MONTPARNASSE
MON VILLAGE


VASCO DE CASTRO


Crónicas/memórias do exílio do artista (n. 1935) em Paris, nos anos 60, editadas por altura do seu 50.º aniversário. Ilustrado com desenhos e fotografias. 172 páginas. 14,5 x 20,5 cm. Bom estado. Lisboa: Edições Salamandra, 1985.

Preço: 25 euros.



AMADEO

MODIGLIANI  e  SOUZA-CARDOSO


DIOGO DE MACEDO


Por ocasião da Exposição Retrospectiva de Amadeo de Souza-Cardoso, efectuada nas salas do SNI, a revista Panorama sente-se honrada em publicar um original do escultor Diogo de Macedo, cuja doença e morte prematura lhe não permitiram rever e completar.

Episódios das memórias de Diogo de Macedo que, em Paris, nos seus «tempos de estudante», conheceu e privou com Modigliani. Opúsculo ilustrado com um retrato de cada um dos pintores. 40 páginas. 20,5 x 25,5 cm. Bom estado. Lisboa: Edições Panorama, 1959.

Preço: 18 euros.



14, CITÉ FALGUIÈRE


DIOGO DE MACEDO


Memória. Nova edição (póstuma), acrescentada com uma nota de abertura pelo autor e um desenho inédito de Modigliani. Tiragem especial numerada (exemplar n.º 381 de 800). 87 páginas. 13 x 18 cm. Arranjo gráfico de Fernando Ferrão. Edição patrocinada pelo Jornal do Fôro. Lisboa, Novembro de 1960.

Invulgar.

Preço: 25 euros.



O ACTO E O DESTINO

POEMA DRAMÁTICO


ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA


Foi este poema dramático representado, pela primeira vez, em comemoração do I Centenário de Mouzinho de Albuquerque, num espectáculo promovido pela Mocidade Portuguesa, no Teatro Nacional de D. Maria II, em 1 de Dezembro de 1955. Com cenários de José Amaro Júnior, figurinos de António Vaz Pereira e interpretação de Couto Viana, Ruy Mendes e outros.

Segundo Glória Bastos, é um texto «de temática histórica que apela ao sentido patriótico e à participação cívica e militar dos cidadãos». Edição do autor [?], Lisboa, 1957, contemporânea da sua participação na direcção das revistas Távola Redonda e Graal.

Capa de Ruy Mendes. Cenário de José Amaro Júnior. 36 páginas. 14 x 19,5 cm.  Capa com manchas, visíveis na fotografia, e falta da página de guarda que antecede o rosto.

Raro.

Preço: 20 euros.



POESIA ESCOLHIDA DE AI QING


Escolha, tradução, prefácio e notas de JIN GUO PING.
Revisão literária de António Manuel Couto Viana.

Edição bilingue. Capa de Mo Pan Fei. Ilustrado com algumas fotografias do poeta Ai Qing. 442 páginas. 12 x 17 cm. Bom estado. Macau: Instituto Cultural de Macau, 1987.

Autografado com dedicatória de página inteira por A.M. Couto Viana, datada de 1992.

Preço: 20 euros.



AS (E)VOCAÇÕES LITERÁRIAS


ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA


Crónicas, «memórias e esboços de estudos literários», anteriormente publicados em jornais e revistas, sobre autores com os quais Couto Viana conviveu ou sentiu afinidades literárias, dando primazia aos poetas:

Afonso Lopes Vieira, Alberto d’Oliveira, Alfredo Pimenta, Alfredo Serrano, Álvaro Benamor, Américo Cortez Pinto, António Alves Martins, António Corrêa d’Oliveira,  António Patrício, Augusto Lima, Azinhal Abelho, Blanco-Amor, Camilo Castelo Branco, Eça de Queiroz, Ernesto Sardinha, João de Deus, Francisco de Almeida, João da Rocha, João Verde, José de Almada Negreiros, José Bruges, José Régio, Júlio Brandão, Manuel Lereno, Odylo Costa, Filho, Teixeira de Pascoaes, Teófilo Carneiro, Vasco de Lima Couto e Vitorino Nemésio.

O livro termina com alguns textos mais generalistas: Cancioneiros Galantes, A Poesia Viaja de Comboio, Os Poetas e o Comércio, Poesia Militante, A Sátira à Política na Poesia Portuguesa, e Queixas contra a Inglaterra na Poesia Portuguesa.

255 páginas. 15 x 21 cm. Edição do autor, Lisboa, 1980. Excelente exemplar.

Preço: 12 euros.



