A MINHA EXPERIÊNCIA RUSSA

CRÓNICAS DE VIAGEM

EURICO GAMA


Exemplar assinado pelo autor (Elvas, 1913-1977), com dedicatória ao Cônsul Geral da Dinamarca em Portugal, datada de 18 de Outubro de 1971.

Brochado. Ilustrado a preto e a cor, extra-texto. 148+[20] páginas. 19 x 13 cm. Bom estado geral. Composto e impresso na Tipografia Editorial Franciscana, Braga, 1971.

Preço: 20 euros.


 


ECHOS DE PARIZ


EÇA DE QUEIROZ


Terceira edição. Ver índice dos assuntos (). Com 227+(3) páginas. 18,5 x 11,5 cm. Encadernação inteira, sintética, sóbria, em bom estado. Miolo aparado. Com capas de brochura. Bom exemplar. Porto: Livraria Chardron, de Lello & Irmão, 1920.

Preço: 15 euros.


 


PHYSIOLOGIE DES CHEMINS DE FER


ÉDOUARD SIEBECKER


O autor (S. Petersburgo, 1829 — Paris, 1901) foi secretário de Alexandre Dumas, militar, jornalista, administrador na Compagnie des chemins de fer de l’Est, etc.

Um volume composto por eflexões e historietas em redor dos caminhos-de-ferro, com nostalgia e humor, divididas em 6 partes: Grandes Compagnies — Employés — Public — Portraits — Anecdotes — Conseils aux voyageurs.

Encadernação da época, com a lombada em pele, gravada a ouro, com ligeiro desgaste nas extremidades mas sólida. Miolo manchado, principalmete junto às guardas, e assinatura de posse coeva no verso do rosto. No geral, um exemplar interessante. (iv)+280 páginas. 17,5 x 12 cm. Invulgar. Paris: J. Hetzel libraire-éditeur, 1867.

Preço: 35 euros.


 


CONTOS DESTA GUERRA


Contos de Isaak BABEL, Wanda WASSILEWSKA, Leónidas SOBOLEV, M. LOSCHENKO, Nikolai TIKHONOV, Vladimiro RUDENY, B. GALIN, A. GOROBOVA, S. WASHENTZEW, Boris YAMPOLSKY, A. SHAROV, W. ZALOBOTNIG, W. KOZHEVNIKOV, A. ISBACH e Z. ZLATOPOLSK.

Traduções de Ersílio Cardoso e Oldemiro César. 198 páginas. 19 x 13 cm. Bom exemplar. N.º 26 da Colecção Contos e Novelas da Editorial Gleba, Lisboa, 1946.

Preço: 12 euros.


Cenas vividas pelos que presenciaram, confrangidos, os horrores e brutalidades da invasão germânica; feitos heróicos dos que defendiam o solo abençoado onde nasceram e onde estavam enterrados os seus avós; engenhosos planos estratégicos de mulheres e crianças que ficavam à retaguarda, numa feroz resistência aos saques, às sevícias e à luxúria dos nazis […] Os seus autores, pertencentes à moderna geração eslava, devem ser quase totalmente desconhecidos em Portugal, mas há nestes contos a humanidade e o poder descritivo dum Gorky ou dum Dostoievsky, dum Korolenko ou dum Tolstoi, tanto do agrado dos nossos leitores.