Com direcção gráfica de Armando Alves, a colecção de plaquetes O Oiro do Dia (1975-198?), publicada pela Editorial Inova do Porto até ao 43.º título e dirigida por Vasco Graça Moura a partir do 22.º, caracterizou-se por uma cor (tijolo) e formato (29,5 x 18 cm) uniformes, tiragens reduzidas e numeradas e um grafismo simples e cuidado: uma pasta de papel albergando um reduzido número de folhas soltas, não encadernadas, com os textos poéticos impressos com margens avantajadas, e uma ou mais imagens soltas em papel couché.

A partir do número 44, passou a ser editada pela editorial homónima, O Oiro do Dia, com ligeira alteração no grafismo da capa, mas com a mesma cor e formato.

[Índice, tal como consta no número 82 da colecção, datado de 1982]