PONTO DE NÃO-REGRESSO


ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA


Poemas datados 1977-1980, antecedidos por um estudo de cerca de 15 páginas da autoria de Franco Nogueira. Capa de Vítor Luís, com um desenho de Juan Soutullo. 115 páginas. 15 x 21 cm. Tiragem de 500 exemplares. Impecável estado de conservação. Braga: Editora Pax, 1982.

Preço: 12 euros.



SOU QUEM FUI

Antologia Poética

ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA


Primeira edição. Com uma nota prévia do autor, escrita por ocasião dos 50 anos de poesia (1948-1998). Posfácio de JOÃO BIGOTTE CHORÃO. Na colecção Poesia, fundada por Luís de Montalvor. Capa com um desenho de Almada Negreiros. 193 páginas. 13,5 x 20 cm. Lisboa: Edições Ática, 2000.

Preço: 15 euros.



AS “FUNÇÕES” PATRIÓTICAS DO ABADE DE LOBRIGOS


ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA


Separata de Estudos Regionais, vol. 18. Viana do Castelo: Centro de Estudos Regionais, 1997. 12 páginas. 17 x 23 cm. Autografado com dedicatória do autor ao poeta minhoto João Marcos.

Preço: 15 euros.



UM PASSEIO CULTURAL NA POESIA DE ANTÓNIO FERREIRA


ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA


Palestra proferida em 2 de Março de 1996 na Sede da Casa do Concelho de Ponte de Lima. Ilustrado com fotografias. Lisboa: Casa do Concelho de Ponte de Lima, 1996. Ilustrado. 32 páginas. 16 x 23 cm.

Preço: 10 euros.



VIANA NA POESIA DE MARIA MANUELA COUTO VIANA


ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA


Retrato da poetisa por Carlos Carneiro. Separata de Estudos Regionais, vol. 21. Autografado com dedicatória do autor ao poeta minhoto João Marcos. 16 páginas. 17 x 23 cm. Viana do Castelo: Centro de Estudos Regionais, 2000.

Preço: 15 euros.


natal


RETÁBULO PARA UM ÍNTIMO NATAL


ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA


Autografado pelo autor com dedicatória datada para a actriz Hermínia Tojal. Com um estudo introdutório de João Maia. Capa com algumas manchas. Tiragem de 600 exemplares. 32+(8) páginas. 16,8 x 24 cm. Edição do autor, Braga, 1980.

Preço: 25 euros.



AINDA NÃO


ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA


Exemplar assinado pelo autor com dedicatória datada de 2010.

Último livro do autor. Data da edição: o dia do 87.º aniversário de Couto Viana, 24 de Janeiro de 2010. Capa de Juan Soutullo. Tiragem única de 300 exemplares (que, pelas últimas informações, ainda não estarão esgotados). 52 páginas. 13 x 18 cm. Edição Averno 032. Óptimo exemplar. Lisboa: Averno, 2010.

Preço: 20 euros.



LADY CHATTERLEY’S LOVER


D. H. LAWRENCE


A The Odyssey Press publicou em Paris, após censura da obra nos Estados Unidos da América e no Império Britânico, a primeira edição inexpurgada de grande divulgação, em 1933. Do ano seguinte data esta quinta reimpressão. O texto é antecedido por uma “Carta Aberta aos Leitores de D. H. Lawrence”, de Frieda Lawrence, datada de 26 de Janeiro de 1933. Com (6)+360 páginas, e 11,2 x 18 cm. Lombada escurecida, com mínima falta de papel. No geral, um bom exemplar, de colecção. Paris: The Odyssey Press, 1934.

Not to be introduced in the British Empire or the U.S.A. [impresso na contracapa] — só seria publicado sem cortes nos E.U.A em 1959, e no Reino Unido em 1960; mais de 25 anos, e muitas edições clandestinas, depois.

Preço: 17 euros.



LE VOYAGE EN GRÈCE

Cahiers Périodiques N.º 11 (1939)


Uma raridade bibliográfica. Trata-se do último número de Le Voyage en Grèce, uma revista que durou apenas 11 números, entre 1934 e 1939 (mais um extra, em 1946), e que contou com colaborações de Le Corbusier, Pablo Picasso, Georges Braque, André Derain, Henri Matisse, Georges Bataille, Roger Caillois, Giorgio de Chirico, Jean Cocteau, Fernand Léger, Jacques Prévert, Michel Leiris, François Mauriac, Raymond Queneau, Pierre Reverdy, Marguerite Yourcenar, e muitos outros.

