MEMORIAS D’UM SUICIDA


MAXIME DU CAMP


Colecção Economica n.º 20. Tradução de Silva Pinto. 270 páginas. 16,5 x 11,5 cm. Selo coevo na lombada e mini-carimbo da Livraria Povoense, da Póvoa do Varzim, no ante-rosto. Usado e com marcas de restauro, mas sólido. Lisboa: Parceria Antonio Maria Pereira, 1907.

Preço: 12 euros.



CANÇÕES EM VOGA


ALICE AMARO


Canções com músicas de Wolmar Silva, Ferrer Trindade, Shegundo Galarza, Nóbrega e Sousa, João Nobre, Carlos Canelhas e Manuel Paião; e letras de Manuel Lereno, Artur Ribeiro, António José, João Nobre, Frederico de Brito, Magalhães dos Santos, Eduardo Damas, Jerónimo Bragança e Vítor Teixeira. Não inclui pautas musicais, apenas as letras das canções. Com 16 páginas e 14,6 x 10,5 cm. Frágil, mas em bom estado. Ermesinde: Editorial Crisos, [s.d.].

Preço: 12 euros.



CAVALOS, HERÓIS E LUNÁTICOS
ARTUR ROCKZANE
Capa: Todas Manas sobre fotografia de Fernando Zeferino Ferreira. Brochado. 80 páginas, com o texto impresso a violeta. 12,6 cm x 21,5 cm. Extracolecção n.º 1. Tiragem de 600 exemplares. Coimbra: Fenda Edições, 1983. Capa com manchas marginais ligeiras.
Preço: 22 euros.

HORTÊNCIO MIRAFLOR – SUICÍDIO E OBRA
ARTUR ROCKZANE
Capa sobre pintura de José Ralha. Brochado. 180 páginas. 13 cm x 19 cm. Colecção O Virgem Negra. Vila Nova de Famalicão: Quasi, 2001. Bom estado.
Preço: 18 euros.



SAPATOS DE DEFUNCTO


LEITE BASTOS


Finalmente Leite Bastos, um bello dia convenceu-se de que estava a estragar os seus esplendidos dotes de escriptor n’aquelle genero de litteratura barata, e n’um momento de descanço, que lhe deixaram os editores, começou a planear a COMEDIA BURGUEZA. O bello romance que se segue, os SAPATOS DE DEFUNCTO, é o primeiro quadro d’essa vasta galeria, que Leite Bastos tem já toda planeada e em que trabalha com todo o amor de um artista. [da Introducção]

2.ª edição (a primeira data de 1882). Introdução de Gervasio Lobato. Ilustrações no texto: desenhos de Manuel de Macedo / gravuras de Alberto. Em brochura, com mínimos defeitos exteriores e miolo limpo, 12 cm x 19 cm para 187+(5) páginas, muitas por abrir. Colecção A Comedia Burgueza. Lisboa: Portugal-Brasil Sociedade Editora, [s/d].

Preço: 17 euros.



O SENHOR DOS PASSOS DA GRAÇA

MEMÓRIAS DE UM REVOLTADO


GOMES LEAL



Depois de saír da Praça dirigi-me para o Rocio, e d’ahi enveredei em direcção ao Campo de Sant’Anna. Era terça-feira, e a feira da Ladra, n’aquelle tempo, celebrava-se ali ás terças. Ora eu carecia de falar com o Rabicha, que tinha loja de bric à brac; mas aonde ia parar tudo quanto éra verdadeiramente bom e antigo e onde concorriam os homens mais perítos e entusiastas por antiguidades. […]
 Eram duas horas da tarde, o sol estava côr d’oiro em fusão. A feira da Ladra estava em todo o seu esplendor. Viam-se ali burguezes e locandeiras, creadas de servir e lacaios, pelintras e cocheiros, janótas encardidos e filósofos de trapeira, polícias á paisana e parteiras, senhoras de chapelinho e algumas de capote e lenço, estudantes de licêo sabios esfarrapados, alfarrabistas pesquisadores e finalmente fadistas do Bairro Alto […]

 

Primeira edição. Encadernação da época com lombada sintética (selo do encadernador A. David, Lisboa), sem capas de brochura, com algumas marcas superficiais visíveis (na fotografia) de bicho do papel, nas zonas de papel (texturado) da pasta frontal, principalmente. Miolo limpo, aparado. 18,8 cm x 12,5 cm. 338+(2) páginas. Lisboa: Empreza da Historia de Portugal – Livraria Moderna, 1904.

Preço: 30 euros.


 


MYRTIS ET KORINNA


WILLIAM RITTER


 

Novela. William Ritter (1867-1955), nascido em Neuchâtel, amigo de Mahler, estudou em Viena e foi escritor, pintor, crítico de arte e crítico musical. Ilustrações de Antoine Calbet. Collection Lotus Alba, para bibliófilos. Estimado. Com (14)-90-(6) páginas, e 7 x 14,5 cm. Paris: Librairie Borel, 1898.

Um centauro apaixona-se por uma jovem rapariga…

 


 


LA GUERRE DES DIEUX


PARNY


 

Poesia. Originalmente publicado em 1799, com autoria de Évariste Parny (1753-1814). Dois volumes encadernados num único, com capas de brochura. Assinatura de posse de Alberto Cupertino Pessoa, professor de Medicina na Universidade de Coimbra, em letra muito miúda, em ambas as páginas de ante-rosto. Ilustrado com gravuras e vinhetas, sem autoria atribuída, embora assinadas. 128+128 páginas. 9 x 14 cm. Capas de brochura manchadas, miolo não tanto. Não aparado. Colecção Petite Bibliothèque Diamant. Paris: L. Boulanger, [s.d.].

 


 


LA NONNE ALFEREZ


JOSÉ-MARIA DE HEREDIA


 

Romance. Primeira edição. Heredia nasceu em Cuba em 1833 e naturalizou-se francês em 1893. Ilustrações de Daniel Vierge, gravadas por Privat-Richard. Encadernado com capas de brochura. Monograma do arquitecto Alberto José Pessoa, filho do professor Alberto Cupertino Pessoa (↑) na página de rosto. Com viii-175 páginas, e 9 x 14,5 cm. Colecção Lemerre Ilustrée. Bom estado, mas com a capa de brochura manchada. Não aparado. Paris: Alphonse Lemerre, 1894.

 


 


 

Colecção “familiar” estimada de três diferentes obras eróticas publicadas em França no final do século XIX — mais valiosa a de Herédia — um conjunto uno de robustas e suaves encadernações inteiras de pele com nervos nas lombadas, cada uma de sua cor e todas no mesmo estilo, com o selo do encadernador Raúl de Almeida (Lisboa).

 

Preço (do conjunto dos 3 livros): 65 euros.

 



A ÚLTIMA OPORTUNIDADE DO HOMEM


BERTRAND RUSSELL


2.ª edição, na Colecção Filosofia e Ensaios da Guimarães Editores, Lisboa, 1966. Título original: New Hopes for a Changing World. Tradução de José António Machado. 233+(7) páginas. 19,5 x 13 cm. Meia-encadernação de pele com nervos suaves, e mínimas imperfeições, mantém capas de brochura, o miolo aparado (e carminado) à cabeça.

