REGIMENTO DO HOSPITAL DE TODOS OS SANTOS


Título completo: REGIMENTO DO ESPRITAL DE TODOLOS SANTOS DE EL-REY NOSSO SENHOR DE LISBOA Que deu El-Rey D. Manuel no Ano do Senhor de 1504 e que é pela primeira vez dado em livro pelo Laboratório Sanitas em Novembro de 1946 nesta cidade de Lisboa.

Do Regimento do Hospital de Todos os Santos, «há duas versões no Arquivo do Hospital de S. José, ambas manuscritas, sendo uma, a original, escapada a dois incêndios, ao terramoto de 1755 e ao incêndio que se lhe seguiu, outra, “a leitura nova”, posterior. / A edição que fazemos é duma cópia revista, em face do original quinhentista e da “leitura nova”, pelos distintos funcionários Francisco de Bettencourt Atayde e Eduardo Santa Clara d’Agrella, sob a direcção de Ataíde e Melo, ilustre arquivista do Hospital de S. José, feita por determinação do antigo sub-secretário de estado da assistência social, Joaquim Dinis da Fonseca.» [in Prefácio, p. 8]

Autografado com dedicatória, no ante-rosto, por Fernando da Silva Correia, autor do prefácio e coordenador da edição, à época director do Instituto Ricardo Jorge. Com 4 ilustrações em extra-texto couché. 83+(13)+[8] páginas. 22 x 15,5 cm. Bom estado. Composto e impresso nas oficinas gráficas da Casa Portuguesa. Lisboa: Laboratório Sanitas, 1946.

Preço: 27 euros.


 


ÉTUDE GÉOLOGIQUE DU

TUNNEL DU ROCIO

CONTRIBUTION À LA CONAISSANCE DU SOUS-SOL DE LISBONNE


PAUL CHOFFAT


Avec un article paléontologique par M. J. C. Berkeley Cotter et un article zoologique par M. Albert Girard.

Numa recensão dedicada a esta «notável publicação», na Revista de Sciencias Naturaes e Sociaes, da Sociedade Carlos Ribeiro [vol.1, 1889, p. 184], Rocha Peixoto destaca os caminhos abertos pelo estudo rigoroso e pioneiro de Paul Choffat:

«A introducção, de per si, constitue, por varios motivos, um trabalho interessantíssimo; é a exposição das vantagens immediatamente derivativas da technologia geognostica, apoiando-se o auctor, para a exemplificação do seu proposito, em factos curiosos sobre a abertura de vias férreas, exploração mineira, construcção dos cemiterios, perfuração de poços, problemas de hydrologia, agricultura e topographia. D’este capítulo, que desejaríamos ver vulgarisado, destacariamos factos singulares sobre cousas nossas, se tal comportasse o espaço de que dispomos.» [ler texto completo aqui, com o resumo do restante conteúdo da obra].

Em brochura e intonso: 32,2 x 25,2 cm. Com (8)+106+(2)+[XIV] páginas — no final, possui quatro plantas desdobráveis e três folhas couché com fotografias e desenhos das escavações. Com mínimas falhas de papel nas margens das capas, e a lombada escurecida e fendida, algo frágil. Miolo com ocasionais manchas marginais, e marcas superficiais de bicho de papel, pouco frequentes. No geral, um bom exemplar, invulgar.

Edição da Comissão dos Trabalhos Geológicos [Comission des Travaux Géologiques du Portugal], Lisbonne: Imprimerie de l’Académie Royale des Sciences, 1889.

Preço: 80 euros.