Ilse Losa

[28Maio16]


HISTÓRIAS INESQUECÍVEIS PARA CRIANÇAS


Selecção de

ILSE LOSA


Capa de A. Pedro e ilustrações de Manuela Bacelar. Contos dos Irmãos Grimm (tradução de Maria Cristina de Araújo), Wilhelm Hauff (tradução de Teresa Balté), George Sand (tradução de Virgínia de Castro e Almeida, revista por Ângela Lieblich), John Ruskin (tradução de Luísa Derouet), Mark Twain e Oscar Wilde (traduções de Margarida Losa), Leão Tolstoi, Hans Christian Andersen, Pawel Bashow e Selma Lagerlöf (traduções de Ilse Losa). 227 páginas. 14,5 x 21 cm. Capa com ténues manchas amarelas, miolo impecável. Lisboa: Livros do Brasil, [s.d.].

Preço: 12 euros.



O MUNDO EM QUE VIVI


ILSE LOSA


Numa escrita inexcedivelmente sóbria e transparente, e através de breves episódios, este romance conduz-nos em crescendo de emoção desde a primeira infância rural de uma judia na Alemanha, pelos finais da Primeira Guerra Mundial, até ao avolumar de crises (inflação, desemprego, assassínio de Rathenau, aumento de influência e vitória dos Nazistas) que por fim a obrigam ao exílio mesmo na eminência de um destino trágico num campo de concentração. Há uma felicíssima imagem simbólica de tudo, que é a do lento avançar de uma trovoada que acaba por estar «mesmo em cima de nós». Assistimos aos rituais judaicos públicos e domésticos, a uma clara atracção alternativa entre a imigração para os Estados Unidos da América e o sionismo. Fica-se simultaneamente surpreendido pela correspondência e pelas diferenças entre o adolescer e o viver adulto em meios culturais muito diversos, pois há relances de vida religiosa luterana, católica e de agnosticismo à margem da experiência judaica ortodoxa. Perpassam figuras familiares de recorte nítido: os avós da aldeia, o pai, negociante de cavalos, desfeiteado por anti-semitas e falecido de cancro, os tios progressistas Franz e Maria, o avô Markus, a amorável avozinha Ester (kleine Oma), Paul (o jovem quase namorado que se deixa intimidar pelo ambiente), Kurt (o jovem enamorado assolapado, culto e firme nas suas convicções). A acção é desfiada numa sucessão de fases biográficas progressivamente dramáticas — e nós acabamos por participar afectivamente de um destino ao mesmo tempo muito singular e muito típico, que bem nos poderia ter cabido. Um romance de características únicas na literatura portuguesa — e emocionalmente certeiro. [Texto da contracapa, datado de Novembro de 1989, da autoria de Óscar Lopes, a quem o livro é dedicado].

15ª edição do primeiro livro da autora. Capa de Ângela Melo. 196 páginas. 14,5 x 21 cm. Porto: Edições Afrontamento, 1992.

Preço: 10 euros.


oscar-1
oscar-k oscar-2 oscar-sum


O FIO DA MEADA


LUIZ HILDEBRANDO


Livro de memórias de Luiz Hildebrando Pereira da Silva (n. 1928),  biólogo, investigador e professor no Instituto Pasteur (Paris), ex-militante do Partido Comunista Brasileiro várias vezes exilado por diferentes regimes políticos e militares.

Prefácio de Oscar Niemeyer,  amigo próximo no exílio parisiense de ambos.

Primeira edição. Brochado. Capa de Rodrigo Andrade. 207 páginas. 13,5 x 20,5 cm. São Paulo: Editora Brasiliense, 1990.

Preço: 10 euros.