PALAVRAS LOUCAS


ALBERTO D’OLIVEIRA


Primeira Edição. Segundo livro do autor. Encadernação sólida, com a lombada em pele, cansada nas arestas e com pequenas falhas, a maior das quais à cabeça da lombada, visível numa das fotografias. Sem capas de brochura. Miolo aparado, maioritariamente limpo, salvo primeiras e últimas páginas (ante-rosto escurecido e rosto manchado). Retrato do autor a par do rosto assinado “[?]. Costa”. Com [2]+viii+273+(7) páginas e 22 x 14 cm. Coimbra: F. França Amado, 1894.

É a obra Palavras Loucas, de 1894, que espoleta todo este movimento que politicamente atribuía à descentralização (através do municipalismo e do regionalismo) o papel fundamental de despertar a Nação. Aí se faz, dentro do mesmo espiríto, o elogio da língua portuguesa e de António Nobre (de quem o autor era amigo íntimo). [DCAP]

No final do volume, o registo de que o exemplar constituiu o lote 1958 do Leilão C. Ferreira Borges, sessão de 5-XII-1930, com uma etiqueta e um recorte da descrição do catálogo, como “Camiliana”.

Preço: 22 euros.


 


O DESTERRO DAS MANTILHAS


[ANTÓNIO JOAQUIM MESQUITA E MELO]


Anunciada a sua venda ao público nas edições d’O Correio do Porto de 19 e 20 de Dezembro de 1820 embora Inocêncio lhe atribua a data de 1821, ver I-162 e tb. VIII-186 teve por autor, sob pseudónimo, António Joaquim Mesquita e Melo, poeta natural de Avintes que à época teria cerca de 30 anos de idade. A questão das mantilhas, tema do opúsculo, é um problema coevo sobre o qual existem reflexões de Garrett e, mais tarde, também de Camilo (ver aqui).

Título completo: O DESTERRO DAS MANTILHAS : ou Exhortação em que o Poeta Gallego com rasões bem arrasoadas, mostra a necessidade de desterrar um traje, que esconde a formosura e a gentilesa das Mulheres bonitas. Porto: Na Typografia à Praça de S. Thereza, [1820].

Caderno de 8 páginas, cosido. 21,5 x 15,5 cm. Conserva, soltas, as frágeis capas de brochura originais, azuis, não impressas. Capas e miolo com variados vincos e algumas manchas.

Exemplar com assinatura de posse, no topo da primeira e na base da última página, de João Carlos Mascarenhas de Mello, n. 1860, médico-cirurgião, militar condecorado e republicano — como sub-inspector de saúde da 1.ª divisão militar, por exemplo, encontramo-lo de visita ao moderno Pavilhão Vacinogénico de Lisboa, em 1911. Mascarenhas de Melo foi, também, durante 23 anos consecutivos, presidente da assembleia geral do Sport Lisboa e Benfica, entre 1908 e 1931, e não por acaso surge homenageado na primeira página do primeiro número do boletim oficial do clube, em 1927, sendo então o sócio n.º 10.

Muito invulgar.

Preço: 65 euros.



 


HISTÓRIA DO TEATRO PORTUGUÊS

O CICLO DO ROMANTISMO


DUARTE IVO CRUZ


Sub-título: Do Judeu a Camilo. Brochado com sobrecapa. Com 126-(2) páginas e 21 x 15 cm. Capas com manchas leves. Miolo limpo. Bom estado geral. Lisboa: Guimarães Editores, 1988.

Preço: 15 euros.



INTRODUÇÃO À HISTÓRIA DO
TEATRO PORTUGUÊS


DUARTE IVO CRUZ


Plano da obra: Os esboços pré-vicentinosGil Vicente, o que faz os autos a El-ReiO teatro pré-vicentinoRenascimento e teatro Pausa neo-latina A luta pela sobrevivência teatral Dualidade do séc. XVIIISéc. XIX — Séc. XX.

Brochado. Com 229 páginas e 21 x 15 cm. Ligeiras marcas de uso exteriores. Carimbo antigo, de oferta institucional, na página de guarda. Bom estado geral. Lisboa: Guimarães Editores, 1983.

Preço: 15 euros.


 


PORTUGUEZES ILLUSTRES


M. PINHEIRO CHAGAS


«A taverna é o escolho onde naufragam todas as tentativas civilizadoras, é o baluarte das trevas, é o castelo roqueiro onde o moderno feudalismo desfralda ao vento os seus pendões.» As primeiras três páginas da introdução descrevem a «influência triste e brutalizadora» das tabernas; segue-se modo de as combater, com bibliotecas populares e mestres escolas informados da história e da actualidade. Donde esta colecção de apontamentos biográficos dedicados a mais de uma centena de portugueses de «génio e audácia», destacados ao longo da história na liderança, nas artes, na política, na vida militar (…). De D. Dinis a Almeida Garrett, passando por Francisco de Holanda ou a Marquesa de Alorna.

Encadernação da época com pequenas marcas de desgaste. Sem capas de brochura. Com xiv+173+(3) páginas. 16 x 11,5 cm. Exemplar interessante. Lisboa: Imprensa de J. G. de Sousa Neves, 1869.