Com pequena rubrica de posse (datada de 68) de José Ribeiro dos Santos, advogado, dramaturgo, político e jornalista com uma história contínua de oposição à ditadura, e por essa época nos quadros da Gulbenkian [aqui].

Em todo o volume, estimado, apenas uma frase sublinhada, a págs. 136, na mesma tinta da rubrica de posse : «A essência do fanatismo consiste em considerar determinado problema como tão importante que ultrapasse qualquer outro.»

Preço: 20 euros.


G. K. Chesterton

[18Ago20]


ORTODOXIA


GILBERT KEITH CHESTERTON


Título original: Orthodoxy, de G. K. Chesterton. Tradução portuguesa de Eduardo Pinheiro. Com um estudo-prefácio de JOÃO AMEAL, «A Revolução de Chesterton». 250 páginas. 21 x 15 cm. Exemplar estimado, apesar de duas marcas superficiais de bicho de papel, ao centro da capa e no topo da lombada. Quinta edição, 30 anos após a primeira, na Colecção Filosofia e Religião [Nova Série, 4.º volume], fundada por Leonardo Coimbra. Porto: Livraria Tavares Martins, 1974.

Preço: 15 euros.



S. TOMÁS DE AQUINO


G. K. CHESTERTON


Título original: St. Thomas Aquinas, de Gilbert Keith Chesterton. 2.ª edição. Inclui uma estampa com o retrato do santo. Tradução do inglês e notas de António Álvaro Dória. 271 páginas. Introdução sobre a filosofia de Chesterton por Paulo Durão. Revisão do Pe. Domingos Moreira. 18,5 x 12 cm. Assinatura de posse no rosto. Colecção Critério, volume 3. Braga: Livraria Cruz, 1947.

em conjunto com:

Gilbert Keith Chesterton, de MAISIE WARD — Biografia. 412 páginas. Penguin Books 3/6 [bolso, 18x11cm] n.º 1070, [1958?]. Lombada escurecida. Sólido.

Preço (do conjunto): 15 euros.



AS RELAÇÕES HUMANAS NO HOSPITAL


ELISABETH BARNES


Um estudo sociológico com espaço para «o que os doentes pensam», a interacção médico-doente, as angústias inerentes à profissão de enfermeira, «quando começa a velhice», o acesso dos pais às crianças internadas, «o visitante: ajuda ou estorvo?», e outros temas que se aproximam da Psicologia.

Título original: People in Hospital [1961]. Tradução de A. H. Cardoso. 237 páginas. 19 x 13 cm. Manuseado; miolo no geral limpo, pese embora uma assinatura de posse no rosto. Coimbra: Livraria Almedina, 1973.

Preço: 10 euros.



DEBRUÇADO SOBRE O EVANGELHO

Comentários

PADRE ALBERTO DA ROCHA MARTINS


Escritor, orador e jornalista, director-fundador do Jornal de Barcelos, o Padre Alberto da Rocha Martins (1917-1995) nasceu em Braga mas viveu a maior parte da sua vida em Barcelos, cidade da qual recebeu o título de Cidadão-Honorário, em 1979, no mesmo ano em que o Papa João Paulo II o elevou a Monsenhor. Debruçado sobre o Evangelho foi o primeiro livro que publicou.

Exemplar autografado pelo autor com dedicatória a Hernâni Cidade, «com muita simpatia pelo seu talento». Capa de Gonçalves Torres. 224 páginas (maioria por abrir). 21,5 x 15,5 cm. Amarelecido e com pequenos defeitos exteriores. Barcelos, 1953.

Preço: 18 euros.



DAS ORDENS RELIGIOSAS EM PORTUGAL


PEDRO DINIS


2.ª edição, publicada um ano após a primeira, impressa na mesma tipografia mas com uma nova introdução do autor. 293+(7) páginas. 10,5 x 14,5 cm. Bom exemplar. Encadernação da época, lombada em pele. Miolo aparado, sem capas de brochura. Lisboa: Typographia de J. J. A. Silva, 1854.

Dividida em 40 CAPÍTULOS, assim resumidos no plano da obra: Procuramos responder ás accusações que se fiseram. e se fazem ainda, aos Frades de Portugal, e mostrar, que se não em todas, em grande parte, ha calumnia, absurdo, e odio inveterado, mas sem fundamento. Depois damos uma notícia das Ordens, que n’estes reinos houve, da sua origem, e introducção. Depois ainda apresentamos alguns casos, em que os frades mostraram a sua utilidade, já missionando, já escrevendo, e ensinando; e finalmente concluímos, fazendo algumas reflexões sobre a abolição do monachismo, e procurando mostrar que só uma restituição sisuda das Ordens Religiosas póde attenuar os tristes effeitos da sua extincção.

Vasta galeria de temas versados, tais o matrimónio, o celibato, a fecundação, os comportamentos sociais, os jesuítas, a emigração e a demografia, e resposta directa a muitos ataques históricos ao clero ao longo da história portuguesa.

Importante para o entendimento dos severos conflitos clerico-liberais da primeira metade do século XIX, e curioso, pela compilação de “pequena-história” e pela desenvolta e arreigada prosa apologética do autor.

Preço: 70 euros.



OS FRADES

DEFESA, JUSTIFICAÇÃO E APOLOGIA
INSUSPEITÍSSIMAS

JOÃO DE LEMOS


2.ª edição, imediata à primeira. Com uma advertência do editor, Teixeira de Freitas (4 págs.). Epígrafes de Herculano e Voltaire. Encadernação sintética moderna em muito bom estado. Com capas de brochura (cansadas), e aparado à cabeça. 182+(2) páginas. 21 x 14 cm. Guimarães: Centro de Propaganda Catholica em Portugal, 1883.

Preço: 45 euros.


«Imprimiu-se (…) em 1853, a obra de Pedro Dinis, Das ordens religiosas em Portugal, de exaltante vigor apologético, que o poeta João de Lemos (…) citou profusamente na colectânea Os frades (1883), que conheceu acolhimento entusiástico, traduzido em mais duas edições imediatas (…)»

[DHRP, p.94, aqui,
e biografia e retrato do poeta e jornalista João de Lemos (1819-1890),
no Occidente, aqui.]


MONJAS LESBIANAS

SE ROMPE EL SILENCIO


ROSEMARY CURB
NANCY MANAHAN


Uma compilação de dezenas de testemunhos de freiras e ex-freiras, em meados da década de 80. Título original: Lesbian Nuns. Breaking Silence. Traduzido do inglês por Jorge Binaghi. Ilustrado com fotografias. 400 páginas. 12,5 x 19,5 cm. Capa mole, com badanas. Primeira edição espanhola, no mesmo ano da original norte-americana. Barcelona: Seix Barral, 1985. Bom exemplar, apenas com uma pequena assinatura de posse no rosto.

Preço: 12 euros.



AS ÚLTIMAS FREIRAS

O REAL MOSTEIRO DE SANTA CLARA DE VILLA DO CONDE
AS DOMINICANAS DE “CORPUS CHRISTI”
MOURA E OS SEUS MOSTEIROS
AS THEREZINHAS DE COIMBRA

T. LINO D’ASSUMPÇÃO


Estudo seminal de Tomás Lino d’Assumpção (1844-1902), com capítulos dedicados ao Real Mosteiro de Santa Clara de Vila do Conde, às Dominicanas de Corpus Christi (Vila Nova de Gaia), a Moura e aos seus mosteiros, e às Teresinhas de Coimbra.

