SCENAS DA VIDA COLONIAL

ZAMBEZIANA

(em conjunto com)

A VELHA MAGRA DA ILHA DE LUANDA


EMILIO DE SAN BRUNO


Dois romances da série «Scenas da Vida Colonial», de Emílio de San Bruno. Encadernações simples, em sintético, com manchas. Miolo aparado, sólido, no geral limpo, com ocasional foxing ligeiro. Sem capas de brochura. Assinatura de posse no topo de ambos os rostos. 386,(2) e 354,(2) páginas. 19 x 13 (x 6) cm. Lisboa: Tipografia do Comércio, 1927 e Lisboa: Tipografia – Rua da Era, 1929.

Preço (do conjunto): 18 euros.


 


FORMULÁRIO DOS MEDICAMENTOS

PARA OS HOSPITAES MILITARES DA PROVÍNCIA


SERVIÇO DE SAÚDE DA PROVÍNCIA DE ANGOLA


Exemplar com autógrafo de posse, no rosto, do chefe do serviço de saúde do Hospital de Benguela, Luanda, 8 de Fevereiro de 1894.

Farmacopeia de bolso, com alguns ingredientes autóctones. VI,(84) páginas, 17,4 x 11,5 cm. Encadernação da época, modesta, cansada porém sólida, com duas pequenas garatujas na pasta frontal. Possui ambas as capas de brochura. Miolo no geral limpo, com manchas leves, essencialmente nas orlas. Ex-libris de antigo bibliófilo. Loanda: Imprensa Nacional, 1894.

Raro.

Preço: 45 euros.


 


CALÍGULA EM ANGOLA


CUNHA LEAL


Não podem contar-se todos os pormenores de uma vida – até pela impossibilidade material de o fazer -, mas não pode ignorar-se por exemplo que, tão importante como as ideias expressas no comício anti-germânico produzido por Cunha Leal em frente do palácio do Governador Norton de Matos, em Luanda, em 1915, foi o conjunto de reacções em cadeia que acabou por incompatibilizar, de forma “patológica” (=conflitual) os dois homens, ao longo do resto das suas vidas. Ocorrido numa conjuntura adversa de pré-guerra, esse episódio juntou a burguesia de serviços luandense, num mesmo impulso, contra a alegada passividade do Governador e ajudou a criar uma animosidade contra a obra colonizadora de Norton que se prolongou pelo pós-guerra, durante o seu alto-comissariado. No entanto, se essa oposição teve alguma expressão entre os colonos, através da sua imprensa, em nenhum caso ela adquiriu a força demolidora que se encerra no Calígula em Angola, da autoria do biografado. Porventura de forma apaixonada e excessiva,- como aconteceu em tantos momentos da sua vida – Cunha Leal foi aqui o que melhor encarnou e interpretou, quiçá de forma contraditória, o sentido da História: não era a obra nortoniana mais um dos sonhos de verão daquela burguesia republicana empenhada, inconsciente e quixotescamente, na construção de um Império impossível? [Luís Manuel do Carmo Farinha, aqui]

3.º milhar. Capa com desenho de Almada Negreiros. Brochado. Ilustrado. XX, 207 páginas, as últimas 20 de formato ligeiramente maior e com a reprodução de documentos. 22,3 x 14,2 cm. Capa com marcas superficiais de bicho de papel, junto à margem inferior, que não tocam o desenho. Lombada manchada e com pequena falta de papel à cabeça. Impresso nas oficinas gráficas da Sociedade de Papelaria (Porto). Edição do autor, Lisboa, [Abril] de 1924.

Preço: 20 euros.


