MARCELO REBELO DE SOUSA
A REVOLUÇÃO E O NASCIMENTO DO PPD
(Abril de 1974 a Maio de 1975)
2 volumes (obra completa). 1.º volume em 2.ª edição. 2.º Volume em 1.ª edição. Revisão e índices de Vasco Rosa. 1133+xxvii+lx páginas. 15,5 x 24 x 7 cm. Excelente estado de conservação. Lisboa: Bertrand Editora, 2000.
Preço (do conjunto): 20 euros.

CAMARATE
Relatórios Finais das Comissões Parlamentares de Inquérito.
Uma iniciativa do deputado Nuno Melo, presidente da VIII Comissão Parlamentar de Inquérito à Tragédia de Camarate. Coordenação editorial de Helena Alves e Noémia Bernardo. Tiragem de 1000 exemplares, não esgotados. 678 páginas. 15 x 21 cm. Bom estado de conservação. Lisboa: Assembleia da República, 2005.
Preço: 10 euros.

INÊS SERRA LOPES
CAMAROTE. A VERDADE NÃO PRESCREVE
Prefácio de Marcelo Rebelo de Sousa. A jornalista, à época grande repórter d’O Independente, revisita teorias, depoimentos e entrevistas, e acrescenta novos dados ao processo, defendendo, sem quaisquer dúvidas, a teoria do atentado. 250 páginas. 15,5 x 23,5 cm. Bom estado. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1996.
Preço: 15 euros.

AUGUSTO CID
CAMARATE
Augusto Cid, membro do PSD desde 1974 e autor das setas do símbolo do partido, dedicou uma parte da sua vida à investigação do Caso Camarate, e este volume de peso ficou como testemunho desse período e ponto de paragem obrigatório de qualquer pesquisa sobre o Caso. 1.ª edição. Ilustrado. 902 páginas. 14,5 x 21 cm. Com marcas de uso, entre as quais dedicatória não-autoral na página de rosto. Lisboa: Distri Editora, 1984.
Preço: 15 euros.

FRANCISCO SÁ CARNEIRO
TEXTOS (1969-1974)
2 volumes (de um total de 3). Volume 1 de 1969 a 1973, e Volume 2 de 1973 a 1974. Bom estado, embora a lombada do primeiro volume possua alguns vincos. 382+470 páginas. 14 x 21 x 6 cm. Lisboa: Editorial Progresso Social e Democracia, 1982.
Preço (do conjunto): 10 euros.

ANTÓNIO MARIA PEREIRA
O PENSAMENTO DE SÁ CARNEIRO EM POLÍTICA EXTERNA
O autor foi «amigo e advogado de Francisco Sá Carneiro», e deputado pelo PSD. 179 páginas. 13,5 x 21 cm. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1981.
Preço: 10 euros.

[Jornal] O DIÁRIO
WATERGATE SÁ CARNEIRO
(História de Uma Fraude)
«Quando O Diário revelou, em 14 de Abril de 1976, a existência das dívidas dos irmãos Sá Carneiro à banca nacionalizada, o chefe do PSD estava bem longe de imaginar que esse caso iria provocar, quatro anos depois, o pedido de uma reunião extraordinária da Assembleia da República, e que poria em causa o seu ambicionado cargo de Primeiro-Ministro.» Ilustrado. Inclui transcrições e fac-símiles de requerimentos e peças do processo de Sá Carneiro contra o jornal O Diário, e elementos da defesa que factualizam a informação considerada caluniosa pela acusação. 142 páginas. 15 x 21 cm. Capa de Balthazar. Lisboa: Editorial Caminho, 1980.
Preço: 15 euros.


Este slideshow necessita de JavaScript.

A ENGRENAGEM. Variação sobre um tema de Sartre.
Peça de teatro, inspirada na obra homónima de Sartre, e na Revolução Cubana. 93 páginas. 13,5 x 21 cm. Assinatura de posse no rosto. Lisboa: Edição do autor, 1972.
Preço: 12 euros.

A MODERNIDADE NA POESIA PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA
Ensaio escrito em 1974. Exemplar autografado pelo autor com dedicatoria de amizade, datada de 1985. 40 páginas. 13 x 18 cm. Edição Iniciativas Editorias, [Lisboa], 1980. Excelente estado de conservação.
Preço: 20 euros.

NAÇÃO: FIM OU METAMORFOSE?
Ensaio. Capa com fotografia de uma obra de David de Almeida, Do Mar de Hoje / Vela, 1983. Colecção Estudos Gerais, Série Universitária. Tiragem de 2000 exemplares. 101 páginas. 15 x 24 cm. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1990. Como novo.
Preço: 10 euros.

ESQUERDA: A NOVÍSSIMA E A ETERNA
Ensaio. Exemplar autografado pelo autor com dedicatoria de amizade e admiração, datada de 1985. 431 páginas. 14 x 21 cm. Lisboa: Edições O Jornal, 1985. Manuseado. Capa com vincos (vide fotografia).
Preço: 15 euros.

