GUIMARÃES

GUIA DE TURISMO


ALFREDO GUIMARÃES


Detalhado guia de Guimarães, publicado por altura do centenário da elevação a cidade. Ilustrado com inúmeras fotografias e desenhos, vegetais e desdobráveis. Gravuras de Marques de Abreu. Colaboração fotográfica de Américo Teixeira Lopes, Amílcar Lopes, Armando Teixeira de Faria, Domingos Alves Machado e Marques Abreu, Foto-Cine e Fotografia Alvão.

2ª edição (5º milhar). Brochado. 206+(5) páginas. 18,5 cm x 12,5 (x 2,8) cm. Impresso em papel couché. Capa e guardas com pequenas manchas. Miolo limpo. Guimarães: Câmara Municipal de Guimarães, 1953.

Preço: 30 euros.



O CÁLICE GÓTICO DO MOSTEIRO DE SÃO TORCATO


ALFREDO GUIMARÃES


Ilustrado com desenhos de Augusto Gomes e Joaquim Teixeira; aguarelas de João Jorge Maltieira; e fotografias de Alvão e António de Sousa Lima.

Inclui os estudos: «O Cálice Gótico do Mosteiro de São Torcato» — «A Escultura em Guimarães – Santa Margarida» — «Os Novos Frescos de Cerzedelo» — «Bordado Artístico do Egipto Cristão» — «Duas Obras da Escola de Bolonha».

In-fólio de 74+(10) páginas e 31,5 x 24,5 cm. Ilustrado com extra-textos. Exemplar estimado. N.º 3 da Colecção de Estudos do Museu Alberto Sampaio. Colaboração entre a Câmara Municipal de Guimarães, o Instituto para a Alta Cultura e a Junta de Província do Minho. Impresso na Litografia Nacional, Porto, 1953.

Preço: 40 euros.



O CONCELHO DE PENAMACÔR

na História, na Tradição e na Lenda


JOSÉ MANUEL LANDEIRO


Com capítulos sobre o concelho e a vila, antigas paróquias e igrejas, procissões, roda e cemitérios, a guarnição militar, médicos e farmacêuticos, magistrados e empregados públicos, famílias nobres e homens ilustres, filhos adoptivos, a imprensa, associações, povoações e fortalezas antigas, freguesias e ermidas, terminando com algumas das mais emblemáticas lendas religiosas da região: as pragas de gafanhotos, a patinha da burrinha de Nossa Senhora, o milagre do cativo cristão, etc.

Prefácio de Jaime Lopes Dias. Desenhos de Júlio Fidalgo de Oliveira. xvi + 257 páginas.  17 x 24,5 cm. Ilustrado (fotografia, desenho), no texto e extra-texto. Primeira edição (republicado em 1982, 1988 e 1995). Em bom estado geral: capa com manchas, miolo limpo. Vila Nova de Famalicão: Grandes Ateliers Gráficos Minerva, 1938.

Preço: 40 euros.



A HORA UNIVERSAL
DOS PORTUGUESES


PEDRO VEIGA


Autografado pelo autor com dedicatória a Falcão Machado, a quem dirige uma carta-manuscrita — na sua inconfundível caligrafia, em curioso papel amarelo (17,3 x 13,5 cm), assinada mas não datada, com 4 páginas (uma “em branco”) e cerca de 202 palavras, — comentando, com interesse literário evidente, alguns assuntos bibliográficos e artísticos conimbricenses em comum:

«Penso que não faria mal eu tratar pictoralmente Coimbra nos ex-libris e nos selos postais. E também na literatura musical. Nos fadunchos!»

Com ex-libris de Pedro Veiga. Sobrecapa editorial em papel marmoreado. Tiragem numerada e assinada (este o n.º XXXI, de um total não indicado). Ligeiros picos de oxidação. Bom estado geral. 16 páginas, por abrir. 22,7 x 17,5 cm. Porto: Edições «Prometeu», [s.d.].

Conjunto invulgar.

Preço: 115 euros.



PARA UM «DOSSIER» GULBENKIAN


MÁRIO VIEIRA DE CARVALHO


Referências a situações respeitantes aos Festivais de Música Gulbenkian, à Orquestra Gulbenkian, a Jorge Peixinho, Michel Giacometti, Carlos Franco, Álvaro Machado, e outros, terminando com um capítulo sobre a relação da Fundação «com o regime fascista». Vide índice ↑.

Autografado pelo autor com dedicatória datada. 158+(2) páginas. 18,5 x 11,8 cm. Capa com desgaste nas arestas e cantos, sem perda de cor. Miolo limpo. Lisboa: Editorial Estampa, (Novembro de) 1974.

Preço: 20 euros.



CONVERSAS


MÁRIO VENTURA


14 ENTREVISTADOS: Agustina Bessa Luís — António Lobo Antunes — Augusto Abelaira — Camilo José Cela — Fernando Namora — Jorge Amado — José Cardoso Pires — José Gomes Ferreira — José Saramago — Maria Velho da Costa — Natália Correia — Nuno Bragança — Urbano Tavares Rodrigues — Vergílio Ferreira.

À excepção das entrevistas com Maria Velho da Costa e José Saramago, realizadas propositadamente para este volume, todas as restantes foram publicadas no Diário de Notícias.

Ilustrado com fotografias dos entrevistados, da autoria de Inácio Ludgero. 195 páginas. 23,5 x 15,4 cm. Ligeira descoloração na lombada. Bom estado geral. Colecção Figuras n.º 5. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1986,

Preço: 20 euros.



LIVRO NEGRO

INSTRUÇÕES SECRETAS PARA A SUBVERSÃO DA SOCIEDADE MODERNA


TITO KOWALSKI


[Pseudónimo não identificado de autor português.] Começando por justificar uma afirmação de Álvaro Cunhal, após encontro com Georges Marchais, de que «o eurocomunismo não se aplica em Portugal», o texto parte para a análise de alguns comunismos europeus (Itália, França, …), antes de uma digressão pela história recente de algumas insurreições armadas, e a sua sustentação teórica em diversos autores, de uma forma não muito clara (vide índice ↑). As instruções são, principalmente, tópicos.

