMENTOS


ÉMILE FAGUET


Obra em 10 volumes. Colecção completa. Com quatro das traduções realizadas pelo poeta Eugénio de Castro. Edição da Livraria Aillaud e Bertrand, Paris-Lisboa, e da Livraria Francisco Alves, Rio de Janeiro, cerca de 1911.

Em brochura. Medidas de cada volume: 15 X 9 cm. Conjunto das lombadas: 8,5 cm. Total de páginas 941 páginas (dez volumes). Estado geral aceitável, com alguns sublinhados e notas, uma ou outra assinatura de posse, ocasional mancha de humidade na capa (ver acima) ou falha de papel na lombada, e inclusão de pedaços de recorte de jornais relativos aos assuntos mencionados. Colecção invulgar, quando completa.

Constituída pelos seguintes títulos e tradutores:

DO AMOR DE SI MESMO. Tradução da 2.ª edição francesa por Souza Brandão. DO AMOR. Tradução da 6.ª edição francesa por Souza Brandão. DA FAMÍLIA. Tradução da 2.ª edição francesa por Eugénio de Castro. DA AMISADE. Tradução portuguesa por Eugénio de Castro. DA VELHICE. Tradução portuguesa por Eugénio de Castro. DA PROFISSÃO. Tradução da 2.ª edição francesa por Souza Brandão. DA PÁTRIA. Tradução da 2.ª edição francesa por Henrique de Figueiredo. DA VERDADE. Tradução portuguesa por Eugénio de Castro. DO DEVER. Tradução pela 2.ª edição francesa por L. Monteiro. DE DEUS. Tradução pela 2.ª edição francesa por L. Monteiro.

Preço do conjunto: 30 euros.



COLECÇÃO LOBO MAU


JEAN CARPENTIER
PARA UMA ANTIPOLÍTICA DA SAÚDE
Tradução de Maria Ponce. Capa de Fernando Felgueiras. 48 páginas. 18,2 x 11 cm. Sublinhado a lápis e com data manuscrita no interior da capa de brochura. Colecção Lobo Mau n.º 1. Lisboa, Editorial Teorema, 1974.
Preço: 7 euros.

WILHELM REICH
RACISMO E FASCISMO
Tradução de Maria Marques. Capa de Fernando Felgueiras. 48 páginas. 18,2 x 11 cm. Colecção Lobo Mau n.º 3. Lisboa, Editorial Teorema, 1974.
Preço: 7 euros.

HERBERT MARCUSE
EXIGIR O IMPOSSÍVEL
Tradução de Maria Marques. Capa de Fernando Felgueiras. 32 páginas. 18,2 x 11 cm. Manuseado. Colecção Lobo Mau n.º 4. Lisboa, Editorial Teorema, 1974.
Preço: 7 euros.

PAUL LAFARGUE
A RELIGIÃO DO CAPITAL
Tradução de J. Mega. Apresentação e notas de Jacques Girault. Capa de Fernando Felgueiras. 78 páginas. 18,2 x 11 cm. Com data manuscrita na página de guarda. Colecção Lobo Mau n.º 5. Lisboa, Editorial Teorema, 1975.
Preço: 7 euros.


(4) Textos ITAU

[23Nov20]


TEXTOS ITAU


Títulos da Colecção Textos ITAU, da ITAU edições, de Júlio Roberto (1929-2013). Plaquetes em formato de bolso (18x11cm), sem menção de local ou data de edição [Lisboa, 196?]:

N.º 1
JOSUÉ DE CASTRO
A EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA E A FOME NO MUNDO
Trabalho originalmente editado na revista Civiltà delle Machine de Julho/Agosto 1968.
34 páginas. Ligeira perda de cor na capa.

N.º 3
JÚLIO ROBERTO
CARTA URGENTE sobre a qualidade da vida
24 páginas. Ligeira perda de cor na capa.

N.º 4
BENTO DE JESUS CARAÇA
A CULTURA INTEGRAL DO INDIVÍDUO
problema central no nosso tempo
40 páginas.

N.º 5
BENTO DE JESUS CARAÇA
A ARTE E A CULTURA POPULAR
26 páginas.


Preço (do conjunto): 12 euros.