Com uma carta-prefácio de ANTONIO ENES «acerca das ordens e instituições religiosas».

Brochado, 21 x 14 cm, 272 páginas, muitas por abrir; com um retrato do autor a par do frontispício. Lombada com falhas de papel nas extremidades, capa manchada, miolo apenas amarelecido. Frágil. Porto: Livraria Portuense de Lopes & C.ª – Editores, 1894.

Preço: 35 euros.



A ARISTOCRACIA DO GENIO E DA
BELLEZA FEMINIL NA ANTIGUIDADE


JOSÉ PALMELLA


Com uma carta de Victor Hugo.

Introdução de Júlio César Machado.

Ensaios biográfico-líricos dedicados a destacadas mulheres libertárias da Antiguidade: — SemiramisSapho de MityleneCorinnaAspasia  — PhrynéCleopatraHypathia de Alexandria —.

5.ª edição, «augmentada». 304 páginas.  21,2 x 13,4 cm. Capa bastante manchada, interior com manchas ténues, visíveis nas fotografias. Lombada com algumas falhas de papel. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1876.

As primeiras 85 páginas, antes do início da obra, são compostas de: cartas ao autor de Angel Fernandez de Los Rios, Marianna Angelica de Andrade e Narcisa Amália; juízos críticos de Amália Figueirôa, Izabel Bueno, Luiz Guimarães Júnior, Quirino dos Santos, Rebello de Vasconcellos, Manuel Nuñez de Prado, Guiomar Torrezão, entre outros escritores e imprensa portuguesa; seguidos por fim dos prefácios das anteriores quatro edições do livro. Vide índice nas fotografias.

Preço: 17 euros.


As Pobres Susanas

[18Ago20]


AS POBRES SUSANAS


MANUEL DE CAMPOS PEREIRA


Exemplar autografado com dedicatória ao bibliófilo Carlos Silva, antigo dinamizador da secção de teatro do Sport Lisboa e Benfica e instrutor de natação no Clube Nacional de Natação, que colocava nos seus livros um ex-libris próprio e uma curiosa tarjeta, esta visível numa das fotografias supra. Capa de Jorge Barradas, datada de 1946. 7.ª edição. 35.º milhar. 237 páginas. 13,5 x 19 cm. Capa com leves marcas de manuseio, e miolo amarelecido. Lisboa: Livraria Portugal, 1966.

Preço: 15 euros.



CAMPOS PEREIRA

UM ROMANCISTA CONTEMPORÂNEO
(ANÁLISE CRÍTICA)

AMORIM DE CARVALHO


Com capítulos sobre a psicologia das personagens de Campos Pereira, o amor nos romances deste autor, o diálogo, a moral e os costumes, o estilo, a influência de Eça de Queiroz, entre outros. 255 páginas (por abrir). 13 x 20 cm. Manuseado, lombada um pouco amarelecida; no geral um bom exemplar. Porto: Livraria Civilização, 1947.

Preço: 12 euros.



BAIRRO DA LIBERDADE


MANUEL MARTINHO


Aquilo prestava-se pouco. Bairro da Liberdade, gente de casebres, pegado com Monsanto, vizinhos do aqueduto, nem de graça se iria para lá. E, no entanto, a encosta da serra começou a povoar-se. Vinham famílias sacudidas pela miséria, abrigar-se comodamente, por cem mil reis de renda. Três cubículos de madeira velha, telhas em cima de vigas que o cair das chuvadas logo apodrecia, portas estreitas onde o gemido, o pranto ou a alegria eram vizinhos da rua — e tudo isto rodeado de um chão barrento onde os homens, as mulheres e as crianças deixavam marcados os trilhos do seu caminho.
Na cidade, no centro, ninguém lhes dava guarida. Gente pobre, carregada de filhos, enxovalhada na roupa que se traz todos os dias, morar em casas, era uma ousadia dos diabos!
Alfama, Mouraria, Santa Isabel ou Alcântara estavam exigentes. Queriam hóspedes de gravata, de pouca serventia de cozinha e não bandos precatórios de tachos enfarruscados, com crianças de peito. [pp. 11-12]


Romance. 291 páginas. 13,5 x 19,5 cm. Encadernação sintética recente em óptimo estado de conservação e muito sólida, conserva ambas as capas de brochura, com marcas de pequenos restauros. Um bom exemplar. N.º 1 da Colecção Prosadores – Nova Seiva, editor Armando Lopes Esteves. Lisboa: Bolsa Cultural, 1948.

Preço: 25 euros.



OS POBRES


RAÚL BRANDÃO


A 3.ª edição, de 1925, com capa de Stuart de Carvalhais (desenho impresso em papel couché, colado sobre a encadernação editorial). Carta-prefácio de Guerra Junqueiro (25 páginas), datada de 1902-1903. Com 327 páginas, e 11,5 x 18 cm. Em bom estado. Lisboa: Livrarias Aillaud e Bertrand, 1925.

Preço: 18 euros.


Coristas, 1941

[17Ago20]

cori1

cori4


CORISTAS

Comédia em 3 Actos

ARMANDO VIEIRA PINTO


O autor [Viana do Castelo, 1906 – Lisboa, 1964] foi jornalista, dramaturgo, letrista de fado, argumentista, realizador.

Antecede a peça com um prefácio sobre o processo de escrita de teatro, o público e a crítica. Segue-se a lista das personagens e actores que as representaram na noite de estreia a 27 de Março de 1942, no Teatro Nacional D. Maria II.

Exemplar com assinatura de posse, a lápis, datada, de José Palla e Carmo [o “humorista” José Sesinando], que sublinhou a seguinte passagem do prefácio (pág. 7):

Para que de uma obra risonha possam tirar-se conclusões sérias, são necessários um certo poder de raciocínio imediato e um profundo sentido do humor. Nem uma nem outra destas qualidades, infelizmente, são peculiares ao nosso público.

Na (colecção) Biblioteca Teatral “Teatro do Povo”. Desenho da capa não assinado. 173 páginas. 13 x 18,5 cm. Lombada amarelecida e corte superior das folhas escurecido. Miolo limpo. Porto: Livraria Tavares Martins, 1941.

Preço: 15 euros.


ses0


HETEROPSICOGRAFIA

65 variações sobre a
AUTOPSICOGRAFIA de Fernando Pessoa


JOSÉ SESINANDO


Variações (humorísticas) sobre o poema «Autopsicografia», de Fernando Pessoa. Primeira e única edição, sem distribuição comercial. Edição do autor, de tiragem muito reduzida, e encadernação de argolas. Não numerado. Primeiras (5) páginas verdes, as restantes (65) brancas. 15 x 21 cm. Impresso na Aquasan, Lisboa, [s.d.], provavelmente na segunda metade da década de 80. Raro.

Letras da capa indiciam autoria de Victor Palla, irmão do autor, que na época e impresso na mesma Aquasan, desenhou muito semelhantes letras para o título de um livro próprio.

Preço: 25 euros.



 

Ler também: o artigo de José Barreto sobre o
I Congresso Ressoano de Vale da Parra: aqui.