Capa de V.M. 73+(7) páginas. 20,8 x 14,7 cm. Selo e etiqueta destacável, na guarda, da agência de jornais Jornália, nas Caldas da Rainha. Capa com marcas de manuseio, miolo limpo: bom exemplar. Impresso na Tipave, em Aveiro. Queluz: Literal, 1977.

Preço: 17 euros.



PREOCUPAÇÕES DE UM DEPUTADO

I.
A GRANDE ESPERANÇA

ANTÓNIO MARTINS DA CRUZ


Autografado por Martins da Cruz, com «um abraço de amizade e admiração» ao professor Carlos Silva.

Abre com bibliografia e prefácio do autor. Seguem-se intervenções sobre questões educativas, na Assembleia Nacional, entre Janeiro de 1962 e Dezembro de 1964, onde pugna pela igualdade de instrução para todos; abertura e melhoria de escolas no Fundão, Castelo Branco (Liceu Nuno Álvares e inexistência de um Liceu Feminino), Sertã, e Beira-Baixa em geral; ou melhores orçamentos para a Educação (vide índice nas fotografias acima).

Com xxxix+(1)+205+(3) páginas, e 23,5 x 16 cm. Capa com muitos picos de oxidação. Miolo limpo. Lisboa: edição do autor [composto e impresso nas oficinas da Imprensa de Coimbra], 1965.

Preço: 25 euros.



QUATRO ANOS NA ASSEMBLEIA NACIONAL


JACINTO FERREIRA


Quatro Anos na Assembleia Nacional é uma colecção de intervenções políticas onde o autor começa por justificar o sentido da presença de um monárquico numa assembleia parlamentar. Destacam-se em seguida intervenções em questões como: o reforço do apoio à investigação científica; mais e melhores bolsas de estudo; equiparação entre os diferentes tipos de jornalistas; redução de impostos nos três primeiros anos da entrada do cidadão no mercado de trabalho; ou mesmo uma intervenção em favor de um indulto ao capitão Jorge Valadas, um tema tabú na época.

António Jacinto Ferreira, 1906-1995, veterinário e professor universitário, fundou durante a legislatura de que este volume deixa testemunho, 1949-1952, o semanário monárquico O Debate (1951).

Capa muito manchada, miolo no geral limpo. Carimbo coevo de “oferta”, na capa. 201+(3) páginas. 22,7 x 16 cm. Lisboa: Edição das Comissões de Freguesia de Lisboa da Causa Monárquica, 1953.

Preço: 22 euros.



MEMÓRIAS DUM REVOLUCIONÁRIO

Subsídios para a História do Movimento de 28 de Maio


VIEIRA COELHO


Vieira Coelho fez parte do Comité Revolucionário, foi Governador Civil de Coimbra, e Santarém, tendo ainda sido Chefe de Gabinete do Ministro do Interior. Desvela neste seu testemunho de fim de carreira alguns preparativos, nomes e locais onde se planificou o golpe.

Exemplar com dedicatória autógrafa autoral ao seu «ilustre sucessor na 8.ª Conservatória, e colega sempre amigo e leal», na página de guarda, datada de 1953. Edição do autor, em Lisboa, 1951. Com 94 páginas (por abrir), e 20 x 13 cm. Em bom estado salvo picos ténues de oxidação na capa.

Preço: 35 euros.


“Revolucionário”, neste caso, com o sentido de participante na “Revolução Nacional”, nome pelo qual, até ao 25 de Abril, se referia o golpe de estado de 28 de Maio de 1926, que pôs termo à I República e abriu caminho ao futuro Estado Novo.


L’ESPAGNE ET LE PORTUGAL

DEPUIS L’INVASION DES CARTHAGINOIS JUSQU’A NOS JOURS
AVEC UN CHAPITRE SPÉCIAL RÉSUMANT LES ANNALES DE
L’INQUISITION
EN ESPAGNE ET EN PORTUGAL

EMMANUEL RAYMOND


Emmnanuel Raymond é pseudónimo do escritor Léon Galibert (1803-1865?). Encadernação editorial. 191 páginas. 15 x 10 cm. É comum apontar o ano de 1862 como o de publicação da primeira edição desta obra, visto ser a última data referida no texto. Colecção Bibliothèque Utile, da Librairie Germer Baillière, Paris. [Será a 2.ª edição de 1885?].

Existe uma cópia digital integral desta precisa edição, a partir de um exemplar existente na Universidade de Califórnia.

Preço: 22 euros.



PRÉ-HISTÓRIA DE PORTUGAL


M. FARINHA DOS SANTOS


2.ª edição revista e actualizada. Dedicatória manuscrita do autor. Ilustrado com fotografias, da autoria de Manuel Leitão, C. T. North, C. Tavares da Silva, Carlos Ferreira de Almeida e J. Justo; e desenhos. Brochado. Usado e em bom estado. 21 x 14,5 cm cm. 175+(1) páginas. Colecção Biblioteca das Civilizações Primitivas. Lisboa: Editorial Verbo, [13 de Fevereiro de] 1974.

Preço: 17 euros.



ALBA DE ALJUBARROTA

EL ADVENIMIENTO DE LA CASA DE AVIZ

MARQUÉS DE QUINTANAR


Autografado pelo Marquês de Quintanar com dedicatória ao embaixador Luís Norton, «recordando mi gran amistad con Eugénio de Castro».

Conferencia leída por su Director, el Excmo. Sr. Marqués de Quintanar, en la sala de San Quirce, el 14 de Agosto de 1946.

38 páginas e uma árvore genealógica (desdobrável, 24 x 44 cm) no final, com as origens das Casas de Avis e Bragança. 24 x 17 cm. Manchado nas capas e páginas adjacentes. Segovia: Universidad Popular Segoviana, 1946.

Preço: 20 euros.


 


BISMARCK

ARTÍFICE DE LA TERCERA REPÚBLICA FRANCESA

MARQUÉS DE QUINTANAR


Exemplar autografado pelo autor com dedicatória ao embaixador português Luís Norton, «querido amigo». Prólogo de Ramiro de Maetzu. Brochado. 221 páginas. 20,5 x 14,5 cm. Madrid: Cultura Española, 1936.