Inicialmente pensada como um projecto editorial de vocação turística pelo seu editor e criador, Héraclès Joannidès (1897-1950), director da Société Neptos em Paris, para distribuição a bordo dos cruzeiros que organizava ao seu país natal, criando uma «ligação entre a Grécia e os seus viajantes por intermédio dos escritores, dos artistas e dos sábios contemporâneos», cedo transcendeu este âmbito inicial para se tornar um local de encontro inovador entre o classicismo grego e a vanguarda europeia, ao nível da imprensa periódica literária e artística, e um objecto (tipo)gráfico de um luxo único na época. Para tal, Joannidés recebeu preciosos conselhos do célebre editor Tériade, ambos gregos, ambos radicados em Paris. A história está muito bem contada aqui e aqui.

LE VOYAGE EN GRÈCE, n.º 11, Paris, Été 1939. Édités par H. Joannidès. /// Número essencialmente dedicado à Arquitectura tradicional grega. Capa reproduz um fragmento de uma pintura de Théophilos. Com uma estampa extra-texto do mesmo pintor (vide fotografia). 28+(4) páginas. 22 x 27,5 cm. /// Colaboração literária de Le Corbusier, Roger Avermaete, R. Allendy, Jean-Germain Tricot, André Fraigneau, Pierre Borel, R. Th. Bosshard, Evrot, Henri Focillon, Jules Formigé, Fernand Léger, Camille Mauclair, Mario Meunier, E. Pontremoli, Louis Roussel, Pierre Sonrel, André Thérive e Charles Vildrac. Desenhos de Le Corbusier e F. M. Salvat. Fotografias de Panos Dzelepis, L. Frantzis, Herbert List, Eli Lotar, Nellys, Roger Nicolle e J.-G. Tricoglou. Realização artística de André Fraigneau, J.-G. Tricot e Roger Vitrac. /// Em bom estado, salvo pequena mancha num canto da capa, visível numa das fotografias.

Preço: 35 euros.


Camarões /// 1888

[06Set15]

camaroes3

camaroes4


OS CAMAROES

Monólogo em Verso
Traducção Livre de Les Écrevisses de Jacques Normand

ACACIO ANTUNES


Versão do poeta e dramaturgo figueirense Acácio Antunes [1853-1927] de um curioso monólogo em verso de Jacques Normand, Les Écrevisses (consultar aqui o texto original ilustrado), adaptado à realidade portuguesa: Paris torna-se Azeitão.

15 páginas. 11,5 x 17 cm. Capa com pequenos defeitos. Lisboa: Tavares Cardoso & Irmão Editores, 1888.

Preço: 10 euros.



PROJET DE RÉFORME PARLEMENTAIRE ÉLECTORALE

ADRESSÉ A L’ASSEMBLÉE NATIONALE LÉGISLATIVE DE LA FRANCE

LUCIANO LOPES PEREIRA


Resumido da seguinte forma no rosto: Organisation législative intégrale (A bas les monocéphalies et bicéphalies législatives); Representation des classes (A bas l’absurde représentation des localités); Hiérarchie des capacités (A bas les capacités improvisées); Système des candidatures (A bas la duperie électorale).

Encadernação da época, com desgaste superficial. 20 páginas. 17 x 25 cm. Rio de Janeiro: Typographia Franceza, 1849.

Autografado pelo autor, docteur de la faculté de médecine de Paris, para «o distinto historiador Alexandre Herculano».

Preço: 40 euros.


oscar-1
oscar-k oscar-2 oscar-sum


O FIO DA MEADA


LUIZ HILDEBRANDO


Livro de memórias de Luiz Hildebrando Pereira da Silva (n. 1928),  biólogo, investigador e professor no Instituto Pasteur (Paris), ex-militante do Partido Comunista Brasileiro várias vezes exilado por diferentes regimes políticos e militares.

Prefácio de Oscar Niemeyer,  amigo próximo no exílio parisiense de ambos.

Primeira edição. Brochado. Capa de Rodrigo Andrade. 207 páginas. 13,5 x 20,5 cm. São Paulo: Editora Brasiliense, 1990.

Preço: 10 euros.



L’ESPAGNE ET LE PORTUGAL

DEPUIS L’INVASION DES CARTHAGINOIS JUSQU’A NOS JOURS
AVEC UN CHAPITRE SPÉCIAL RÉSUMANT LES ANNALES DE
L’INQUISITION
EN ESPAGNE ET EN PORTUGAL

EMMANUEL RAYMOND


Emmnanuel Raymond é pseudónimo do escritor Léon Galibert (1803-1865?). 191 páginas. 10 x 15 cm. Paris: Imprimerie de Dubuisson [sem data]. É comum apontar o ano de 1862 como o de publicação da primeira edição desta obra, visto ser a última data referida no texto.

A informação gravada na encadernação difere da impressa no miolo: refere-se ao autor como «R. Raymond», coloca o livro na colecção Bibliothèque Utile, à qual não há menção alguma no rosto, e aponta o editor como a Librairie Germer Baillière, de facto a responsável pela 2.ª edição desta obra, em 1885.