 


OS SEMINÁRIOS EM PORTUGAL

ESTUDO COMEMORATIVO DO DECRETO TRIDENTINO E DA SUA EXECUÇÃO EM PORTUGAL

Com capítulos dedicados a: Pontifício Colégio Português de Roma; Província Eclesiástica de Lisboa (Patriarcado de Lisboa e Dioceses de Angra do Heroísmo, Cabo Verde, Funchal, Guarda, Leiria, Portalegre e Castelo Branco); Província Eclesiástica de Braga (Arquidiocese de Braga e Dioceses de Aveiro, Bragança e Miranda, Coimbra, Lamêgo, Porto, Vila Real e Viseu); Província Eclesiástica de Évora (Arquidiocese de Évora e Dioceses do Algarve e de Beja); Província Eclesiástica de Luanda (Arquidiocese de Luanda e Dioceses de Malange, Nova-Lisboa, Sá da Bandeira, Silva Porto e Luso); Província Eclesiástica de Lourenço Marques (Arquidiocese de Lourenço Marques e Dioceses de Beira, Inhambane, Nampula, Porto Amélia, Quelimane, Tete e Vila Cabral); e Província Eclesiástica de Goa (Patriarcado de Goa e Dioceses de Macau e Dilí/Timor). Texto sem autoria declarada.

Brochado. Ilustrado em 28 páginas de extra-textos fotográficos a preto, em papel couché. 166-(2)-[28] páginas. 25 x 19 cm. Capa com manchas marginais. Miolo limpo. Dedicatória manuscrita no topo do rosto. No geral, um bom exemplar. Composto e impresso na Gráfica de Coimbra para a Comissão Episcopal para a Disciplina dos Seminários, 1964.

Preço: 30 euros.


 


O LICEU NACIONAL DE SALVADOR CORREIA


ALBERTO SERPA NEVES


Com 26 fotografias, após o texto, uma por página. O autor era vice-reitor do Liceu. Brochado. 46,(2),[54],(4) páginas. 22,5 x 16,3 cm. Bom estado. Lisboa: Agência Geral das Colónias, 1945.

Preço: 35 euros.


 


2.ª REUNIÃO TÉCNICA DE CAFÉ


INSTITUTO DO CAFÉ DE ANGOLA


Carmona, de 12 a 17 de Julho de 1965. Brochado. Ilustrado com desenhos e três desdobráveis analíticos. [3]-120-(2) páginas. 24 x 17 cm. Capa com marcas de uso. Bom estado geral. Edição do Instituto do Café de Angola, impresso na Sintel, em Luanda, 1960.

Preço: 25 euros.


 


REFLEXÕES SOBRE A ARTE NEGRA

(ENSAIO)

MESQUITELA LIMA


Ilustrado com 20 fotografias a preto, de página inteira, e um esquema de uma escultura, em papel couché, extra-texto. 46+[42] páginas. 29,5 x 21 cm. Brochado. Pequenas marcas superficiais de bicho de papel na orla exterior da capa. Bom estado geral. Invulgar. Série Relatórios e Comunicações do Instituto de Investigação Científica de Angola, n.º 18, Luanda, 1971.

Preço: 50 euros.


 


ALBUM DE ESTATISTICA GRAPHICA DOS
CAMINHOS DE FERRO DO ULTRAMAR
1903


Com mapas in-folio do caminho de ferro de Mormugão, dos caminhos de ferro do sul da Índia, do caminho de ferro de Lourenço Marques, e do caminho de ferro de Luanda a Ambaca, cada um deles complementado com diversos mapas estatísticos e gráficos (mercadorias, movimentos, receitas, etc.). Termina com um mapa desdobrável dos caminhos de ferro do sul de África (63,7 x 57,3 cm).

Álbum (37,5 x 26,5 cm) em cartonagem editorial com lombada em tela verde. Com (2)+xi+(57)+[1] páginas. Capa manchada. Miolo no geral limpo, com ocasionais picos de acidez marginais. Papel superior. Pequeno carimbo azul de oferta do Ministério da Marinha no rosto. No geral, um exemplar interessante.

Edição da 3.ª Repartição da Direcção Geral do Ultramar, do Ministério do Mar e da Marinha, Lisboa, na Typographia da «A Editora», 1905.

Preço: 70 euros.