Ramiro de Maeztu, assassinado poucos meses após a publicação deste livro, e o Marqués de Quintanar [Fernando Gallego de Chaves Calleja, 1889-1974, Conde de Santibáñez del Río, «amigo fraternal» de António Sardinha e dos integralistas portugueses] foram ambos colaboradores próximos de Primo de Rivera durante a Ditadura. Após a queda da Monarquia e o advento da Segunda República fundaram a revista nacionalista Acción Española (1931-1937), propalado veículo reaccionário de ideias tradicionalistas, anti-liberais, anti-democráticas e anti-parlamentares.

Preço: 30 euros.



ARMAS DA GUERRILHA


JEAN-LOUIS BRAU


«Pela primeira vez na Europa, a nomenclatura precisa e pormenorizada das técnicas utilizadas, quer em África, quer no Vietname, quer, ainda, na América Latina.»

Dividido em 3 partes: Os Fundamentos da Guerrilha; O Guerrilheiro e as suas Armas; A Formação do Guerrilheiro.

Edição ilustrada com fotografias, desenhos, esquemas e tabelas. Tradução de Zarco Moniz Ferreira. 190 páginas. 20 x 14 cm. Bom exemplar. Lisboa: Ulisseia, [1974].

Preço: 40 euros.



OS BUDAS

O CONTRABANDO DE ARMAS

FERRO ALVES


Investigação jornalística de época, de um episódio histórico de contrabando de armas entre Portugal e Espanha, envolvendo o chamado «Grupo dos Budas» — onde pontuava Jaime Cortesão — e a planificação da Revolta de 26 de Agosto de 1931.

Capas e miolo limpos, lombada amarelecida e com uma pequena mancha marginal. Bom exemplar. 157+(3) páginas. 19 x 12 cm. Lisboa: edição do autor, 1935.

Preço: 18 euros.


 


MADRID EM CHAMAS

( IMPRESSÕES VIVIDAS EM ESPANHA )

Z. VILLALBA


A visão da Guerra Civil de Espanha que convinha ao Estado Novo, donde o prefácio de Marcelo Caetano, que elogia no autor o hábito «à disciplina dos factos e das normas», e ser «profissionalmente avesso à deformação literária da realidade», isto perante «os monstros da revolução pseudo-proletária» e os «frios algozes comunistas».

Trata-se de uma «tradução livre», pelo octogenário «Dr. Eduardo de Castro e Almeida», de um «manuscrito» de «um homem de leis, eminente no fôro madrileno». Villalba, Z. será então um pseudónimo? Existe o manuscrito? Nas décadas anteriores, Castro e Almeida (n. 1865), que foi primeiro conservador da Biblioteca Nacional, tornara-se uma autoridade na catalogação de manuscritos em arquivos públicos nacionais.

Capa não assinada. Em brochura e em bom estado, salvo vinco (pouco profundo) de leitura na lombada. 161+(1) páginas. 19 x 12 cm. Sem menção de editor, mas com a referência de ter sido composto e impresso na secção de «Linotypes» d’O Jornal do Comércio e das Colónias [orgão de imprensa alinhado com a ditadura], em Lisboa, 1936.

em conjunto com:

VINGANÇA, de ALFREDO MARQUES. Novela operária. Capa não-assinada. 158+(2) páginas. 19,5 x 13,5 cm. Lisboa: Editorial Hercules, 1933. Capas e lombada cansadas e com defeitos. Pequena assinatura de posse no interior do ante-rosto. Miolo no geral limpo.

Preço (do conjunto: 25 euros.



O PADRE MARCOS E O LIBERALISMO

SEU PAPEL NA REFORMA ECLESIÁSTICA

CURIOSIDADES HISTÓRICAS DOS CONCELHOS DE SESIMBRA E AZEITÃO

CARLOS HYDALGO GOMES DE LOUREIRO


Com foco inicial na “vida e obra” do Padre Marcos Pinto Soares Vaz Preto (1782-1851), maçon, confessor de D. Pedro IV de D. Maria II, etc.  — aborda de seguida um número de sesimbrenses ilustres — e acaba por ser, também, uma invulgar miscelânea de assuntos sesimbrenses e azeitonenses, que toca diversos pequenas questões concernentes a Palmela, Alhos Vedros ou Setúbal.

O autor, Carlos Hidalgo Gomes de Loureiro, nascido em Sesimbra, pertenceu à União Nacional e foi presidente de câmara em Montijo (1929-1932), tendo impulsionado a criação do parque municipal daquela cidade, que acabou por receber o seu nome. Ilustrado com 6 extra-textos: um retrato do Padre Marcos, e seis “vistas” fotográficas de exterior. Sem índice. 104+(12) páginas, por abrir. Formato largo: 24,8 x 19,8 cm. Bom estado geral, com manchas esparsas. Publicado em Sesimbra, [ed. do autor], 1939.

Preço: 40 euros.



SOB OS CIPRESTES

VIDA ÍNTIMA DE HOMENS ILUSTRES

BULHÃO PATO


Capítulos dedicados a: Almeida Garrett, Francisco Maria Bordalo, Lopes de Mendonça, José Estevão, Rodrigo Paganino e João Luís Gonçalves, Luís Augusto Rebelo da Silva, Silva Gaio, Gonçalves Dias, Santos e Silva, Guilherme Braga, António Feliciano de Castilho e Francisco Montês Champalimaud.

Primeira edição, em brochura e em bom estado, embora com ocasionais picos de oxidação e uma falta de papel na contracapa (canto superior exterior, visível numa das fotografias acima). Com (8)+366+(1) páginas, e 18,7 x 11,7 cm (intonso). Lisboa: Livraria Bertrand, 1877.

Preço: 45 euros.



alguns títulos da Colecção

TEXTOS MARGINAIS


 

PAUL A. BARAN / PAUL M. SWEEZY
O SISTEMA IRRACIONAL
2.ª edição. Tradução de Emanuel Cirne. Edição de Henrique A. Carneiro. 51 páginas. 18 x 9 cm. Bom exemplar. Colecção Textos Marginais n.º 1, Porto, 1974.
Preço: 4 euros.

ANDRÉS NIN
A GUERRA CIVIL DE ESPANHA
Introdução de B. D. Wolfe. Coordenação e edição de António Daniel Abreu. 50 páginas. 18 x 9 cm. Bom exemplar, estimado. Colecção Textos Marginais n.º 2, Porto, 1972.
Preço: 5 euros.