Invulgar.

Preço: 25 euros.


 


SOB OS CIPRESTES

VIDA ÍNTIMA DE HOMENS ILUSTRES

BULHÃO PATO


Capítulos dedicados a: Almeida Garrett, Francisco Maria Bordalo, Lopes de Mendonça, José Estevão, Rodrigo Paganino e João Luís Gonçalves, Luís Augusto Rebelo da Silva, Silva Gaio, Gonçalves Dias, Santos e Silva, Guilherme Braga, António Feliciano de Castilho e Francisco Montês Champalimaud.

Primeira edição, em brochura e em bom estado, embora com ocasionais picos de oxidação e uma falta de papel na contracapa (canto superior exterior), pouco relevante. Com (8)+366+(1) páginas, e 18,7 x 11,7 cm (intonso). Lisboa: Livraria Bertrand, 1877.

Preço: 40 euros.


 


CARTAS INÉDITAS

DE OITENTA E CINCO ESCRITORES PORTUGUESES DA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX E DO PRIMEIRO QUARTEL DO SÉCULO ACTUAL

Prefaciadas e anotadas por
CÂNDIDO DE FIGUEIREDO


Cartas de: Abel Botelho, Adolfo Coelho, Alexandre Herculano, Amélia Janny, Antero de Quental, António Cândido, António José Viale, Augusto Soromenho, Bernardino Pinheiro, Braamcamp Freire, Bulhão Pato, Camilo Castelo Branco, António Feliciano de Castilho, Conde de Casal-Ribeiro, Conde de Monsaraz, Conde de Sabugosa, Conde de Samodães, Cunha Rivara, Dom António da Costa, Dom João da Câmara, Duarte Guimarães, Pereira Caldas, Doutor Sousa Martins, Xavier Rodrigues Cordeiro, Tomás de Carvalho, Xavier da Cunha, Eduardo Augusto Vidal, Emídio Navarro, Eugénio de Castilho, Fernandes Costa, Fernando Caldeira, Ferreira Lapa, Francisco Palha, Almeida Garrett, Gervásio Lobato, Gomes de Amorim, Gomes Leal, Gonçalves Crespo, Gonçalves Viana, Guerra Junqueiro, Guilherme Braga, Guilherme de Azevedo, Guimarães Fonseca, Inocêncio Francisco da Silva, João de Deus, João de Lemos, João Penha, Joaquim Martins de Carvalho, Sampaio Bruno, José Silvestre Ribeiro, José de Sousa Monteiro, José Veríssimo, Júlio de Castilho, Júlio César Machado, Latino Coelho, Luís Augusto Palmeirim, Luís Guimarães, Manuel Duarte de Almeida, Maria Amália Vaz de Carvalho, Mariana Angélica de Andrade, Mendes Leal, Miguel de Bolhões, Narciso de Lacerda, Olavo Bilac, Pinheiro Chagas, Ramalho Ortigão, Ramos Coelho, Rudolfo Dalgado, Sales Lencastre, Santos Valente, Silva Pinto, Silveira da Mota, Sílvio Romero, Simões Dias, Sousa Viterbo, Teixeira de Queirós, Teixeira de Vasconcelos, Tomás Ribeiro, Trindade Coelho, Teófilo Braga, Vilhena Barbosa, Visconde de Benalcanfor, Sanches de Frias, Zeferino Brandão.

Intonso e em brochura. (xvi)+208+(4) páginas. 22,5 x 15 cm. Capa (com algumas manchas) e lombada (amarelecida) com mínimas falhas (marginais) de papel. Rio de Janeiro: H. Antunes & C.ª, [1924]. Composto e impresso em Lisboa.

Preço: 22 euros.


 


A LETRA E O LEITOR


JACINTO DO PRADO COELHO


1.ª edição. Com ensaios sobre Camilo, Fialho, Cesário, Garrett, Bocage, Camões, Manuel da Veiga Tagarro, António Lopes de Mendonça, Júlio Dinis, João de Deus, Fernando Pessoa, Teixeira de Pascoaes, Raul Brandão, e vários outros autores e épocas literárias.

Capa com imagens de Mira Schendel («Objecto gráfico», 1968 — ano anterior à publicação desta colecção de ensaios) e Amadeo de Souza Cardoso («Interior Expressão das Coisas», c. 1914-15).

Brochado. 373 páginas (por abrir). 19 X 13,5 cm. Capas com algumas manchas leves. Miolo limpo. Bom estado geral. Lisboa: Portugália Editora, 1969.

Preço: 17 euros.


 


AO CONTRÁRIO DE PENÉLOPE


JACINTO DO PRADO COELHO


1.ª edição. Com ensaios sobre Camilo, Eça, Fialho, Cesário, Trindade Coelho, Garrett, Pascoaes, Pessoa, Namora, António Gedeão, autores e épocas literárias, bem como algumas considerações sobre o ensino da literatura.

Capa de José Cândido. 306 páginas. 20,5 X 14 cm. Capa cansada, lombada com vinco de leitura, miolo limpo. Lisboa: Livraria Bertrand, 1976.

Preço: 10 euros.