A MANUTENÇÃO MILITAR

1920-1921

RELATÓRIO DA GERÊNCIA

FRANCISCO DE PINA LOPES


O Major Francisco de Pina Lopes, com uma carreira militar preenchida de honras e louvores, destacou-se na organização administrativa [«modelar», segundo Gomes da Costa, e «com a mais severa economia e perfeição»], tanto na Guarda Fiscal como na 1.ª Divisão do C.E.P., mas também, depois da Guerra, na Manutenção Militar. Foi eleito senador em 1915, e deputado em 1919, tendo exercido funções de secretário e relator de diversas comissões relativas a assuntos militares, fiscais e orçamentais. Finalmente, nos governos de António Maria Baptista e José Ramos Preto, foi Ministro das Finanças. Após passar à situação de licença ilimitada, em 1923, foi administrador da C.P. e de várias outras indústrias e bancos, nacionais e ultramarinos [conferir GEPB, 21, 690-691].

Este relatório da gerência da Manutenção Militar, correspondente ao biénio 1920-1921, é um excelente exemplo das ditas capacidades organizativas e administrativas de Pina Lopes, que procura ser «intérprete fiel e austero» do que observou, executou e fez executar, num momento orçamental difícil. Extenso e detalhado, com fotografias, desenhos e tabelas e mapas desdobráveis, pormenoriza secções, divisões, serviços, sucursais e depósitos, funções e vencimentos do pessoal, a instrução, o fardamento, a disciplina, os transportes ou a produção cerealífera — destaque para o capítulo VIII, sobre a Greve dos Padeiros (p. 31-33).

Com 16,5 x 22 cm, e 78+[67]+XXI+(3) páginas, contém 58 fotografias [desde a barbearia à biblioteca, passando pela marcha das operárias e o touro holandês da sucursal dos Olivais], 2 páginas com desenhos [a produção de pão e a produção de enchidos], 2 mapas desdobráveis e 2 tabelas desdobráveis. Em muito bom estado de conservação.

Invulgar.

Preço: 40 euros.


psico


A PSICOLOGIA DA INCOMPETÊNCIA DOS MILITARES


NORMAN F. DIXON


Título original: On the Psychology of Military Incompetence.
Tradução de Calado Trindade, Helder Rodrigues, J. A. da Ponte Fernandes, J. M. Martins Dias, Luís Aranha, Manuela Palmeirim, Maria Cecília Colaço e Maria Sobral. 447 páginas. 13,5 x 21 cm. Colecção Viragem, n.º 18. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1977.
Mínima perda de cor na capa. Bom estado.

Preço: 8 euros.




O BRIGADEIRO MIRANDA PALHA

1.º GOVERNADOR DO ASILO DOS INVÁLIDOS MILITARES DE RUNA

ROGÉRIO DE FIGUEIROA REGO


Autografado pelo autor com dedicatória, visível numa das fotografias. 16 páginas. 16,5 x 23,5 cm. Com 3 ilustrações: duas de página inteira (fotografia do Brigadeiro Miranda Palha e reprodução de uma antiga gravura do Asilo). Separata da revista Vida Ribatejana, Lisboa, 1960.

Preço: 12 euros.



BREVES OBSERVAÇÕES ACERCA DO QUE

DO EXERCITO

E PARTICULARMENTE DA ARMA D’ARTILHERIA

DISSE NA CAMARA DOS SENHORES DEPUTADOS EM SESSÃO DE 17 DE DEZEMBRO DE 1865 O SENHOR DEPUTADO

JOSÉ PAULINO DE SÁ CARNEIRO

CORONEL DO 7.º REGIMENTO D’INFANTERIA

Texto não assinado, contestando a intervenção na Câmara dos Deputados do Coronel Sá Carneiro, que terá feito «uma verrina contra o exército e, mais particularmente, contra as armas scientificas; e entre estas a artilheria [que] foi triturada, polvorisada, e reduzida à nulidade». Em brochura. Final do texto tem a data de 24 de Dezembro de 1865. 30 páginas. 13,5 x 20,5 cm. Picos de humidade. Bom estado geral. Lisboa: Typographia Universal, 1866.

Preço: 12 euros.





A EVOLUÇÃO ORGÂNICA DO EXÉRCITO

MEMÓRIA APRESENTADA Á ACADEMIA REAL DAS SCIENCIAS
E SERVINDO DE EXÓRDIO Á
HISTÓRIA ORGANICA E POLITICA DO EXERCITO PORTUGUEZ

CHRISTOVAM AYRES DE MAGALHÃES SEPULVEDA


O autor foi Capitão de cavallaria, Promotor de justiça, Deputado da nação, Commendador de S. Thiago, da Corôa Real da Prussia, e de numero de Carlos III de Hespanha, etc. Volume brochado com 131 páginas (por abrir), e 16,5 x 25 cm. Lisboa: Imprensa Nacional, 1894. Em bom estado, salvo lombada escurecida, à semelhança da orla da capa.

Preço: 20 euros.





ALGUNS FACTOS MILTARES PORTUGUEZES
NO SECULO XVIII


GENERAL A. X. PALMEIRIM


Obra baseada num manuscrito de 1783, atribuído ao tenente general escocês Simão Fraser, experiente em várias guerras europeias e comandante de um regimento do exército português. Importante para a compreensão da organização militar portuguesa no século XVIII. 121-(5) páginas. 15 x 21,5 cm. Com uma dedicatória manuscrita não-autoral, ao embaixador Luiz Norton, pequenas notas manuscritas no topo da capa de brochura, e alguns sublinhados no texto. Sem capa de brochura posterior, e com falhas de papel na lombada. Um exemplar razoável, de uma obra invulgar. Lisboa: Typographia Universal [de Thomaz Quintino Antunes, Impressor da Casa Real], 1873.

Preço: 20 euros.


Este slideshow necessita de JavaScript.

ESTUDOS DE HISTÓRIA MILITAR SOBRE A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL (1914-1918) [1.ª SÉRIE], pelo Brigadeiro EDUARDO SANTOS. Com estudos dedicados às ideias de Schliefen (“A Alemanha e a Guerra em duas frentes.”), à França e ao seu exército (“Joffre e o Plano XVII.”), à defesa da neutralidade belga (“O rei Alberto e o comando do exército.”), ao isolamento e intervenção inglesa (“O Corpo Expedicionário.”) e a Liége (“O prólogo do drama.”). Brochado. Ilustrado. 12,5 x 18,5 cm. 244 páginas + 4 mapas desdobráveis, no final, com esquemas de manobras militares. Exemplar assinado pelo autor com dedicatória. Lisboa: ICGG, 1949.
Preço: 18 euros (reservado).