WILHELM REICH
O COMBATE SEXUAL DA JUVENTUDE
Coordenação e edição de António Daniel Abreu. 192 páginas. 18 x 9 cm. Com assinatura de posse no rosto. Interior das capas e primeira e última página com marcas de fita cola. Colecção Textos Marginais n.º 3, Porto, 1972.
Preço: 4 euros.

FRIEDRICH ENGELS
CONTRIBUIÇÃO PARA A HISTÓRIA DO CRISTIANISMO PRIMITIVO
2.ª edição. Tradução de Jorge Vieira. Revisão de A. Simões. Coordenação e edição de António Daniel Abreu. 43 páginas. 18 x 9 cm. Com assinaturas de posse no verso da capa, rosto e última página. Interior das capas e primeira e última páginas com marcas de fita cola. Colecção Textos Marginais n.º 4, Porto, 1972.
Preço: 3 euros.

VV AA
OS CRISTÃOS E A LIBERTAÇÃO DOS POVOS
Autores: Yves Jolif, Jean Cardonnel, Francisco Lages Pessoa, e outros. Textos seleccionados e traduzidos por J. Magalhães. Volume editado por F. Osório. 139+(5) páginas. 17,9 x 8,8 cm. Muito bom exemplar. Colecção Textos Marginais n.º 5, Porto, [Maio de] 1972.
Preço: 5 euros.

JEAN-JACQUES ROUSSEAU
DISCURSO SOBRE AS ARTES E AS CIÊNCIAS

Tradução de António Ribeiro. Revisão de A. Simões. Edição de António Daniel Abreu. 56 páginas. 18 x 9 cm. Colecção Textos Marginais n.º 6, Porto, 1972.
Preço: 5 euros.

PIERRE VELLAY / G. L. WILLOX / JOSHUA S. HORN / EDGAR SNOW et alia
A MEDICINA E A VIDA HOSPITALAR NA R. P. DA CHINA
Testemunhos sobre a República Popular da China

3ª edição. Tradução de A. Cruz. Revisão de A. Simões. Edição de Henrique A. Carneiro. 144 páginas. 18 x 9 cm. Óptimo exemplar. Colecção Textos Marginais n.º 7, Porto, 1975.
Preço: 4 euros.

PAULO FREIRE
UMA EDUCAÇÃO PARA A LIBERDADE

Tradução de José Reis e Fátima Silva. 70 páginas. 18 x 9 cm. Bom estado. Colecção Textos Marginais n.º 8, Porto, 1972.
Preço: 5 Euros.

CONSTANTIN SINELNIKOFF
A FUNÇÃO DO ORGASMO EM WILHELM REICH
Tradução de J. Reis. Edição de Henrique A. Carneiro. 50 páginas. 18 x 9 cm. Com assinaturas de posse no ante-rosto e rosto. Colecção Textos Marginais n.º 9, Porto, 1973.
Preço: 3 euros.

CHARLES FOURIER
O NOVO MUNDO INDUSTRIAL E SOCIETÁRIO
e outros textos – antologia

Tradução de Patrícia Boanova. Edição de Henrique A. Carneiro. 129 páginas. 18 x 9 cm. Bom estado. Colecção Textos Marginais n.º 10, Porto, 1973.
Preço: 4 euros.

RADOVAN RICHTA
REVOLUÇÃO CIENTÍFICA E TÉCNICA E TRANSFORMAÇÕES SOCIAIS

Tradução de Patrícia Boanova. Edição de Henrique A. Carneiro. 65 páginas. 18 x 9 cm. Colecção Textos Marginais n.º 11, Porto, 1973.
Preço: 4 euros.

CELSO FURTADO / CLAUDE JULIEN / MILES D. WOLPIN / STANLEY HOFFMAN / CHARLES P. KINDLEBERGER
IMPÉRIO E IMPERIALISMO AMERICANO

Edição de Henrique A. Carneiro. 184 páginas. 18 x 9 cm. Ténues marcas de uso. Colecção Textos Marginais n.º 12, Porto, 1973.
Preço: 4 euros.

CH. ROUGE
UMA INICIAÇÃO À ECONOMIA
2.ª edição. Tradução de C. Queiroz. Edição de Henrique A. Carneiro. 64 páginas. 18 x 9 cm. Bom estado. Colecção Textos Marginais n.º 13, Porto, [9 de Maio de] 1974.
Preço: 3 euros.

MAURO FOTIA
IDEOLOGIAS E ELITES CONTEMPORÂNEAS

Edição de Henrique A. Carneiro. 57 páginas. 18 x 9 cm. Com assinaturas de posse no verso da capa e rosto. Interior das capas e primeira e última páginas com marcas de fita cola. Colecção Textos Marginais n.º 14, Porto, 1973.
Preço: 4 euros.

HARRY MAGDOFF, PAUL A. BARAN, PAUL M. SWEEZY
TEORIA E HISTÓRIA DO CAPITALISMO MONOPOLISTA

Revisão de António José Fonseca. Edição de Henrique A. Carneiro. Com assinaturas de posse no verso da capa e rosto. Interior das capas e primeira e última páginas com marcas de fita cola. 103+(9) páginas. 18 x 9 cm. Colecção Textos Marginais n.º 15, Porto, 1974.
Preço: 4 euros.

THEO DIETRICH
PARA UMA PEDAGOGIA ACTIVA SOCIALISTA
a educação pelo trabalho de Pavel P. Blonsky

Tradução de Patrícia Boanova. Revisão de Manuel Soares. Edição de Henrique A. Carneiro. 57 páginas. 18 x 9 cm. Bom estado. Colecção Textos Marginais n.º 20, Porto, 1974.
Preço: 4 euros.

DAVID RIAZANOV
SOCIALISMO, CASAMENTO E FAMÍLIA
a doutrina socialista do casamento

Tradução de A. Cruz. Revisão de A. Simões. Edição de Henrique A. Carneiro. 57 páginas. 18 x 9 cm. Com assinaturas de posse no verso da capa e rosto. Interior das capas e primeira e última páginas com marcas de fita cola. Colecção Textos Marginais n.º 22, Porto, 1975.
Preço: 3 euros.

