DOURO
AS QUINTAS DO VINHO DO PORTO


ALEX LIDDELL


Esta obra é tradução de um texto inicialmente escrito em inglês e não uma nova edição. Os leitores portugueses desculparão observações ocasionais no texto dando explicações que lhes parecerão evidentes mas que se tornavam necessárias para um público estrangeiro. Também não foi possível alterar o texto de modo a incluir mudanças que se deram posteriormente à sua publicação em língua inglesa. Destas, as mais importantes são as que dizem respeito à propriedade de duas das quintas: a Quinta Nova pertence agora à J. W. Burmester & Ca., Lda.; e a Quinta da Ferradoza, que é hoje propriedade da A. A. Calém & Filho, Lda. 

[A. T. W. Liddell, da Nota à Edição Portuguesa ]


2.ª edição. Fotografia de Janet Price. Tradução de Isabel Motta. Apresentação de Serena Sutcliffe. Prefácio de Alex Liddell e Janet Price. Encadernação editorial com sobrecapa. 245+(3) páginas. 19 cm x 25,3 cm. Bom exemplar. Lisboa: Quetzal Editores, 1995.

Preço: 30 euros.




EVOLUÇÃO SOCIAL


PAULO DE BARROS


Discurso Pronunciado no «Grémio de Instrucção e Recreio», de Bragança, na noite do dia 26 de Maio de 1881. Porto: Real Typographia Lusitana, 1881. /// 48 páginas. 14 x 22 cm. Capa com algum desgaste. Nota manuscrita (pelo autor?) à cabeça: «Ex.mo Sr. Alferes M.el Rodrigues». /// Lista de obras anteriores do autor, constante da contracapa: Questões de Hygiene e de Agricultura – Cemitérios e Incineração dos cadaveres; e Breves reflexões sobre as quantidades negativas.

Pensamos tratar-se de Paulo de Barros Pinto Osório [n. 1848], viticultor no Douro nascido em Peso da Régua, parlamentar entre 1900 e 1910, como deputado progressista, e engenheiro-chefe da construção na Companhia dos Caminhos de Ferro do Minho e Douro (1901).

Preço: 12 euros.