Existe uma cópia digital integral deste livro, realizada pelo Google a partir de um exemplar existente na Universidade de Califórnia.

Preço: 25 euros.


Na sequência de Coração Arquivista (1977), um título feliz para qualquer bibliófilo, António Manuel Couto Viana publicou, em 1980, As (e)vocações Literárias, onde reuniu novamente uma série de crónicas ou «memórias e esboços de estudos literários» anteriormente publicadas em jornais e revistas sobre autores com os quais conviveu ou sentiu afinidades literárias, dando primazia aos poetas:

– Afonso Lopes Vieira
– Alberto d’Oliveira
– Alfredo Pimenta
– Alfredo Serrano
– Álvaro Benamor
– Américo Cortez Pinto
– António Alves Martins
– António Corrêa d’Oliveira
– António Patrício
– Augusto Lima
– Azinhal Abelho
– Blanco-Amor
– Camilo Castelo Branco
– Eça de Queiroz
– Ernesto Sardinha
– João de Deus e Francisco de Almeida
– João da Rocha
– João Verde
– José de Almada Negreiros
– José Bruges
– José Régio
– Júlio Brandão
– Manuel Lereno
– Odylo Costa, Filho
– Teixeira de Pascoaes
– Teófilo Carneiro
– Vasco de Lima Couto
– Vitorino Nemésio

[… e terminando o volume com alguns textos menos personalizados:]

– Cancioneiros Galantes
– A Poesia Viaja de Comboio
– Os Poetas e o Comércio
– Poesia Militante
– A Sátira à Política na Poesia Portuguesa
– Queixas contra a Inglaterra na Poesia Portuguesa

Se já em Coração Arquivista se tinha debruçado sobre Almada Negreiros (ler aqui), a história que conta n’As (e)vocações Literárias repesca, além de referências ao contexto em que o artista parte para Paris em 1919, os desagradáveis comentários com que Mário Saa, na sua acintosa obra A Invasão dos Judeus, brindou Almada: «um estômago judaico-africano a digerir influências francesas». Suprema afronta: além de judeu, também africano… Sim, porque para Mário Saa, e citando Couto Viana dada a inacessibilidade da obra em questão, «o judeu é o único indivíduo (não sei porque natureza excepcional) capaz de nutrir rancor ao militarismo». Vai daí, Couto Viana termina esta crónica, em que se debruça superficialmente sobre as contradições do pensamento nacionalista de Almada Negreiros, com a reprodução de uma Chanson Patriotique, composta pelo artista em Paris, 1919:

CHANSON PATRIOTIQUE

(Temps de marche militaire
aux femmes de mon pays)

O femmes venez venez
O femmes venez toutes
faire de la vraie sculpture
de celle qui plaît a Dieu

O femmes venez venez
O femmes venez toutes
faire de la vraie sculpture
comme la font les vrais animaux

O femmes venez venez
O femmes venez toutes
Femmes n’oubliez pas
que vous êtes les seules machines
pour faire des soldats!

Ainda sobre Almada, e como apronfudamento de ambas as crónicas de Couto Viana, leia-se a célebre entrevista ao programa Zip-Zip, em 1970, e uma carta inédita, datada de Paris, 1919.

capas Couto Viana

Publicado em 1982, Ponto de Não Regresso (poemas datados 1977-1980), possui uma cinta original remetendo para um prefácio de 15 páginas da autoria de Franco Nogueira. A capa é de Vítor Luís, com um desenho de Juan Soutullo. O livro termina com uma «Súbita Vaidade»:

Detrás das palavras gastas,
Há um ímpeto criador:
Ó leitor que me afastas,
Deves ler-me outra vez, lerás melhor.

Dei sinais, dei avisos, dei memória
Não só de mim.
Poesia transitória?
Quem o disse morreu antes de ver-lhe o fim.

Juntai nova semente aos velhos grãos
De terra fértil, que reguei com pranto.
E recebi, depois, nas próprias mãos,
O fruto acre do meu canto.

Mas se alguém o comer (e a fome é certa!)
Há-de encontrar-lhe um funde de doçura:
O coração atento, a alma aberta
Ao amor e à procura.

Não, não secou ou amornou a fonte
Que em cada livro meu, quente, fluía!
– É estéril e seco o horizonte
De quem ignora a minha poesia!

Refira-se, para terminar, que nem um nem outro livro conheceram 2.ª edição, e que tiveram tiragens de 1000 exemplares (ensaio) e 500 exemplares (poesia).

Exemplares em óptimo estado de conservação.

Preço: 12 euros (cada).