PAUL M. SWEEZY, RICHARD WOLFF, THEOTÓNIO DOS SANTOS, HARRY MAGDOFF
ECONOMIA POLÍTICA DO IMPERIALISMO

Tradução de A. Cruz. Revisão de A. Simões. Edição de Henrique A. Carneiro. 90 páginas. 18 x 9 cm. Com assinaturas de posse no verso da capa e rosto. Colecção Textos Marginais n.º 23, Porto, 1975.
Preço: 3 euros.


 


LIVRO DA ENSINANÇA DE
BEM CAVALGAR TODA SELA

que fez

EL-REY DOM EDUARTE


Edição crítica por Joseph M. Piel. Texto fac-similado da primeira edição (1944). Capa com pormenor de Historia de Nastagio degli Honesti — II, 1483, de Botticelli. xxii+160+(8) páginas. 24 x 15 cm. Capa com mínimas marcas de manuseio, interior impecável: um bom exemplar. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1986.

Preço: 22 euros.



VIAGEM ATRAVÉS DUNS OLHOS VERDES


URBANO RODRIGUES


Nestes agitados tempos muita gente não compreende como possa alguém dedicar-se a escrever romances. Eu entendo que a nossa vida não deve ter suspensões senão aquelas que não podemos evitar, e que trabalhar cada um serenamente no seu sector é sempre um serviço útil e digno de respeito.
Posto isto, seja-me permitido advertir o leitor amável — e esse é o fim principal destas linhas — de que encontrará adiante algumas frases e muitas palavras do árabe vulgar, cuja significação indico em chamadas ao fundo das páginas. (…) 
[início do «Esclarecimento», nota inicial do autor, pp. 5-6]

Romance. Assinado pelo autor [preso durante o sidonismo, antigo chefe de gabinete e secretário de Afonso Costa, e pai do escritor Urbano Tavares Rodrigues] com dedicatória de «muito apreço» ao «Dr. Alberto Reis». Lombada amarelecida. Ocasionais manchas no miolo. Bom estado geral. Composto e impresso nas oficinas gráficas da Empresa Nacional de Publicidade, Lisboa, 1940.

Preço: 25 euros.



MEMÓRIAS DE PEYROTEO

1937-38 / 1949-50

FERNANDO PEYROTEO


Um dos mais extraordinários jogadores portugueses de todos os tempos, detentor de recordes imbatidos mais de 60 anos passados, fez parte, com Travassos, Jesus Correia, Albano e Vasques, do temível quinteto atacante do Sporting Clube de Portugal que assinou 1211 golos em 1547 jogos: os “Cinco Violinos”.

Exemplar estimado, com dedicatória do autor, em Maio de 1957, ano da publicação. Prefácio de Cândido de Oliveira. Ilustrado com desenhos, fotografias e fac-similes de artigos de jornal. 392 páginas. 21,5 x 15,5 cm. Bom estado. Invulgar. Lisboa: edição do autor, 1957.

Preço: 40 euros.



EM VOLTA DA MINHA PROFISSÃO

SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO MOVIMENTO OPERÁRIO NO PORTUGAL CONTINENTAL

ALEXANDRE VIEIRA


Obra da autoria de um operário gráfico, com uma ficha técnica onde (naturalmente) constam todos os intervenientes no processo de produção tipográfica: revisão de Joaquim Gonçalves Piçarra, direcção tipográfica de Luís Cunha e Valeriano José Cavaco, paginação de Germinal de Sousa, composição dos linotipistas Manuel Luís de Sá e José Paiva Guerreiro, impressão de Francisco Martins Palma, gravuras de Belfranco, direcção do trabalho de brochura de Arnaldo da Silva Cruz. Impresso na Tipografia «Gráfica Boa Nova», na Rua Morais Soares, Lisboa.

Ilustrado. 228 páginas. 22,5 x 17 cm. Capa com sinais marginais de manuseio e miolo limpo e em bom estado. Lisboa: Edição do autor, 1950.

Preço: 27 euros.



DOCUMENTOS PARA A

HISTÓRIA DA TIPOGRAFIA PORTUGUESA

NOS SÉCULOS XVI E XVII


VENÂNCIO DESLANDES


Reprodução em fac-símile do exemplar com data de 1888 da Biblioteca da INCM. Introdução de Artur Anselmo. Com um retrado de Venâncio Deslandes, reprodução de uma gravura de 1905. [Índice dos tipógrafos reproduzido em duas das fotografias supra ⇑ ]. Edição sob os auspícios da Comissão Executiva do V Centenário do Livro Impresso em Portugal. Em bom estado. 316+(4) páginas. 24,4 x 16,8 cm. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1988.

Preço: 35 euros.



ANTIGUIDADE TARDIA E PALEOCRISTIANISMO
EM PORTUGAL


M. JUSTINO MACIEL


Trabalho de investigação sobre História da Arte e Arqueologia na área da Antiguidade, em que se apresenta uma nova sistematização dos dados existentes da Antiguidade Tardia em Portugal e seus testemunhos artísticos. Após um levantamento dos refereciais históricos, arqueológicos e literários disponíveis, equaciona-se a interacção que neste contexto existe entre a cidade e o campo, bem como a progressiva abertura a este último e os reflexos que tal dinâmica produz nas manifestações artísticas.
Um estudo dos signos visivelmente conotados com as religiões orientais revela que eles se apresentam numa comunidade de uso de que participam quer a cultura romana quer o crisitianismo. A constatação desta realidade surge como profundamente significante de uma evolução da arte da Antiguidade Tardia numa dinâmica entre a opacidade e a transparência, que vem permitir novas abordagens da escultura, do mosaico e mesmo da arquitectura, da pintura e da decoração de cerâmica. Na sequência desta constatação, efectua-se uma nova leitura dos mais importantes monumentos dos contextos romano tardio, suevo e visigótico, progressivamente conotados com as propostas vivenciais cristãs. No centro desta realidade, quer numa perspectiva sintagmática, quer numa perspectiva paradigmática, estudam-se os monumentos de Tróia de Setúbal, onde a arte romana tardia se revela plenamente como em qualquer outro ponto do Império Romano. Esta investigação desenvolveu-se [ainda com] trabalhos de campo em vários [outros] locais, designadamente em Conímbriga, [e] na Villa Romana do Montinho das Laranjeiras (Algarve).