PassosTrilogia


PARALELO 42

1919

DINHEIRO GRAÚDO


JOHN DOS PASSOS


Conjunto completo dos romances que compõem a «Trilogia U.S.A.»: Paralelo 42 (com prefácio do autor e tradução de Hélder de Macedo), 1919 e Dinheiro Graúdo (traduções de Daniel Gonçalves). Capas de João da Câmara Leme.

3 volumes brochados (maioria dos cadernos por abrir). 416+464+584 páginas. 14,8 x 21,7 [x 14] cm. Colecção Os Romances Universais, n.ºs XXXI, XXXVII e XXXVIII. Lisboa: Portugália Editora, 1967. Bom estado geral.

Preço: 40 euros.


U.S.A. é a fatia de um continente. U.S.A. é um grupo de sociedades anónimas de responsabilidade limitada, alguns sindicatos, um sistema de leis encadernadas em carneira, uma rede radiofónica, uma cadeia de cinemas, uma coluna de cotações da Bolsa apagadas e rescritas num quadro preto pelo contínuo da Western Union, uma biblioteca pública cheia de jornais velhos e livros de história amarrotados, com protestos escritos a lápis nas margens. U.S.A. é o maior vale do mundo, franjado de montanhas e colinas. U.S.A. é uma colecção de funcionários gabarolas com contas de banco a mais. U.S.A. é uma quantidade de gente enterrada nas suas fardas no cemitério de Arlington. U.S.A. é as letras no fim de uma direcção quando se está no estrangeiro. Mas, principalmente, U.S.A. é o falar do povo. [do prefácio]


T.S. ELIOT

[17Ago20]


ANTOLOGIA POÉTICA


T.S. ELIOT


Estudo prévio, selecção e tradução de José Palla e Carmo. Capa de Fernando Felgueiras. Bom estado. 157 páginas, 21 x 13,5 cm. Colecção Poesia Século XX n.º 27. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1988.

Preço: 15 euros.



A POESIA DE T. S. ELIOT


JOSÉ PALLA E CARMO


*Capítulo de um estudo inédito acerca da moderna poesia de língua inglesa, no qual se baseou a conferência proferida em 17 de Fevereiro de 1959 no Centro Nacional de Cultura sob o mesmo título. São do autor as traduções incluídas neste estudo, feitas na época da sua elaboração, quando não antes. Acerca de outras traduções e bibliografia portuguesa em geral, remete-se o leitor para o artigo de Carlos Estorninho «Portugal e T. S. Eliot» (Diário de Lisboa, 21 de Janeiro de 1965).


Ensaio. Separata dos n.ºs 24, 25 e 26 de O Tempo e o Modo. 47 páginas. 16 x 23 cm. Bom estado. Edição do autor, Lisboa, 1965.

Preço: 8 euros.



THE COCKTAIL PARTY

A COMEDY

T. S. ELIOT


4.ª impressão (a primeira revista), seis meses após a primeira. Inclui a pauta musical de «One-eyed Riley», e o elenco original da peça. 166+(5) páginas. 14,5 x 22,5 cm. Encadernação editorial em tela verde, com sobrecapa com defeitos e amarelecida. Exemplar interessante. London: Faber and Faber, 1950.

Em conjunto com:

THE MAKING OF A PLAY. T. S. Eliot’s “The Cocktail Party”, de E. Martin Browne. Trata-se do texto da Judith Wilson Lecture na Universidade de Cambridge, 4 de Março de 1966, da autoria do director da primeira produção da peça no Festival de Edinburgo de 1949, e que já tinha acompanhado a criação da peça de Eliot do princípio ao fim. 46 páginas. 12,5 x 18,5 cm. Capa com pequenos defeitos. Bom estado geral. Cambridge: University Press, 1966.

Preço (do conjunto): 20 euros.



ASSASSÍNIO NA CATEDRAL

(MURDER IN THE CATHEDRAL)

T. S. ELIOT


Tradução e posfácio de José Blanc de Portugal. Com 132 páginas e 14 x 20,5 cm. Bom estado. Colecção Theatrum Mundi n.º 1, Lisboa: Delfos, [1960].

Em conjunto com: Murder in the Cathedral, 3.ª ed., 17.ª reimpr., encadernação editorial em tela vermelha, sem sobrecapa. 8 páginas. 13,5 x 21 cm. Bom estado. London: Faber and Faber, 1950.

E ainda: Notes on T. S. Eliot’s Murder in the Cathedral, da colecção Study-Aid Series, 40 páginas, 14 x 21,5 cm, London: Methuen, 1965.

Preço (do conjunto): 20 euros.



T. S. ELIOT’S DRAMATIC
THEORY AND PRACTICE

FROM SWEENEY AGONISTES TO THE ELDER STATESMAN


CAROL H. SMITH


Although there have been innumerable studies of T. S. Eliot, this is the first to examine closely the relationship between the changes and developments in his dramatic practice and his artistic and intellectual development. Professor Smith finds Eliot’s dramatic theory and practice rooted in his conception of the need for order in religion and art. […] Eliot’s interest in the jazz rhythms and popular appeal of the English music hall, in the mythical method of Yeats and Joyce, and in the work of the Cambridge School of Classical Anthropology, which traced the origins of Greek drama back to the primitive ritual drama, is examined as the basis of his dramatic ideals and intentions. [da badana]


Ensaio. Encadernação editorial, tela com sobrecapa em bom estado geral, com muito ligeiras perdas de papel nas extremidades. Com ix-251 páginas e 14,5 x 22 cm. Bom exemplar. New Jersey: Princeton University Press, 1963.

Preço: 15 euros.



T. S. ELIOT


LEONARD UNGER


Ensaio biobiliográfico. Colecção Escritores Norte Americanos, n.º IX. Tradução de Anna Maria Martins. 80 páginas. 11,5 x 16 cm. Manuseado. São Paulo: Livraria Martins Editora, 1963.

Preço: 7 euros.



Poetry of this Age 1908-1958, de J. M. Cohen.
Livro de bolso (11 x 18 cm), de 262 páginas. Usado. Colecção Grey Arrow G24, London: Arrow Books, [1960?].
Preço: 5 euros.


Crisis in English Poetry 1880-1940, de Vivian de Sola Pinto.
2.ª ed., encadernação editorial em tela com sobrecapa bem conservada. 231 páginas. 12,5 x 19 cm. Miolo com picos de oxidação. Capítulos «T. S. Eliot» [pp. 158-186] e «After Eliot» [pp. 187-208]. London: Hutchinson’s University Library, 1955.
Preço: 8 euros.


The Concise Cambridge History of English Literature, de George Sampson.
2.ª edição, com um novo capítulo de R. C. Churchill, «The Age of T. S. Eliot». Encadernação editorial em tela com sobrecapa, bem conservadas. Miolo limpo. Selo de biblioteca pessoal no pé da lombada e ex-libris de anterior proprietário. Bom exemplar. 1071 páginas. 14 x 20 cm. Cambridge: University Press, 1965.
Preço: 10 euros.



ODES


KEATS


Inclui as odes “a uma urna grega”, “à melancolia”, “à indolência”, “ao Outono” e “a um rouxinol”.

Tradução e prefácio-ensaio (págs. 11-26) de Fernando Guimarães.

