ASSASSÍNIO NA CATEDRAL

(MURDER IN THE CATHEDRAL)

T. S. ELIOT


Tradução e posfácio de José Blanc de Portugal. Com 132 páginas e 20,5 x 14 cm. Bom estado. Colecção Theatrum Mundi n.º 1, Lisboa: Delfos, [1960].

Em conjunto com: Murder in the Cathedral, 3.ª ed., 17.ª reimpr., encadernação editorial em tela vermelha, sem sobrecapa. 88 páginas. 21 x 13,5 cm. Bom estado. London: Faber and Faber, 1950.

E ainda: Notes on T. S. Eliot’s Murder in the Cathedral, da colecção Study-Aid Series, 40 páginas, 21,5 x 14 cm, London: Methuen, 1965.

Preço (do conjunto): 20 euros.



THE COCKTAIL PARTY

A COMEDY

T. S. ELIOT


4.ª impressão (a primeira revista), seis meses após a primeira. Inclui a pauta musical de «One-eyed Riley», e o elenco original da peça. 166+(5) páginas. 22,5 x 14,5 cm. Encadernação editorial em tela verde, com sobrecapa com defeitos e amarelecida. Exemplar interessante. London: Faber and Faber, 1950.

Em conjunto com:

THE MAKING OF A PLAY. T. S. Eliot’s “The Cocktail Party”, de E. Martin Browne. Trata-se do texto da Judith Wilson Lecture na Universidade de Cambridge, 4 de Março de 1966, da autoria do director da primeira produção da peça no Festival de Edinburgo de 1949, e que já tinha acompanhado a criação da peça de Eliot do princípio ao fim. 46 páginas. 18,5 x 12,5 cm. Capa com pequenos defeitos. Bom estado geral. Cambridge: University Press, 1966.

E:

T. S. ELIOT, de LEONARD UNGER. Ensaio biobiliográfico. Colecção Escritores Norte Americanos, n.º IX. Tradução de Anna Maria Martins. 80 páginas. 16 x 11,5 cm. Manuseado. São Paulo: Livraria Martins Editora, 1963.

Preço (do conjunto): 20 euros.



T. S. ELIOT’S DRAMATIC
THEORY AND PRACTICE

FROM SWEENEY AGONISTES TO THE ELDER STATESMAN


CAROL H. SMITH


Although there have been innumerable studies of T. S. Eliot, this is the first to examine closely the relationship between the changes and developments in his dramatic practice and his artistic and intellectual development. Professor Smith finds Eliot’s dramatic theory and practice rooted in his conception of the need for order in religion and art. […] Eliot’s interest in the jazz rhythms and popular appeal of the English music hall, in the mythical method of Yeats and Joyce, and in the work of the Cambridge School of Classical Anthropology, which traced the origins of Greek drama back to the primitive ritual drama, is examined as the basis of his dramatic ideals and intentions. [da badana]


Ensaio. Encadernação editorial em tela com sobrecapa, possuindo ligeiras perdas de papel nas extremidades. Com ix-251 páginas e 22 x 14,5 cm. Bom estado geral. New Jersey: Princeton University Press, 1963.

Preço: 15 euros.



QUARTA-FEIRA DE CINZAS


T.S. ELIOT


[2.ª edição.] Texto bilingue. Tradução de João Paulo Feliciano. Nota introdutória de Manuela R. Miranda. Capa de Rui André Delídia sobre fotografia de Anton Corbijn. Título original: Ash-Wednesday e Hollow Men. Capa de Augusto T. Dias. 41-(7) páginas. 20,5 cm x 14,5 cm. Colecção Cão Vagabundo nº 6. Lisboa: Hiena Editora, 1994.

Preço: 12 euros.


 


ANTOLOGIA POÉTICA


T.S. ELIOT


Estudo prévio, selecção e tradução de José Palla e Carmo. Capa de Fernando Felgueiras. Bom estado. 157 páginas, 21 x 13,5 cm. Colecção Poesia Século XX n.º 27. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1988.

Preço: 15 euros.


 


A POESIA DE T. S. ELIOT


JOSÉ PALLA E CARMO


*Capítulo de um estudo inédito acerca da moderna poesia de língua inglesa, no qual se baseou a conferência proferida em 17 de Fevereiro de 1959 no Centro Nacional de Cultura sob o mesmo título. São do autor as traduções incluídas neste estudo, feitas na época da sua elaboração, quando não antes. Acerca de outras traduções e bibliografia portuguesa em geral, remete-se o leitor para o artigo de Carlos Estorninho «Portugal e T. S. Eliot» (Diário de Lisboa, 21 de Janeiro de 1965).


Ensaio. Separata dos n.ºs 24, 25 e 26 de O Tempo e o Modo. 47 páginas. 23 x 16 cm. Bom estado. Edição do autor, Lisboa, 1965.

Preço: 8 euros.