Com prólogos de J.M. Bairrão Oleiro e Theodor Hauschild. Ilustrado com fotografias, desenhos e plantas. 347 páginas. Formato álbum: 21 x 29,5 cm. Capa manuseada, miolo limpo e em bom estado. Lisboa: Edições Colibri, 1996.

Preço: 27 euros.



RELIGIÕES DA LUSITÂNIA


J. LEITE DE VASCONCELOS


[U]m livro ímpar, pela amplitude e rigor da pesquisa,
pelo sólido travejamento, pelo poder evocativo de tempos passados.

[Orlando Ribeiro]

Obra completa em 3 volumes, na reedição fac-similada da primeira edição, colecção Temas Portugueses da Imprensa Nacional-Casa da Moeda, Lisboa, 1981.

Ilustrados a cor e a preto, e com desdobráveis. 3 volumes de (8)+xl+440+(10) págs.; (4)+xviii+372+(6) págs; e (6)+xviii+636+(4) págs. Com 24,2 x 15 (x 8,3) cm. Miolo limpo. Capas com sinais de manuseio [visíveis nas fotografias ↑], e lombadas amarelecidas e com vincos de leitura. Sólidos. Bom estado geral.

Em conjunto com:

RELIGIÕES ANTIGAS DE PORTUGAL. Aditamentos e observações às Religiões da Lusitânia de J. Leite de Vasconcelos. Fontes epigráficas, de JOSÉ MANUEL GARCIA. Complemento essencial aos 3 volumes, dividido em 3 partes: na primeira, republicação de trabalhos dispersos de Leite de Vasconcelos que se ligam directamente às Religiões da Lusitânia, como aditamentos; na segunda parte, acompanhamento crítico da leitura dos 3 volumes, analisados numa perspectiva actual; e na terceira, as fontes epigráficas não publicadas por Leite de Vasconcelos, e «todas as inscrições epigráficas encontradas até 1986 em Portugal”. Com mapas, plantas, gravuras e fotografias. 688 páginas. 24,2 x 15 cm. Capa e lombada com descoloração marginal. Na colecção Temas Portugueses da Imprensa Nacional-Casa da Moeda, Lisboa, 1991.

AS RELIGIÕES DA LUSITÂNIA DE J. LEITE DE VASCONCELOS: contribuição para o seu estudo — alguns comentários e ÍNDICES gerais, de PAULA BÁRCIA. Ilustrado com mapas e contendo índices didascálico, bibliográfico, onomástico, ideográfico e geográfico; e ainda um índice de figuras e um de instituições, complementados com uma rubrica “diversos” onde se englobam “indicações de congressos, efemérides e colecções particulares de certa importância, a que Leite de Vasconcelos faz referência”. 274+(12) páginas. 24,2 x 15 cm. Miolo limpo, capa com manchas leves, marginais. Na colecção Temas Portugueses da Imprensa Nacional-Casa da Moeda, Lisboa, 1982.

Preço (conjunto dos 5 volumes): 135 euros.



NA COVA DOS LEÕES


TOMÁS DA FONSECA


Livro proibido, edição clandestina [ Edição destinada ao Brasil ]. 454+(10) páginas. 18 x 12 cm. Capa sem perda de cor e lombada em bom estado. Miolo no geral limpo, com manchas leves nas primeiras e últimas páginas. Um bom exemplar. Edição do autor, 1958.

Preço: 45 euros.



VIDA DO VENERÁVEL PADRE
JOSÉ DE ANCHIETA


SIMÃO DE VASCONCELOS


Com um prefácio do Dr. Júlio Dantas. Obra reeditada (1.ª ed. 1672) por ocasião do quarto centenário da cidade de São Paulo (Brasil), cidade que terá sido fundada pelo padre Anchieta, num colégio jesuíta que também incluíria Manuel da Nóbrega. Retrato do biografado em couché, a par do rosto. Encadernação editorial que preserva capas de brochura, em bom estado geral ainda que com pequenas imperfeições na lombada. (6)+446+(2) páginas. 19 x 13 cm. Porto: Lello & Irmão, 1953

Preço: 25 euros.



LISBOA DE OUTROS SÉCULOS

À SOMBRA DOS PAÇOS REAIS

CEM ANOS DE PITORESCO

O NAMÔRO LISBOETA NO SÉCULO XIX


FRANCISCO CÂNCIO


Obra histórica completa em 3 volumes, publicados em fascículos entre 1940 e 1941, aqui reunidos num único tomo monumental de 1340 páginas [561-(13)+463+304]. Ilustrada com fotografias e desenhos. 16,5 x 26,5 cm. Edição do autor. Primeiro volume anuncia uma tiragem de 300 exemplares.

Encadernação com lombada e cantos em pele (meia-francesa), com quatro nervos e os corvos vicentinos na lombada, de manufactura recente e sem defeitos. Miolo limpo e sem manchas, ligeiramente aparado. Conjunto invulgar.

Preço: 185 euros.



RIBATEJO
CASOS E TRADIÇÕES


FRANCISCO CÂNCIO


Uma das várias incursões de fundo de Francisco Câncio no registo e divulgação da cultura popular da província do Ribatejo. Os capítulos e as próprias imagens surgem com uma ordem aparentemente aleatória, unidos pelo desembaraço e segurança de um (bom) contador de histórias, alicerçado em anos de pesquisas nos livros e nas gentes. Vide índice nas fotografias (↑).

2 volumes ilustrados com fotografias, desenhos e gravuras, editados em fascículos. 525+485 páginas. 19,5 x 25,5 x 7,3 cm. Meia-encadernação ‘francesa’, não-editorial, sólida, com ligeiro desgaste nas extremidades, mormente nas cabeças e pés das lombadas. Bom estado geral. Edição com o patrocínio da Junta de Província do Ribatejo, s.l., 1948.

Preço: 165 euros.



D. PEDRO I
E A SUA ÉPOCA


JOSÉ ESTEVÃO DE MORAES SARMENTO


Um longo ensaio pondo em questão a veracidade histórica da crónica que Fernão Lopes dedicou à vida do rei D. Pedro I. Vide índice completo nas fotografias (↑). Exemplar da tiragem normal. Com a capa anterior (espelhada), mas não a posterior. Miolo com pequenas marcas de uso, aparado à cabeça. Com (12)+xliv+562+(2) páginas, e 16,5 x 23,5 cm. Porto: Imprensa Portuguesa, 1924.