DA IGUALDADE E DA DIFERENÇA DAS CULTURAS
Ensaio. Exemplar emendado e autografado pelo autor com dedicatoria curiosa, datada de 1987. Lisboa: Centro de Estudos dos Povos e Culturas de Expressão Portuguesa da Universidade Católica, 1986. Com 12 páginas e 15,5 x 23 cm. Separata da Revista Povos e Culturas, n.º 1, 1986, sobre «Portugal e os Portugueses: uma perspectiva diacrónica».
Preço: 10 euros.

POESIA (QUASE TODA E ATÉ AGORA)
Reunião da maior parte da poesia do autor até à data, com um prefácio em jeito de balanço e uma menção especial ao poeta Carlos de Oliveira. Capa de Armando Alves. 140 páginas. 15 x 24 cm. Bom exemplar. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, [Outubro de] 1987.
Preço: 15 euros.

PORTUGAL, MEU REMORSO DE TODOS NÓS
Ensaio. Exemplar autografado pelo autor com dedicatoria de amizade e admiração, datada de 1993. Design gráfico de José Serrão. Ilustração da capa de  Jorge Esteves. 285 páginas. 13,5 x 21 cm. Colecção Nosso Mundo. Lisboa: Editorial Caminho, [Setembro de] 1993.
Preço: 15 euros.

O VOSSO AGENTE EM HAVANA E OUTRAS NOVELAS
Novelas. Com desenhos de José Rodrigues. Design de Humberto Nelson. 97 páginas. 24 x 28 cm. Contracapa com ténues marcas de bicho de papel. Vila Nova de Cerveira: Associação dos Amigos do Convento SanPaio, 1999.
Preço: 15 euros.


LIVRO DO CURSO DOS FINALISTAS DE LETRAS 1952
Livro de Curso de José Fernandes Fafe, e outros. Abertura e despedida por Flávio Gonçalves. Capa, desenhos, organização e revisão por Carlos Alberto Louro Fonseca. Caricaturas de Tóssan (40), e outros (Pedro Homero, Juvenal, Teófilo, Ary, Carlos Alberto Louro Fonseca, etc.). Com autógrafo da aluna Maria do Carmo Pereira Soares. A página de aluno de José Fernandes Fafe é um poema-réplica à caricatura que Tóssan lhe fez. A página de João Manuel de Sampayo Leite de Castro inclui um poema de Narana Coissoró. 180 páginas. 18,5 x 25 cm. Composto e impresso nas oficinas da Gráfica de Coimbra, Bairro de S. José, Maio de 1952.
Ver lista completa dos alunos desse ano, e fotografias do livro, aqui.
Preço: 25 euros.

vpv1

«The settings are unashamedly middle-class: all the protagonists have cars, credit cards and maids. The maids, secretaries, receptionists, policemen and shop assistants provide background colour but are distinguished from the main characters by their incorrect speech or strong accents, their interior decorating, their clothes and their manners. The bad taste of the lower classes and the nouveaux-riches is described scornfully and gleefully by both characters and narrators: tracksuits, shoes with tassels, extreme mini-skirts, excess cleavage or man-made fabrics. The assumption of what is good taste and what is bad is never questioned. This clear-cut class divide is patronising and perpetuates stereotyped images of both the bourgeoisie and the working class. Relationships that cross class barriers are frowned upon and broken up by the heroines wherever possible.»

Uma análise muito british, por Claire Williams, da Universidade de Liverpool: Não há coincidências? Women’s Writing in Portugal in 1974 and 2004.

«Lesbians are even less visible in this kind of literature. Rebelo Pinto’s plain, overweight, bitter Maria do Carmo falls in love with her sister-in-law Kika, another “Ugly Duckling” (PCN, 80), and leaves her husband. Her behaviour is explained gradually, as details of her past are revealed: her father was a womaniser who beat her mother into submission and abused her sister. Ironically, Maria do Carmo is one of the few characters whose story ends happily. Lina is another lesbian, a peripheral character who is colourful and eccentric, but nobody’s fool. She is described affectionately (?) as “a chefe do bando das fufas de 1,47m, daquelas baixinhas poderosas que, quando levantam o sobrolho, são capazes de silenciar uma sala repleta de homens” (PCN, 209). These portrayals are extreme and cartoon-like, serving to reinforce stereotypical ideas about homosexuals, confirming preconceived ideas about their appearance, their taste and situating them firmly outside the mainstream – “they” are not “people like us”.»

Um artigo para o congresso da Universidade de Utrecht, THE VALUE OF LITERATURE IN AND AFTER THE SEVENTIES: THE CASE OF ITALY AND PORTUGAL, acontecido em 2004.

editoraPAX

A. Rego Cabral, HORA DE ESPERANÇA, Braga: Sociedade de Expansão Cultural, 1975. /// Comentário político, crónicas do pós-25 de Abril, relação com outras «horas de mudança» da política nacional (1128, 1386, 1580, 1640). /// Brochado. 250 páginas (maioria por abrir). 13 x 19,5 cm. /// Preço: 5 euros.