Assinado pelo tradutor com dedicatória a Jorge Listopad, autor da capa. Número 2 da colecção Origem (primeiro título foi de Listopad), da Livraria Sousa & Almeida, Porto, [Julho de] 1960. Com 47+(9) páginas, e 19,3 x 12,5 cm. Com uma fotografia da máscara mortuária de Keats. Exemplar estimado.

Preço: 22 euros.



LIVROS I.º e II.º


FERNANDO GUERREIRO


Deste livro foram impressos, em off-set, sobre chapa de cartão, 250 exemplares, que custaram ao autor, graças à colaboração de alguns amigos gráficos (sem os quais esta edição não teria sido sequer possível), a módica quantia de 15 mil escudos. Com a venda dos volumes (que não tenham sido, entretanto, distribuídos pelos amigos), ao preço unitário (!) de cem escudos, o responsável pelos textos espera recuperar o dinheiro inicialmente investido, de modo a, ainda este ano, possivelmente no (fim do) Outono, pelo mesmo processo, mas em melhores condições técnicas, fazer sair (como toupeiras matreiras) das tocas em que se encontram, respectivamente os LIVROS III.º e IV.º (com textos de 1976/77). Para que conste. No ano de MCMLXXVII.

Primeiro livro do poeta, ensaísta, tradutor e professor universitário Fernando Guerreiro (n. 1950). Com 266-(1) páginas (soltas), não colado nem agrafado, e 17 x 22,5 cm. Lisboa: edição do autor, 1977.

Exemplar que concorreu ao Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes, em Novembro de 1977 [que premiou Sophia de Mello Breyner Andresen com O Nome das Coisas], e ficou na posse de um dos júris, donde a nota a lápis na capa: «menção honrosa».

Invulgar.

Preço: 45 euros.


luminosos


OS PÉS LUMINOSOS


JORGE DE SOUSA BRAGA


Poemas. Primeira edição. 55 páginas. 14,5 x 20,5 cm. Coimbra: Centelha, 1987. Colecção Poesia Nosso Tempo, n.º 44. Muito bom estado de conservação.

Preço: 25 euros.



VENEZA DE VISTA E OUVIDO


LÉLIA COELHO FROTA


Exemplar n.º 84 de uma tiragem única de 100, numerados e assinados pela autora, fora de mercado, para oferta a amigos. Edição bilingue, com tradução italiana de Luciana Stegagno Picchio. Prefácio de Alexandre Eulálio. Vinhetas de Maria Leontina. Projecto gráfico de Cecília Jucá de Holanda. 46 páginas. Papel superior. 12x16cm. Capa com sinais de manuseio, miolo limpo. Rio de Janeiro, 1986.

Acabado de imprimir a 11 de Julho de 1986, data do 48.º aniversário de Lélia Coelho Frota. Autografado (e emendado) pela autora com dedicatória à poetisa e tradutora Maria da Saudade Cortesão, esposa do poeta Murillo Mendes.

Lélia Coelho Frota, historiadora de arte e especialista em cultura popular brasileira, foi curadora da representação brasileira nas Bienais de Veneza de 1978 e 1988, a primeira das quais corresponde à data em que este conjunto de poemas foi escrito.

Preço: 35 euros.



ver também:
  • Antologia de poemas por António Miranda, aqui.
  • O exemplar n.º 21 de Veneza de Vista e Ouvido foi oferecido ao escritor brasileiro Lázaro Barreto (aqui).


FYSIOGNOMIA
E VARIOS SEGREDOS DA NATUREZA


JERONYMO CORTEZ


FYSIOGNOMIA, E VARIOS SEGREDOS DA NATUREZA. Contém Cinco Tratados de differentes materias, revisto, e melhorados nesta ultima impressão. Accrescentado nesta ultima idição com huns segredos emportantes para tirar nodoas. Composto por Jeronymo Cortez, Natural da Cidade de Valença. Agora novamente traduzido em Portuguez por Antonio da Silva de Brito. Lisboa, Na Officina de Francisco Borges de Sousa, Anno MDCCXCII. Com licença da Real Meza da Commissão Geral Sobre o Exame, e Censura dos Livros.

Um catálogo, ou receituário, contendo diversas fórmulas práticas e mezinhas, mais ou menos credíveis, com tanto de impraticável — por dificuldades de obtenção de certos ingredientes — como de realização fácil, na oficina, no campo ou no lar. Há astrologia, agricultura, folclore, curandeirismo, zoologia, geografia, técnicas oficinais [vide índice nas fotografias supra] e métodos para a produção de bebidas alcoólicas. O título, por exemplo, destaca «segredos emportantes para tirar nódoas». O autor: Jerónimo Cortez, ou Gerónimo Cortés (1555-1615), natural de Valência e autor do famosíssimo Lunário Perpétuo, até aos nossos dias republicado… e usado.

Os cinco tratados referidos no título são: 1) «Da Fysiognomia Natural do homem, conforme o methodo da Filosofia, e Medicina»; 2) «Das excellencias do Alecrim, e sua qualidade»; 3) «Das muitas, e mui grandes propriedades da Agua ardente»; 4) «Dos Segredos da Natureza, e maravilhosos effeitos delles»; e 5) «Da Regiao Elementar, e Celeste, no qual se descrevem as naturezas dos quatro Elementos, e Corpos Celestes, e de muitos, e varios effeitos, que causão».

Uma das inúmeras edições portuguesas da obra, mais ou menos expurgada, ao longo dos últimos 300 anos — só na Biblioteca Nacional existem edições de 1699, 1706, 1815, 1844, 1860, 1866, 1879, 1900, 1978, 1993 e 1995, bem como uma castelhana de 1598.

Com 238 páginas, e 9,8 x 14,9 cm. Encadernação da época, inteira de pele, sólida embora mal-tratada, possui diversos defeitos (faltas e furos, principalmente na lombada). Miolo aparado, e com manchas; há ainda uma pequena falta de papel no canto inferior exterior da página 181/182, que não chega a tocar o texto; e garatujas a lápis nos intervalos do texto das páginas 222 a 224. Contudo, um exemplar interessante. Invulgar.

Preço: 70 euros.



ARTE DE RESPIRAR


ÂNGELO DA COSTA CABRAL


Conferência proferida na sede da S.P.N. em 30 de Maio de 1949, e acabada de imprimir cinco anos depois, a 1 de Junho. A preocupação com a respiração saudável e o ar limpo estava fortemente impressionada por uma muito elevada incidência de casos de tuberculose na população portuguesa: uma década mais tarde, os números ainda eram onze vezes maiores do que nos dias de hoje.

Ângelo da Costa Cabral, «amigo do Ar Livre», foi presidente da Sociedade Portuguesa de Naturologia e director do mensário Vida Sã, orgão oficial do Movimento Naturista Português. Prefácio de Luciano Silva (vice-presidente). Na colecção Biblioteca Naturo-Vegetariana, com 24 páginas e 14,2 x 20,4 cm. Capa com algumas manchas, miolo limpo. Edição da Sociedade Portuguesa de Naturologia, Lisboa, 1954. Algo invulgar.

Preço: 15 euros.



O LAGO

POEMA EM FORMA DE I-CHING

MARGARIDA LISBOA


Poesia. Extratextos de Helena Almeida (desenho e também fotografia). Exemplar da tiragem normal de 1000 exemplares. Capa de João Carlos Albernaz. 77+(3) páginas. 24 x 17 cm. Colecção Ilhas. Bom estado, salvo alteração de cor na zona da lombada, visível na fotografia. Miolo impecável. Lisboa: Rolim, [Novembro de] 1985.