* Encadernado com:

Pareceres da Academia das Sciencias de Lisboa àcerca do Livro D. Pedro I e a Sua Época do General Moraes Sarmento. 2.ª edição [ambas fora de mercado], com adenda pelo Dr. Armelim Junior, sócio da mesma academia. Inclui a petição do parecer, pelo general Moraes Sarmento, e os pareceres da secção de jurisprudência (Artur Montenegro; D. António, cardeal patriarca; Júlio de Vilhena; e Visconde de Carnaxide) e da secção de História (Vicente Almeida d’Eça; Pedro Augusto de S. Bartolomeu Azevedo; António Baião; e António Ferrão) da Academia, aprovados pelo secretário-geral, Cristovam Ayres. Invulgar. 37+(3) páginas. 14 x 21 cm. [s.l]: Sintra Gráfica, 1929.

Encadernação sintética moderna, meia-francesa, sem defeitos.

Preço: 45 euros.



D. PEDRO E D. INÊS

1320-1367

ANTERO DE FIGUEIREDO


2.ª edição, revista. Com a chancela do autor. Meia-encadernação de pele sólida, com nervos, em bom estado geral: mínimas marcas (“resto” inócuo de selo de biblioteca pessoal coevo). Sem capas de brochura. Miolo aparado e com algumas manchas. (8)+328+(4) páginas. 18,7 x 12,5 cm. Bom exemplar. Lisboa: Livrarias Aillaud e Bertrand, 1914.

Preço: 20 euros.



LEONOR TELES

FLOR DE ALTURA

ANTERO DE FIGUEIREDO


2.ª edição. 3.º milhar. Com a chancela do autor. Meia-encadernação de pele sólida, com nervos, em bom estado geral: marcas ligeiras, de transporte ou manuseio, na lombada, onde pontua mini-selo de biblioteca pessoal coevo, junto ao pé, que não perturba o conjunto. Com a capa de brochura anterior, e falta da posterior. Miolo aparado e limpo. xi+(1)+412+(4) páginas. 18,7 x 12,5 cm. Um exemplar digno. Lisboa: Livrarias Aillaud e Bertrand, 1916.

Preço: 18 euros.



A VIDA DE NUN’ÁLVARES


OLIVEIRA MARTINS


9.ª edição. 416 páginas. 20,5 x 15 cm. Um exemplar satisfatório, com o miolo limpo, sem defeitos além da lombada amarelecida e com dois ligeiros vincos. Lisboa: Guimarães Editores, 1984.

Preço: 12 euros.



ICONOGRAFIA e Bibliografia
CONDESTABRIANA


BERNARDO XAVIER COUTINHO


Colaboração artística de Gouvêa Portuense. Selecção aprofundada (manancial de seis séculos) de bibliografia e iconografia dedicadas ao Santo Condestável, Nuno Álvares Pereira, com dezenas de ilustrações, a preto e a cor, muitas de página inteira, de desenhos, pinturas, esculturas etc. Exemplar da tiragem normal, capa mole (algumas manchas leves), carimbo de oferta do editor e discreto carimbo de posse de anterior proprietário, na página da ficha técnica. Miolo limpo, couché. Dentro do livro, apensa, uma folha de jornal amarelecida dedicada ao Condestável («Novidades» Letras e Artes ano xxxii n.º 11 de 1 de Abril de 1973, págs. 1 e 2). 366 páginas. 24,8 x 18,7 cm. No geral um bom exemplar, de uma edição cuidada. Lisboa: Instituto de Alta Cultura, 1971.

Preço: 45 euros.



OS AMORES DE CAMÕES
e de Catharina d’Athaide


MADAME GUATIER


Único romance da autoria de Mme. H. Gautier (nome mal grafado na edição portuguesa), originalmente publicado em Paris, 1827. (Les amours de Camoens et de Catherine d’Ataïde). Traduzido do francês por MARIA EMILIA DE MACEDO. Lisboa: Typ. de L. C. da Cunha, 1844.

Edição em dois volumes e com uma litografia — Pátria e musas choram junto ao túmulo do poeta, assinada Pereira e litografada por M.L. — a par do ante-rosto, tal como a edição original francesa. Os dois volumes encadernados num só. 202+215 páginas. 11,5 x 17 cm. Não aparado. Sem capas de brochura. Encadernação sem defeitos.

Possui no verso da litografia, tal como no verso do ante-rosto do segundo volume, uma (mesma) assinatura de posse (feminina) da época.

Preço: 45 euros.



LISBÔA DO PASSADO
LISBÔA DE NOSSOS DIAS


GOMES DE BRITO


José Joaquim Gomes de Brito (1843-1923), olisipógrafo de monta — ou mesmo “o” criador dos estudos toponímicos, no dizer de Luiz Pastor de Macedo —, publicou no mesmo ano um outro livro igualmente curioso, sobre livreiros e impressores em Lisboa na segunda metade do século XVI.

183 páginas. 13,5 x 21 cm. Bom exemplar, com desgaste na lombada (inteira). Miolo impecável. Lisboa: Livraria Férin — Baptista, Torres & C.ta, 1911.

Preço: 17 euros.



PORTUGAL E OS SEUS DETRACTORES


L [uís] A [ugusto] PALMEIRIM


Subtítulo: Reflexões a propósito do livro do Sr. Fernandez de Los Rios, intitulado «Mi Mission», uma obra dedicada a Fontes Pereira de Mello. Introdução do autor. Encadernação da época com lombada em pele, da casa Corazzi, possui marcas de desgaste nas extremidades mas permanece limpa e sólida. Sem capas de brochura. Miolo fresco; aparado. 11,7 cm x 18,2 cm. 354+(2) páginas. Lisboa: Typ. da Bibliotheca Universal de Lucas & Filho, 1877.

Preço: 25 euros.




