ENTRE DUAS MEMÓRIAS


CARLOS DE OLIVEIRA


Primeira edição assinada, com dedicatória. Capa de Fernando Felgueiras. 11 cm x 18,2 cm. Colecção Cadernos de Poesia n.º 21. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1971. Em bom estado, com a lombada ligeiramente descolorada.

Preço: 60 euros.



A VOZ HUMANA


JEAN COCTEAU


Tradução de Carlos de Oliveira. Nota introdutória de Gastão Cruz. Título original: La Voix Humaine. Capa de António Lobo (fotografia de Man Ray). 11,5 cm x 18,7 cm. Interior da capa e contracapa com manchas de oxidação, que tocam a primeira e a última página do miolo. Colecção Gato Maltês n.º 22. Lisboa: Assírio & Alvim, 1989.

Preço: 12 euros.


Poesias


POESIAS


CARLOS DE OLIVEIRA


Reunião de alguns dos títulos anteriores, de tiragens reduzidas, numa única obra, para o 3.º número da Colecção Poetas de Hoje da Portugália. Inclui Mãe Pobre (1945), Colheita Perdida (1948), Descida aos Infernos (1949), Terra de Harmonia (1950) e Cantata (1960).

Brochado. 174+(3) páginas. 13,8 cm x 20 cm. Com assinatura de posse próxima do canto superior interior da folha de rosto. Capa ligeiramente escurecida junto à lombada, miolo limpo. Colecção Poetas de Hoje n.º 3. Lisboa: Portugália, 1962.

Preço: 18 euros.





CONSIDERAÇÕES PESSOAIS

ENSAIOS

ADOLFO CASAIS MONTEIRO


Primeiro livro de ensaios do autor (1908 – 1972), co-director da Presença a partir de 1931 e até ao último número publicado, em 1940 (José Régio e João Gaspar Simões partilhavam com Casais Monteiro a direcção da revista). O ensaio de abertura, «A Arte contra a Ordem», começa da seguinte forma:

Adormecendo com sempre renovado sono após a descoberta duma nova direcção; após cada revolução caindo na escolástica do que ela trouxe de novo, tendemos a esquecer que toda a obra de génio que repousa nas nossas estantes, ou na parede severa dos museus, com a segurança dum incontestável classicismo, foi um dia motivo de escândalo, objecto de sarcasmo e riso, quando não duma completa indiferença.

Com ensaios sobre cinema, crítica literária, Mário de Sá-Carneiro, Goethe e Benjamin Jarnés, e outros que falam de José Régio, Tolstoi, Dostoievski, James Joyce, Marcel Proust, Paul Valéry, Stéphane Mallarmé ou Jules Supervielle. 213 páginas. 12 x 19 cm. Um excelente exemplar, muito estimado. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1933 (foi reeditado em 2004, com um novo prefácio de Carlos Leone).

Como curiosidade, refira-se a existência desta obra na biblioteca pessoal de Fernando Pessoa.

Preço: 30 euros.



ADOLESCENTES


ADOLFO CASAIS MONTEIRO


Primeiro, e único, romance de Casais Monteiro. Capa de Roberto Araújo. Página de guarda com um carimbo «Oferta dos Editores» e uma nota manuscrita: «Para a Biblioteca do SEN». 201 páginas. 13 x 19,5 cm. Porto: Editorial Ibérica, 1945.

Invulgar.

Preço: 20 euros.



O CORSÁRIO


JEAN DRAULT


Tradução de ADOLFO CASAIS MONTEIRO. Segundo o prefácio de Drault, este romance de pirataria é, sob certos aspectos, «uma nova história de Robinsons», passada na Ilha Maurícia. Com 224 páginas, e 12,5 x 19 cm. Porto: Editora Educação Nacional, 1941.

Preço: 10 euros.



POESIAS COMPLETAS

1929 – 1969


ADOLFO CASAIS MONTEIRO


Compilação de (quase) toda a poesia publicada por Adolfo Casais Monteiro, com um prefácio do autor e acrescida do livro inédito O Estrangeiro Definitivo, escrito no Brasil. Capa de João da Câmara Leme. Com xii-346 páginas, e 14 x 20 cm. Um bom exemplar. Colecção Poetas de Hoje, n.º 32. Lisboa: Portugália, 1969.

Preço: 30 euros.



ESTRUTURA E AUTENTICIDADE
NA TEORIA E CRÍTICA LITERÁRIAS


ADOLFO CASAIS MONTEIRO


Capa de Armando Alves. 160 páginas. 15 x 24 cm. Colecção Estudos Gerais, série Universitária. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1984. Esgotado.

Preço: 15 euros.