Invulgar.

Preço: 45 euros.



MARCAS DE CONTRASTES
E OURIVES PORTUGUESES

DESDE O SÉCULO XV A 1950

MANUEL GONÇALVES VIDAL


Prefácio de Reinaldo dos Santos. Centenas de reproduções de marcas de contrastes e identificação cronológica e geográfica de ourives portugueses ao longo de cinco séculos. Uma referência preciosa para investigadores, estudantes, coleccionadores e comerciantes. Em brochura. Capa cansada. Lombada fendida, de uso prévio, mas perfeitamente manuseável. Miolo limpo. Com (8)+viii+560+(8) páginas, e 27,5 x 19 cm. Lisboa: Casa da Moeda, 1958.

Preço: 90 euros.



MÔSCAS E MOSQUITOS


prefácio
RICARDO JORGE


Resultado e memória do combate a moscas e mosquitos levado a cabo pela Câmara Municipal de Cascais, no final da década de 30, um grosso volume ilustrado que tenta abarcar várias vertentes de análise possíveis dos dois insectos que há séculos ocupam as mentes e preocupações do homem: humor, música e teatro complementam a parte documental da obra (científica, técnica e histórica) com uma forte componente rediofónica — reproduzem-se algumas das campanhas desenhadas para transmissão sem fios na Emissora Nacional e no Rádio Club Português, parte fulcral das ditas acções camarárias de sensibilização e higienização.

Índice aqui e aqui. Inclui capítulos sobre “a mosca e o turismo” e “a mosca e o urbanismo“. Abre o prefácio Ricardo Jorge com a recordação das queixas de Camilo, em Seide, «possesso de raiva contra as ferroadas das que na calma de Agosto o acometiam das carvalheiras».

Ilustrado com desenhos, fotografias e fac-similes de documentos (e até uma pauta musical), em 94 páginas de extra-textos couché, alguns desdobráveis. Colaboração de Emmerico Nunes, Alberto de Sousa, Tomás Ribeiro Colaço, Arnaldo Leite, José de Oliveira Cosme, e outros. Assinado, numa larga diagonal que atravessa o rosto, por um dos colaboradores, António Augusto Velasco Martins (1896-1944), por então professor da Escola Superior de Medicina Veterinária. Em brochura. 236+(94) páginas. 24,5 x 17 cm. Bom estado. Edição da Junta de Turismo de Cascais, 1939.

Curioso.

Preço: 40 euros.



HOMENS DO MEU TEMPO

IMPRESSÕES PSYCHOPATHOLOGICAS.
NOTAS INEDITAS E DADOS BIBLIOGRAPHICOS.

JOÃO PAULO FREIRE
(MÁRIO)


[Razão da obra]
Foi a «pneumonica» que deu origem a êstes apontamentos.

Muito fraco, depois de um mês de cama. e de ter estado com pé e meio «do lado de lá» (…)

Memórias e impressões, escritas em 1918 mas apenas publicadas em 1924, de diversas “personalidades” da época:

Adelino Mendes, Agostinho Fortes, Alberto Pimentel, Alberto Souza, Albino de Souza Cruz, Alfredo Serrano, Álvaro Neves, D. António Barroso, Augusto José Vieira, Azedo Gneco, Bartolomeu Constantino, Bernardino Machado, Conde de Pinheiro Domingues, Cruz Magalhães, Domingos Pinto Coelho, Estevão de Vasconcelos, Faustino da Fonseca, Garibaldi Falcão, Hermano Neves, Henrique Marques Júnior, Jaime Victor, João Franco Monteiro, João Lage, João de Vasconcelos e Sá (D. Tancredo), José Constante, José Maria Ançã, Júlio Dantas, Oldemiro César, Raposo de Oliveira, Tomás Joaquim de Almeida, Visconde de Morais, Zeferino de Oliveira e Zuzarte de Mendonça.

1.º volume. 1.º milhar. Em brochura. 272 páginas. 19 x 12,3 cm. Bom estado geral (preço antigo escrito a lápis na capa). Lisboa: Livraria Civilisação, [1924].

Preço: 22 euros.


Daniel FILIPE

[17Jul20]


A INVENÇÃO DO AMOR

e outros poemas

DANIEL FILIPE


Primeira Edição. Assinado pelo autor com dedicatória simples, de amizade. Capa de Pilo da Silva. Texto de Urbano Tavares Rodrigues nas badanas. 65+(3) páginas. 19,2 x 13 cm. Lombada com ténue descoloração. Exemplar estimado. Lisboa: Sagitário, [1961]

Invulgar.

Preço: 80 euros.



PÁTRIA, LUGAR DE EXÍLIO


DANIEL FILIPE


Assinado pelo autor com dedicatória personalizada, de amizade. Primeira edição. Brochado, com sobrecapa (de Pilo da Silva). 82 páginas. 19,5 x 13 cm. Marcas de uso (uma ou outra falha de papel) — no geral, um bom exemplar. Lisboa: Poesia em Tempo de Guerra, [1963].

Preço: 50 euros.



DISCURSO SOBRE A CIDADE

CRÓNICAS

DANIEL FILIPE


Assinado pelo autor com dedicatória simples, de amizade. Primeira Edição. Carta-prefácio de José Osório de Oliveira. Crónicas «publicadas no Diário Ilustrado de Dezembro de 1956 a Setembro de 1957». Com 88 páginas, e 19,2 x 13 cm. Lombada levemente amarelecida. Bom exemplar. Lisboa: Sagitário, 1961.

Preço: 50 euros.



O VIAGEIRO SOLITÁRIO


DANIEL FILIPE


Assinado pelo autor com dedicatória fraternal. Capa de António Vaz Pereira. 77+(7) páginas. 20,4 x 16 cm. Lombada escurecida por exposição solar; capa com zona amarelecida (visível na fotografia). N.º 4 da Colecção de Poesias das Edições Távola Redonda, Lisboa, 1951.

Preço: 45 euros.



MARINHEIRO EM TERRA

POEMAS

DANIEL FILIPE


Capa de António Vaz Pereira. 53+(3) páginas. 20,2 x 15,5 cm. Com assinatura de posse no ante-rosto. Lombada e parte da capa com amarelecimento, leve, devido a exposição solar. Miolo limpo. Lisboa: Colecção Búzio, 1949.

Preço: 30 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1961


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo à entrada dos anos 60. Colaboração de: Santos Fernando, Antunes da Silva, Azinhal Abelho, Victor Santos, Santana Dionísio, e outros.

Ano XXIII. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 292 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1959


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo à entrada dos anos 60. Colaboração de: Cândido Marrecas, Santos Fernando, Arlindo Caldeira, Mário Beirão, José Barão, Isa de Aragão, Victor Santos, e outros.

Ano XXI. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 312 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Bom estado, salvo pequena falha de papel no canto superior da capa, visível na fotografia.. Impresso em Lisboa.

Preço: 22 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1958


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo no final dos anos 50. Colaboração de: António Sardinha, Arlindo Caldeira, Carlos de Oliveira, Conde de Monsaraz, João Falcato, Mário Beirão, Victor Santos, e outros.