DICIONÁRIO HISTÓRICO DAS PALAVRAS PORTUGUESAS DE ORIGEM TUPI


ANTÓNIO GERALDO DA CUNHA


Verbetes estudados «sob o aspecto da sua categoria gramatical, das variantes cronológicas e da etimologia do vocábulo português», seguidos de «definição e diferentes acepções» e citações exemplificativas do uso linguístico, cotejadas do património bibliográfico português e brasileiro, tanto literário como histórico, do século XVI ao século XX.

Colaboração de Gilda da Costa Pinto. Prefácio-estudo de António Houaiss. Extensa bibliografia.

Encadernação editorial. 358 páginas. 17,9 cm x 26,3 cm. Bom estado. São Paulo: Melhoramentos / Ed. da Universidade de São Paulo, 1978.

Preço: 35 euros.



DIÁRIO DE UM VIAJANTE EM FRANÇA


Cartas de

LEANDRO JOSÉ DA COSTA


Trinta e seis cartas de Leandro José da Costa dirigidas ao Conselheiro José Luciano de Castro, a primeira datada de 27 de Agosto de 1878. Encadernação modesta mas sólida, com alguma descoloração dispersa. Sem capas de brochura. Miolo com manchas ténues, e um ou outro rabisco a lápis. Com 320 páginas e 13 x 20 cm. Lisboa: Typographia das Horas Romanticas, 1880.

Preço: 28 euros.



ELEMENTOS PARA A HISTÓRIA
DO MUNICÍPIO DE LISBOA


EDUARDO FREIRE DE OLIVEIRA


Título e autor, tal qual figuram no rosto: Elementos para a História do Município de Lisboa, por Eduardo Freire de Oliveira, arquivista da Camara Municipal da mesma cidade. 1.ª PARTE. Publicação mandada fazer a expensas da Camara Municipal de Lisboa, para commemorar o centenario do Marquez de Pombal em 8 de Maio de 1882.

Mais de 10 mil páginas de documentos oficiais de algum modo relevantes, organizados cronologicamente e alusivos a séculos de assuntos invariavelmente díspares — as iguarias de um banquete celebratório, a colocação na prisão do Limoeiro do líder de uma «companhia de comediantes de Castella», a lista das pessoas de cada freguesia que se recusam a participar numa campanha de limpeza pública, a morte do rei —, num panorama que permite acompanhar os reflexos da política e da história do país nas várias decisões e questões do município d’esta cidade onde desde muito cedo esteve instalado um Governo demasiado centralista.

Temos assim «a carta regia que trouxe a communicação official da morte de Filippe II» (tomo II, quase todo dedicado ao “tempo dos Filipes”, pág. 590), «a ruína de Lisboa», no sábado 1 de Novembro de 1755 (tomo XVI, a partir da página 133, com lista e descrição sumária de abalos sísmicos anteriores, nomeadamente os de 1309, 1321, 1344, 1356, 1512, 1531, 1551, 1575, 1597, 1598, 1699 e 1724), a inauguração da estátua equestre de D. José (em parte citada aqui) ou a «consulta da Cammara a el-rei em 2 de julho de 1650», onde se propõem os nomes de «doze fidalgos, doze cidadãos e doze homens do povo» para «terem as chaves das quatro portas da cidade» (tomo V, p. 208, antecedendo em algumas páginas a lista exaustiva dos preços de venda de todo o tipo de animais para alimentação, indexados inteiros, em partes, e por género).

O primeiro documento transcrito no tomo I, que não o foral de 1179, data de 7 de Novembro de 1190, e o último documento transcrito no tomo XVII data de 23 de Agosto de 1777. Entre ambos, os diversos prefácios e as anotações constantes de Freire de Oliveira (1841-1916) desvelam e aprofundam as origens e importância dos textos que transcreve. Contém ainda algumas ilustrações, muito poucas, destacando-se a litografia da Divisa da Cidade, que abre o tomo X, ou a «planta litographada da sala das sessões do senado da camara de Lisboa, que acompanha a carta regia de 13 de Novembro de 1773» (tomo I, pág. 68).

[Para uma descrição mais detalhada da cronologia de cada tomo, consulte-se o artigo de António Miranda na Rossio n.º 1, de 2013. Como o plano cronológico da 1.ª parte da obra deveria ter prosseguido até ao ano do início da publicação (1882), suspeita-se que, além da nunca publicada 2.ª parte, também desta 1.ª parte terá ficado por publicar pelo menos um tomo, para o período 1777-1882.]

Obra completa (tudo quanto se publicou), em XVII tomos de 16,5 x 24,5 cm (66cm de estante), Lisboa: Typographia Universal, 1882-1911.

Tomo I, 1885, (12)+661+(5) págs. Tomo II, 1887, xiv+593+(2) págs. Tomo III, 1888, vi+584+(3) págs. Tomo IV, 1889, xii+628+(3) págs. Tomo V, 1891, vi+620+(3) págs. Tomo VI, 1893, ix+627+(2) págs. Tomo VII, 1894, cxii+466+(3) págs. Tomo VIII, 1896, vi+593+(3) págs. Tomo IX, 1898, vi+617+(4) págs. Tomo X, 1899, viii+595+(2) págs. Tomo XI, 1901, vi+632+(3) págs. Tomo XII, 1903, (10)+652+(3) págs. Tomo XIII, 1904, (6)+622+(3) págs. Tomo XIV, 1906, (6)+634+(3) págs. Tomo XV, 1906, (6)+630+(3) págs. Tomo XVI, 1910, xiv+567+(4) págs. Tomo XVII, 1911, (6)+622+(3) págs.

Acrescentam-se os dois volumes de índices, publicados cerca de 40 anos mais tarde: Índice dos «Elementos para a História do Município de Lisboa», por Esteves Rodrigues da Silva, sob a direcção de Jaime Lopes Dias, 2 vols., Lisboa: Câmara Municipal, 1942-1943. Com 396+578 páginas, e 17 x 22,5 cm. Capa do volume II com um rasgão restaurado. Páginas por abrir.

Todos os 19 volumes em brochura e 17 deles com as páginas por abrir. Bom estado geral, com não mais do que pequenos defeitos dispersos (muito ocasionais picos de humidade; algumas lombadas mais amarelecidas que outras; bicho de papel que atacou superficialmente a capa do tomo VI; e situações afins, de pouca monta).

Conjunto invulgar.

Preço: 450 euros.