HISTÓRIA TRÁGICO-MARÍTIMA


BERNARDO GOMES DE BRITO


Capa com desenho de Cruzeiro Seixas. No interior, desenhos de Cruzeiro Seixas, Eurico, Carlos Calvet e José Escada. Fixação do texto, glossário e notas de Neves Águas. Comentários de José Saramago, Fernando Luso Soares e Maria Lúcia Lepecki. Ilustrado com facsimiles de documentos e frontispícios. Maqueta da colecção por Paulo-Guilherme. Arranjo gráfico de José Marques de Abreu.

Obra completa, em 2 volumes. Com ilustrações em papel couché, cxx + 816 páginas, e 18,6 x 13,2 (x 6,8) cm. Exemplares em bom estado geral — lombada e corte superior do miolo amarelecidos, e com manchas maginais leves nas primeiras páginas de cada volume —, sem perda de cor nas capas.

Primorosa edição na Colecção Clássicos das Edições Afrodite / Fernando Ribeiro de Mello, Lisboa, 1971.

Preço: 50 euros.



A SEMENTE NAS PALAVRAS

CONTOS


Capa de Jorge Ulisses. O prefácio, não assinado, fornece detalhes sobre as diferenças entre a primeira edição (1973) e esta 2.ª edição, modificada, pois de uma para outra houve alteração na escolha dos contos e acréscimo de quatro autores — um dos quais Saramago.

Contos de Alves Redol, Fernando Namora, José Cardoso Pires, José Gomes Ferreira, José Manuel Mendes, José Saramago, Maria Judite de Carvalho, Maria Ondina Braga, Santos Simões e Urbano Tavares Rodrigues.

Brochado. 193+(7) páginas. 18,2 x 11,5 cm. Bom exemplar. Colecção Ficção do Nosso Tempo, n.º 3. Coimbra: Centelha, 1977.

Preço: 20 euros.


Urbano_CasaCorrecção


CASA DE CORRECÇÃO


URBANO TAVARES RODRIGUES


Novelas. Segunda edição revista pelo autor. Prefácio de José Saramago. Capa de Henrique Ruivo. Brochado. 196 páginas. 19 x 12,2 cm. Lisboa: Livraria Bertrand, [1972].

Preço: 12 euros.


 


O BARÃO


ANTÓNIO MADEIRA


A primeira edição da novela O BARÃO, Cascais-Nazaré, Março-Abril 40, publicada sob o pseudónimo António Madeira por Branquinho da Fonseca [o «inventor das ‘carrinhas da Gulbenkian’», o grande «missionário» do Serviço de Bibliotecas Itinerantes da FCG, a partir do final da década de 50].

Capa de Fred Kradolfer. Exemplar da tiragem regular. Brochado. 71+(9) páginas. 19 x 12,2 cm. Capa e lombada com pequenas manchas. Colecção Novelas Inquérito n.º 46. Lisboa: Editorial Inquérito, 1942.

Preço: 20 euros.


 


MADRID EM CHAMAS

( IMPRESSÕES VIVIDAS EM ESPANHA )

Z. VILLALBA


A visão da Guerra Civil de Espanha que convinha ao Estado Novo, donde o prefácio de Marcelo Caetano, que elogia no autor o hábito «à disciplina dos factos e das normas», e ser «profissionalmente avesso à deformação literária da realidade», isto perante «os monstros da revolução pseudo-proletária» e os «frios algozes comunistas».

Trata-se de uma «tradução livre», pelo octogenário «Dr. Eduardo de Castro e Almeida», de um «manuscrito» de «um homem de leis, eminente no fôro madrileno». Villalba, Z. será então um pseudónimo? Existe o manuscrito? Nas décadas anteriores, Castro e Almeida (n. 1865), que foi primeiro conservador da Biblioteca Nacional, tornara-se uma autoridade na catalogação de manuscritos em arquivos públicos nacionais.

Capa não assinada. Em brochura e em bom estado, salvo vinco (pouco profundo) de leitura na lombada. 161+(1) páginas. 19 x 12 cm. Sem menção de editor, mas com a referência de ter sido composto e impresso na secção de «Linotypes» d’O Jornal do Comércio e das Colónias [orgão de imprensa alinhado com a ditadura], em Lisboa, 1936.

em conjunto com:

VINGANÇA, de ALFREDO MARQUES. Novela operária. Capa não-assinada. 158+(2) páginas. 19,5 x 13,5 cm. Lisboa: Editorial Hercules, 1933. Capas e lombada cansadas e com defeitos. Pequena assinatura de posse no interior do ante-rosto. Miolo no geral limpo.

Preço (do conjunto: 25 euros.