Ano XX. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 328 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Com um marcador publicitário. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1957


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo na segunda metade dos anos 50. Colaboração de: António Sardinha, Arlindo Caldeira, Antunes da Silva, Azinhal Abelho, Conde de Monsaraz, e outros.

Ano XIX. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 336 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Com um marcador publicitário. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1956


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo em meados dos anos 50. Colaboração de: Alberto de Monsaraz, Victor Santos, Santos Fernando, Etelvina Lopes de Almeida, Maria Rosa Colaço, e outros.

Ano XVIII. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 344 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Com um marcador publicitário. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



ALMANAQUE ALENTEJANO


1953


Publicidade, humor, poemas, cantigas, turismo, etnografia, agricultura, ficção, fotografia, ilustração. O Alentejo no início dos anos 50. Colaboração de: Augusto de Castro, Augusto de Esaguy, Santos Fernando, Victor Santos, Costa Leão, Miguel Serrano, Mário Beirão, e outros.

Ano XV. Direcção e coordenação de Fausto Gonçalves. Obra patrocinada pela Casa do Alentejo. 360 páginas. Formato largo: 23 x 16 cm. Com um marcador publicitário. Bom estado. Impresso em Lisboa.

Preço: 25 euros.



SOBRE AS FEITICEIRAS


JULES MICHELET


Título original: La Sorcière (1862). Tradução de Manuel João Gomes. Comentários de Afonso Cautela, Manuel João Gomes, Maria Alzira Seixo e Maria Teresa Horta. Ilustrado. Qualidade superior no desenho do livro, tipografia e papel escolhido, inigualável à época. 429+(3) páginas. 18,5 x 13,5 cm. Bom exemplar. Colecção Clássicos, das Edições Afrodite / Fernando Ribeiro de Mello, Lisboa, [Novembro de] 1974.

Preço: 40 euros.



GRANDE LIVRO DE S. CIPRIANO
OU TESOUROS DO FEITICEIRO


S. CIPRIANO


Ilustrações de Martim Avillez. Comentários de António José Forte, António Alçada Baptista, Padre A. Miranda Santos, Padre Avelino Rodrigues e Fernando Calixto. Plano, arranjo e controle gráfico de José Marques de Abreu. 360 páginas. 18,6 x 13,2 cm. Capas frontal e posterior com vincos de leitura e lombada com desgaste à cabeça — defeitos verificáveis nas fotografias. Miolo com muito ocasionais picos de oxidação, amarelecido no corte das folhas. Assinatura de posse de António d’Orey Capucho no rosto. Colecção Clássicos das Edições Afrodite / Fernando Ribeiro de Mello, Lisboa, 1971.

Preço: 25 euros.



PEREGRINAÇÃO


FERNÃO MENDES PINTO


Versão de Maria Alberta Menéres. Comentários de Vítor Silva Tavares, Eduardo Lourenço, Eduardo Prado Coelho, Almeida Faria, Armando Castro e Armando Martins Janeira. Desenhos de Eurico, Carlos Ferreiro e António Areal. Ilustrado com mapas (1 desdobrável, com a tentativa de reprodução da rota pelo Visconde de Lagoa), frontispícios e documentos. Maqueta da colecção de Paulo-Guilherme. Arranjo gráfico de José Marques de Abreu.

Obra completa, em 2 volumes — ambos em primeira edição. Com 508 + 580 páginas. 18,6 x 13,2 (x 5,3) cm. Bom estado geral, embora nas lombadas haja perda de cor e ligeiras faltas de papel, visíveis nas fotografias supra. Corte superior do miolo amarelecido. Colecção Clássicos das Edições Afrodite / Fernando Ribeiro de Mello, Lisboa, 1971.

Preço: 45 euros.



HISTÓRIA TRÁGICO-MARÍTIMA


BERNARDO GOMES DE BRITO


Capa com desenho de Cruzeiro Seixas. Desenhos de Cruzeiro Seixas, Eurico, Carlos Calvet e José Escada. Fixação do texto, glossário e notas de Neves Águas. Comentários de José Saramago, Fernando Luso Soares e Maria Lúcia Lepecki. Ilustrado com facsimiles de documentos e frontispícios. Maqueta da colecção de Paulo-Guilherme. Arranjo gráfico de José Marques de Abreu.

Obra completa, em 2 volumes. Com cxx + 816 páginas, ilustrações em papel couché. 18,6 x 13,2 (x 6,8) cm. Bom estado, embora com o corte superior das folhas amarelecido. Primorosa edição na Colecção Clássicos das Edições Afrodite / Fernando Ribeiro de Mello, Lisboa, 1971.

Preço: 60 euros.



DIREITOS DO HOMEM

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM
CONVENÇÃO EUROPEIA DOS DIREITOS DO HOMEM

Apresentação de Ramalho Eanes, então Presidente da República, e depoimento de Ângelo de Almeida Ribeiro, presidente da Liga Portuguesa dos Direitos do Homem. 88 páginas. 20,8 x 14,7 cm. Miolo em bom estado. Capa com algumas manchas e perda de cor. Colecção Documentos, das Edições Afrodite / Fernando Ribeiro de Mello, Lisboa, [Maio de] 1977.

Preço: 15 euros.



SOROR MARIANA


LUCIANO CORDEIRO


2.ª Edição. Illustrada, correcta e augmentada sobre novos documentos. Ilustrada no texto e em extra-textos couché. Em brochura e em bom estado. 352 páginas. 22,5 x 14,2 cm. Lisboa: Ferin & C.ª Editores, [1891].

Preço: 40 euros.



MARIANA ALCOFORADO

História e Crítica de Uma Fraude Literária


ANTÓNIO GONÇALVES RODRIGUES


Segunda edição revista, seguida de uma Bibliografia das Cartas. 178 páginas. 21,6 x 14,2 cm. Bom estado, pese embora marcas superficiais de bicho do papel, junto à margem inferior da capa, visível na fotografia supra. Coimbra: Coimbra Editora, 1944.

Preço: 22 euros.



10 POEMAS PARA CATARINA


«No 27.º aniversário do assassínio de Catarina Eufémia».

Pasta de cartão (20,5 x 29,7 cm) contendo 19 folhas soltas (19,5 x 28,5 cm), com poemas de Álvaro Magalhães, António Ramos Rosa, Armando Silva Carvalho, Egito Gonçalves, José Gomes Ferreira, Manuel Alberto Valente, Maria Teresa Horta, Marta Cristina de Araújo, Papiniano Carlos e Sophia de Mello Breyer Andresen; três desenhos de José Rodrigues; um excerto de um texto de José Dias Coelho sobre Catarina Eufémia; e a reprodução da primeira página do Avante! [VI série, n.º 187, Abril-Maio 1954] com a notícia da “carga” da GNR que matou a ceifeira de Baleizão.

Álbum organizado por Marta Cristina de Araújo, e dirigido graficamente por Armando Alves. Tiragem de 600 exemplares, dos quais 500 com distribuição comercial (este o número 490). Bom estado. Capa com mínimas imperfeições, visíveis nas fotografias. Folhas soltas em estado impecável. Porto: O Oiro do Dia, 1981.

Preço: 40 euros.



MULHERES EM ATENAS

AS MULHERES LEGÍTIMAS E AS OUTRAS

ANA LÚCIA CURADO


Baseado sobretudo em mais de uma centena de discursos atribuídos aos Dez Oradores do cânone ático, fontes particularmente ricas em informação histórica, este estudo é sintomaticamente intitulado «Mulheres em Atenas», visto que nem todas as figuras aqui analisadas eram originárias da capital da Ática, ainda que tivesse sido aí que se tivessem evidenciado. [ler recensão aqui]

Estudo originalmente apresentado à Universidade de Coimbra como tese de doutoramento em Letras, na especialidade de Estudos Clássicos. com orientação de Maria Helena da Rocha Pereira [autora do prefácio]. Brochado. 551+(5) páginas. 23 x 16 cm. Algumas ilustrações no texto, a preto. Usado em bom estado. Lisboa: Sá da Costa Editora, 2008.

Esgotado.

Preço: 25 euros.



AS MULHERES DE
MOÇAMBIQUE


MICHÈLE MANCEAUX


«Reportagem em moldes diversos dos clássicos sobre o processo revolucionário de Moçambique, com insistência no papel da mulher. Uma adesão à revolução moçambicana, mormente no seu aspecto de luta pela libertação feminina da prostituiçao, bigamia, trabalho-escravo, analfabetismo… Sendo as mulheres as mais oprimidas pelo colonialismo, é lógico que elas sejam, em quantidade e qualidade, o principal alicerce da Frelimo.
«Um livro confessadamente pensado para ser lido pelas mulheres de Moçambique ainda não mobilizadas para a revolução. O propósito de, através das palavras das militantes da Frelimo entrevistadas, dar forma à história da guerra de libertação do país. Uma obra didáctica para as mulheres da Europa conservadora pois, a ocidentalismo, opõe a vivência revolucionária rumo ao socialismo.»
[texto da contracapa]

Tradução de Manuel João Gomes, de um original de 1975 (Les Femmes de Mozambique). Brochado. 128+(8) páginas. 20,5 x 13,5 cm. Bom estado geral. Lisboa: Arcádia, [Janeiro de] 1976.

Preço: 17 euros.



O HUMORISMO E A MULHER

DEFICIÊNCIA DO HUMORISMO E DO SENSO CÓMICO
NO SEXO FEMININO

G. B. UGHETTI


Ensaio. Proémio do autor [«porque é que as senhoras, que se sorriem com tanto gôsto, e às vezes se riem sem motivo aparente, não lêem com prazer, e, menos ainda, escrevem livros ou jornais humorísticos?»], professor de Patologia na Universidade de Catânia. Versão do original italiano por Arlindo Varela. Encadernação sintética, mantém capas de brochura. 19 cm x 13 cm. 107+(7) páginas. Bom estado geral, embora com alguns pontos de oxidação. Lisboa: Casa Portuguesa, 1929.

Preço: 25 euros.



ORAÇÃO DA COROA


DEMÓSTENES


Versão do grego, prefácio e notas de Vieira de Almeida, e carta-prefácio de Rebelo Gonçalves. Exemplar n.º 40 da tiragem especial de 100 exemplares numerados e rubricados, impressos em papel Leorne, da Companhia do Papel do Prado. Brochado. Não aparado. CCXLVI+(2)+95+(5) páginas. 17 cm x 25 cm. Bom exemplar. Colecção de Clássicos Sá da Costa. Lisboa: Sá da Costa Editora, 1956.

Preço: 30 euros.



CARTA DE GUIA DE CASADOS

DOM FRANCISCO MANUEL DE MELO

___ encadernado com ___

ODES PINDARICAS

ANTÓNIO DINIZ DA CRUZ E SILVA


Durante a segunda e terceira décadas de oitocentos, por consequência das Invasões Napoleónicas e sequentes Revolução Liberal e Guerra Civil, uma comunidade de exilados portugueses em Londres animou a edição de clássicos, periódicos e diatribes político-governativas, parte da qual tipografada na Fleet Street, na oficina de Thomas Curson Hansard, famoso impressor dos Debates Parlamentares britânicos.

A Carta de Guia de Casados, de Dom Francisco Manuel de Melo (1 de Maio de 1820), e as Odes Pindaricas (3 de Março de 1820), de António Diniz da Cruz e Silva, foram impressas por Hansard com poucos meses de distância, «dadas á luz» por «dois portuguezes» [cit. Advertência (s)] anónimos, movidos «por os desejos de fazer reviver alguns dos nossos livros classicos»:


[volume compósito formado por]

CARTA DE GVIA DE CASADOS. Paraque Pello Caminho da Prudencia se Acerte Com a Casa do Descanso. A hum amigo. Por D. Francisco Manuel [de Melo]. Em Londres: na officina de T. C. Hansard, Peterboro’-Court, Fleet Street. 1820. Com xxvi+(2)+184 páginas. Antecedem a obra a advertência (datada) dos editores (anónimos), onde anunciam seguir a edição de Craesbeeck (1671); e um epítome da vida do autor, por «Dom Bartholomeu de Gallardo».

[seguido de]

ODES PINDARICAS, de Antonio Dinys da Cruz e Silva; chamado entre os poetas da Arcadia Portugueza, ELPINO NONACRIENSE. Londres: na officina de T. C. Hansard, Peterboro’-Court, Fleet Street. 1820. [Citação de Horácio no rosto, visível numa das fotografias supra]. Com iv+224+(2) páginas — em falta: as duas páginas da Advertência (datada) dos editores (anónimos), constatada noutro exemplar.
Inclui índice dos dedicatários: Vasco da Gama, Henrique de Macedo, André Furtado de Mendonça, António Correa Baharem, Paulo de Lima, João Fernandes Vieira, Heitor da Silveira, Nuno Álvares Botelho, António de Saldanha, Dom João de Castro, António Moniz Barreto, Salvador Ribeiro de Sousa, João Rodrigues de Sá, Duarte Pacheco Pereira, Fernando Peres de Andrade, Nuno Fernandes de Ataíde, Gonçalo Pereira Marramaques, André de Albuquerque, Mem Lopes Carrasco, António Galvão, Lopo de Sousa Coutinho, Diogo da Silveira, António da Silveira, Conde de Lippe, Marquês de Pombal, D. José I, Henrique José Maria Adão, João de Saldanha, Martinho de Melo e Castro e Dom João da Silva.


Em ambas as edições destacou Inocêncio «a nitidez dos typos» e o tipo de papel [II, 441; I, 124], não deixando de anotar que, nesta 3.ª edição das Odes de Diniz da Cruz e Silva, há falta de dez odes relativamente às antecedentes de Coimbra (1801) e Lisboa (1815-1817).

Terão sido reunidas num único volume por antigo possuidor, que os marcou com a assinatura de posse «Bento da França» no ante-rosto da primeira obra e após a última página da segunda.

Dos (pelo menos) três Bento da França cujo registo se conhece ao longo do século XIX, um foi militar liberal e dois administradores coloniais. Pensamos tratar-se de Bento da França Pinto de Oliveira (1833-1889), autor de títulos importantes para a História de Macau.

Uma segunda assinatura de posse ilegível, coeva da primeira, figura sumida no ante-rosto da Carta.

Encadernação sintética modesta, de difícil datação, com 17 x 11 cm. Cerca de 440 páginas. Miolo aparado, com leves e ocasionais manchas de humidade.

Raro.

Preço: 165 euros.